2015

Outubro 

Bem-vindo ao Comintern (EH)!

 

 

 

1917 - 2017

- 100 Anos -

Revolução de Outubro

 

O Comintern (EH) orgulhosamente apresenta 

a maior galeria em todo o mundo!

 

GALERIA

 

 

órgão teórico

 

 

NOVO

O desenvolvimento económico da restauração do capitalismo na União Soviética

- Uma breve análise Estalinista-Hoxhaista

 

 

 

 

 

Protestos de estudantes na África do Sul em Outubro de 2015

A juventude Africana – chama pura da revolução mundial!

 

A polícia disparou granadas e gás lacrimogéneo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

20 de Outubro de 1944

Libertação de Belgrado

 

E a vitória sobre o fascismo de Hitler na Jugoslávia

 

Disponível em

Inglês

Alemão

Russo

Servo-croata

 

 

 

Mensagens de solidariedade

 

 

O Comintern (EH) envia saudações revolucionárias militantes à Secção Jugoslava, para o proletariado da ex-Jugoslávia e para os povos Jugoslavos na ocasião deste grande dia histórico.

A vitória sobre o fascismo de Hitler irá incentivar todos os antigos povos Jugoslavos para libertar todos os inimigos internos e externos, para derrubar a burguesia nos países próprias e para remover os imperialistas do território da Jugoslávia.

Viva a revolução socialista unida nos países da ex-Jugoslávia!

Viva a re-unida, independente e socialista Jugoslávia num mundo socialista!

 

 

ENVER HOXHA

O MARXISMO-LENINISMO É UMA NECESSIDADE, COMO O AR QUE RESPIRAMOS E OS ALIMENTOS QUE COMEMOS

A partir de uma contribuição na reunião do Secretariado do CC do PTA (1)

26 de Abril de 1982

 

 

 

NESTE 107º ANIVERSÁRIO DO

CAMARADA ENVER HOXHA,

A SECÇÃO PORTUGUESA DO COMINTERN (EH)

ENVIA SAUDAÇÕES MILITANTES HOXHAISTAS A

TODOS OS CAMARADAS DE TODO O MUNDO!

VIVA O CAMARADA ENVER HOXHA

- O 5º CLÁSSICO DO MARXISMO-LENINISMO!

 

 

ENVER HOXHA

 

 

Mensagens de solidariedade

 

Mensagem do Comintern (EH)

por ocasião do 107º aniversário

do camarada Enver Hoxha

 

16 de Outubro de 1908 -

16 de Outubro de 2015


Hoje, há 107 anos atrás, o nosso querido camarada Enver Hoxha nasceu. Ele fica lado a lado com Marx, Engels, Lenine e Estaline como o quinto Clássico do Marxismo-Leninismo. Ele continua bem profunda nas mentes e nos corações de cada comunista genuína no mundo.

Tudo o que poderíamos afirmar aqui sobre camarada Enver sempre seria insignificante quando comparado com o seu legado imortal. Vida do camarada Enver é a de um comunista indomável, é a de um guerreiro anti-revisionista implacável. Fidelidade incondicional aos princípios é a pedra angular de toda a obra de Enver. Contrariamente a outras pessoas que se converteram ao revisionismo e social-fascismo, camarada Enver nunca vacilou na defesa do socialismo e do comunismo autêntica.

Ao longo de sua vida, o camarada Enver nunca se rendeu a e permanentemente denunciado mentiras revisionistas como a do "caminho pacífico para o socialismo", etc. Porque ele sabia que a classe burguesa e outras classes exploradoras e opressoras nunca se render seu poder voluntariamente, no camarada Enver Albânia vigilância revolucionária e violência foram sempre exercido sem falhar. A revolucionarização incessante da sociedade em todos os domínios (economia, política, social, cultural, etc.) e de luta ininterrupta contra todos os tipos de influências burguesas-capitalista-imperialista-revisionista era a vida cotidiana na Albânia de Enver.

Ele nunca teve medo de atacar abertamente e desagradar a todos aqueles que traíram o Marxismo-Leninismo-Estalinismo e que defendeu a restauração e a capitulação burguesa-capitalista - não importa quão grande e poderoso que poderia ser. Luta do camarada Enver contra Krushchevista revisionismo e contra o social-imperialismo soviético é uma prova disso. Mas também a sua denúncia contínua dos países social-fascista na Europa Oriental e em outros lugares que falsamente tentaram retractar a si mesmos como "socialista" é uma prova disso.

Da mesma forma, camarada Enver nunca teve medo de erros, pois eles existem para ser corrigido. Foi o que aconteceu com maoísta / revisionismo chinês, que foi prontamente desmascarada tão logo o seu carácter anti-comunista e reaccionário foi entendido por albaneses Marxistas-Leninistas. Camarada Enver sabia que, enquanto trabalhadores albaneses estavam armados com as armas invencíveis do Marxismo-Leninismo, enquanto a Albânia continuou a ser um país de verdade a ditadura do proletariado, ninguém poderia tocá-lo. E, de fato, enquanto camarada Enver estava vivo, ninguém jamais poderia tocar minúsculo Albânia socialista, não importa o quão duro imperialistas e revisionistas tentaram fazê-lo.

Longe de ser simplesmente uma "contribuição enriquecedora" e longe de ser algo meramente limitam às fronteiras Albanesas, o Hoxhaismo é na verdade o mais alto estágio de desenvolvimento do Marxismo-Leninismo-Estalinismo nas condições de revisionismo no poder e do cerco capitalista-revisionista-imperialista. Para firmemente defender e defendê-la é também defender e defender os todos os clássicos do Marxismo-Leninismo como um todo. Nós, Estalinistas-Hoxhaistas, juramos ser sempre fiel aos ensinamentos vermelhos do camarada Enver.


Viva o 107º aniversário do camarada Enver Hoxha - o quinto Clássico do Marxismo-Leninismo!

O camarada Enver é imortal - seu génio ilumina o nosso caminho para a revolução socialista mundial vitorioso!

Viva a luta anti-revisionista e anti-social-fascista!

Balas contra a classe burguesa mundial e o capitalismo mundial!

Morte a todos os tipos de imperialismo e de social-imperialismo!

Viva o Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo!

Viva a revolução armada socialista mundial e a ditadura do proletariado mundial!

Viva o socialismo mundial e o comunismo mundial!

Viva o Comintern (EH)!

 


 

 

 

site especial por ocasião do

 

107º aniversário...

 

 

Inglês

 

Alemão

 

Publicado pelo Comintern (EH) por ocasião do 107º aniversário do camarada Enver Hoxha

NOVO

Em língua Alemã

 

 

"As Superpotências"

 

 

"8 Nentori" - Tirana 1986, 780 páginas

 

"As Superpotências - sobre as questões internacionais" é parte do diário político andcovers o período de junho de 1959 a dezembro de 1984, ou seja, até pouco antes de sua morte. Enver Hoxha analisou os acontecimentos mundiais políticos e revelando o papel do imperialismo norte-americano como um gendarme mundial. Por outro lado, ele lida com o social-imperialismo soviético, que surgiu após a apreensão dos revisionistas kruschovistas. A teoria Hoxhaista sobre as superpotências é parte integrante do Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo.

O camarada Enver Hoxha toma a única postura marxista-leninista correcta na luta contra as duas superpotências e capitalismo mundial. Reflete-se na política externa revolucionária da Albânia, o único país socialista do mundo. "As Superpotências" baseia-se na estratégia e tática da luta do proletariado mundial e os povos oprimidos para a derrubada do mundo imperialism.Comrade Enver Hoxha destacou os acontecimentos mundiais políticas do ponto de vista da revolução socialista mundial.

"Como o nosso Partido tem dito, tudo está sendo manipulado pelas duas superpotências, Estados Unidos da América e a União Soviética, assim como pelo capitalismo mundial, com o objectivo de suprimir a revolução." (Enver Hoxha)

 

* * *

 

 

 

NOVO

 

em Português
(Tradução da seção Português)

 

"AS SUPERPOTÊNCIAS"

Trechos 1968 - Checoslováquia respeitante

 

* * *

 

 

«Enver Hoxha. Vida e Obra. 1908 — 1985»

Graças a:

enverhoxha.ru

 

 * * *

Albânia, a pequena e antiga vila de Gjirokastra, 16 de Outubro de 1908...

Mensagens de solidariedad

Mensagem de Saudação da Secção Georgiana do Comintern (EH)

Por ocasião do 107º aniversário do camarada Enver Hoxha

 

 Este dia entrou para a história como o aniversário do Quinto Clássico do Marxismo - o nosso amado professor e líder reconhecido do albanês e do proletariado mundial, o camarada Enver Hoxha!

Este dia é comemorado por todos os verdadeiros comunistas no mundo como um feriado como um dia que traz às nossas mentes e corações das páginas da vida heróica líder revolucionário e imortal ardente do proletariado albanês, camarada Enver Hoxha!

Este dia nos faz lembrar o período de construção heróica do socialismo em um pequeno país europeu, que por quase quatro décadas só lutou contra o imperialismo e o capitalismo mundial para a preservação de sua verdadeira liberdade nacional e genuína igualdade civil para a libertação do jugo do capital, opressão colonial e obscurantismo!

Este dia lembra a verdadeiros revolucionários em todo o mundo sobre como lidar com o mal principal do mundo - a capital mundial e levando-os ao imperialismo!

Este dia nos lembra de algo, quais devem ser os verdadeiros comunistas e revolucionários!

Neste dia, nós, os comunistas modernos - Estalinistas-Hoxhaistas - sentimos um orgulho especial no fato de que uma vez que os soldados começaram a vir revolução socialista mundial!

E neste dia, mais uma vez voto de nunca se afastar do caminho revolucionário uma vez escolhido!

O tempo virá, e este dia será celebrado como um feriado em todas as escolas do mundo, e todos os cidadãos verdadeiramente livres da futura sociedade comunista mundial neste dia com orgulho é anexado ao peito um pequeno ícone do camarada Enver Hoxha como um presente merecido respeito pelos humanos, ideias, e cujo caso juntamente com as maiores ideias e obras de Marx, Engels, Lenine e Estaline, suportar através dos tempos!

E agora, enquanto vivemos e luta em um período histórico de agonia do capitalismo mundial e eles emitida a fome, a pobreza e as guerras sangrentas, neste dia e à imagem do nosso grande mestre, o quinto clássico do marxismo – o camarada Enver Hoxha - permeia nossa espírito revolucionário e força inesgotável para as batalhas atuais e futuras!

Hoje, para ser um comunista - que significa ser um Estalinista-Hoxhaista!

A "comunista", que não é reconhecido e armado com as ideias do Estalinismo-Hoxhaismo, que é o marxismo na era da globalização, é um simplório-oportunista de esquerda (liderada pelos oportunistas do "Partido Comunista da Grécia" e "Partido Comunista da Federação Russa ") ou revisionista traiçoeiro preto sob a pele vermelha comunista (liderado por revisionistas chineses, cubanos e norte-coreanos)!

E logo todos os oportunistas e revisionistas, como revisionistas de Khrushchev soviético, será na pilha de sucata da história! A humanidade vai esquecer tudo sobre eles!

Mas a humanidade para sempre recordar e honrar os nomes dos cinco clássicos do marxismo!

História decretou que 16 de Outubro - o aniversário do nosso grande camarada e professor, Enver Hoxha - permanecerá na memória eterna da humanidade, o tempo virá e que dia será um feriado no mundo!

Portanto:

Viva o grande quinto clássico do Marxismo - o camarada Enver Hoxha!

Viva o grande povo Albanês, que deu ao mundo uma das cinco maiores mentes da história da humanidade!

Viva a Internacional Comunista Estalinista-Hoxhaista - o Partido único verdadeiramente revolucionária do proletariado mundial!!

Proletários de todos os países, junte-se à maior trem na história da humanidade - para o trem de combate vermelho da revolução socialista mundial em que locomotiva o nome de "Estalinismo-Hohxhaismo" está escrito!

 

 

Mensagens de solidariedad

 

Mensagem de Saudação aos camaradas Russos

de enverhoxha.ru

 

Caros camaradas Russos,


na ocasião do nosso querido camarada Enver Hoxha enviamos saudações militantes Hoxhaistas aos camaradas de enverhoxha.ru, para o proletariado russo e para os antigos povos da União Soviética de Lenine e Estaline.

O camarada Enver Hoxha é um dos maiores líderes do proletariado mundial - o quinto Clássico do Marxismo-Leninismo.

Aprender com o camarada Enver Hoxha significa aprender para a vitória da revolução socialista mundial!


Vamos lutar juntos sob a bandeira invencível do camarada Enver Hoxha!


Viva o camarada Enver Hoxha!

 

O Comintern (EH)

 

15 de Outubro de 2015




 

 

O Comintern (EH)

Em acção!

10. 10. 2015

250 000 em Berlim!!!!

PAREM O TTIP!

 

 

 

 

 

Relato da Experiência na manifestação


Manifestações de segunda-feira em todo o país contra a Hartz 4 e governo e grande manifestação contra imperialista FTAs TTIP, TTP, CETA, TISA e Co


"100000" participantes.

Para efeito de comparação, em 16.5.2008 eram cem mil em uma demonstração de união na estrada.

A Secção Alemã do Comintern (EH) - [então ainda sob o nome PCA / EH] - foi een nome do partido.

Só no último sábado veio para as 150.000 pessoas à noite na Heldenplatz em Viena para o concerto "Vozes para os Refugiados" - Dezenas de milhares de pessoas (cerca de 60.000) também manifestaram a sua solidariedade para com os requerentes de asilo e refugiados já no sábado à tarde no grande manifestação anterior em Viena - Viena estabeleceu mais um sinal forte!! Os manifestantes mais proeminentes eram os companheiros turcos de KIKBhttps: //www.youtube.com/watch v = k_KHHVtOUXA de 1:29 com martelo foice e rifle mas sem Spartacus estrela?

Mas havia sempre mais:

15 de fevereiro de 2003

500.000 a manifestação interior em Berlim contra a iminente guerra no Iraque na estrada. A Secção Alemã do Comintern (EH) - [então ainda PCA / ML] - era também um do partido.

Ele também veio a acções militantes.


"Para um comércio mundial justo", e apenas sonhar com o principalmente proveniente do sector imponente, burguesa e organizações, incluindo, socialmente fascistas, sindicatos e partidos sustentáveis do estado. Como parar assim se gaba. E o que se gabar.

Qual é a limitação colocar em colectar assinaturas? Você deixar o levado até lá por pelo menos 3,263,922 assinaturas até um centímetro de seu crime? Como pode ser visto, não sim. Estes são puramente reformista. Por si só, as classes dominantes nunca vão parar com seus acordos de comércio livre capitalista mundial. Uma vez que apenas os trabalhadores devem punho desabar em cima da mesa!

Somente a revolução socialista mundial pode eliminar o TTIP, FTAs imperialistas mundiais, TTP, CETA, TISA e Co.

Mas não, agora porque um idiota quando Demonstração TTIP rum:

https://twitter.com/correctiv_org/status/652800427034046464

"Os direitos dos trabalhadores relativos #CETA impraticável, diz Larry Brown, sindicalistas do Canadá #ttipdemo o vídeo da entrevista: https://goo.gl/mbShxP"

São estes ainda serem salvos? Banidos da Lufthansa-Streik, união pouco antes da dissolução dos estivadores. Tudo sem TTIP Graças à lei unidade de negociação. A indústria de protesto como uma invenção do imperialismo mundial!

Você tem coisas dialecticamente e sem emoção: Apesar da massa do povo são os protestos com a luta de classes nos anos 70 - por exemplo, não é comparável, os soldados de 24 000 alemães, 12.000 policiais e 1.200 policiais de elite são batalhas de rua com o PCA / ML entregues - com a "Batalha do Karlstor - PCA / ML".

 

 

 

 

Nós não chamamos aqui a tumultos anarquistas estúpidos sobre, mas dada a orientação-embasando o estado-burguesa da indústria de protesto, que também será apoiado pelo regime deixou, é como comunistas nosso dever romper os limites estreitos e ultrapassar, se necessário. Nós, comunistas somos lutadores de classe militantes. Como estamos a preparar as massas para a revolução mundial, se não ficar nas lutas diárias na vanguarda, se não educar as massas nas acções sobre a necessidade da violência revolucionária.


Quanto você estava naquele tempo em Berlim, como Karl Liebknecht no contexto da Revolução de Novembro proclamou a República Socialista Livre da Alemanha? A massa de pessoas neste sábado, poderia se encaixar facilmente o suficiente para assumir Karl Liebknecht um exemplo. O principal inimigo ainda está em seu próprio país! Ele ainda deve ser derrubado, porque voluntariamente renunciado a burguesia alemã em seu poder!


Se TTIP cai ou não cai - que depende unicamente na potência fora dos trabalhadores, e não vem de graça, mas deve ser na revolução socialista com armas na mão a disputar. Essa tem sido a nossa mensagem central na manifestação Berlim. E nós somos do Comintern (EH) um dia - como uma vez Karl Liebknecht - proclamou a república socialista da Alemanha, quem mais?


Relato de Experiência:


700 autocarros foram chegando e foram distribuídos entre a Praça Estrela, mas nós sempre fomos os primeiros e rodamos cerca de 7,00 relógio a. Para enfrentar houve a Coluna da Vitória, na rua do século 17. Junho, o bunker de luxo pelo presidente e sinais Federal com setas direccionais com a direcção indicação Bundestag, Reichstag, etc e tudo o bunker figurões. Nós caminhado ao longo do rio Spree para a estação principal. Prova disso foram as muitas câmaras de vigilância. Não muito longe dali, ao lado do conjunto hermeticamente fechado distrito administrativo e figurões grunhindo no saco debaixo da ponte.

Na saída traseira da estação principal de Berlim já foi o palco e vários especialistas de logística e activistas autoproclamados primeiro teve o cuidado do todo, e especialmente sua própria merda e construído.

Desde que não poderiam interpretar-nos com estes, grupos burgueses reformistas burgueses na melhor das hipóteses-sustentável do estado, que também manteve uma boa distância, nos distanciado estes em tudo mais nítido preferem a estação principal e visitá-los. Mais ainda, a seção alemã dará no ouvido demonstração e contra todos burgueses - embasando o estado, reformista com aspecto revolucionário mundial clara. Depois de algum tempo já, os primeiros clientes do tarugo e manifestantes veio.

Aos poucos, preencheu o espaço estação traseira. Apenas onde nós nos sentamos nas pedras, construído apenas O Horst-Dieter Koch ainda resultou trotskistas do RSB e ISL na sua posição. A tela telhada era grande e um babando "Meu rosto tem muitas palafitas que se deve levantar aqui". Aos poucos, ele tem agora ainda completa, e cada vacilou milhares por minuto a cada segundo na saída. Discussões havia entre outros com um representante da Alemanha. O velho queria que nós apertar o jornal com a inscrição: "Abaixo a UE, do euro e do alemão - e dos EUA - imperialismo" ou algo assim. A Secção Alemã do Comintern (EH) levantou a questão de saber se o imperialismo russo é agora melhor. Também interessante é o bem trotskistas é para se defender com unhas e dentes, para ver a Rússia como uma superpotência imperialista. Divagava então algo do da Rússia" e a velha também vamos já não têm uma palavra a dizer sempre a palavra. Muito claramente: Lenine diz clara e inequivocamente, sem deixar o menor espaço para qualquer especulação de que o proletariado deve se juntar a nenhuma burguesia imperialista que nenhuma potência imperialista, que pertencia a uma das duas coligações rivais da Primeira Guerra Mundial, como o mal maior considerada pode ser.

A escolha entre diferentes potências imperialistas, ou seja, a escolha entre um II s, e não apenas a escolha entre dois ou três imperialistas específicos é,

para o proletariado a escolha entre a peste ou a cólera. Essa é a posição inequívoca de Lenine! Ele lutou não apenas contra este ou aquele imperialismo mas contra o imperialismo mundial.

"Você vive em outro planeta, Ou você comprar o meu jornal, ou eu já não falar com você." Ouvi, ouvi! Os capitalistas extorquir propósito de maximização do lucro de sua trotskista. Não havia, é claro, nós da Secção Alemã do Comintern (EH) ainda não.

O trotskismo especial, então, novamente dedicado seguinte na segunda parte do relatório experiência todas as facções e seitas trotskistas Mini, que estavam próximos a Berlim, e em especial, o comportamento particularmente a falta de solidariedade de alguns trotskistas.

Agora que estava cheio mas porra sou para a saída traseira. Os idiotas sobre a ponte está agora, finalmente, colocar as suas carcaças em movimento, porque aqui pode, em frente à principal estação não porca e sempre saiu novos milhares.

A seção alemã adoptada em face da superlotação e dispersar a indústria protesto n` "desvio" ao longo na outra parte do banco. Nós tentamos a ponta de demonstração para ultrapassar, mas não torná-lo ainda. No entanto, a seção alemã do Comintern (EH) o mais à frente que a marcha de protesto conjuntos novamente inteligentes em movimento em direcção a estrada 17 de Junho. Diga wir`s desta forma: os participantes multidões eram tão grandes que a marcha de protesto da estação principal, a estrada 17 de Junho a novamente perto da estação central poderia perder um círculo com multidões no memorial vencedor. Pessoal, vamos do povo e do milhão de forte proletariado (Rosa Luxemburgo) pegar a estrada. Procure a próxima vez maiores pontos de encontro para comícios começar com capacidades maiores. Em seguida, não se deve pisar cada vez que o mesmo morto, e ele também é ordenado sem histeria em massa e pânico em massa sobre.

Em honra monumento soviético também representantes da Secção Alemã do Comintern (EH) foram-se sobre o tanque com a esperança de tiros snap, mas logo perseguido nos ater clientes sob ameaça de punição para baixo. Chegou entre os vencedores memorial estátua, rua 17 de Junho Sternplatz à baliza eram muitas barracas de comida, e várias lojas de souvenirs. Nós não poderíamos resistir lá para comprar uma T-shirt "LIB Len" lá. (www.veb-shop.de) Curiosamente, houve também um trotskista PSG (Partido Social), uma vez que estes saem um pouco mais do que o partido Internet. Dos clássicos da literatura não havia nada, excepto autores Leo Bronstein Trotsky e assim todos os tipos de títulos como "A Defesa do marxismo". Com leninismo como a época da revolução proletária não têm os trotskistas não tão sim. No início havia também arte gráfica na parte inferior com "O SPD como melhor substituto FDP, o que já existiu." O "imperialismo mundial um inimigo mortal, e sanguessugas dos povos do mundo".

Havia um monte de merda logística com caminhões que levantaram entre outros que transferiram a conversa sobre a vida etapa, para aqueles que foram mais longe. Na parte da frente do palco uma tela, as imagens da audiência notoriamente batendo palmas e os idiotas e fofocas no palco foi transferido ao vivo, que capturou os idiotas com a câmara grande. Engraçado foi que, mesmo que o capturou Spartacus bandeira martelo, foice e rifle apenas por um breve momento ou câmara. Suas compraram e golpistas no palco tem que fazer você se concentrarmos no futuro em alguns. Chegará um dia em que o partido mundial Internacional das tempestades Estalinistas-Hoxhaistas o grande palco e a palavra assume os vocais.

Chamadas havia, por exemplo um DKP que queria vender a sua merda. O que foi interessante foi que ele - ao contrário de vários chefes DKP ideólogo - Rússia certamente vê como uma superpotência imperialista. Então veio um e disse que era há cem anos marchando sob a nossa bandeira Spartacus e no final de 70 ou início dos anos 80 saíram. Ela faz agora "mais como anti-fascismo". Ela tinha contradições com a China. A Secção Alemã do Comintern (EH) vem em diante, deu-lhe o nosso site e afirmou que a secção alemã do Comintern (EH) é de facto o partido sucessor legítimo do PCA / ML, e que nós, como uma potência mundial imperialista pelo maoísmo e China Posição. O camarada Enver Hoxha do combate. Também falamos com um dos Suécia no Munique e disse que ele estava no início da década de 70 no PC-Suécia e que teria exactamente a mesma bandeira do partido.

O Instituto para a Pesquisa Socio-Económica tinha os mesmos cartazes sobre o quadro trilateral com 2 colunas como nos protestos do G7 em Munique e Garmisch-PK.

Com este grupo, ele se comporta mais difícil. Por um lado, deu-nos a compreender os gráficos que, segundo um estudo da Confederação Zurique 147 "transnacional" é o núcleo duro da economia mundial e controlar a economia financeira mundial, incluindo banco alemão, Commerzbanke (alemão), o UBS (Suíça) e outros. Por outro lado é que nós Fortune alto quente ou Forbes como o Penner, 500 "atores globais" em Kautzky-Bernstein e os "super-monopólios" ditam o mundo. Como longe que pertencem a qual e são emaranhados ou qual dos 147 bem ou se qualquer está no 500 com interior, e como estes estão ligados dialecticamente, para o telespectador começa a conhecer nada. A revolução socialista mundial e do mundo proletário rebentando-se estas BW 147 500 corporação monopolista não será propagada. Mesmo a natureza do (mundo) o imperialismo são com atributos burgueses como corporações "trans-nacionais" precisamente veladas. Nos folhetos é "democracia em vez de capitalismo" necessária. Houve até mesmo gráficos onde o bom e velho Karl Marx sujeira capitalista com a vassoura proletária no globo. Mas o slogan "democracia em vez de capitalismo" obscurece a tarefa da ditadura democrático-burguesa para a capital mundial do imperialismo mundial. Quando perguntado por que Rothschild não está enumerado no 147 ou 500 sobre as corporações monopolistas, opôs que o nazi fascistas Rothschild gostaria de usá-lo como um caso de homicídio.

A Secção Alemã do Comintern (EH) deixou claro: são desenhados alguém aqui por causa de sua religião, etnia, nacionalidade, etnia etc, mas criticar e denunciar sem piedade Rothschild do que sobre o que ele é: uma estrutura capitalista mundial imperialista mundial que em grandes bancos, Os mega bancos e mega corporações em todos os lugares tem o seu ganancioso, orientada para o lucro com dentro de casa. Caso haja agora Rothschild conservar o grupo de capital imperialista, que teve entre outros financiadores para o fascismo nazista Hitler e levou o estado sionista foi fundada? Não de qualquer forma, pensou Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!

Finalmente, estamos todos a ir para nossos ônibus e ir para casa.

No palco em Mirkofon e na mídia de massa burguesa dominante foi bastante alegando que este foi um dos maiores desfiles dos últimos anos.

A Secção Alemã do Comintern (EH) não irá fechar mesmo unilateralmente.

Mas o facto é: a próxima trovoada do Comintern (EH) é determinada, mesmo que deixe que os inimigos da classe operária e do proletariado mundial ainda tão novo e de novo seus reformistas caixas sustentável do Estado-burguês rédea livrem.

Viva Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!

Viva a revolução socialista mundial!

P.S: o esforço total de pássaro do FDP. Durante a marcha pendurado em um grande cartaz FDP com a inscrição: "Seu café é brasileiro, seu console de jogos teu japonês, americano, seu óleo combustível em árabe e você quer não o livre comércio Para TTIP, TISA e CETA livre comércio!?!" Para somá-lo claro para perguntar:

O Comintern (EH) não é um inimigo da globalização. Somos a favor da derrubada revolucionária mundial do capitalismo globalizado e para o desenvolvimento do socialismo globalizado através da ditadura do proletariado mundial! Nós somos comunistas do mundo e lutar por um mundo sem classes, sem exploração e opressão do homem pelo homem!



Finalmente, os participantes (lista breve)


Sector PDS esquerda e Juventude de Esquerda

Falken, SPD, etc.

Verde, verde Juventude

DKP, SDAJ? Não desta vez haha

MLPD, Rebell

"Partido Democrático Ecológico”


Entre os trotskistas (pelo menos uma dúzia deles faz entrismo o (regime) Sector esquerda:

Socialista Revolucionário

ISL Internacional Socialista Esquerda

SAV - Estimativas alternativas socialistas

PSG (Partido Social)

O poder dos trabalhadores "Uma Revolução Solution" e do grupo GAM (caminham juntos e, em seguida, não...)

"Vanguarda – Parido dos Trabalhadores"

"Marx 21"

"Organização internacionalista Revolucionária

e outros


e também: http: //ttip-demo.de/home/netzwerk/

 

 

 

 

 

Viva a guerra revolucionária de libertação do povo Palestiniano!

Vamos esmagar o estado fascista de Israel!

A violência revolucionária contra a violência contra-revolucionária!

 

 

ANCARA

 

Vamos exigir responsabilidades

pelo massacre em Ancara!


Contra o massacre fascista - para acções nas ruas!


O Estado turco fascista interveio desta vez para o rali "trabalho, paz e democracia" em Ancara. As bombas estavam no meio das massas inflamadas que viajaram de toda a Turquia e se reuniram em frente à estação ferroviária de Ancara. Dezenas de pessoas morreram, há centenas de feridos. Após o bombardeio primeiras forças especiais chegaram ao lugar e jogou as bombas de gás mortos e feridos com, assim que os ajudantes foram prejudicadas e o número de mortos pode subir.

O fascista Erdogan e o governo do AKP, que teve uma derrota em 7 de Junho, para a esquerda em 20 de Julho, a juventude socialista na Suruc assassinato da mesma forma e, assim, começou a travar uma guerra. Com aviões de guerra, tanques, armas químicas e atirador Curdistão foi completamente devastada, em todo o país mais de uma centena de escritórios do HDP foram acesas, os cadáveres foram profanados por tortura e tanques vinculados dirigimos ao redor.

O sucesso eleitoral do HDP em 7 de Junho foram os planos de Erdogan de se tornar presidente, para a água. O AKP perdeu a maioria absoluta. Para se vingarem de nossos povos, em todo o país operários, trabalhadores, revolucionários e socialistas são atacados, assassinado. Todos os dias, centenas de pessoas que se levantam contra a guerra e pela paz e liberdade, preso e sua luta tentando parar de fumar.

Estamos diante de uma regra, as demandas dos trabalhadores e dos trabalhadores, as forças HDK-HDP, os revolucionários e socialistas depois - não pode suportar isso e organizados por organizações de massas democráticas comício pela paz "paz trabalhista" e da democracia contra a guerra " democracia "foi expressa. A regra AKP fascista leva o país a novas eleições em 01 de Novembro. Os povos será dado a entender que eles vão enfrentar apenas que, se eles se recusarem a ACP sua voz.

Esta é a cara de turco IS-fascismo de Franco, Mussolini e Hitler-fascismo. Estamos diante de um estado e um governo que se alimenta de sangue, bem como mulheres, crianças e velhos massacres expõe a expandir sua dominação.

Mas em vão! O fascismo está se afogando em seu próprio sangue. A esperança dos nossos povos à paz, superando muitos obstáculos cresceu na luta pela liberdade, paz e democracia, nunca vai desaparecer. Os nossos povos e os oprimidos vão exigir prestação de contas do governo sanguinário. Nossos povos oprimidos que se juntam a HDP vai continuar a marcha para a paz e liberdade com determinação.

Nós, como AvEG-Kon condenar este massacre acentuadamente, organizado por ordem de Erdogan. Vamos continuar a luta pela liberdade dos nossos companheiros assassinados decidiu lá e gostaria que o ferido que eles se recuperem rapidamente.

Nós, como AvEG-Kon chamada em todos os que estão contra a ditadura sangrenta, guerra de Erdogan e massacre da liberdade e da democracia, além de levar paramos as ruas e protestamos contra este massacre! Deixe que a nossa raiva contra o fascismo se expresse nas ruas!


Vamos afogar o fascismo no sangue que derramou!


Um punho, uma barricada contra o fascismo!


Viva a irmandade dos povos!


AvEG-Kon

Confederação dos Migrantes oprimidos na Europa

 

 

 

Comintern! Apesar da proibição do PCA ele não está morto!

Relatório do ramo executivo do AI, o movimento operário é sempre vermelho

Bauer e prole que não é um idiota

Comintern! Apesar da proibição do PCA ele não está morto! Oi!


Ame nossa classe

Nunca perder a luta de classes

e odeiam o imperialismo mundial

Greve fora dos portões da fábrica não pode deixar de qualquer maneira

Ninguém pode proibir o ramo executivo do AI

Nossa classe que sempre vou amar

e, finalmente, vai conquistar a revolução socialista mundial

E de acordo com o relatório do executivo de AI será sempre

Trabalhadores do mundo continuar, porque você não está sozinho!


Comintern! Apesar da proibição do PCA ele não está morto!

Relatório do ramo executivo do AI, o movimento operário é sempre vermelho

Bauer e prole que não é um idiota

Comintern! Apesar da proibição do PCA ele não está morto! Oi!


Lucro reunir e fazer alarde - Não, nós não queremos,

Relatório do ramo executivo do AI, a aristocracia operária mostra suas verdadeiras cores

Figurões e burguesia tem medo do poder dos trabalhadores

Agora chegou o momento, revolução socialista mundial esta noite

A corrupção e o nepotismo não deliciar capitalistas e revisionistas

Debate de bastidores sobre o relatório, por trás do ramo executivo de volta...

... Pode revisionistas, trotskistas e maoístas dizem muito

Mas aqui proletários de todos os países e povos oprimidos não pode ser perseguição


Comintern! Apesar da proibição do PCA ele não está morto!

Relatório do ramo executivo do AI, o movimento operário é sempre vermelho

Bauer e prole que não é um idiota

Comintern! Apesar da proibição do PCA ele não está morto! Oi!


Busca de casa em um camarada

Sim protecção da Constituição aumenta o relatório do ramo executivo do AI para a sarjeta

O joio do revisionismo eles acham que são companheiros.

Revisionistas e social-fascistas só querem mal ao bolchevismo



Você quer fazer o Comintern e o relatório executivo concluído

Mas, recentemente, o proletariado mundial e os bolcheviques vão rir

Estado e do capital querem proibir o relatório executivo da AI, porque ele é vermelho

Mas continuamos proletários de todos os países e os agricultores apesar da proibição do PCA


Comintern! Apesar da proibição do PCA ele não está morto!

Relatório do ramo executivo do AI, o movimento operário é sempre vermelho

Bauer e prole que não é um idiota

Comintern! Apesar da proibição do PCA ele não está morto! Oi!

 


 

Mensagem por ocasião

das eleições burguesas realizadas em Portugal

em 4 de Outubro de 2015

 


Em 4 de Outubro de 2015, eleições burguesas foram realizadas em Portugal. Elas fazem parte dos mantos usados ​​pela forma "democrática" da ditadura burguesa. E nesta situação, elas ocorreram durante uma época em que este país está sob os programas mais ferozes "austeridade" que seriamente empobrecidos grande número de trabalhadores portugueses, sujeitando-as às mais terríveis formas de miséria e indigência. O imperialismo europeu e mundial não vão parar diante de nada até que tenham saqueado proletariado Português para seus ossos.

Portanto, podemos considerar que os fatores revolucionárias objetivas estão prontos em Portugal. No entanto, o mesmo não pode ser afirmado sobre os fatores subjetivos revolucionárias. Camaradas Marx e Engels uma vez afirmou que as eleições burguesas servem para medir a maturidade política dos trabalhadores sobre a sua prontidão para a revolução socialista. Infelizmente, se aplicarmos esse ensinamento dos dois primeiros clássicos do Marxismo-Leninismo à situação Português, nós, Estalinistas-Hoxhaistas, somos forçados a concluir que ainda há muito a ser feito.

De fato, as eleições acabaram com a coalizão direitista obtenção de um triunfo eleitoral relativo. Esta coligação fascista defende as medidas de austeridade mais bárbaras, com seus membros sendo inteiramente dedicado a garantir que classe burguesa mundo fica o máximo de lucros para seus imperialista e neo-colonialistas "investimentos" em Portugal. Em segundo lugar, temos o partido social-democrata "socialista", que visa a fazer exactamente o mesmo da coalizão de direita, mas com máscaras mais "progressistas" e enganosas.

O trotskista "Bloco de Esquerda" obteve o terceiro lugar, com o seu estilo e slogans tipo SYRYZA continua enganando muitos trabalhadores. Assim como o SYRYZA é um instrumento reformista dos credores capitalistas-imperialistas internacionais para explorar e oprimir Grécia usando falsos mantos "esquerdistas", também o "LB" quer fazer o mesmo em Portugal. Em uma situação semelhante, também temos a P P "C", que continua a usar sua falsa "vermelho" e fachada "comunista" para esconder sua natureza social-fascista. Como sempre, os revisionistas portugueses estão flutuando de felicidade, porque eles são autorizados a ter um assento no parlamento burguês por mais 4 anos, estar disposto a aprovar todos os tipos de políticas reacionárias se isso pode conceder-lhes alguns dos privilégios que a classe burguesa oferece a sua lacaios.

Nestas eleições, os Maoistas Portugueses sofreram uma tremenda derrota, como eles tinham muito menos votos do que em 2011. Este resultado não surpreendem, porque está se tornando cada vez mais evidente que o seu partido - o P "C" TP - está a ser liquidada de dentro ... mais uma vez, nada de surpreendente vindo de um partido que defende uma das principais correntes de anti-comunismo: o revisionismo Maoista.

Diante de tudo isso, cabe a nós, Estalinistas-Hoxhaistas Portugueses, para intensificar o trabalho ideológico, a fim de melhorar o factor revolucionário subjectivo. A classe burguesa e seus lacaios usar todos os tipos de ferramentas de manipulação e slogans, a fim de manter os trabalhadores sob salário slavagist escravidão, sob a mais dura exploração, da opressão e repressão. Portanto, é urgente a necessidade de aumentar a consciência de classe dos trabalhadores e promover a sua adesão ao Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo.

Mas, claro, isso só pode ser alcançado com o fortalecimento da Secção Portuguesa do Comintern (EH), que é a única organização autenticamente comunista em Portugal. Juntamente com as secções de todos os outros países, os trabalhadores portugueses serão vitoriosos sob a firme liderança do Comintern (EH) - o partido mundial do proletariado mundial.


Trabalhadores portugueses - uni-vos!

Viva a Secção Portuguesa do Comintern (EH)!

Viva a revolução proletária socialista armada mundial!

Viva a ditadura do proletariado em Portugal e em todo o mundo!

Viva o socialismo mundial e o comunismo mundial!

Viva Portugal socialista num mundo socialista!

Viva o Comintern (EH)!



A Secção Portuguesa do Comintern (EH)

7 de Outubro de 2015

 

 

 

TESES DE LÊNIN SOBRE A DEMOCRACIA BURGUESA

E A DITADURA DO PROLETARIADO

4 de Março de 1919

em 6 de Março de 1919 no Pravda n° 51.

W.I. Lenine, Collected Works, 4 Edition, Volume 28, página 435-451, Russo


1

O crescimento do movimento revolucionários proletário em todos os países suscita os esforços convulsivos da burguesia e dos agentes que ela possui nas organizações operárias para descobrir os argumentos filosófico-políticos capazes de servir à defesa da dominação dos exploradores. A condenação da ditadura e a defesa da democracia figuram entre esses argumentos. A mentira e a hipocrisia de tal argumentação repetida à saciedade na imprensa capitalista e na conferência da Internacional Amarela de Berna em fevereiro de 1919 são evidentes para todos os que procuram não trair os princípios fundamentais do socialismo.


2

Antes de mais, este argumento utiliza os conceitos de «democracia em geral» e «ditadura em
geral», sem colocar a questão de saber de que classe se trata. Tal formulação da questão, à margem das classes ou acima das classes, pretensamente do ponto de vista de todo o povo, é troçar descaradamente da doutrina fundamental do socialismo, a saber, a doutrina da luta de classes, que os socialistas que se passaram para o lado da burguesia reconhecem em palavras mas esquecem de facto. Porque em nenhum país capitalista civilizado existe a «democracia em geral», existe apenas a democracia burguesa, e não se trata de «ditadura em geral», mas de ditadura da classe oprimida, isto é, do proletariado, sobre os opressores e exploradores, isto é, sobre a burguesia, com o objectivo de superar a resistência oposta pelos exploradores na luta pela sua dominação.


3

A história ensina que nenhuma classe oprimida jamais chegou ao poder, e não pode fazê-lo sem passar um período de ditadura durante o qual se ampara no poder político e abate pela força a resistência desesperada, exasperada, que não se detém diante de nenhum crime, que sempre opuseram os exploradores. A burguesia, cuja dominação é sustentada hoje pelos socialistas que peroram sobre a ditadura em geral e que se debatem a favor da democracia em geral, conquistou o poder nos países civilizados ao preço de uma série de insurreições, guerras civis, aniquilação pela força – de reis, nobres, proprietários de escravos -, e pela repressão das tentativas de restauração.

Milhares de vezes os socialistas de todos os países explicaram ao povo o caráter de classe dessas revoluções burguesas em seus livros, brochuras, resoluções de seus congressos, discursos de propaganda. Eis porque esta defesa atual da democracia burguesa em meio a discursos sobre a “ditadura em geral”, são uma verdadeira traição ao socialismo, uma deserção caracterizada em proveito da burguesia, uma negação do direito do proletariado à sua revolução proletária. É defender o reformismo burguês, precisamente no momento em que ele fracassou no mundo inteiro, quando a guerra criou um estado de coisas revolucionário.


4

Todos os socialistas, demonstrando o caráter de classe da civilização burguesa, da democracia burguesa, do parlamento burguês, expressaram a idéia já formulada com o máximo de exatidão científica por Marx e Engels que a mais democrática das repúblicas burguesas não sabe ser outra coisa que uma máquina de oprimir a classe operária à mercê da burguesia, a massa de trabalhadores à mercê de um punhado de capitalistas. Não um único revolucionários, um único marxista, entre os que gritam hoje contra a ditadura e pela democracia que não tenha jurado por seus deuses diante dos operários que aceitou essa verdade fundamental do socialismo; e agora que o proletariado revolucionário está em fermentação e em movimento, que se encaminha para destruir esta máquina de opressão e para conquistar a ditadura do proletariado, esses traidores socialistas desejam fazer crer que a burguesia deu aos trabalhadores a “democracia pura”, como se a burguesia tivesse renunciado a toda resistência e estivesse prestes a obedecer à maioria dos trabalhadores, como se, numa república democrática, não houvesse uma máquina governamental feita para operar o esmagamento do trabalho pelo capital.


5

A Comuna de Paris, que todos os que desejam passar por socialistas honram em palavras, porque sabem que as massas operárias têm uma viva e sincera simpatia por ela, mostrou com particular nitidez a relatividade histórica, o valor limitado do parlamentarismo burguês e da democracia burguesa, instituição que significaram um grande progresso em relação à Idade Média, mas que exigem necessariamente uma reforma fundamental à época da revolução proletária. Marx, que apreciou melhor que ninguém a importância histórica da Comuna, provou, analisando o caráter de exploração da democracia e do parlamentarismo burguês, que este é o regime sob o qual as classes oprimidas ganham o direito de decidir num único dia para um período de vários anos quem será o representante das classes possuidoras que representará e oprimirá o povo no Parlamento. E esta é a hora em que o movimento sovietista, abarcando o mundo inteiro, continua aos olhos de todos a obra da Comuna, que os traidores do socialismo esquecem repetindo as velhas futilidades burguesas sobre a “democracia em geral”. A Comuna não foi portanto uma instituição parlamentar.


6

A importância da Comuna consiste, além disso, em que tentou aniquilar, destruir até aos alicerces, o aparelho do Estado burguês, o aparelho burocrático, judicial, militar e policial, substituindo-o por uma organização autónoma de massas dos operários, que não conhecia a separação entre o poder legislativo e o executivo. Todas as repúblicas democráticas burguesas contemporâneas, incluindo a alemã, à qual os traidores ao socialismo, escarnecendo da verdade, chamam proletária, conservam esse aparelho de Estado. Deste modo, confirma-se uma vez mais com toda a evidência que os gritos em defesa da «democracia em geral» constituem de facto a defesa da burguesia e dos seus privilégios exploradores.


7

A «liberdade de reunião» pode ser tomada como exemplo das reivindicações da «democracia pura». Qualquer operário consciente, que não tenha rompido com a sua classe, compreenderá imediatamente que seria uma estupidez prometer a liberdade de reunião aos exploradores num período e numa situação em que os exploradores resistem ao seu derrubamento e defendem os seus privilégios. A burguesia, quando era revolucionária, nem na Inglaterra de 1649 nem na França de 1793 deu «liberdade de reunião» aos monárquicos e aos nobres, que chamavam tropas estrangeiras e «se reuniam» para organizar tentativas de restauração. Se a burguesia actual, que há já muito se tornou reaccionária, exige que o proletariado lhe garanta antecipadamente a «liberdade de reunião» para os exploradores, seja qual for a resistência oferecida pelos capitalistas à sua expropriação, os operários não poderão deixar de rir da hipocrisia da burguesia.

Por outro lado, os operários sabem perfeitamente que a «liberdade de reunião» é, mesmo na república burguesa mais democrática, uma frase vazia, pois os ricos têm à sua disposição todos os melhores edifícios públicos e privados, bem como tempo suficiente para as reuniões, que são protegidas pelo aparelho do poder burguês. Os proletários da cidade e do campo e os pequenos burgueses, isto é, a imensa maioria da população, não têm nada disso. Enquanto as coisas continuarem assim, a «igualdade», isto é, a «democracia pura», é um logro. Para conquistar a verdadeira igualdade, para realizar de facto a democracia para os trabalhadores, é preciso primeiro retirar aos exploradores todos os edifícios públicos e todos os luxuosos edifícios particulares, e preciso primeiro dar tempo livre aos trabalhadores, são necessários operários armados para defender a liberdade das suas reuniões, e não fidalgotes ou oficiais capitalistas comandando soldados embrutecidos.

Só depois de tal mudança se poderá, sem troçar dos operários, dos trabalhadores, dos pobres, falar de liberdade de reunião e de igualdade. Mas essa mudança só pode ser realizada pela vanguarda dos trabalhadores, o proletariado, que derruba os exploradores, a burguesia.

 


8

A «liberdade de imprensa» é também uma das principais palavras de ordem da «democracia pura». Os operários sabem também, e os socialistas de todos os países reconheceram-no milhões de vezes, que esta liberdade é um logro enquanto as melhores tipografias e as grandes reservas de papel se encontrarem nas mãos dos capitalistas e enquanto existir o poder do capital sobre a imprensa, que se manifesta em todo o mundo tanto mais clara, nítida e cinicamente quanto mais desenvolvidos se encontram a democracia e o regime republicano, como, por exemplo, na América.

Para conquistar a igualdade efectiva e a verdadeira democracia para os trabalhadores, para os operários e os camponeses, é preciso tirar primeiro ao capital a possibilidade de contratar escritores, comprar editoras e subornar jornais, e para isso é necessário derrubar o jugo do capital, derrubar os exploradores, esmagar a sua resistência. Os capitalistas sempre chamaram «liberdade» à liberdade de obter lucros para os ricos, a liberdade dos operários de morrerem de fome. Os capitalistas chamam liberdade de imprensa à liberdade dos ricos de subornarem a imprensa, à liberdade de utilizar a riqueza para fabricar e falsificar a chamada opinião pública. Os defensores da «democracia pura» também se revelam de facto defensores do mais imundo e venal sistema de domínio dos ricos sobre os meios de educação das massas, revelam-se embusteiros que enganam o povo e que, com frases bonitas, pomposas e falsas até à medula o desviam da tarefa histórica concreta de libertar a imprensa da sua subjugação ao capital. A verdadeira liberdade e igualdade será a ordem que os comunistas estão a construir, e em que será impossível enriquecer à custa de outrem, onde não haverá possibilidade objectiva de submeter directa ou indirectamente a imprensa ao poder do dinheiro, em que nada impedirá que cada trabalhador (ou grupo de trabalhadores, seja qual for o seu número) tenha e exerça o direito igual de utilizar as tipografias e o papel, pertencentes à sociedade.

 


9

A história dos séculos XIX e XX mostrou-nos, ainda antes da guerra, o que é de facto a celebrada «democracia pura» sob o capitalismo. Os marxistas sempre disseram que quanto mais desenvolvida e mais «pura» é a democracia, tanto mais descoberta, aguda e implacável se torna a luta de classes, tanto mais «puros» se revelam o jugo do capital e a ditadura da burguesia. O caso Dreyfus na França republicana, os massacres sangrentos pelos destacamentos mercenários, armados pelos capitalistas, dos grevistas na livre e democrática república da América — estes factos e milhares de outros semelhantes mostram a verdade que a burguesia procura em vão esconder, isto é, que nas repúblicas mais democráticas imperam de facto o terror e a ditadura da burguesia, que se manifestam abertamente sempre que começa a aparecer aos exploradores que o poder do capital vacila.


10

A guerra imperialista de 1914-1918 revelou definitivamente mesmo aos operários atrasados o verdadeiro carácter da democracia burguesa, mesmo nas repúblicas mais livres, como ditadura da burguesia. Para o enriquecimento do grupo alemão ou inglês de milionários ou multimilionários foram mortos dezenas de milhões de homens, e nas repúblicas mais democráticas foi instaurada a ditadura militar da burguesia. Esta ditadura militar mantém-se nos países da Entente mesmo depois da derrota da Alemanha. Foi precisamente a guerra que mais abriu os olhos aos trabalhadores, que arrancou as falsas flores da democracia burguesa e mostrou ao povo todo o abismo de especulação e de lucro durante a guerra e à custa da guerra. A burguesia conduziu esta guerra em nome «da liberdade e da igualdade», os fornecedores de guerra enriqueceram de modo inaudito em nome «da liberdade e da igualdade». Nenhuns esforços da Internacional amarela de Berna ocultarão às massas o carácter explorador, hoje completam ente desmascarado, da liberdade burguesa, da igualdade burguesa, da democracia burguesa.


11

No país capitalista mais desenvolvido do continente europeu, a Alemanha, logo os primeiros meses de liberdade republicana, trazida pela derrota da Alemanha imperialista, mostraram aos operários alemães e a todo o mundo em que consiste a verdadeira essência de classe da república democrática burguesa. O assassínio de Karl Liebknecht e de Rosa Luxemburg é um acontecimento de importância histórica mundial não só porque morreram tragicamente os melhores elementos e chefes da Internacional Comunista, verdadeiramente proletária, mas também porque se revelou plenamente a essência de classe de um Estado europeu avançado — pode dizer-se sem exagero: de um Estado avançado à escala mundial. Se pessoas presas, isto é, colocadas pelo poder de Estado sob a sua protecção, puderam ser assassinadas impunemente por oficiais e capitalistas, existindo um governo de sociais-patriotas, consequentemente a república democrática em que tal coisa foi possível é uma ditadura da burguesia. As pessoas que exprimem a sua indignação a propósito do assassínio de Karl Liebknecht e Rosa Luxemburg, mas não compreendem esta verdade, revelam com isto apenas a sua estupidez ou a sua hipocrisia. A «liberdade» numa das repúblicas mais livres e avançadas do mundo, na república alemã, é a liberdade de assassinar impunemente os chefes do proletariado detidos. E não pode ser doutro modo enquanto se mantiver o capitalismo, pois o desenvolvimento da democracia não suaviza, antes agudiza, a luta de classes, que, em virtude de todos os resultados e influências da guerra e das suas consequências, atingiu o ponto de ebulição.

Em todo o mundo civilizado os bolcheviques são actualmente deportados, perseguidos, encarcerados, como, por exemplo, numa das repúblicas burguesas mais livres, na Suíça; na América organizam-se pogroms contra os bolcheviques, etc. Do ponto de vista da «democracia em geral» ou da «democracia pura» é perfeitamente ridículo que países avançados, civilizados, democráticos, armados até aos dentes, receiem a presença neles de algumas dezenas de pessoas vindas da Rússia atrasada, faminta e arruinada, que em dezenas de milhões de exemplares os jornais burgueses chamam selvagem, criminosa, etc. É claro que a situação social que pode engendrar tão gritante contradição é de facto a ditadura da burguesia.

 


12

Em tal estado de coisas, a ditadura do proletariado é não só inteiramente legítima como meio de derrubar os exploradores e reprimir a sua resistência, mas também absolutamente necessária para toda a massa dos trabalhadores como única defesa contra a ditadura da burguesia, que conduziu à guerra e prepara novas guerras.

A coisa principal que os socialistas não compreendem, e que constitui a sua miopia teórica que os torna prisioneiros dos preconceitos burgueses, que constitui a sua traição política em relação ao proletariado, é que na sociedade capitalista, quando há uma agudização algo séria da luta de classes que está na sua base, não pode haver meio termo, nada que não seja a ditadura da burguesia ou a ditadura do proletariado. Qualquer sonho com uma terceira via é uma lamentação reaccionária de pequeno burguês. Testemunham-no tanto a experiência de mais de cem anos de desenvolvimento da democracia burguesa e do movimento operário em todos os países avançados como, particularmente, a experiência dos últimos cinco anos. Di-lo também toda a ciência da economia política, todo o conteúdo do marxismo, que explica a inevitabilidade económica em qualquer economia mercantil da ditadura da burguesia, que só pode ser substituída pela classe desenvolvida, multiplicada, unida e fortalecida pelo próprio desenvolvimento do capitalismo, isto é, a classe dos proletários.

 


13

Outro erro teórico e político dos socialistas consiste na incompreensão de que as formas da democracia se modificaram inevitavelmente ao longo dos séculos, a partir dos seus germes na antiguidade, à medida que uma classe dominante ia sendo substituída por outra. Nas antigas repúblicas da Grécia, nas cidades da Idade Média, nos países capitalistas avançados, a democracia tem diferentes formas e um diferente grau de aplicação. Seria o maior absurdo pensar que a revolução mais profunda da história da humanidade, a passagem pela primeira vez no mundo do poder da minoria dos exploradores para a maioria dos explorados, possa verificar-se dentro dos velhos limites da velha democracia burguesa, parlamentar, possa verificar-se sem as mudanças mais radicais, sem a criação de novas formas de democracia, de novas instituições que encarnem as novas condições da sua aplicação, etc.


14

O que há de semelhante entre a ditadura do proletariado e a ditadura das outras classes é que ela é provocada, como qualquer outra ditadura, pela necessidade de reprimir pela força a resistência da classe que perde a dominação política. A diferença fundamental entre a ditadura do proletariado e a ditadura das outras classes — a ditadura dos latifundiários na Idade Média, a ditadura da burguesia em todos os países capitalistas civilizados — consiste em que a ditadura dos latifundiários e da burguesia foi a repressão pela violência da resistência da imensa maioria da população, isto é, os trabalhadores. A ditadura do proletariado, pelo contrário, é a repressão violenta da resistência dos exploradores, isto é, uma ínfima minoria da população, os latifundiários e os capitalistas.

Daqui decorre, por sua vez, que a ditadura do proletariado deve inevitavelmente trazer consigo não só a modificação das formas e das instituições da democracia, falando em geral, mas precisamente uma sua modificação que possibilite um alargamento nunca visto no mundo da utilização efectiva da democracia por parte dos oprimidos pelo capitalismo, por parte das classes trabalhadoras.

E, com efeito, essa forma da ditadura do proletariado, que foi já elaborada de facto, isto é, o Poder Soviético na Rússia, o Räte-System na Alemanha, os Shop Stewards Committees e outras instituições soviéticas análogas noutros países, todas elas significam e realizam precisamente para as classes trabalhadoras, isto é, para a imensa maioria da população, uma possibilidade efectiva de gozar os direitos e as liberdades democráticas como nunca existiu, nem mesmo aproximadamente, nas melhores e mais democráticas repúblicas burguesas.

A essência do Poder Soviético consiste em que a base permanente e única de todo o poder de Estado, de todo o aparelho do Estado, é a organização maciça precisamente das classes que eram oprimidas pelo capitalismo, isto é, dos operários e dos semiproletários (camponeses que não exploram trabalho alheio e que recorrem permanentemente à venda, ainda que apenas em parte, da sua força de trabalho). Precisamente as massas que, mesmo nas repúblicas burguesas mais democráticas, sendo iguais em direitos perante a lei, eram de facto afastadas, por mil processos e subterfúgios, da participação na vida política e do gozo dos direitos e liberdades democráticas, são hoje chamadas à participação permanente e necessária, e além disso decisiva, na direcção democrática do Estado.

 


15

A igualdade dos cidadãos independentemente do sexo, religião, raça, nacionalidade, que a democracia burguesa prometeu em toda a parte e sempre, mas que não realizou em parte alguma nem podia realizar devido à dominação do capitalismo, realiza-a imediata e plenamente o Poder Soviético, ou ditadura do proletariado, pois só está em condições de o fazer o poder dos operários, que não estão interessados na propriedade privada dos meios de produção nem na luta para os repartir uma e outra vez.

 

 

16

A velha democracia, isto é, a democracia burguesa, e o parlamentarismo foram organizados de modo a afastar, mais que ninguém, precisamente as massas dos trabalhadores do aparelho de administração. O Poder Soviético, isto é, a ditadura do proletariado, está organizado, pelo contrário, de modo a aproximar as massas dos trabalhadores do aparelho de administração. Tal é igualmente o objectivo da união dos poderes legislativo e executivo na organização soviética do Estado e da substituição dos círculos eleitorais territoriais pelas unidades de produção, como as fábricas.

 


17

O exército não foi um aparelho de repressão apenas nas monarquias. Continua a sê-lo também em todas as repúblicas burguesas, mesmo nas mais democráticas. Só o Poder Soviético, como organização estatal permanente precisamente das classes que eram oprimidas pelo capitalismo, está em condições de destruir a subordinação do exército ao comando burguês e de fundir efectivamente o proletariado com o exército, de realizar efectivamente o armamento do proletariado e o desarmamento da burguesia, sem o que é impossível a vitória do socialismo.


18

A organização soviética do Estado está adaptada ao papel dirigente do proletariado, como classe mais concentrada e mais instruída pelo capitalismo. A experiência de todas as revoluções e de todos os movimentos das classes oprimidas, a experiência do movimento socialista mundial, ensinam-nos que só o proletariado está em condições de reunir e conduzir atrás de si as camadas dispersas e atrasadas da população trabalhadora e explorada.


19

Só a organização soviética do Estado está em condições de efectivamente demolir de um só golpe e de destruir definitivamente o velho aparelho burocrático e judicial, isto é, o aparelho burguês, que se manteve e que devia inevitavelmente manter-se sob o capitalismo, mesmo nas repúblicas mais democráticas, e que constitui de facto o maior entrave à realização da democracia para os operários e os trabalhadores. A Comuna de Paris deu o primeiro passo de importância histórica mundial neste caminho, o Poder Soviético deu o segundo.


20

A supressão do poder de Estado é o objectivo que se colocaram todos os socialistas, Marx incluído e à cabeça. A verdadeira democracia, isto é, a igualdade e a liberdade, é irrealizável sem a realização deste objectivo. Mas só a democracia soviética ou proletária conduz na prática a este objectivo, porque, chamando as organizações de massas dos trabalhadores à participação permanente e necessária na administração do Estado, começa a preparar imediatamente a extinção completa de todo o Estado.


21

A bancarrota total dos socialistas que se reuniram em Berna, a sua absoluta incompreensão da nova democracia, isto é, da democracia proletária, é particularmente visível no seguinte. Em 10 de Fevereiro de 1919, Branting encerrou em Berna a conferência internacional da Internacional amarela. Em 11 de Fevereiro de 1919 em Berlim, no jornal dos seus partidários, Die Freiheit, foi publicado um apelo do partido dos «independentes» ao proletariado. Neste apelo reconhece-se o carácter burguês do governo de Scheidemann, censura-se-lhe o desejo de abolir os Conselhos, aos quais se chama Trãger und Schiitzer der Revolution — portadores e defensores da revolução — e faz-se a proposta de legalizar os Conselhos, de lhes dar direitos estatais, de lhes dar o direito de suspender as decisões da Assembleia Nacional, submetendo-as à votação de todo o povo.

Tal proposta é a completa falência ideológica dos teóricos que defendem a democracia e não compreendem o seu carácter burguês. A ridícula tentativa de unir o sistema dos Conselhos, isto é, a ditadura do proletariado, com a Assembleia Nacional, isto é, com a ditadura da burguesia, desmascara por completo tanto a pobreza de pensamento dos socialistas e sociais-democratas amarelos como o seu reaccionarismo político de pequeno-burgueses e as suas cobardes concessões à força irresistivelmente crescente da nova democracia, da democracia proletária.

.


22

Ao condenar o bolchevismo, a maioria da Internacional amarela de Berna, que não se atreveu a votar formalmente a correspondente resolução com receio das massas operárias, procedeu acertadamente do ponto de vista de classe. É precisamente esta maioria que se solidariza inteiramente com os mencheviques e socialistas-revolucionários russos e com os Scheidemann na Alemanha. Os mencheviques e os socialistas-revolucionários russos, ao queixarem-se de perseguições por parte dos bolcheviques, procuram esconder o facto de que estas perseguições são provocadas pela participação dos mencheviques e dos socialistas-revolucionários na guerra civil ao lado da burguesia contra o proletariado. Os Scheidemann e o seu partido já demonstraram na Alemanha que participam exactamente da mesma maneira na guerra civil ao lado da burguesia contra os operários.

É por isso inteiramente natural que a maioria dos participantes na Internacional amarela de Berna se tenha pronunciado pela condenação dos bolcheviques. Nisto exprimia-se não a defesa da «democracia pura», mas a autodefesa de pessoas que sabem e sentem que na guerra civil se encontram ao lado da burguesia contra o proletariado.

Eis porque, do ponto de vista de classe, não se pode deixar de reconhecer como acertada a decisão da maioria da Internacional amarela. O proletariado deve, sem receio da verdade, olhá-la de frente e retirar daí todas as conclusões políticas.

Camaradas! Quereria acrescentar alguma coisa mais aos dois últimos pontos. Penso que os camaradas que nos devem fazer um relatório sobre a Conferência de Berna nos falarão disso com mais pormenor.

Em toda a Conferência de Berna não se disse uma única palavra sobre a importância do Poder Soviético. Na Rússia há já dois anos que discutimos esta questão. Em Abril de 1917, na Conferência do partido, tínhamos já colocado teórica e politicamente a questão: «O que é o Poder Soviético, qual é o seu conteúdo, em que consiste a sua importância histórica?» Há quase dois anos que discutimos esta questão, e no congresso do nosso partido adoptámos uma resolução a este respeito.

O Freiheit de Berlim publicou em 11 de Fevereiro um apelo ao proletariado alemão, assinado não só pelos dirigentes dos sociais-democratas independentes da Alemanha, mas também por todos os membros da fracção dos independentes. Em Agosto de 1918, o maior teórico destes independentes, Kautsky, escreveu na sua brochura A Ditadura do Proletariado que era partidário da democracia e dos órgãos soviéticos, mas que os Sovietes deviam ter apenas um carácter económico e não deviam ser reconhecidos de modo algum como organizações estatais. Kautsky repete a mesma coisa nos números do Freiheit de 11 de Novembro e de 12 de Janeiro. Em 9 de Fevereiro aparece um artigo de Rudolf Hilferding, que é também considerado um dos mais autorizados teóricos da II Internacional. Hilferding propõe que se una juridicamente, por meio de legislação, o sistema dos Conselhos com a Assembleia Nacional. Isto foi em 9 de Fevereiro. No dia 11 esta proposta é adoptada por todo o partido dos independentes e publicada sob a forma de apelo.

Apesar de a Assembleia Nacional já existir, mesmo depois de a «democracia pura» se ter encarnado na realidade e de os maiores teóricos dos sociais-democratas independentes terem declarado que as organizações soviéticas não devem ser organizações estatais, apesar de tudo isso, voltam a vacilar! Isto demonstra que na realidade estes senhores não compreenderam nada do novo movimento nem das condições da sua luta. Mas prova ainda outra coisa, qual seja: deve haver condições, causas, que provoquem estas vacilações! Depois de todos estes acontecimentos, depois de quase estes dois anos de revolução vitoriosa na Rússia, quando nos propõem resoluções como as adoptadas na Conferência de Berna, nas quais nada se diz dos Sovietes nem da sua importância, na qual nem um só delegado disse em algum discurso uma só palavra sobre isto, podemos afirmar com pleno direito que todos estes senhores, como socialistas e como teóricos, morreram para nós.

Mas na prática, do ponto de vista da política, isto, camaradas, é uma prova de que entre as massas se produz uma grande viragem, uma vez que estes independentes, que em teoria e por princípio eram contra estas organizações estatais, propõem, subitamente, um absurdo como unir «pacificamente» a Assembleia Nacional com o sistema dos Conselhos, isto é, unir a ditadura da burguesia com a ditadura do proletariado. Vemos como todos eles sofreram uma bancarrota no aspecto socialista e teórico e que enorme mudança que se esta produzindo nas massas. As massas atrasadas do proletariado alemão vem para nós, chegaram até nós! Deste modo, a importância do partido independente dos sociais-democratas alemães, a melhor parte da Conferência de Berna, é, do ponto de vista da teoria e do socialismo, igual a zero; no entanto, continua a ter uma certa importância, e ela consiste no facto de esses elementos hesitantes nos servirem de indicador do estado de espírito dos sectores atrasados do proletariado. Nisto reside, em minha opinião, a grande importância histórica desta conferência. Nós vimos algo de semelhante na nossa revolução. Os nossos mencheviques percorreram quase exactamente o mesmo caminho de desenvolvimento que os teóricos dos independentes na Alemanha. A princípio, quando tinham a maioria nos Sovietes, eram pelos Sovietes. Então só se ouvia: «Vivam os Sovietes!», «Pelos Sovietes!», «Os Sovietes são a democracia revolucionária!». Mas quando nós, bolcheviques, obtivemos a maioria nos Sovietes, então entoaram outra canção: os Sovietes não devem existir paralelamente à Assembleia Constituinte; e diversos teóricos mencheviques faziam propostas quase idênticas, como a de unir o sistema dos Sovietes com a Assembleia Constituinte e incluí-los na organização do Estado. Aqui revela-se uma vez mais que o curso geral da revolução proletária é igual em todo o mundo. A princípio, formação espontânea dos Sovietes, depois a sua difusão e desenvolvimento, após o que se coloca na prática a questão: Sovietes ou Assembleia Nacional, ou Assembleia Constituinte, ou parlamentarismo burguês; a mais completa confusão entre os chefes e, finalmente, a revolução proletária. Mas eu creio que depois de quase dois anos de revolução não devemos colocar a questão assim, mas devemos tomar decisões concretas, já que a difusão do sistema dos Sovietes é para nós, e particularmente para a maioria dos países da Europa Ocidental, a mais importante das tarefas.

Quereria citar aqui apenas uma resolução dos mencheviques. Pedi ao camarada Obolenski que a traduzisse para alemão. Prometeu-me que o faria, mas infelizmente não está aqui. Procurarei reproduzi-la de memória, pois não tenho aqui o texto completo desta resolução.

Para um estrangeiro que nada tenha ouvido do bolchevismo, é muito difícil ter uma opinião própria sobre as nossas questões controversas. Tudo aquilo que os bolcheviques afirmam, os mencheviques contestam-no, e vice-versa. Naturalmente, em tempo de luta não pode ser doutro modo, por isso tem muita importância que a última conferência do partido dos mencheviques, em Dezembro de 1918, tenha aprovado uma extensa e pormenorizada resolução que foi integralmente publicada na Gazeta Petchátnikov menchevique. Nesta resolução, os próprios mencheviques expõem sucintamente a história da luta de classes e da guerra civil. A resolução diz que eles condenam os grupos do seu partido aliados às classes possidentes nos Urales, no Sul, na Crimeia e na Geórgia, e enumera todas estas regiões. A resolução condena os grupos do partido menchevique que, aliados às classes possidentes, lutaram contra o Poder Soviético, e o último ponto condena também aqueles que se juntaram aos comunistas. Daqui decorre que os mencheviques se vêem obrigados a confessar que não há unidade no seu partido e que uns estão do lado da burguesia e outros do lado do proletariado. A maior parte dos mencheviques passou para o lado da burguesia, e durante a guerra civil combateu contra nós. Naturalmente nós perseguimos os mencheviques, e até os fuzilámos, quando eles participam na guerra contra nós, combatem contra o nosso Exército Vermelho e fuzilam os nossos comandantes vermelhos. À guerra da burguesia respondemos com a guerra do proletariado — não pode haver outra saída. Assim, do ponto de vista político, tudo isso é apenas hipocrisia menchevique. Historicamente não se compreende como é que na conferência de Berna homens que não foram oficialmente declarados loucos puderam, por encargo dos mencheviques e dos socialistas-revolucionários, falar da luta dos bolcheviques contra eles, mas calarem-se sobre a sua acção, em aliança com a burguesia, contra o proletariado.

Todos eles nos atacam encarniçadamente porque os perseguimos. Isso é verdade. Mas não dizem nem uma palavrinha sobre a participação que eles próprios tiveram na guerra civil! Penso que devo entregar para a acta o texto completo da resolução, e peço aos camaradas estrangeiros que prestem atenção a esta resolução, pois constitui um documento histórico que coloca correctamente a questão e fornece o melhor material para apreciar a discussão entre as orientações «socialistas» na Rússia. Entre o proletariado e a burguesia existe ainda uma classe de pessoas que ora se inclinam para um lado, ora para outro; assim foi sempre em todas as revoluções, e é absolutamente impossível que na sociedade capitalista, onde o proletariado e a burguesia formam dois campos hostis, não existam entre eles camadas intermédias. A existência destes elementos vacilantes é historicamente inevitável, e, infelizmente, tais elementos, que não sabem eles próprios ao lado de quem irão lutar amanhã, continuarão a existir ainda durante muito tempo.

Quero fazer uma proposta prática, que consiste na adopção duma resolução na qual devem ser especialmente assinalados três pontos.

Primeiro: uma das tarefas mais importantes para os camaradas dos países da Europa ocidental consiste em explicar às massas o significado, a importância e a necessidade do sistema dos Sovietes. Verifica-se que não existe suficiente compreensão deste problema. Se Kautsky e Hilferding, como teóricos, caíram na bancarrota, nem por isso os últimos artigos no Freiheit deixam de demonstrar que eles exprimem correctamente o estado de espírito dos sectores atrasados do proletariado alemão. O mesmo aconteceu na Rússia: nos primeiros oito meses da revolução russa, a questão da organização soviética foi muito discutida, e para os operários não era claro em que consistia o novo sistema nem se se poderia criar a partir dos Sovietes um aparelho de Estado. Na nossa revolução avançámos não pelo caminho da teoria, mas pelo da prática. Por exemplo, não tínhamos colocado antes teoricamente a questão da Assembleia Constituinte, e não dizíamos que não reconhecíamos a Assembleia Constituinte. Só mais tarde, quando as organizações soviéticas se espalharam por todo o país e conquistaram o poder político, só então decidimos dissolver a Assembleia Constituinte. Agora vemos que na Hungria e na Suíça a questão se coloca duma maneira muito mais aguda. Por um lado, isto é muito bom: tiramos daí a firme certeza de que a revolução nos países da Europa ocidental avança mais rapidamente e nos trará grandes vitórias. Por outro lado, isso encerra um certo perigo, ou seja, o perigo de que a luta seja tao impetuosa que a consciência das massas operárias não acompanhe esse desenvolvimento. Mesmo agora, a importância do sistema dos Sovietes não está ainda clara para as grandes massas de operários alemães politicamente instruídos, pois foram educados no espírito do parlamentarismo e nos preconceitos burgueses.

Segundo: sobre a difusão do sistema dos Sovietes. Quando ouvimos como se difundiu rapidamente a ideia dos Sovietes na Alemanha e mesmo na Inglaterra, para nós isto é uma importantíssima prova de que a revolução proletária vencerá. Só por breve tempo será possível deter a sua marcha. Outra coisa é quando os camaradas Albert e Flatten nos declaram que nas aldeias do seu país entre os operários agrícolas e o pequeno campesinato quase não existem Sovietes. Li na Rote Fahne um artigo contra os Sovietes camponeses, mas, muito justamente, a favor dos Sovietes de assalariados e camponeses pobres. A burguesia e os seus lacaios, como Scheidemann e Ca., já lançaram a palavra de ordem de Sovietes camponeses. Mas nós precisamos apenas de Sovietes de assalariados e camponeses pobres. Infelizmente, dos relatórios dos camaradas Albert, Flatten e outros vemos que, com excepção da Hungria, se faz muito pouco para a difusão do sistema soviético no campo. Nisto consiste talvez o perigo, ainda real e bastante grande, de que o proletariado alemão não consiga alcançar uma vitória segura. A vitória só pode considerar-se garantida quando estiverem organizados não só os operários das cidades, mas também os proletários do campo, e, além disso, organizados não como dantes, em sindicatos e cooperativas, mas em Sovietes. Para nós a vitória foi mais fácil porque em Outubro de 1917 avançámos com o campesinato, com todo o campesinato. Neste sentido, a nossa revolução era então burguesa. O primeiro passo do nosso governo proletário consistiu em que as velhas reivindicações de todo o campesinato, expressas ainda sob Kérenski pelos Sovietes e assembleias camponesas, foram reconhecidas pelo nosso governo na lei de 26 de Outubro (velho estilo) de 1917, no dia a seguir à revolução. Nisso consistia a nossa força, por isso nos foi tão fácil conquistar uma maioria esmagadora. Para o campo a nossa revolução continuava ainda a ser burguesa, e só mais tarde, meio ano depois, fomos obrigados, no quadro da organização do Estado, a iniciar nas aldeias a luta de classes, a instituir em cada aldeia comités de camponeses pobres, de semiproletários, e a lutar sistematicamente contra a burguesia rural. Entre nós isso era inevitável, devido ao atraso da Rússia. Na Europa ocidental as coisas passar-se-ão de modo diferente, e por isso devemos sublinhar que é absolutamente necessária a difusão do sistema dos Sovietes, sob formas apropriadas, talvez novas, também entre a população rural.

Terceiro: devemos dizer que a conquista duma maioria comunista nos Sovietes constitui a tarefa principal em todos os países em que o Poder Soviético ainda não venceu. A nossa comissão de resoluções discutiu ontem esta questão. Talvez outros camaradas ainda falem sobre isto, mas eu quereria propor que estes três pontos fossem adoptados como resolução especial. Naturalmente, nós não estamos em condições de prescrever a via ao desenvolvimento. É muito provável que a revolução comece muito em breve em muitos países da Europa ocidental, mas nós, na qualidade de parte organizada da classe operária, na qualidade de partido, procuramos e devemos procurar alcançar a maioria nos Sovietes. Então estará garantida a nossa vitória, e nenhuma força estará em condições de tomar quaisquer medidas contra a revolução comunista. Doutro modo, a vitória não será assim tão fácil nem será duradoura. Assim, eu queria propor que se aprovem estes três pontos sob a forma de resolução especial.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

POEMA

 

Quando os cinco revolucionários mais necessitavam, os revisionistas fugiram pela porta

Sangue nos rostos de Rose, Román, Luís, Ángel e Ruán, enquanto estavam deitados no chão

Eu nem sabia que o nazi-fascista Franco tinha amigos,

Mas o neo-revisionista PC Espanha / ML desfez-me as ilusões


Não nos deixem com a escumalha Maoísta, não nos deixem com a escumalha Trotskista

A classe trabalhadora teve o suficiente, não pode ver mais

Os reformistas deixaram morrer os 5 revolucionários, deixaram a revolução morrer

Os fascistas de Franco chutaram os 5 revolucionários na cabeça e vocês oportunistas deixaram-nos morrer

Vocês pacifistas deixaram os 5 revolucionários morrer, eles deixaram-nos morrer

A polícia fascista de Franco chutou os 5 revolucionários na boca e os oportunistas deixaram-nos morrer.


O reformismo não se pode reconhecer no rosto de Roses, Román, Luís, Ángel e Ruán, manchados de sangue

Mas a luta de classes ainda continua porque as FRAP e a ETA tiram o sono às classes dominantes

Ninguém nunca soube o que os trabalhadores do mundo farão com escória fascista de Franco como você

Mas para a revolução socialista mundial nunca é tarde demais porque agora nós temos o nosso Comintern (EH)


Não deixem o proletariado com a escumalha Maoísta, não deixem os plebeus com a escumalha Trotskista

A classe trabalhadora teve o suficiente, não pode ver mais

Os reformistas deixaram morrer os 5 revolucionários, deixaram a revolução morrer

Os fascistas de Franco chutaram os 5 revolucionários na cabeça e vocês oportunistas deixaram-nos morrer

Vocês pacifistas deixaram os 5 revolucionários morrer, eles deixaram-nos morrer

A polícia fascista de Franco chutou os 5 revolucionários na boca e os oportunistas deixaram-nos morrer.

* * *

Poema

 

Comintern! Apesar da proibição do PCA ele não está morto!

Relatório do ramo executivo do AI, o movimento operário é sempre vermelho

Bauer e prole que não é um idiota

Comintern! Apesar da proibição do PCA ele não está morto! Oi!


Ame nossa classe

Nunca perder a luta de classes

e odeiam o imperialismo mundial

Greve fora dos portões da fábrica não pode deixar de qualquer maneira

Ninguém pode proibir o ramo executivo do AI

Nossa classe que sempre vou amar

e, finalmente, vai conquistar a revolução socialista mundial

E de acordo com o relatório do executivo de AI será sempre

Trabalhadores do mundo continuar, porque você não está sozinho!


Comintern! Apesar da proibição do PCA ele não está morto!

Relatório do ramo executivo do AI, o movimento operário é sempre vermelho

Bauer e prole que não é um idiota

Comintern! Apesar da proibição do PCA ele não está morto! Oi!


Lucro reunir e fazer alarde - Não, nós não queremos,

Relatório do ramo executivo do AI, a aristocracia operária mostra suas verdadeiras cores

Figurões e burguesia tem medo do poder dos trabalhadores

Agora chegou o momento, revolução socialista mundial esta noite

A corrupção e o nepotismo não deliciar capitalistas e revisionistas

Debate de bastidores sobre o relatório, por trás do ramo executivo de volta...

... Pode revisionistas, trotskistas e maoístas dizem muito

Mas aqui proletários de todos os países e povos oprimidos não pode ser perseguição


Comintern! Apesar da proibição do PCA ele não está morto!

Relatório do ramo executivo do AI, o movimento operário é sempre vermelho

Bauer e prole que não é um idiota

Comintern! Apesar da proibição do PCA ele não está morto! Oi!


Busca de casa em um camarada

Sim protecção da Constituição aumenta o relatório do ramo executivo do AI para a sarjeta

O joio do revisionismo eles acham que são companheiros.

Revisionistas e social-fascistas só querem mal ao bolchevismo



Você quer fazer o Comintern e o relatório executivo concluído

Mas, recentemente, o proletariado mundial e os bolcheviques vão rir

Estado e do capital querem proibir o relatório executivo da AI, porque ele é vermelho

Mas continuamos proletários de todos os países e os agricultores apesar da proibição do PCA


Comintern! Apesar da proibição do PCA ele não está morto!

Relatório do ramo executivo do AI, o movimento operário é sempre vermelho

Bauer e prole que não é um idiota

Comintern! Apesar da proibição do PCA ele não está morto! Oi!


NOVO

em Português

Comintern (SH)

 

 

Novo

Em língua Alemã

 

 

 

Relatório do Comité

 

Executivo da Internacional

 

Comunista

 

15 de Dezembro de 1922 – 15 de Maio de 1923

 

 

Moscovo, Casa de Publicações do CEIC em 1923

 

Há 50 anos atrás...

Outubro de 1965 – Outubro de 2015

 Massacre na Indonésia

- até 1 milhão de mortos -

 

Mensagens de solidariedade

O Comintern (EH) expressa sua solidariedade internacionalista com os comunistas indonésios - vítimas do terror fascista.

A violência contra-revolucionária deve ser respondida pela violência revolucionária - na Indonésia e em todo o mundo!

 

* * *

ENVER HOXHA


O GOLPE FASCISTA NA

INDONÉSIA E AS LIÇÕES

QUE OS COMUNISTAS

TIRAM DELE

11 de Maio de 1966

Albanês

Françês

Alemão

Russo

Espanhol



site sobre a Indonésia...

O carniceiro Suharto e as suas tropas fascistas

sanguinárias

 

 

 

 

NOVO

O Caráter Primário da Matéria e Secundário da Consciência

P. T. Belov

1954

 

 

 

 

 

 

 

1 de Outubro de 2015

 

Primeiro aniversário da

 

fundação da SCI

 


 

Solidariedade Comunista

 

Internacional

 

- SCI -

 

 

 

 

 

 

CALENDÁRIO VERMELHO

 

(a implementação de todas essas muitas datas depende das nossas forças - provavelmente não vamos implementá-las completamente)

 

 

Janeiro


01 de Janeiro - A União Soviética de 1935 (discursos e relatórios)

 

15. Janeiro 1919 - 96 anos do assassinato de Rosa Luxemburgo e Karl Liebknecht

 

21 de Janeiro de 1924 – 91º aniversário da morte de Lenine

 

22 de Janeiro de 1905 - 110 anos da primeira revolução Russa


 

 

Fevereiro

 

 

 

11 de Fevereiro aniversário 70 da fundação dos Sindicatos do Comércio Albanês

 

22 de Fevereiro de 1840 - 175 anos de August Bebel

 

25 de Fevereiro de 1890 – 125º aniversário de de Molotov

 

 

 

 

Março

 

 

5. Março 1953 - 62. Dia morte de Josef Stalin V.

 

2. - 6. Março 1919 - 96. Aniversário da fundação do Comintern

 

8. Março - Dia Internacional da Mulher - Terceiro Aniversário da Fundação da Internacional Comunista das Mulheres (EH)

 

13 de Março - 95 anos da "Kapp-Putsch" na Alemanha

 

14. Março 1883 - 132. Dia morte de Karl Marx (140 anos de "Kritik des Gothaer Programms")

 

18 de Março de 1871 – 144 Aniversário da Comuna de Paris (discurso do camarada Ernst Aust em Paris, 18 de março de 1975)

 

29 de Março a 05 de Abril de 1920 - 95º aniversário do 9º Congresso do Partido Comunista da Rússia

 

 


 

Abril

 

 

Abril 1920 – 95º aniversário da fundação da Internacional da Mulher Comunista (!)

 

11. Abril 1985 - 30. Dia morte de Enver Hoxha (!)

 

14. Abril 1930 - 85 dias da morte de Majakovski

 

17. Abril 1975 - 40º aniversário da libertação do Camboja

 

22 de Abril de 1870 - 145 aniversário de Lenine (!)

 

24 de Abril de 1915 - 100º aniversário do genocídio armênio

 

 

 

 

Maio

 

 

Primeiro de Maio (!) Dia internacional da classe operária luta


12º Aniversário da re-fundação da ISV


1975-1940 anos da libertação do Vietname

 

03 de Maio de 1975 dia 40 Morte de Alvarez del Vayo (FRAP)

 

05 de Maio de 1818 - 197 aniversário de Karl Marx

 

05 de Maio - Dia Memorial dos Heróis da Albânia

 

09 Maio de 1945 - A vitória sobre os Hitler-nazistas - 70 anos (!!)

 

23. de Maio 1920 – 95º aniversário da fundação do PC da Indonésia

 

25 de Maio de 1963 - 52 aniversário do Dia da Libertação Africano


27 de Maio, 1525 - Dia 490 da Morte de Thomas Müntzer


30 de Maio de 1925 - Shanghai – Início da Revolução Chinesa 1925-1927

 


 

 

 

Junho

 

 

06 de Junho de 1935 - 8º Dia da Morte - Fiete Schulze morto pelos nazistas


22 de Junho de 1945 - o dia da vitória da URSS na Grande Guerra Patriótica

 

 

 

 

Julho

 

 


02 de Julho de 1895 - 120 aniversário de Hans Beimler

 

3. Julho 1921- 94º aniversário da fundação da ISV

 

14. Agosto 1935 - 80º Aniversário da revolta em Fieri (Albânia)

 

19. 7. - 7,8. – 95º Aniversário do Segundo Congresso Mundial da Internacional Comunista - 1920

 

25. 7. - 20,8. 80º Aniversário da traição do VII Congresso Mundial da Internacional Comunista - 1935

 


Final de Julho de 1975 - Pedro Leon Arboleda morto - líder da CP Colombia / ML

 

 

 

Agosto

 

 

01 de Agosto de 1975 - de 40 anos Acordos de Helsinque

 

05 de Agosto de 1895 - (!) 120º aniversário da morte de Friedrich Engels

 

25 de Agosto de 1985 – 30º Dia Morte de Ernst Aust

 

30 de Agosto de 1975 - Congresso da Guarda Vermelha (organização juvenil do KPD / ML)

 

 

 

 

Setembro

 

 

1 de Setembro de 1939 - Início da Segunda Guerra Mundial


01 de Setembro - Dia Internacional contra as guerras imperialistas

 

1. - 8. Setembro 1920 – 95º aniversário do Primeiro Congresso dos Povos do Oriente (Baku)

 

2 de Setembro de 1945 - Há 70 anos República Democrática do Vietname

 

Setembro 1975 - 40 anos - penas de morte de Franco de cinco companheiros da Espanha

 

 

 

 

 

 

Outubro

 

 

01 de Outubro de 2014 - O primeiro aniversário do ICS

 

16 de Outubro de 1908 - 107 anos de Enver Hoxha

 

20 de Outubro de 1900 - 115 Dia da Morte de Naim Frasheri

 

31 de Outubro de 1925 - 90 Dia Morte de Mikhail Frunse

 

 

 

 

Novembro

 

 

 

07 de Novembro de 1917 - Outubro-Revolução - Aniversário 98

 

8 de Novembro de 1941 - 74 anos - Fundação do PTA


08 de Novembro de 2011 - aniversário da Fundação das Secções do Comintern (EH)

 

20 de Novembro de 1919 - aniversário 96 da fundação do YCI - 23 de Novembro de 1941 74 anos de fundação da Associação de Juventude do Trabalho da Albânia - Aniversário da fundação das Seções da Internacional Comunista Jovem

 

28 de Novembro de 1820 - 195 aniversário de Friedrich Engels (!)

 

28 de Novembro de 1915 - 100º Aniversário de Konstantin Simonov

 

29 de Novembro de 1944 - Aniversário 71º da Libertação da Albânia

 

 

 

 

Dezembro

 

 


18 de Dezembro - Dia Internacional dos Migrantes

 

21 de Dezembro de 1879 - 136 aniversário de Stalin

 

18. - 31. Dezembro 1925 - 90º aniversário do 14º Congresso do Partido Comunista da Rússia (bolchevique)

 

31 de Dezembro de 1975 - 40º aniversário da fundação da Secção da RDA do KPD / ML

 

 

 

 

Proletários de todos os países - uni-vos!
Proletariado mundial - unir todos os países!
Os trabalhadores de todo o país fazem parte do proletariado mundial e eles se unem como partes do proletariado mundial.
Assim, as Secções são parte do Comintern (EH) e eles se unem como partes do Comintern (EH).
O proletariado mundial não tem outra arma na luta pelo poder político mundial que suas organizações mundiais - com a Internacional Comunista no topo.
O Comintern (EH) cria, suporta, combina, une e centraliza as secções de todos os países para se propagar, para se preparar, para liderar e para garantir da revolução socialista mundial para a derrubada violenta do governo da burguesia mundial, para a ditadura do proletariado mundial, para a remoção e eliminação do capitalismo mundial, para a construção do socialismo mundial e para a transformação global do seu avanço para o comunismo mundial.
O proletariado mundial é guiado pela ideologia do Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo.
O Comintern (EH) foi fundado com base nos ensinamentos dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo, e isto faz também preocupação com o fundamento de cada Secção do Comintern (EH).

 

 

A INTERNACIONAL

(L. Eugéne PottierIM. Pierre
Degeyter)

De pé. o vítimas da fome
De pé, famélicos da terra
Da idéia a chama já consome
A crosta bruta que a soterra
Cortai o mal bem pelo fundo
De pé, de pé, não mais senhores
Se nada somos em tal mundo
Sejamos tudo produtores
/:Bem unidos, façamos nesta luta final
uma terra sem amos a Internacional:/
Senhores, patrões, chefes supremos
Nada esperemos de nenhum
Sejamos nós que conquistemos
A terra mãe, livre, comum
Para não ter protestos vãos
Para sair deste antro estreito
Façamos nós com nossas mãos
Tudo o que a nós nos diz respeito
O crime do rico a lei o cobre
O Estado esmaga o oprimido
Não há direito para o pobre
Ao rico tudo é permitido
À opressão não mais sujeitos
Somos iguais todos os seres
Não mais deveres sem direitos
Não mais direitos sem deveres
Abomináveis na grandeza
Os reis da mina e da fornalha
Edificaram a riqueza
Sobre o suor de quem trabalha
Todo o produto de quem sua
A corja rica o recolheu
Querendo que ela o restitua
O povo quer só o que é seu
Nós fomos de fumo embriagados
Paz entre nós, guerra aos senhores
Façamos greve de soldados
Somos irmãos trabalhadores
Se a raça vil cheia de galas
Nos quer à força canibais
Logo verá que nossas balas
São para os nossos generais
Pois somos do povo os ativos
Trabalhador forte e fecundo
Pertence a terra aos produtivos
ó parasita deixa o mundo
ó parasita que te nutres
Do nosso sangue a gotejar
Se nos faltarem os abutres
Não deixa o sol de fulgurar

 

Partitura

mp3

 

Long live Stalinism-Hoxhaism ! (English)


RROFTË Stalinizëm-Enverizmi! ! Albanian)


Es lebe der Stalinismus-Hoxhaismus ! (German)

Да здравствует сталинизм - Ходжаизм ! (Russian)

გაუმარჯოს სტალინიზმ–ხოჯაიზმს! (Georgian)

Viva o Estalinismo-Hoxhaismo! (Portuguese)

Viva Stalinismo-Hoxhaismo! (Italian)


斯大林霍查主义万岁! (Chinese)


Viva el Stalinismo-Hoxhaismo! (Spanish)


Vive le Stalinisme-Hoxhaisme! (French)


At zije Stalinismus-Hodzismus! (Czech-Slovak)


Ζήτω το σταλινισμός - Χότζα-ισμό ! (Greek)


Živeo Staljinizam - Hodžaizam! (Bosnian)

Niech zyje Stalinizm-Hodzyzm! - (Polski)

 

Længe leve Stalinismen-Hoxhaismen (Danish)

! زنده باد استالینیسم-خوجهئیسم (Farsi) 

Hidup Stalinisma dan Hoxhaisma! (Malay)

Staliniyamum-Hoxhaiyamum niduzhi vazga (Thamil) 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Sem a hegemonia mundial do proletariado sob a liderança da Internacional Comunista não haverá abolição da sociedade de classes e, portanto, não haverá futura Comuna Mundial."

O Comintern (EH)

 

 

 

LINKS

Secção 

Portuguesa

 

Arquivo

Órgão Central do Comintern (EH)

em Português

Revolução no Mundo !”

 

2015

Janeiro

Fevereiro

Marco

Abril

Maio-Junho

Julho

Agosto

Setembro

Outubro

Novembro

Dezembro

 

2014

Jan-jun

Jul-dez

Arquivo 2013

Arquivo 2012

Arquivo 2011

 

 

ENGLISH

contato

 

sobre nós

 

fórum

 

ações

 

Programa


Estatutos

 

Documentos

 

Agitação-propaganda

 

órgão teórico

 

história

 

literatura revolucionária

 

A Solidariedade Comunista Internacional (SCI)

 

 

LISTA DE TODOS OS PAÍSES

DO MOVIMENTO COMUNISTA MUNDIAL

 

 

 

LINKS

COMINTERN (EH) centralmente

Arquivo

 

contacto

sobre nós

ajude-nos!

fórum

perguntas e respostas

secções

estatuto

programa

plataforma

 

 

Chamada para o restabelecimento do Comintern



Véspera de Ano Novo 31 Dezembro 2000


 

 

plataforma revolucionária mundial

de 7 Novembro 2009

declaração programática


 

Enver Hoxha:

o quinto Clássico do marxismo-leninismo e  o restabelecimento da Internacional Comunista

2001

 


 

Linhas gerais do Comintern (EH)

Estratégia e táctica da revolução proletária socialista mundial

2001/2002

online:PORTUGUÊS

CAPÍTULO VIII

Ensinamentos históricos do Comintern e do Movimento Comunista Mundial

 


Manifesto do Partido Bolchevique Mundial

2003


 

O que é que o Comintern (EH) quer?

Programa da

Comuna Mundial "nº 1"

11 de Maio de 2014

 


 

movimento mundial

estalinista-hoxhaista

MMEH


 

 

O Sindicato Vermelho Internacional

reconstruído primeiro Maio 2003

S V I


 

 

A Juventude Comunista Internacional

( A J C I )


 

 

 Internacional da Mulher Comunista

(Estalinistas-Hoxhaistas)


 

 

União Internacional

de Escritores Revolucionários

- U I E R -