2013

Bem-vindo ao Comintern (EH)!

 

 

 

Vamos seguir em frente para 2014

- que será cheio de novas vitórias vermelhas esperando por nós!

 

 

 

A bandeira de ferro da revolução mundial vermelha

 

Konrad Klinger

A bandeira de ferro da revolução mundial vermelha

Nunca está á deriva acima dos céus

Do escuro poder nublado das revelações da burguesia mundial

Os anti-comunistas mentem a olhos nus

As ferramentas para a libertação de tormento

Penetram na esfera do capitalismo mundial

As guerras de classe entram em erupção nas eras

Trazendo ás companhias e aos monopólios o medo final


Estalinismo mundial

Estalinismo mundial, os instrumentos de destruição (mundial) do capitalismo e do imperialismo (mundiais)

Estalinismo mundial, ferramentas do poder proletário (mundial)

Estalinismo mundial, é uma erupção violenta

Estalinismo mundial, o poder que apaga a existência do capital


O que realmente importa

Quando a crítica e a auto-crítica nada realmente importam

Escuridão grave e eterna

Quando se esvaziou a ditadura (mundial) do proletariado (mundial) de cada conteúdo

E quando o pesadelo acabar

A revolução socialista final

A criação dos conselhos dos Sovietes

Vão transformar as cinzas da velha civilização na nova civilização mundial do socialismo mundial

 

 

31 de Dezembro de

 

2013

Viva o 45º Aniversário do

KPD / ML do camarada

Ernst Aust!

31 de Dezembro de 1968

 

 

 

Viva o 95º Aniversário do

Partido Comunista do

camarada Ernst

Thalmann!

31 de Dezembro de 1918



31 de Dezembro de 2013

A Secção Alemã do Comintern (EH) está

comemorando hoje o 45º aniversário da fundação

do nosso partido - o KPD / ML do camarada Ernst

Aust.

 

Saudamos o Comintern (EH) e as suas Secções.

Saudamos os camaradas do movimento mundial Marxista-Leninista que lutaram na época com o nosso partido pela revolução mundial, e nós saudamos os camaradas do PTA que nos apoiaram desde a fundação do nosso partido.

45 anos é muito tempo. Não são muitos os partidos comunistas genuínos do mundo que chegam a esta idade.

Camaradas, vamos ter orgulho no nosso partido! Eles nunca nos irão deter! Protegemos os nossos princípios por 45 anos e iremos protegê-los para sempre.

Ao mesmo tempo, nós celebramos o 95º Aniversário do Partido Comunista do camarada Ernst Thalmann.

Apresentamos neste site uma série de documentos.

Frente Vermelha!

Viva o nosso camarada Ernst Aust!

Viva o nosso KPD / ML!

Wolfgang Eggers


 




A fundação do KPD / ML

A fundação do KPD / ML tinha-se tornado uma necessidade histórica após o KPD ter degenerado em revisionismo. Esses elementos do movimento operário da Alemanha Ocidental que se mantiveram fiéis ao Marxismo-Leninismo estavam conscientes desta tarefa e lançaram as bases para a sua realização, pois perceberam a traição revisionista da liderança do KPD. Nesta luta, o camarada Ernst Aust teve o papel principal. Sob a sua liderança, constituiu-se no Verão de 1967 em Hamburgo o primeiro grupo Marxista-Leninista dentro do KPD.

Em Julho de 1967, saiu a primeira edição da “Aurora Vermelha”. Naquela época, a “Aurora Vermelha” tinha o título: "Jornal do Partido Comunista Marxista-Leninista". A “Aurora Vermelha” liderou uma luta ideológica afiada contra o revisionismo moderno.

Ela se tornou num organizador colectivo, no principal meio de colecta das forças Marxistas-Leninistas na RFA e em Berlim Ocidental. Ela se tornou no factor decisivo na preparação e criação de um novo partido Marxista-Leninista.

Sob a liderança do camarada Ernst Aust, em 31 de Dezembro de 1968, no 50º aniversário da fundação do KPD, completou-se o estabelecimento do KPD / ML em Hamburgo. Este foi um evento de grande importância histórica para o desenvolvimento do movimento operário da Alemanha Ocidental.

Foi um acto revolucionário consciente das melhores forças do proletariado da Alemanha Ocidental. Assim, as consequências historicamente necessárias da degeneração revisionista do KPD / DKP estavam superadas, e uma nova etapa no desenvolvimento do movimento operário revolucionário na Alemanha Ocidental foi iniciada. A fundação do KPD / ML foi um grande passo em frente no caminho revolucionário. Ela foi um duro golpe contra o sistema capitalista. Ela foi um duro golpe contra o revisionismo moderno, contra o Trotskismo e contra todas as outras correntes burguesas de todo o movimento revolucionário no nosso país.

Apesar de ambiguidades ideológicas ainda existentes, a correta linha Marxista-Leninista foi mantida sobre as principais questões que têm sido levantadas na tarefa de construção do partido.

A necessidade da construção do partido foi detectada desde o início. Os “rebeldes populares” (hoje KAB) foram divididos por esta razão um pouco antes da fundação do partido. Eles difamaram este importante princípio Leninista como "revisionista" e tomaram o caminho errado e um conceito que os levou para o pântano do neo-revisionismo.

Desde o início, a importância do programa foi reconhecida e definida no seu desenvolvimento como uma das tarefas mais importantes do partido.

Com o lançamento das doze teses de Estaline sobre o Bolchevismo na “Aurora Vermelha” do KPD logo após a fundação do partido, o carácter do partido Bolchevique a ser criado foi claramente definido e ao mesmo tempo iniciou-se a luta ideológica contra o entendimento pequeno-burguês da estrutura e do carácter do partido.

Retirado de: "AURORA VERMELHA" n º 1/2 de 17 de Janeiro de 1972, traduzido da língua Alemã.

Em língua Alemã

 

site especial...


 

Ernst Thalmann

Dez anos do Partido Comunista da Alemanha

 

 

Dez anos de história do Partido Comunista da Alemanha - são dez anos de lutas revolucionárias da classe trabalhadora Alemã, dez anos completos de heroísmo proletário, dez anos completos de experiência e lições do nosso partido a nível ideológico, político e organizacional.

A 4 de Agosto de 1914 havia-se derrubado de um só golpe a máscara atrás da qual se tinha escondido a base do desenvolvimento imperialista da Alemanha e da emergência de uma aristocracia operária, a ​​social-democracia alemã até então. O 4 de Agosto foi um golpe terrível, uma decepção dolorosa para as massas dos trabalhadores socialistas com consciência de classe. Aquilo pelo qual eles lutaram, o partido e o socialismo internacional, já não existia.

A bandeira vermelha da luta de classe do proletariado foi flagrada e traída. Mas aquele pequeno grupo de lutadores intrépidos, Karl Liebknecht, Rosa Luxemburgo, Leo Jogiches, Franz Mehring e outros que no colapso geral do movimento socialista levantaram na Alemanha a bandeira da Internacional e nunca perderam a coragem, desfraldando novamente a bandeira do movimento proletário, socialista. Karl Liebknecht no Reichstag liderou a luta mais afiada contra a guerra imperialista e seus cúmplices social-patriotas e os políticos da trégua. Rosa Luxemburgo escreveu na prisão o "panfleto Junius" sobre a crise da social-democracia na revista que ela fundou, e Franz Mehring "A Internacional", que ainda é o órgão do nosso partido, do qual infelizmente apareceu apenas um número como resultado da censura militar de Wilhelm. Sob a liderança de Leo Jogiches, o organizador magistral da propaganda revolucionária ilegal, as "cartas a Spartacus" apareceram. O "Grupo Internacional" que mais tarde se tornou na Spartacus League teve a sua grande obra revolucionária contra a guerra.

Lentamente, nas amplas massas trabalhadoras, o esquadrão de resistência proletária ao social-chauvinismo recuperou. Foi então que se instituiu a USPD em cuja liderança social-pacifista os elementos centristas dominaram os membros das massas, mas a maior parte dos membros foram recrutados de entre a classe dos trabalhadores com consciência.

O ano de 1918 trouxe, em Janeiro, as grandes greves dos trabalhadores de munições na Alemanha e na Áustria, os primeiros sinais de que a onda da revolução Russa de Outubro tinha sido vitoriosa. Na Rússia Soviética não houve uma paralisação, mas nos outros países beligerantes, em particular nas Potências Centrais, ela começou. Então veio o 9 de Novembro, marcando o nascimento da revolução Alemã, o nascimento, ao mesmo tempo, do partido revolucionário da classe operária Alemã, o Partido Comunista da Alemanha. Na virada do ano 1918-1919, o congresso de fundação do Partido Comunista ocorreu. Apenas duas semanas depois os seus fundadores e grandes líderes revolucionários, Karl e Rosa, foram assassinados pelos bandidos brancos do social-democrata Noske.

A primeira investida da vanguarda revolucionária do proletariado Alemão foi sufocada no sangue dos trabalhadores pela burguesia com a ajuda da social-democracia.

A derrota era inevitável, os jovens do Partido Comunista ainda não eram capazes de assumir a liderança das massas proletárias nas lutas revolucionárias. As vacilações e os líderes covardes do USPD impediram por todos os meios uma organização intencional da revolta proletária, por mas as próprias massas trabalhadoras do USPD estavam determinadas para a luta revolucionária. E a própria Liga Spartacus estava naquele tempo ainda sobrecarregada com todas as fraquezas e ambiguidade ideológica que correspondiam à falta de experiências revolucionárias de toda a classe trabalhadora Alemã. Mas o sangue dos melhores líderes do proletariado Alemão não foi derramado em vão com eles no campo de batalha da liberdade. A terrível doutrina do combate em Janeiro e os crimes bestiais de Noske, Ebert, Catfish Scheidemann lançaram as bases para a ascensão do partido revolucionário da classe operária Alemã, o Partido Comunista! O papel do Partido como o único líder das massas proletárias na organização da revolução - foi o que começou a reconhecer os melhores e mais revolucionários elementos da classe operária Alemã.

Maiores batalhas revolucionárias continuaram. No partido de massas dos operários revolucionários, o USPD continuou o processo de diferenciação de classe entre os covardes, os líderes miseráveis ​​centristas - Kautsky, Dittmann, Crispien e Hilferding - por um lado, e o partido da revolução proletária e comunista internacional dos trabalhadores hindrängend por outro lado. O Partido Comunista venceu o Congresso de Heidelberg e àqueles sindicalistas que formaram um obstáculo para o seu desenvolvimento em massa. Após o Congresso do USPD em Hall, a união ocorreu entre a maioria revolucionária do USPD e o KPD. O KPD, o partido revolucionário de massas dos trabalhadores Alemães foi forjado.

Mas a forma como as experiências amargas dos operários Alemães lhes permitiram desenvolver o seu partido revolucionário com maturidade, clareza e coerência indicam-lhes o caminho com que o partido de Lenine atingiu a vitória da Revolução Russa de Outubro - desta forma o anterior processo de desenvolvimento ainda seria difícil e tedioso. O Putsch Kapp de marco de 1921 e o Outubro de 1923 deram as outras doutrinas cruciais com base nas quais o processo lento e complicado de Bolchevização do Partido Comunista Alemão ocorreu.

O nosso partido possui dos melhores e mais revolucionários elementos da social-democracia, e antes da guerra foi o único que não tinha tomado parte na traição de Ebert e Scheidemann, era evidente que ele é, naturalmente, não somente rico nessas boas e revolucionárias tradições do movimento operário socialista, mas ao mesmo tempo está carregado com um pouco da fraqueza residual social-democrata.

A luta contra oportunistas, flutuações e desvios pequeno-burgueses, a luta contra as tendências que relegam o partido para fora do caminho do bolchevismo e queriam aproximá-lo da social-democracia - as ilusões do desenvolvimento do socialismo sobre o Estado, sobre o SPD, sobre o centrismo para levantar as fileiras do perfil do partido revolucionário - a luta contra as cliques de Levi e Reuter-Friesland em 1921, contra Brandler e Thalheimer em 1923, e mais tarde contra a variedade de liquidacionismo de "ultra- esquerda" foram as medidas necessárias e inevitáveis ​​do esclarecimento interior e da maturação com base na qual o KPD teve de lutar pela extensão da sua tarefa histórica. Este processo de maturação e luta ideológica não terminou hoje. As decisões do VI. Congresso Mundial da Internacional Comunista encontraram a mais feroz resistência de um pequeno grupo liderado pelos liquidacionistas Brandler e Thalheimer, que se opõem ás leis fundamentais do comunismo e desenvolvem as suas actividades contra o partido e contra o Comintern sendo inimigos declarados do partido.

Em dez anos de luta contra os imperialistas e contra os social-democratas, o Partido Comunista da Alemanha cresceu e amadureceu. A história do nosso partido, desde os primórdios da luta anti-militarista do grupo Spartacus na última guerra mundial, as lições das lutas e derrotas revolucionárias e os conflitos internos até ao presente, é um grande processo de preparação da vanguarda revolucionária dos trabalhadores Alemães para a sua tremenda e histórica missão: o estabelecimento da ditadura do proletariado na Alemanha! Essas experiências, esses ensinamentos permitem que o nosso partido resolva grandes e crescentes tarefas revolucionárias que estão diante de nós. Quando os crimes imperialistas da guerra de intervenção se levantarem contra os trabalhadores e camponeses do país que é a fortaleza do socialismo, a única pátria dos trabalhadores em todo o mundo - a União Soviética - começará então o KPD, fiel aos ensinamentos e práticas do nosso grande mestre Lenine, a realizar as suas tarefas revolucionárias: a transformação da guerra imperialista em guerra civil contra a sua própria burguesia, a confraternização com o Exército Vermelho da União Soviética para uma luta conjunta contra o imperialismo, para o estabelecimento da República Soviética Alemã!

"Apesar de tudo isto, celebramos os 10 anos do KPD"

Fotos de jornal, publicadas pelo Comité Central do Partido Comunista,

Novembro de 1928.

Volume II, páginas 20-24.




"O Estalinismo-Hoxhaismo cresce a cada

novo ano, enquanto a ideologia revisionista

degenera a cada novo ano até á sua derrota

inevitável, porque:

A lei da desintegração inevitável da

ideologia revisionista segue a lei do

colapso inevitável do modo de produção

capitalista.

Mas a ideologia revisionista-burguesa não

pode desmascarar-se. Ela está sujeita à lei

da sua muda e renovação para prolongar o

processo de decadência do capitalismo. Daí

surgiu inevitavelmente o neo-revisionismo.

A batalha do Estalinismo-Hoxhaismo contra

o neo-revisionismo é nada mais do que a

continuação da batalha do Marxismo-

Leninismo contra o revisionismo moderno -

no mesmo campo de batalha contra o

revisionismo - só que a uma escala maior.

O proletariado mundial será vitorioso sobre

o neo-revisionismo e vai dar-lhe o golpe

final com a arma invencível do Estalinismo-

Hoxhaismo - a arma mais desenvolvida do

Marxismo-Leninismo."

 

O Comintern (EH)

31 / 12 / 2013

 

 

Mensagem por ocasião do 13º aniversário


do Comintern (EH)



31 de Dezembro de 2000 - 31 de Dezembro de 2013


Hoje, comemoramos o 13º aniversário do Comintern (EH). Estes 13 anos foram cheios de dificuldades e obstáculos, mas também de vitórias e triunfos. O Comintern (EH) tem conseguido afirmar-se como a única organização genuinamente comunista do mundo e actualmente conta com quatro Secções e com simpatizantes em vários países ao redor do mundo. E não poderia ser de outra forma, já que sempre temos reforçado o internacionalismo proletário que é inerente à natureza da nossa própria ideologia: o Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo.


O Comintern (EH) é um partido mundial cujo objectivo é ser a liderança de vanguarda do proletariado mundial – a classe que tem de necessariamente e insubstituivelmente liderar qualquer verdadeira revolução e construção socialista. Em vez de teimosamente recusar a inevitabilidade da globalização como muitos anti-comunistas de todos os tipos fazem, nós promovemos em vez disso a substituição definitiva e total da globalização capitalista pela globalização socialista. Nós, Estalinistas-Hoxhaistas, aprendemos com os erros do passado. Tomámos importantes lições históricas a partir das experiências terríveis da restauração capitalista/revisionista em antigos países socialistas. Sabemos que os tempos nos quais o socialismo "num único país" era possível se foram para sempre. Sabemos que realizar a revolução socialista e a ditadura do proletariado á escala global é a única forma de abolir definitivamente a inevitabilidade da restauração capitalista-imperialista-revisionista e de todos os males intrínsecos a ela (o fascismo, o racismo, a guerra, a alienação, a exploração, a opressão, etc.). Tudo o resto é nada mais do que lixo anti-comunista cujo objectivo é perpetuar a escravidão assalariada e maximizar os lucros da classe dominante burguesa mundial.


Nós, Estalinistas-Hoxhaistas, temos muitas razões para estarmos orgulhosos. A elevada qualidade do nosso trabalho teórico e prático testemunha o alto nível de formação ideológica dos nossos membros. Somos uma organização coerente, que se recusa a vender os nossos princípios revolucionários. Estamos prontos a sacrificar tudo em favor da nossa ideologia autenticamente comunista. No meio do mar escuro do revisionismo, do oportunismo e do anti- comunismo, o nosso partido mundial surge como uma verdadeira luz que liderará as classes trabalhadoras e todas as classes exploradas e oprimidas do mundo até á sua completa libertação. Sempre baseados nos ensinamentos invencíveis e indivisíveis dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo, marchamos decididamente em direcção ao socialismo mundial e ao comunismo mundial.


Viva o glorioso 13º aniversário do Comintern (EH)!


Vivam os 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!


Viva a revolução socialista mundial e a ditadura do proletariado mundial!


Viva o socialismo mundial e o comunismo mundial!


Vamos seguir em frente para 2014 - que será cheio de novas vitórias vermelhas esperando por nós!


Viva o Comintern (EH)!


 

 

 

"Cartão Vermelho"

para Sahra Wagenknecht!

Viva a revolução proletária mundial!

Relatório da Secção Alemã do Comintern (EH)

sobre a conferência de Sahra Wagenknecht em Augsburg em 12 de Setembro de 2013

 

 

Sahra representa a aristocracia operária e a falsa esquerda do PDS em 12/9/2013

https://www.facebook.com/events/217285105096320/

Nota preliminar: O texto a seguir é dedicado a todas as classes oprimidas.

Como apoiantes e simpatizantes da Secção Alemã da Internacional Comunista (Estalinistas - Hoxhaistas) estivemos presentes como "visitantes indesejados", como observadores críticos destes eventos.

Originalmente, Sahra deveria surgir "em Metzger" . No entanto, o evento foi transferido devido ao tempo chuvoso.

Anunciado o início do evento às 18h00, Sahra perdeu o avião porque estava com dores.

Acreditem ou não, com duas horas de atraso, Sahra chegou com o seu motorista e disse "Desculpem" a despachar.

Não é nenhuma surpresa que a Securities não nos quisesse deixar entrar. Sahra e muitos outros não quiseram ficar espremidos dentro do elevador e preferiram as escadas.

Não houve boas-vindas - deram-se depois as considerações finais. As contribuições foram medíocres, porque as cidades já tinham sido auscultadas pouco antes da eleição. No dia seguinte foram para Donauwörth.

Sobre o presente documento:

Sahra relembrou a questão da Síria e disse: "que a paz na Síria não é possível se o monopólio estatal da Alemanha, EUA, Rússia e outras grandes potências imperialistas continuar a abastecer o país com armas e gás venenoso". Então, primeiro teríamos que proibir a exportação de armas. Ela negou a guerra e pediu "soluções políticas" (?).

O que é que ela quer dizer agora com "soluções políticas" se os capangas social-fascistas de Assad e / ou os pró-ocidentais contratados da FSA que se dizem falsamente "rebeldes" praticam tudo o que há de mais nojento?

Mesmo assim, o velho KPD / ML defendeu o slogan:

 

"Guerra á guerra imperialista!"

Isto é:

Os povos, camadas intermediárias e as classes oprimidas da Síria deve usar medidas de auto-defesa - luta revolucionária armada pela libertação contra tanto do regime social-fascista de Assad como contra os imperialistas ocidentais, que se apoiam sobre drogas e mercenários terroristas.

Sem dúvida, a Síria é um elo fraco na cadeia do imperialismo mundial, um centro da luta de classes mundial. E agora todas as forças reaccionárias burguesas mundiais tentam frustrar a revolução na Síria por todos os meios. A teoria revolucionária Marxista-Leninista nos ensina que os oprimidos devem retirar as armas aos inimigos de classe e voltá-las contra eles. É precisamente esta teoria da revolução que Estaline e Enver sempre aplicaram e desenvolveram de forma criativa e enriquecida.

O facto é que em primeiro lugar:

No Bundestag todos os partidos capitalistas - burgueses tinham conhecimento do fornecimento de gás venenoso pela República Federal da Alemanha.

A indústria das armas, quer nacionalizada ou privatizada, sujeita à legalidade substantiva economicamente do capitalismo mundial, é a maximização do lucro e a obtenção fraudulenta de fontes de matérias-primas e mercados para fins de acumulação de capital! Por esta razão, o capitalismo mundial e também aquele que emana do governo Alemão não pode ser reformado. E mesmo se Sahra se tornar "chanceler" as suas reformas no âmbito deste sistema imperialista não poderiam levar à proibição de exportação de armas.

Você tem que apoiar especificamente a resistência e protestos em todo o mundo e construir relações bilaterais e de solidariedade sob a bandeira do internacionalismo proletário e coordenar as lutas de classe mundiais.

As conversas parlamentares apenas promovem ilusões no parlamentarismo capitalista-imperialista e trazem os protestos e lutas de classe para as ruas, especialmente quando os falsos “vermelhos” se encostam nos assentos parlamentares.

Se Sahra disse que a escolha na falsa esquerda do PDS daria ao governo um "cartão vermelho", ela faz isso apenas em nome da aristocracia operária.

 

Nós queremos a ditadura do proletariado mundial e não a ditadura da aristocracia operária mundial.

 

Sahra falou, em seguida, ainda mais sobre o rolamento da crise e o seu peso sobre a massa da população. Ela mencionou que os figurões dos partidos são sempre semelhantes, e programaticamente dificilmente existem diferenças, e que o vermelho - verde é supérfluo, porque o CSU / CDU / FDP fazem todos sempre a mesma merda. Denunciou os baixos salários, as pensões péssimas, e "uma política que os ricos podem comprar."

Sahra não aprofundou a questão do aparecimento dos ricos. A acumulação de capital leva inevitavelmente a mais desemprego, empobrecimento e baixa de salários. Os volumes de Marx e Engels dizem isto mesmo! No Comintern, nós temos tido os livros dos Clássicos na mão e isso mostra mais uma vez o profundo abismo entre a consciência de classe e o instinto de classe dos trabalhadores e dos aristocratas trabalhistas.

Sahra supostamente quer o pleno emprego, e que você possa viver de acordo com seu trabalho não tendo medo da pobreza na velhice. Ela disse que era um escândalo que mais de 2 milhões de crianças cresçam em um dos países mais ricos do mundo em situação de pobreza. Ela disse que as crianças e pensionistas são os elos mais fracos da sociedade e devem ser protegidos. Assim, ela fala de forma demagógica, razão pela qual a falsa esquerda do PDS também foi seleccionada de acordo com as tendências de "esquerda" e mudou-se para os parlamentos.

Em princípio, isto é sempre difícil:

Por um lado, ouvimos reivindicações legítimas e positivas que são semelhantes ás nossas, à primeira vista - formalmente. Para os Marxistas-Leninistas, é impensável uma conecção com a falsa esquerda PDS, os ultra-conservadores, fascistas e reaccionários do CSU.

No entanto, sempre exigimos "salário mínimo", "pensão mínima", "mínimo... mínimo... mínimo... ". Por que é que sempre exigimos uma pequena migalha? Por que não toda a padaria? Por que é sempre os " mínimos… " se nós merecemos muito mais?

Estamos preocupados não só com o melhor preço de venda da nossa força de trabalho para favorecer alguns parasitas. A propriedade privada do trabalho, dos meios de produção, deve ser abolida!

 

Os exploradores e opressores devem ser expropriados!

 

Aqueles que trabalham com o suor de seu rosto, os trabalhadores, devem ser os donos de tudo!

Sahra então descreveu as bolhas geradas artificialmente para o resgate do euro no contexto da crise financeira e económica mundial, citando Roosevelt. O texto do ditado já esquecemos, mas o conteúdo foi sobre:

Quem especula em acções, torna-se no mafioso do ouro ou algo parecido. Sarah disse que a falsa esquerda do PDS impediria que Merkel e Co continuassem a esbanjar o dinheiro dos impostos com os bancos, e jogaria fora os "bilionários gregos".

Claro, pela passagem da carga da crise sobre os trabalhadores, e pela redistribuição de baixo para cima, biliões de dinheiro dos trabalhadores e agricultores são roubados pelos bancos, empresas, acções, imóveis e monopólios. Sahra esquece que não é "um punhado de bilionários gregos”, mas sim o BCE, FMI, Banco Mundial, etc., que são os grandes responsáveis, é o capital mundial como um sistema em si que faz com que toda a miséria surja. Para o povo grego ainda é fácil de recordar a imagem de Springer e Co, fazendo figura de Goebbels modernos chamarem-no de "notoriamente preguiçoso e parasita" com o apoio da imprensa burguesa.

Em suma, podemos dizer:

Quem quer nos dizer que "a economia de mercado livre e social" e o " capitalismo soft" é anti- capitalista e quer que nós abracemos a "nacionalização" burguesa estilo Lafontaine como sendo comunismo, está tentando nos enganar, ele transforma o comunismo numa caricatura e faz aos capitalistas um grande serviço através dos aristocratas do trabalho, o braço estendido do capital.

 

O capitalismo não pode ser reformado.

Os exploradores capitalistas e o seu sistema opressor podem ser derrubados apenas por métodos revolucionários.

 

E agora mudou para uma aliança com o SPD / Verdes após a morte do capitalismo burocrático em 89 e a falência dos cofres do partido defraudados em milhões. Assim, o PDS e a sua falsa esquerda é apenas um partido social-democrata de "esquerda". O mesmo que o USPD.

Após o fim do capitalismo burocrático de Ulbricht, Honecker, SED, etc. muitos se refugiaram no PDS e depois na falsa "esquerda" e o revisionismo clássico transmutou-se num "socialismo democrático". A ditadura do proletariado foi jogada na lata de lixo e sob o pretexto do "socialismo democrático" que quer restaurar o capitalismo ou o seu cadáver fedorento em vez de o lançar com um pontapé para a fogueira da história.

Por outro lado, surge a pergunta: em que medida Sahra e o seu partido, na verdade, se distanciaram do seu passado do SED ou ela ainda se deleita com memórias revisionistas antigas?


Pode ser negado que o Partido Comunista (ML) Secção RDA foi perseguido pela Stasi e os nossos camaradas foram presos e massacrados em Bautzen e Hohenschönhausen anos a fio por causa da sua oposição e da sua actividade revolucionária?

Porque se Sahra é mulher e é metade Iraniana, então por que é que ela não apoia os protestos em massa e movimentos revolucionários no Irão e procura o seu pai ausente que é torturado e assassinado nas prisões Iranianas em vez de sentar o rabo nas poltronas do parlamento?

O problema é que, infelizmente, muitas pessoas caiem na armadilha de apoiarem pessoas como Sahra, que agora se tornaram numa moda e em divas pop da cena política burguesa.

O nosso trabalho como Estalinistas-Hoxhaistas é dar ás pessoas comuns uma consciência revolucionária mundial e espalhar a verdade sobre Sahra e o PDS falsa esquerda expondo-os como revisionistas perante os trabalhadores. Eventualmente, as pessoas deixarão de acreditar nas suas promessas vazias.

Isto pode ser visto a partir do facto de que o PDS tenha acordado com o governo do estado de Brandenburgo para a expansão da lixeira a céu aberto local, o que ele havia rejeitado veementemente na campanha eleitoral. Uma violação flagrante de promessas.

É fácil de ver que, se os partidos burgueses chegam ao poder, eles forçosamente e legalmente se adaptam a este sistema apesar de terem feito anteriormente as promessas mais fantásticas. Sob a ditadura do grande capital os partidos que estão no governo ou na oposição parlamentar são fantoches dos bancos, corporações, empresas capitalistas, etc. Isto pode ser visto a partir do facto de a CSU recebeu dos ricos um milhão de subornos, especialmente durante a candidatura.

E vimos isto na eleição geral. É estranho quando os ultra-conservadores obtêm a maioria absoluta e o partido FDP de Schoeller está indo para o inferno.

 

As eleições numa ditadura democrático-burguesa são sempre corruptas, falsificadas e compradas.

 

Portanto, Sahra, nós convidamo-la a estudar as opiniões do Comintern (EH) e a aderir a elas.

Afinal, quem estabelece reivindicações legítimas, por um lado, mas por outro lado rejeita a revolução, está do lado dos ricos, quer queira ou não. Especialmente num momento em que a consciência de classe dos povos trabalhadores começa a surgir - como no Brasil, na Turquia e na Grécia, onde eles exigem a derrubada do governo e mudanças revolucionárias.

Sahra pretende fazer o impossível e "domar" o capitalismo, ou seja, um sistema em que o capital monopolista mundial tem o poder. Isto é uma ilusão pura e leva a crescente crítica ao capitalismo para um beco sem saída. Sahra nada mais é do que um extintor do incêndio "vermelho" da revolução socialista.

Gysi também já anunciou a sua participação governamental nas demandas importantes. Ou seja, o Hartz IV não deve desaparecer, mas deve ser concebido como socialmente "aceitável". Após a traição dos Verdes aos movimentos ambientais e de paz, a liderança do PDS e da sua falsa esquerda está determinada a estar completamente subordinada à sua participação no governo da lógica capitalista, ou seja, exactamente como já é praticado nos parlamentos nacionais e, em parte, a nível local.

Não ocorrerá o mesmo connosco! O nosso slogan é:

 

Destruição de todas as organizações capitalistas!

Isto significa que o sistema do lucro mundial será destruído e abolido para sempre.

 

Lutar pelo socialismo mundial significa também: aprender com a degeneração dos antigos partidos comunistas, ou com a sua associação com a social-democracia como no SED. Devemos aprender com as lições da restauração do capitalismo e do social-fascismo: Nós só podemos guiar-nos pelos ensinamentos de Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha. Precisamos de manter esta bandeira do anti-revisionismo em alta, e nós no Comintern (EH) temos um perfil absolutamente e incondicionalmente anti-revisionista.


 

 

 

 

 

Nota sobre o revisionismo Coreano

(Artigo do camarada Konrad)

 

(para uma crítica detalhada e fundamental do revisionismo Coreano em Inglês, consulte o órgão teórico do Comintern (EH) - "O Caminho do Partido Mundial", "Abaixo o revisionismo Coreano")

 

A ideologia Juche e Songun foram idealizadas por Kim Il Sung e Kim Jong Il e é um dos instrumentos revisionistas com os quais eles tentam especular para dar falsas esperanças. Na verdade, eles usam os métodos de chantagem imperialista dos Estados Unidos como um pretexto para a expansão da sua ideologia, o KimIlSungismo – KimJongIlismo, que contradiz por completo os ensinamentos de Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha, os ensinamentos do materialismo dialéctico.

Nós só precisamos de ler "Acerca do Materialismo Dialéctico e Histórico" de Estaline para concluirmos isso mesmo. Estaline faz a pergunta:

"Qualquer que seja o papel do meio geográfico no desenvolvimento da sociedade, não é este meio geográfico o principal factor que determina a fisionomia da sociedade, o carácter da ordem social do povo, a transição de um sistema para outro? O Materialismo Histórico responde a esta questão pela negativa. (...) Para não errarmos na política devemos, acima de tudo, assumir o partido do proletariado, tanto na estrutura do seu programa como na sua actividade prática, nas leis do desenvolvimento da produção, nas leis económicas do desenvolvimento da sociedade.

(...) Em primeiro lugar, mudar e desenvolver as forças produtivas da sociedade, e, em seguida, em resposta a essas mudanças e de acordo com elas, as condições de produção dos povos, seu desenvolvimento e relações económicas.

Deve-se mencionar que as relações de produção não podem ficar muito para trás o crescimento das forças produtivas em conflito, pois elas só podem desenvolver as forças produtivas na íntegra se as relações de produção adequadas à natureza, ao estado das forças produtivas e ao desenvolvimento das forças produtivas tiverem livre curso." (de Estaline: "Diamat - Histomat", traduzido da edição em língua Alemã)

Devido à crescente incompatibilidade das forças produtivas e das relações de produção no capitalismo é inevitável que as relações de produção expludam. O capitalismo é um exemplo do não cumprimento das forças produtivas e das relações de produção. O socialismo distingue-se pela sua conformidade é onde consequentemente não há crises económicas em que as forças produtivas são destruídas.

Os revisionistas negam isso, bem como a Dinastia Maoista na Coreia. Eles medem esse desenvolvimento como sendo algo sem nenhum significado. Muito diferente do que sucedia com J. W. Estaline. Ele consolidou a aliança dos operários, camponeses e soldados e construiu uma economia socialista forte. Caso contrário, a vitória sobre o Nazi-fascismo nunca teria sido possível. Enver Hoxha fez isso também.

Mas todos os revisionistas acreditam que quando eles obtiverem empréstimos, donativos e dinheiro, o capitalismo, eles podem construir o "socialismo". Onde isso levou foi possível ver na RDA, mas também na China nos tempos de Mao e na Albânia após a morte de Enver: prateleiras vazias, proletários esfarrapados. Se não houver luta de classes, não vai ser com greves ocasionais que se combatem os capitalistas nem haverá nenhuma elevação da consciência de classe.

Estaline dava grande importância á Comuna de Paris. Foi a primeira tentativa na história do proletariado para ganhar poder, para estabelecer a ditadura do proletariado. Outras experiências com Lenine, Estaline e Enver Hoxha se seguiram e mais ainda virão. Apenas a ditadura do proletariado garante aos trabalhadores o poder de eliminar o capitalismo e construir o socialismo.

Todas as tentativas recentes de conquista do poder - como na Primavera Árabe - falharam, precisamente porque os princípios da ditadura do proletariado não foram aplicados. Isto também se aplica na Síria, onde as ideias comunistas da Comuna foram diluídas pela social-democracia, onde os revisionistas promovem uma frente popular reaccionária com o Sozen, tal como na RDA sucedeu com a união entre o KPD e o SPD do qual surgiu o SED. Enver Hoxha disse que quando o vinho se dilui apenas resta o vinagre.

Ainda hoje, a organização sucessora do SED apoia o Sozen até ao ridículo e lamenta todas as respostas vazias que ela recebe dos social-fascistas do SPD que assassinaram Rosa e Karl.

Se Kim Jong Un e a sua ninhada acreditam que derramando o sangue dos trabalhadores vão conseguir manter a sua loucura de pé, então isso indica que há falência nos delírios Juche – Songun do clã Kim. Em vez de crítica e autocrítica Marxista para iluminar a sua actividade na prática, eles mudam de pele com o Juche ou agora com o Songun. Eles mudam de ideia como mudam de camisa. Mas sempre que o revisionismo Coreano tenta justificar os seus crimes contra o povo Coreano e a classe trabalhadora Coreana, os dias da ditadura social-fascista estão contados. A revolução socialista vai varrê-los para longe. No entanto, um pré-requisito é que a classe trabalhadora Coreana crie um partido verdadeiramente bolchevique que possa conduzir a luta contra o social-fascismo Coreano em nome dos ensinamentos dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo e como Secção da Internacional Comunista (EH) para a libertação revolucionária do proletariado mundial e de todos os povos lutadores e oprimidos.

O povo Coreano só será livre quando estiver completamente liberto das ideias burguesas do Juche e do Songun.

 

 

 

 

21 de Dezembro de 1879

21 de Dezembro de 2013

 

Mensagem do Comintern (EH)

por ocasião do 134º aniversário do camarada Estaline


 



Hoje, comemoramos o 134º aniversário do camarada Estaline, o quarto Clássico do Marxismo-Leninismo.

 

O camarada Estaline foi o continuador da ciência Marxista-Leninista nas condições de construção do socialismo na União Soviética após a morte do camarada Lenine. Sob a liderança do PCUS (B) do camarada Estaline, as classes oprimidas trabalhadoras Soviéticas foram capazes de defender e salvaguardar o seu estado de ditadura do proletariado de todos os tipos de inimigos internos e externos.


De facto, foi seguindo os princípios invencíveis do Estalinismo que o proletariado Soviético foi capaz de abolir a propriedade privada e colocar todos os sectores da economia nas suas próprias mãos. Foi assim que no final dos anos 20 e ao longo dos anos 30, quando o mundo imperialista-capitalista estava enfrentando uma tremenda crise que estava ameaçando até os seus próprios fundamentos, a União Soviética Estalinista estava experimentando um notável grau de desenvolvimento em todos os aspectos, permitindo que a vida e as condições de trabalho das antigas classes oprimidas e exploradas melhorassem sensivelmente. Isso só poderia ser possível porque a União Soviética na época era uma verdadeira ditadura do proletariado, um estado no qual o verdadeiro socialismo estava sendo construído e cujas classes trabalhadoras tinham como vanguarda um autêntico partido Marxista-Leninista-Estalinista que nunca parou de lutar contra todos os tipos de desvios revisionistas, fossem eles de direita ou de "esquerda". Este é de fato um dos principais méritos do camarada Estaline: ter conduzido o combate contra todos os inimigos anti-comunistas, fossem eles os restos da ordem feudal-capitalista imperial ou os representantes das novas facções oportunistas (Trotskistas, Boukharinistas, etc.).

Foi também a força comunista da ditadura do proletariado Estalinista que permitiu que a União Soviética pudesse derrotar e aniquilar todas as interferências e ataques do imperialismo mundial. Podemos recordar o exemplo da agressão imperialista Nazi-fascista. Se a Segunda Guerra Mundial terminou com a derrota do Nazi-fascismo, isto não foi devido aos esforços do burguês Roosevelt ou do aristocrata racista Churchill. Isto deveu-se aos sacrifícios indescritíveis dos trabalhadores e comunistas Soviéticos que perderam mais de 20 milhões dos seus melhores filhos e filhas para pôr fim ao imperialismo Nazi-fascista. Mas, além disso, também temos, por exemplo, as tácticas e estratégias brilhantes projectadas pelo camarada Estaline para derrotar o imperialismo Anglo-Americano cujo objectivo era restaurar o capitalismo na União Soviética. Mas enquanto o camarada Estaline esteve vivo, ninguém, nem mesmo os inimigos anti-comunistas mais poderosos jamais puderam colocar em risco a construção do socialismo na União Soviética.


Desde os tempos do camarada Estaline até hoje em dia, os ideólogos e propagandistas revisionistas-capitalistas-imperialistas de todas as cores não têm poupado esforços para demonizar e caluniar o trabalho e legado glorioso do camarada Estaline. Eles tentam retratar o período da ditadura do proletariado Estalinista como um período de tirania implacável e o camarada Estaline como um déspota sanguinário. Mas a realidade é exactamente o oposto a isso. Durante os tempos de ditadura do proletariado Estalinista, os trabalhadores Soviéticos desfrutaram do socialismo autêntico, em que há uma verdadeira democracia para eles, mas dura repressão para os exploradores. O período Estalinista na União Soviética foi uma das épocas mais marcantes e maravilhosas da história do mundo. Foi uma época em que o proletariado Soviético revelou soberbas capacidades Marxistas-Leninistas-Estalinistas. Foi uma época em que as classes trabalhadoras Soviéticas lideradas pelo seu partido comunista proletário alcançaram tal grau de revolutionarização e avanço em todas as facetas (relações familiares, política, económica, social, etc.) que mesmo representantes do capitalismo-imperialismo mundial não podiam deixar de ficar estupefactos.


Em 1953, quando o camarada Estaline foi assassinado pelos revisionistas, a estrutura política-socio-económica na União Soviética estava pronta para avançar para a construção do comunismo. Se os revisionistas Soviéticos tivessem sido impedidos de tomar o poder e restaurar o capitalismo e o imperialismo no seu país, o comunismo teria sido realizado lá porque tudo já estava preparado para isso graças aos méritos e sucessos do curso e liderança Estalinista. Terem evitado o avanço em direcção ao comunismo na União Soviética constitui um dos mais terríveis crimes cometidos pelos revisionistas contra os proletários, trabalhadores e classes exploradas mundiais em geral.


Sem Estalinismo, é impossível realizar a ditadura do proletariado, o socialismo e o comunismo. É impossível realizar a verdadeira e definitiva libertação de todos os tipos de capitalismo, imperialismo, fascismo, explorações, opressões e todos os seus males inerentes. É por isso que o capitalismo-imperialismo-revisionismo mundial faz o máximo para perpetuar sua própria existência mantendo as classes exploradas e oprimidas longe de entender o que realmente é o Estalinismo.


Por todas estas razões, o camarada Estaline – que também foi um dos maiores internacionalistas proletários – sem dúvida merece estar entre os maiores líderes e professores do proletariado e classes trabalhadoras mundiais. Defender os ensinamentos imortais do camarada Estaline significa defender os ensinamentos imortais de todos os outros Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha. Como Estalinistas-Hoxhaistas, é nosso dever proteger e aplicar os ensinamentos do camarada Estaline, cuja defesa, desenvolvimento e avanço foram mais tarde brilhantemente garantidos pelo camarada Enver Hoxha – o melhor discípulo de Estaline e 5º Clássico do Marxismo-Leninismo - nas condições da luta contra o revisionismo moderno e contra o cerco capitalista-imperialista-revisionista.



Viva o camarada Estaline, o quarto Clássico do Marxismo-Leninismo!


Proletários, trabalhadores e classes oprimidas e exploradas do mundo!


Não se deixem enganar pelas mentiras burguesas-revisionistas sobre o Estalinismo!


Sigam e defendam inabalavelmente os ensinamentos invencíveis do camarada Estaline!


Viva a revolução socialista mundial e a ditadura do proletariado mundial!


Viva o socialismo mundial e o comunismo mundial!


Viva o Comintern (EH) – o único defensor e seguidor autêntico do Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo!

 

 

site especial ...

 

 

 


GALERIA DE STALIN

(Arquivo com mais de 450 imagens)


 

 

 

Novo

 

18 / 12 / 2013

 

"Caminho do Partido Mundial" - órgão teórico -

ENVER HOXHA

O 5º Clássico do Marxismo-Leninismo

e os Fundamentos do Hoxhaismo

 

em língua

Portuguesa

 

 

 

 

 

11 / 12 / 2013

 

"Caminho do Partido Mundial" - órgão teórico -

 

MANDELA

 


 

Na História da Escravatura, o Império Britânico foi o primeiro poder colonial que escravizou os povos da África do Sul.

Aqui, Mandela demonstra a sua lealdade para com os proprietários de escravos Britânicos.

Não há melhor prova das suas posições políticas reaccionárias do que esta imagem:

"Escravos – amem os vossos proprietários!"

 

Mensagem do Comintern (EH)


por ocasião da morte de

 

Nelson Mandela

 

 

 

KIEV - Ucrânia

8 de Dezembro de 2013

 

Monumento de Lenine derrubado pelo lumpenproletariado furioso ao serviço da burguesia!

 

Proletariado Ucraniano

- CONTRA-ATACA!

Estamos indignados com as acções dos bandidos Ucranianos pró-UE! Como eles podem se atrevem a colocar as suas mãos nojentas na estátua do camarada Lenine?! Eles dizem que querem a "democracia Europeia". Mas a que é que eles se estão referindo? Á União Europeia fascista que foi fundada por simpatizantes pró-nazi como Schumann e Adenauer? Á União Europeia fascista cujo "parlamento" não tem praticamente nenhum poder, mas é o "Conselho" Europeu composto por representantes de empresas e bancos que detém o poder real? Para a União Europeia fascista que está levando a Europa à falência e os seus povos à pior miséria e penúria para que os "credores" capitalistas-imperialistas possam fazer o máximo lucro? Esses lumpenproletários não são nada mais do que um instrumento directo da burguesia imperialista Europeia e um instrumento indirecto da burguesia imperialista Russa e de seus lacaios Ucranianos para oprimir e explorar os trabalhadores. Mas, no final, é a liderança do proletariado pelo seu partido mundial Estalinista-Hoxhaista que triunfará.

A burguesia Ucraniana, a Rússia imperialista e a Europa imperialista - eles são os inimigos da classe trabalhadora ucraniana - não Lenine!

Lenine levou o povo Ucraniano para a liberdade e o socialismo!

Não o socialismo, mas a restauração revisionista do capitalismo causou o colapso da Ucrânia!

Esmaguem o Estado burguês capitalista da Ucrânia, esmaguem o imperialismo mundial, esmaguem o imperialismo Russo e Europeu, mas não monumentos de Lenine!

Pela restauração da República Soviética da Ucrânia Leninista-Estalinista!

Pela Ucrânia socialista num mundo socialista!

Viva Lenine! Viva o Leninismo invencível!

Viva a revolução socialista na Ucrânia e em todo o mundo!

O proletariado Ucraniano vai varrer o lumpenproletariado para longe e defenderá Lenine com as armas nas suas mãos!

Por ocasião deste crime contra o proletariado revolucionário publicamos a nossa:

 

carta de Dezembro de 2004 para o nosso

camarada Ucraniano Anton Petrenko

(em língua Inglesa)

Novo

em língua Espanhola

História do Partido do

Trabalho da Albânia

(graças a enverhoxha.ru)

 

Viva a Revolução Finlandesa!

1918 - 2013

Por ocasião do 95º aniversário da Revolução Proletária na Finlândia - 1918

Arquivo de imagens

Site especial em língua

Portuguesa

 

Site especial em língua Inglesa

Site especial em língua Alemã

 

LENIN - Finlandês Arquivo

STALIN - Finlandês Arquivo

 

 

Há 90 Anos atrás

Arquivo do Comintern do Ano

1923

 

 em língua Ingles

 


Viva a Vitória do Exército de Libertação Nacional Albanês!

Viva o camarada Enver Hoxha!

 

Viva o 69º aniversário da Libertação

29 de Novembro de 1944 -



Foto

 

"Na construção e defesa do nosso país, em confrontos e dificuldades nós tornámo-nos ainda mais temperados e reforçados e nunca vamos deixar de lutar pelo que temos feito. Vamos aumentar a prosperidade, a segurança e a reputação da República Socialista do nosso povo cada vez mais. Portanto, em nome do derramamento de sangue e labuta, suor e privações, vamos transmitir às gerações vindouras a grande mensagem que a história nos ensinou: é preciso estar sempre vigilante, sempre no trabalho e no ataque para defender as vitórias alcançadas e elevá-las.

Não devemos permitir que ninguém, seja ele quem for, viole e negue o nosso trabalho imortal e sagrado, o da República Popular Socialista da Albânia. Vamos fortalecê-lo, moldá-lo, embelezá-lo e mantê-lo elevado! Desta forma a nossa fortaleza, a Albânia socialista, será fortalecida e será ainda mais majestosa de geração em geração!

Que os nossos corações batam sempre com o seu grande coração.

E a maior garantia para isso é a unidade do povo em torno do Partido, dos ensinamentos imortais de Marx, Engels, Lenine e Estaline e do nosso partido que nasceu do seio do povo para o liderar para as vitórias."


(Enver Hoxha)

Lançando os fundamentos da nova Albânia

(graças a http://enverhoxha.ru)

em língua Inglesa)



 

 

 

Viva o 193º aniversário do camarada

 

Friedrich Engels!

 


Viva o camarada Engels, o segundo Clássico do Marxismo-Leninismo!

 

 

Mensagem do Comintern (EH)
por ocasião do 193º aniversário
do camarada Friedrich Engels

 

28 de Novembro de 1820 - 28 de Novembro de 2013


Hoje, comemoramos o 193º aniversário do camarada Engels, o segundo Clássico do Marxismo-Leninismo cujos ensinamentos invencíveis permanecerão para sempre nas mentes e nos corações de cada trabalhador e de cada comunista. A designação da nossa ideologia pode ser apenas "Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo", sem qualquer referência directa ao camarada Engels. Mas isso não nos deve enganar. A contribuição insubstituível do camarada Engels para a nossa ideologia está sempre incluída na mesma, sem necessidade de menções explícitas.
Nascido no seio de uma família da alta burguesia, Engels desde cedo fez a sua opção de classe em favor do proletariado. Enquanto trabalhava junto com seu amigo Marx como os fundadores da ciência proletária, um dos principais méritos do camarada Engels foi provar não só a natureza intrinsecamente exploradora e opressora do sistema capitalista-imperialista, mas também que as leis socio-económicas objectivas totalmente exigem que o socialismo e o comunismo não sejam apenas meras possibilidades, mas sim autênticas necessidades históricas. O camarada Engels foi o autor de muitos dos livros essenciais da ideologia comunista, como "Anti-Durhing", "A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado", "As Condições de Classe Trabalhadora na Inglaterra", e muitos outros. Além disso, o papel e os esforços do camarada Engels como co-fundador (juntamente com o camarada Marx) da Primeira Internacional são exemplos do seu legado como um dos maiores internacionalistas proletários que já viveram.

Após a morte do camarada Marx, Engels continuou a desenvolver e defender a pureza do Marxismo contra todos os revisionistas e oportunistas que - já naquela época - queriam transformar o Marxismo em algo inofensivo para o mundo burguês -capitalista. Ele nunca poupou esforços para separar os trabalhadores de veneno reformista e para os manter no caminho certo do Marxismo científico.

Por todas estas razões, os ensinamentos infalíveis do camarada Engels são uma luz que guia todos aqueles que seguem o caminho da revolução socialista mundial, Da ditadura do proletariado mundial, do socialismo e do comunismo mundiais baseados no Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo. Hoje, o Comintern (EH) é o único verdadeiro defensor não só do camarada Engels, mas também de todos os Clássicos como um todo, já que é impossível defender um dos Clássicos sem igualmente defender também todos os outros, sem excepção.


Viva o 193º aniversário do camarada Friedrich Engels!
Viva o camarada Engels, o segundo Clássico do Marxismo-Leninismo!

Vivam os 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!
Viva o internacionalismo proletário!

Viva a revolução socialista mundial e a ditadura do proletariado mundial!

Viva o socialismo mundial e o comunismo mundial!

Viva o Comintern (EH) - o único verdadeiro defensor da bandeira vermelha e proletária do camarada Engels!

 

 

 

 

SITE ESPECIAL ...

 

 

Mensagem da Secção Portuguesa do Comintern (EH)

por ocasião da 15ª reunião


de partidos revisionistas e social-fascistas em Lisboa



Em 8 e 10 de Novembro de 2013, a 15 ª reunião de partidos revisionistas e social-fascistas teve lugar em Lisboa. Com algumas poucas excepções Maoistas e Titoistas, os participantes nesta reunião foram os partidos anti-comunistas que já seguiram o social-imperialismo Soviético e que, após a destruição deste último, permaneceram muito apegados ao revisionismo do tipo Khrushchevista. Como indicado nos documentos oficiais do Comintern (EH), nós, os Estalinistas-Hoxhaistas, estamos cientes do facto de que, hoje em dia, a forma mais perigosa de revisionismo não é o de tipo Soviético / Khrushchevista. Neste momento, é o neo-revisionismo (isto é, "anti-revisionismo" nas palavras, revisionismo em obras) que ocupa esse lugar. No entanto, devido à existência persistente de partidos pró-Khrushchevistas em vários países, pensamos que a sua denúncia e desmascaramento a partir de posições genuinamente comunistas é sempre útil e indispensável. Isto é particularmente verdadeiro para a Secção Portuguesa do Comintern (EH) que, como vanguarda do proletariado Português, infelizmente ainda opera num país onde um grande partido revisionista do tipo Khrushchevista ainda detém uma influência muito significativa sobre as mentes das massas trabalhadoras. Antes do fim do império Soviético, o alinhamento do P "C" P com a União Soviética social-fascista era tão intenso que a então camarilha líder de Cunhal (cujo culto à personalidade atingiu proporções inacreditáveis ​​durante a reunião) nunca perdeu uma oportunidade de defender até mesmo os crimes mais horrendos cometidos pelos social-imperialistas Soviéticos contra a libertação dos povos e o socialismo. Após a sua destruição, os revisionistas Portugueses continuaram apoiando todos os tipos de regimes anti-comunistas, desde a Cuba Castroista até à Coreia do Norte monarco-fascista.

Com essas "credenciais", não é de admirar que o P "C" P foi escolhido para ser o anfitrião desta reunião (para uma descrição mais completa da história e carácter revisionista do P "C" P, consulte o nosso artigo sobre o 90º aniversário do P "C" P). E quem eram os convidados? Na lista de partidos que estavam em Lisboa, podemos encontrar alguns dos piores inimigos do socialismo e do Estalinismo-Hoxhaismo. Estavam, é claro, os partidos revisionistas da América Latina, que estão hoje em dia, sem excepção, totalmente submersos nas formas mais nauseantes do oportunismo. Entre eles estava o Partido "Comunista" do Chile, o mesmo cujos vícios pacifistas e parlamentaristas levaram o seu país a uma ditadura fascista e que ainda hoje insiste na "via pacífica para o socialismo". Outro era o partido "comunista" do Brasil que uma vez afirmou a sua lealdade para com a Albânia socialista do camarada Enver apenas para traí-la mais tarde e entrar em aliança com os outros revisionistas - algo expectável em um partido que nunca conseguiu limpar-se do veneno oportunista (ver o nosso artigo: "Abaixo com o neo-revisionismo Brasileiro!"). E depois, é claro, temos o social-fascista Partido "Comunista" de Cuba. Não vamos gastar nosso tempo descrevendo sua natureza violentamente anti-comunista e todos os danos que o revisionismo Castroista-Guevarista trouxe e continua a trazer á causa da revolução socialista mundial. Isso nós tentamos fazer no nosso artigo "Abaixo com o revisionismo Cubano!". Aqui, nós só vamos notar a nojenta forma "amigável" como os revisionistas Portugueses estavam ansiosos por receber os social-fascistas Cubanos, no que foi uma vergonha para os trabalhadores Portugueses que aspiram ao socialismo autêntico. Mas o partido anti-comunista Cubano não foi o único partido revisionista no poder que participou na reunião. O monarco-fascista Partido dos "Trabalhadores" da Coreia (cuja natureza e propósitos desmascarámos no nosso artigo "Abaixo com o revisionismo Coreano!") e o Partido Social-fascista da China também estavam lá. Como dissemos muitas vezes na nossa Declaração de Guerra contra o Maoismo, o partido revisionista Chinês é um dos piores inimigos do proletariado mundial e das classes exploradas e oprimidas. É o representante da classe burguesa predatória monopolista-imperialista Chinesa que está hoje em dia à beira de dominação global. O social-imperialismo Chinês - que é um descendente do revisionismo Maoista - está a superar o imperialismo Americano como principal explorador e opressor do planeta, mas os revisionistas Portugueses e os outros participantes na reunião social-fascista de Lisboa não disseram uma única palavra sobre isto. Em vez disso, eles preferiram continuar com as suas ridículas "denúncias do imperialismo Americano e Europeu", mantendo os trabalhadores longe da luta necessária contra o social-imperialismo Chinês. Hoje, é impossível lutar pela realização da ditadura do proletariado mundial, do socialismo e do comunismo mundiais sem lutar contra o imperialismo Chinês e a sua ideologia anti-comunista. Ao impedir os trabalhadores mundiais de compreenderem isto, os revisionistas e social-fascistas estão novamente a cometer mais um crime grave contra a causa da revolução socialista mundial pelo qual eles vão responder um dia.


E há muito mais. Um grande número de participantes na reunião veio de países Europeus. Entre eles havia o Titoista "Novo” Partido “Comunista” da Jugoslávia, o cripto-fascista Partido "Comunista" da Federação Russa - que hoje em dia ainda sonha em restaurar a ordem social-imperialista Soviética - e também o burguês-reformista Partido "Comunista" Francês, cujas responsabilidades nos desvios oportunistas que ocorreram dentro do antigo movimento comunista são bem conhecidos. Não foi por acaso que os revisionistas Franceses liderados por Thorez estiveram entre os primeiros a abraçar e implementar as "teorias" anti-socialistas de Dimitrov que defendiam a submissão á burguesia. No entanto, um dos partidos cuja participação foi mais esperada era o Partido "Comunista" Alemão - o herdeiro da RDA social-fascista. Os revisionistas Portugueses justificaram esta "expectativa" com o fato de que a Alemanha é hoje o principal opressor imperialista na Europa, e, portanto, a participação dos chamados "comunistas Alemães" seria muito importante. Eles também falsamente afirmaram:


" (...) Combatemos o fascismo, o racismo, o anti-comunismo.” (http://www.avante.pt/pt/2086/temas/127863/, A situação internacional e a luta dos trabalhadores e dos povos, 15º encontro de partidos comunistas e operários, 8-10 de Novembro de 2013, Lisboa, traduzido do Português)


Em primeiro lugar, os revisionistas Portugueses "esquecem" o facto de que para destruir definitivamente todos os tipos de imperialismo, racismo, fascismo, anti-comunismo, etc. é necessário também destruir definitivamente o sistema que inevitavelmente lhes dá origem: o capitalismo. Como nem o P "C" P, nem o D "K" P, nem qualquer outro partido revisionista pretende eliminar o capitalismo e os seus males inerentes (tais como as reaccionárias “medidas de austeridade”, o desemprego, fome, pobreza, guerra, etc.), mas sim perpetuá-lo, então toda a sua ridícula conversa "anti-fascista", "anti-racista", "anti-imperialista", etc. são nada mais do que lixo vazio.


E, claro, outro dos partidos que marcaram presença na reunião foi o irmão gémeo do P "C" P: o Partido "Comunista" da Grécia. Devido ao seu tamanho e proporções numéricas, o P"C"G transforma a Grécia no único país Europeu - além de Portugal - em que um partido Khrushchevista ainda é uma força muito relevante. Tanto o P "C" P como o P"C"G gostam de descrever-se como "de linha dura Marxista-Leninista", enquanto rejeitam a inclusão da ditadura do proletariado em seus programas partidários e ao mesmo tempo fazendo tudo o que podem para manter o capitalismo vivo em seus respectivos países (como todos os outros partidos revisionistas, por sinal). Os revisionistas Gregos afirmam que:


"O nosso partido é contra (...) as posições que nos levam em direcção á administração burguesa. (...) Temos que formar uma frente popular." (http://www.resistir.info/grecia/marinos_18nov13.html, Não á diluição dos PCs, pela saída do capitalismo, 8-9 de Novembro de 2013, Lisboa, traduzido do Português)


Assim , os revisionistas Gregos afirmam ser contra as "posições burguesas". Esta é uma afirmação muito "interessante" vinda de um partido que decidiu entregar voluntariamente as armas aos monarco-fascistas ao serviço do imperialismo estrangeiro durante a Guerra Civil Grega, quando o proletariado estava a derrotar com sucesso as forças anti-comunistas para conquistar o poder e construir o socialismo. E o que dizer da chamada "frente popular" proposta pelos social-fascistas Gregos? Nós, Estalinistas-Hoxhaistas, lembramo-nos muito bem das infames "teorias da frente popular" de Dimitrov, que abriram o caminho para a ascensão revisionista e levaram o movimento comunista para longe dos princípios Leninistas-Estalinistas e para a sua quase - aniquilação. Ao contrário dos revisionistas Gregos, rejeitamos qualquer tipo de capitulação e de miscigenação ideológica com a burguesia e outras classes exploradoras, cuja finalidade é sempre afastar os trabalhadores do Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo e do comunismo autêntico.

Em geral, podemos dizer que a 15ª reunião dos partidos revisionistas comprova a nossa afirmação de que este tipo de "reuniões" anti-socialistas só servem para enganar o proletariado e os trabalhadores mundiais em favor dos interesses de classe da burguesia e dar uma falsa aura de um suposto "internacionalismo proletário" que realmente não existe entre os partidos e organizações social-fascistas.


Mas esta situação não vai durar para sempre. Um dia, os revisionistas de todas as cores irão receber o tratamento que merecem quando as classes exploradas e oprimidas Portuguesas, Europeias e de todo o mundo finalmente se livrarem de todos os tipos de influências oportunistas e virem os partidos social-fascistas como eles realmente são: instrumentos ao serviço do capitalismo-imperialismo mundial. Como o camarada Enver Hoxha disse uma vez:


"Nenhuma força, nenhuma tortura, nenhuma intriga, nenhuma decepção pode erradicar o Marxismo-Leninismo das mentes e corações dos homens." (Enver Hoxha, O eurocomunismo é anticomunismo, Tirana, 1980, edição em Português)


Na sua busca para destruir a influência social-fascista e construir o socialismo e o comunismo á escala global, os trabalhadores do mundo podem contar sempre com a liderança proletária do Comintern (EH) – a única organização autenticamente comunista que existe no mundo de hoje.





Trabalhadores portugueses e mundiais – desmascarem os partidos revisionistas e social-fascistas!


"socialista"!

O seu objectivo é perpetuar eternamente a ordem exploradora e opressora capitalista-imperialista!


Abaixo essas "reuniões" oportunistas!


Viva o genuíno internacionalismo proletário!


Abaixo os revisionistas - os médicos da crise do imperialismo Europeu!

Vivam os Estalinistas-Hoxhaistas - a vanguarda da revolução socialista Europeia e os construtores da nova Europa socialista sob a ditadura do proletariado Europeu!

Vivam os 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!

Viva a revolução socialista mundial e a ditadura do proletariado mundial!

Viva o socialismo e o comunismo mundiais!

Viva o Comintern (EH)!

 

 

 

 

23 DE NOVEMBRO DE 2013

RE-FUNDAÇÃO DA

JUVENTUDE COMUNISTA DA ALBÂNIA

(originalmente fundada no dia 23 de Novembro de 1941)

AGORA:

A SECÇÃO ALBANESA DA INTERNACIONAL DA JUVENTUDE COMUNISTA

TAMBÉM:

23 DE NOVEMBRO DE 2013,

FUNDAÇÃO DA

SECÇÃO CHINESA

DA INTERNACIONAL DA JUVENTUDE COMUNISTA

 

PARABÉNS !!


 

 

NOVO

ENVER HOXHA EM LÍNGUA CHINESA

Graças aos nossos camaradas Chineses!

1949 - 1961

1962 - 1965

1966

1967

1968

1969

1970 - 1971

1972 - 1974

1975 – 1977



 

Poema do nosso camarada Albanês

Simbad Marinari

22 de Novembro de 2013




VIVA A REVOLUÇÃO!
......
Fui preso e enviado aos juízes
ainda assim, os arames farpados foram removidos
eles me arrastaram até á mesa
acusaram-me por crimes de sangue
"crimes graves"
.......
Eles acusaram a minha frase: "não há democracia "
acusaram o que eu disse: "podemos ganhar a liberdade por meio da luta" ...
"neste mundo não há igualdade"
com os amigos de forma ilegal em silêncio ,
disse: - VIVA A REVOLUÇÃO!
........
Na praça, para o 1 de Maio - eu apareci
"ousar mais!"
para derrubar este sistema vampiro, ...
não através de flores, orações aos Santos supersticiosos
mas pelo apelo: - VIVA A REVOLUÇÃO!
.....
Na lista você afirma-me como "pessoa perigosa"
"a democracia você queria minar
o proletário unido - chamando, por isso,
na frente com a bandeira vermelha
Em frente amigos! ...VIVA A REVOLUÇÃO!
.....
"o comunismo é o futuro brilhante"
réu, você está especificando que,
sobre as relíquias do velho mundo,
sobre as barricadas com o coração em liberdade
você está chamando em voz alta: - VIVA A REVOLUÇÃO!
........
Mesmo na célula, quando lhe estiverem
"como você se atreve ? ! ....”
com o sangue de seu sangue (sem piedade)
Nas paredes a vermelho você escreveu,
Abaixo o capital! E ...VIVA A REVOLUÇÃO!
....
O réu, depois de tudo o que você vai dizer? ! ! ! -
SIM! Eu aceito tudo isso, ainda que vá ser condenado
a guerra vai continuar, mesmo sem mim,
por um mundo novo - sem vampiros sem alma,
por isso eu digo: VIVA A REVOLUÇÃO!


 

SITE ESPECIAL ...

 

A Revolta de Hamburgo de 1923

 

1923 - 2013

 

Mensagem de saudação do Comintern (EH)

Há 90 anos, os trabalhadores de Hamburgo pegaram em armas e deram o sinal para a revolução socialista na Alemanha através da sua revolta. Foi a primeira vez que os trabalhadores na Alemanha organizaram um levante armado sob a liderança do Partido Comunista com Ernst Thalmann no topo, e com a orientação directa e apoio da Internacional Comunista - ou seja, com o objectivo do estabelecimento da ditadura do proletariado.

 

Durante 3 dias,


Hamburgo esteve nas mãos dos trabalhadores!


 

Os lutadores de Hamburgo de Outubro de 1923 combateram a burguesia nas barricadas, mas depois de três dias os trabalhadores decidiram sua retirada ordenada, porque a centelha da revolução não se espalhou á escala nacional. Assim, a derrota foi evitada e o triunfo da contra-revolução foi frustrado.
O levante de Hamburgo teve vida curta, mas o suficiente para mostrar ao mundo inteiro de forma impressionante que não existe outra alternativa senão sacudir o jugo do capitalismo e derrubar a burguesia do que a violência revolucionária armada do proletariado.
Esses ensinamentos do Marxismo-Leninismo, que já foram brilhantemente confirmados pela vitória da Revolução Russa de Outubro foram conscientemente implementados na prática pelos trabalhadores de Hamburgo.
"apelo Schiffbek" do camarada Fiete Schulze que foi assassinado pelos nazistas mais tarde). Assim, tornou-se Hamburgo um farol para o proletariado em todos os países capitalistas.

A Grande Revolução Socialista de Outubro foi o início da revolução socialista mundial, e em Hamburgo, foi continuada heroicamente.
Lenine e Estaline tinham percebido que a situação revolucionária na Alemanha foi fundamental para a vitória da revolução mundial, e que esta, em última instância, poderia consolidar o triunfo da Revolução na Rússia. É por isso que os bolcheviques fizeram o máximo para apoiar a revolução na Alemanha, sem se esquivar aos sacrifícios mais difíceis. Embora o próprio proletariado Russo estivesse com muita fome naquela época, enviou um navio de grãos da Rússia para o porto de Hamburgo para resgatar o proletariado de Hamburgo da fome - internacionalismo proletário, de facto!


"Ernst Thalmann - filho de sua classe"). Estamos orgulhosos de apresentar o arquivo on-line mais completo do mundo sobre a revolta de Hamburgo de 1923. Entre os escritos, publicados por nós, há também aqueles que foram editados na RDA social-fascista! Nós seleccionámos alguns deles em que o material histórico valioso está incluído (apenas para efeitos de estudos!). Claro que temos que lidar com esses textos de forma crítica, porque sabemos que os revisionistas (embora em favor da luta armada em palavras) negam e traem o princípio Marxista-Leninista da derrubada violenta da classe burguesa. Assim, os revisionistas modernos também traíram o nosso líder comunista Ernst Thalmann! A traição dos direitistas e conciliadores dentro do KPD foi finalmente uma das principais razões pelas quais a Revolução em Hamburgo não poderia se espalhar por todo o país a uma escala nacional. O proletariado Alemão estava pronto para ir para a batalha final, mas a liderança de direita no Partido Comunista, Brandler - Thalheimer and Co., eles atacaram a revolução socialista Alemã.
Em relação ao regime social-fascista na RDA, o nosso KPD / ML (que foi fundado em 1968 no espírito de Ernst Thalmann e da revolta de Hamburgo) foi proibido na RDA e foi declarado
"inimigo público nº 1". Nós, os camaradas do KPD / ML fomos presos na RDA, assim como os lutadores de Outubro foram colocados na prisão em Hamburgo no ano de 1923. Isso não deve ser esquecido! Fascistas e social-fascistas são gémeos, a semente do mal burguês!
O Marxismo-Leninismo e a história do movimento operário nos ensina, portanto, que a ditadura do proletariado pode ser vitoriosa somente se as nossas próprias fileiras revolucionárias se livrarem dos social-fascistas e da sua influência contra-revolucionária.


Camaradas,


"classe contra classe"!
Nós, os camaradas do Comintern (EH) somos lutadores pelo comunismo mundial, somos a própria carne e sangue do proletariado mundial, somos a vanguarda, somos a nova geração de lutadores de rua!
Nós somos os únicos na vanguarda que continuam a heróica luta pela libertação revolucionária do proletariado mundial.
O Comintern (EH) não só propaga a necessidade e a inevitabilidade da revolução mundial. Somos, acima de tudo, os organizadores e líderes da revolução mundial teórica e prática! Por fim, a revolução mundial já se tornou um problema urgente que deve ser resolvido na prática, e que vai ser resolvido com sucesso a qualquer custo!
A Secção Alemã do Comintern (EH) surgiu a partir do KPD / ML do camarada Ernst Aust e é o verdadeiro sucessor da grande antiga Secção Alemã do Comintern que foi conduzida por Ernst Thalmann.
Nós do Comintern (EH) somos os sucessores do glorioso Comintern de Lenine e Estaline!
A história do nosso Comintern (EH) é nada mais que a continuação da história gloriosa do Comintern de Lenine e Estaline!
O que disse o camarada Ernst Thalmann?


"Os aniversários não são para os comunistas e para os elementos com consciência de classe do proletariado apenas observâncias vazias, mas as directrizes para a luta de classes, um guia para a acção revolucionária. Especialmente, a situação política em que estamos agora nos obriga imperativamente e claramente a reconhecer a importância histórica e os ensinamentos da revolta de Hamburgo."


Avancemos no espírito de Ernst Thalmann!


Avancemos no espírito da Revolta de Hamburgo de 1923!

 

 

 

 

 Enver Hoxha

«COM STÁLINE.

RECORDAÇÕES»

 

A edição em Português

 

Graças ao site: enverhoxha.ru 

 

NOVO

Graças aos nossos camaradas Chineses:

ENVER HOXHA

Correspondência com a China

em língua Chinesa

(fonte: documentos diplomáticos Chineses)

1949 - 1961

 

 

 

霍查同志给中共的一封信

29 de Novembro de 1954

一九五四年十一月二十九日

ENVER HOXHA

1954

Infelizmente, nós não conseguimos encontrar este documento no Volume 12, edição Albanesa.

Esta é uma das numerosas cartas de agradecimentos ao Partido Comunista da China como parte dos documentos diplomáticos, seleccionados e publicados pelo Conselho de Estado Chinês.



- comentário dos nossos camaradas Chineses:


Caros Camaradas do Comintern
A carta de agradecimento do camarada Hoxha ao Partido Comunista Chinês,foi seleccionada a partir dos documentos diplomáticos do Conselho de Estado Chinês desclassificados na China e pode ser encontrada na Internet. Também há muitas mensagens de Hoxha para o Comité Central do PTC e cartas para Mao Zedong e para o "Diário do Povo". Saudações comunistas.

 

 

 

 

Viva o 95º aniversário da

Revolução de Novembro na Alemanha !


9 de Novembro de 1918

Manifestação da classe operária em Berlim - 9 de novembro de 1918

Mensagem por ocasião do 95º aniversário


da Revolução de Novembro de 1918 na Alemanha



A Revolução de novembro de 1918 aboliu a monarquia e transformou a Alemanha numa república. De acordo com a Constituição, não houve mais leis excepcionais contra os operários e os trabalhadores rurais. Os trabalhadores tiveram a liberdade de associação e de reunião. A lei de Janeiro de 1919 havia concedido aos trabalhadores jornada de oito horas. As mulheres que antes não tinham direito a voto estavam autorizadas a votar em todas as eleições em igualdade de condições com os homens. Seleccionados entre os conselhos operários, foram reconhecidos os representantes dos trabalhadores contra os dos patrões. Os trabalhadores tinham o direito à greve. Mesmo nas escolas, algo tinha mudado. Os quatro primeiros anos de escola eram agora ensino fundamental obrigatório para todas as crianças. Com a revolução, o controle generalizado da Igreja Protestante sobre as escolas foi substituído pela supervisão governamental das escolas. Mas todas essas conquistas não foram mais do que as liberdades civis que existiam em outros países Europeus já há um longo tempo. As reivindicações socialistas que foram posteriormente recolhidas pela Liga Espartaquista e o Partido Comunista da Alemanha não foram realizadas. Os trabalhadores não têm o poder do estado. Os capitalistas monopolistas e os piores inimigos do povo não haviam sido desapropriados. Os escritórios administrativos eram dos antigos funcionários imperiais. Os diplomatas, policiais e juízes anti-trabalhadores não foram nem demitidos nem presos e condenados, embora eles tivessem uma boa medida da culpa na guerra e sempre agiram como inimigos do povo. Continuando o grande mal que haviam trazido para o povo Alemão e toda a Europa, o governo Ebert mandou esmagar a revolução. Os altos funcionários do governo oficiais vieram ainda das fileiras dos capitalistas e latifundiários.


A Revolução de Novembro terminou com a derrota da classe trabalhadora Alemã.


A classe trabalhadora não tinha partido revolucionário de combate com uma vantagem objectiva clara. O Partido Social Democrata não era um partido revolucionário. Eles não prepararam os trabalhadores para a luta contra os seus exploradores. Pelo contrário, os líderes de direita social-democrata afastaram os trabalhadores da luta revolucionária. Eles haviam dividido o movimento dos trabalhadores socialistas e, assim, enfraqueceram o seu poder. Os trabalhadores não foram nem equipados nem organizacionalmente preparados para a continuação da revolução vitoriosa.


Somado a isso, os trabalhadores revolucionários eram inexperientes na Alemanha e até mesmo seus melhores líderes não têm a experiência de combate e clareza dos bolcheviques. A vanguarda revolucionária da classe operária estava determinada a defender a revolução e a continuar, mas grande parte dos trabalhadores sucumbiram à fraude e à influência reaccionária dos líderes social-democratas de direita, que conseguiram evitar uma aliança da Alemanha com a classe operária Russa vitoriosa. Por isso, aconteceu que os maiores líderes revolucionários Karl Liebknecht e Rosa Luxernburg foram impunemente assassinados por oficiais reaccionários. A luta heróica dos trabalhadores Alemães terminou em derrota. Esta foi uma derrota para todos os trabalhadores, para todo o povo Alemão.


A lição:


A Revolução de Outubro será coroada com a vitória da revolução socialista na Alemanha, uma vez que esta já não será apoiada pela Grande Revolução Socialista de Outubro, mas desta vez pela revolução socialista mundial do proletariado de todo o mundo sob a liderança do Comintern (EH).

Viva a Revolução de Novembro de 1918!


Transforma-mos a derrota em vitória, somos guiados pelos ensinamentos dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo de Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!

 

 

 

Site especial sobre a Revolução de Novembro (…) - em língua Alemã

NOVO:

"O inferno todo desaba ... "

(sobre os acontecimentos da revolução - em língua Alemã)


Estaline escreveu sobre a Revolução de Novembro:

Na verdade, a revolução na Alemanha não era socialista, mas uma revolução burguesa, e os soviéticos eram uma ferramenta obediente do parlamento burguês, pois foram dominados pelos social-democratas, que eram comprometedores do tipo dos mencheviques Russos. Este facto nos explica a fraqueza da revolução Alemã. Quão fraca ela realmente foi é mostrado, por exemplo, pelo facto de que ela permitiu que os guardas brancos Alemães assassinassem revolucionários proeminentes como Rosa Luxemburg e Karl Liebknecht com impunidade.

No entanto, foi uma revolução:

Wilhelm tinha sido derrubado e os trabalhadores haviam rejeitado suas cadeias;

e isso por si só obrigou a eclodir a revolução no Ocidente, obrigou a suscitar um aumento da revolução nos países Europeus.

(História do PCUS (B) – versão resumida)

 

 

"8 de NOVEMBRO!"

PARABÉNS!

De acordo com uma decisão do Comintern (EH):

Todas as nossas Secções partilham o mesmo dia de fundação per annum

- nomeadamente, o dia 8 de Novembro

- ou seja, o dia de fundação do PTA do camarada Enver Hoxha.

Viva o Dia de Fundação de todas as Secções do Comintern (EH)!

 

 

8 de Novembro de 2011 – 8 de Novembro de 2013

2º Aniversário da Fundação das Secções

Georgiana

Alemã

Portuguesa

Sérvia

do Comintern (EH)

 

 

Mensagem do Comintern (EH)


por ocasião do 72º Dia da Fundação do PTA


8 de Novembro de 1941


Hoje, comemoramos o 72º aniversário da fundação do glorioso Partido do Trabalho da Albânia, liderado pelo camarada Enver. Este brilhante e feroz partido Marxista-Leninista -Estalinista guiou as massas trabalhadoras Albanesas entre os dias negros da ocupação Nazi-fascista para a libertação e a construção socialista. O PTA do camarada Enver foi a vanguarda proletária das massas trabalhadoras Albanesas, e sob a liderança do PTA elas conquistaram com sucesso o poder, estabeleceram a ditadura proletária, derrotaram exploradores e opressores internos e externos, colocaram a economia de acordo com as necessidades do povo, revolucionaram a sociedade no seu conjunto e em todos os aspectos, permitiram a emancipação das mulheres e a luta contra os costumes reaccionários, etc.


Além disso, o PTA também foi o único partido no poder que se manteve fiel aos ensinamentos dos Clássicos do Marxismo-Leninismo após a morte do camarada Estaline. Enquanto todos os outros falsos partidos “comunistas” abandonaram o socialismo genuíno para abraçarem o social-fascismo e restaurarem o capitalismo, o PTA com Enver Hoxha á cabeça nunca desistiu da luta contra todos os tipos de revisionismo e de oportunismo (desde o Titoismo ao Maoismo, sem esquecer o Khrushchevismo, o Trotskismo e o Eurocomunismo, entre muitos outros) pela pureza do Marxismo-Leninismo. E durante os anos em que o PTA foi liderado pelo camarada Enver, durante os anos do cerco capitalista-revisionista, ninguém, nem mesmo as ultra-poderosas superpotências imperialistas e social-imperialistas puderam tocar pequena Albânia - o único país autenticamente socialista no mundo.


Embora o PTA tenha sido tomado pelos revisionistas após a morte de Enver, o seu exemplo revolucionário permanece. Para nós, Estalinistas-Hoxhaistas, o PTA é um modelo a ser seguido sempre na nossa luta pela revolução socialista mundial, pela ditadura do proletariado mundial, pelo socialismo e o comunismo mundiais de acordo com os ensinamentos imortais dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha.



Viva o PTA!


Viva a Albânia socialista!


Viva o Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo!


Morte a todos os tipos de capitalismo, revisionismo, fascismo e imperialismo!


Viva o Comintern (EH)!

 


 



 

 

O 8 de Novembro é uma inspiração para o povo de toda a nação Albanesa!



Em condições severas de ocupação fascista e de um profundo atraso económico e social de regimes feudais, em 8 de Novembro de 1941, foi fundado o Partido Comunista da Albânia (PCA). Este evento entrou para a história da Albânia como uma marca e como um ponto de referência, inspiração para o povo e a nação Albanesa. O PCA (mais tarde PTA) tornou-se na liderança política colectiva e ele teve grande vitória por décadas. O papel deste partido e todas as vitórias alcançadas sob sua liderança, estão intimamente ligados com o nome de Enver Hoxha, que fundou, organizou e liderou todo o povo na batalha de vitória em vitória. Com a sua morte física, a liderança do partido desviou-se do Marxismo-Leninismo e da linha revolucionária de Enver Hoxha, de maneira oportunista por Ramiz Alia, que traiu o partido e as pessoas, preparou o terreno para a contra-revolução na Albânia, deu a vida para as forças reaccionárias do nosso país que com a ajuda das potências imperialistas (especialmente a Americana) liquidaram todas as vitórias conquistadas e agora o nosso país está passando pelas condições vividas quando o Partido Comunista foi fundado. Por esta razão, a fundação do PCA (mais tarde PTA) em 8 de Novembro de 1941 é actual.


Os principais partidos políticos da Albânia, assim como o Partido Democrata e o Partido Socialista, destruíram tudo o que construiu o povo Albanês sob a liderança do Partido Comunista (PTA) do governo popular, em todos os momentos eles são contra o PCA e Enver Hoxha, como se eles fossem culpandos, anti-nacional e anti-populares.
Uma vez que a deliberação da assembleia de representantes de grupos comunistas para o estabelecimento de PCA ''coloca como tarefa principal a luta pela independência nacional do povo Albanês e pelo governo democrático do povo e do povo Albanês em uma Albânia livre do fascismo ''. Mesmo na primeira chamada do Comité Central, Novembro de 1941, disse: ‘‘Você realmente quer Albânia para reunir todas as nossas forças para ser colocado ao serviço da nossa luta de libertação nacional. Assim, conforme demonstrado, o CPA colocar na vanguarda do seu programa para a libertação da pátria a guerra da independência nacional dos invasores fascistas. Por isso, tornaram-se os iniciadores da plataforma de processamento e organização da Conferência para a criação da luta pela libertação nacional. O PCA organizou e liderou o povo Albanês nesta guerra. Ele (PCA), organizou o Exército, que se tornou a principal força da revolta popular em geral para libertar o nosso país. Membros do PCA foram colocados na linha de frente dessa guerra como meros combatentes partidários, como comandante dos departamentos e unidades do Exército de Libertação Nacional, desde a base até o quartel-general do alto comando desse exército. Comunistas lutaram abnegadamente, o fluxo de sangue sacrificado a vida dos ocupantes contra o nazi-fascista Italiano - Alemão e seus associados até a libertação completa da Albânia em 29 de Novembro de 1944.


Mesmo após o lançamento do CPA (PTA) não é permitido á Jugoslava Titoista que tentou trazer suas divisões na Albânia para transformar este país em uma república; ela apoiou ataques monarquistas e fascistas gregos, que tentavam superar a fronteira Albanesa. Nossos agentes de partido e bandas derrotado o mergulhador anglo-americano, que queria transformar a Albânia em uma colónia deles. Nosso grupo de trabalho também disse não ao revisionista cujo apetite tinha sido aberto para devorar Albânia e mostrou sua frota marinha na Baía de Vlora. O PTA fez fronteira Albanesa intocável. Ele se transformou em um exército partidário e moderno, elaborado com base na arte militar Albanesa; quadros preparados em todos os níveis de comando e estruturas Academia Militar escola Albanesa, o exército equipado com armas de todos os tipos do tempo, com armas leves e pesados ​​tanques, mísseis, navais e de ar e preparou um sistema de defesa fortificado, o que era raro no mundo. Acima de todas as pessoas armadas e criaram todas as formas de preparação para uma tal organização que fez slogan dos ''soldados'' de todas as pessoas.


O que você diz de hoje pelos dois grandes partidos que tomaram o poder?


Eles fizeram o seu slogan anti- fascista, e supostamente nós não lutamos pela libertação da Albânia em nome dos bolcheviques russos, chegando até ao PTA e Enver Hoxha chamar anti-nacional, porque os criminosos de guerra um pouco mal tratados que culpam os agentes exilados, presos e executados invadir hoje o anglo-americano recrutado por turismo rural desperdício de colaboradores etc. Mas o que dizer , o adultério não pode ser protegida de forma diferente , mas a lógica da traição. Hoje, estes nos deixaram com apenas essas acusações difamatórias e rotulagem absurdo de bastardos. Sim degenerar agir por nosso exército e destruiu todo o sistema de defesa, como a Albânia ofereceu imperialistas norte-americanos base militar para ser usado contra os povos vizinhos e para colocá-los filhos deste povo como bucha de canhão para as guerras. Trabalho contra Albânia e o povo Albanês tornou-se e continua a se tornar trágica jogá-lo.
Com tudo o que, em outras circunstâncias, em essência, o povo da nação Albanesa encontra é um dever para ficar quando foi fundado Partido Comunista, com 8 Novembro de 1941. Portanto que deu o PCA, no momento, para a unificação de todos os Albaneses honestos, você realmente quer chorar mesmo para a Albânia é hoje, para proteger a independência do país, para repelir o perigo está presente em mais ameaçador. Esta é também uma condição necessária para criar as possibilidades para a resolução de outros assuntos de destaque nacional em vigor desde o passado, a culpa das potências imperialistas, com os quais podemos examinar em vez recuperar as velhas injustiças, estamos criando uma nova à custa da nossa nação.


Para dar mais um caso que tem a ver com o poder do Estado.
O partido fascista (PD) e a burguesa pacifista (MA) nos acusam e Enver Hoxha da Albânia supostamente definir culpando uma ditadura totalitária e culpanda liberdade negada da democracia para o nosso povo! Ainda a este respeito fatos históricos falam o contrário. O PCA, a questão da libertação da pátria dos invasores estrangeiros viu intimamente associada com a libertação social, a criação de um governo democrático popular. Nós resolução reunião constitutiva da PCA foi admitido tarefa de colocar na Albânia de um governo democrático popular, ''livre'' do fascismo, ou seja, ”uma” popular, livre e democrática . Mesmo essa tarefa permaneceu leal ao Partido Comunista, em sua plena aplicação, de acordo com a vontade do povo desejo que correspondem com os acordos publicados pela coalizão antifascista grande anglo-soviético-americano. As fundações do estado e argumentou que durante o LANC, a criação de conselhos de libertação nacional, que realizam funções da união das pessoas, o desenvolvimento da guerra e do governo do país. Eles vieram através do reforço decisões inteligentes com base dos corpos de alto representante do povo, tais como a Conferência de PEZA, em Setembro de 1942, foi eleito para o Conselho Geral da Frente Nacional de Libertação, Segunda Conferência de Libertação Labinot Nacional - Setembro de 1943, o Congresso Permetit Maio de 1944, a segunda reunião do Conselho de Libertação Nacional em Berat, em Outubro de 1944, onde estabeleceu o primeiro governo democrático liderado pelo camarada Enver Hoxha , o primeiro Congresso da Frente de Libertação Nacional (FNC) - em Agosto de 1945 , que decidiu Assembleia Constituinte , as eleições para a Assembleia Constituinte - 2 de Dezembro de 1945, o anúncio do PRA - 11 de Janeiro de 1946 e a adopção da primeira Constituição PRA - 14 de Março de 1946. Desta forma, o povo Albanês, sob a liderança do Partido Comunista, o governo elevou seus sacrifícios sem precedentes na guerra, onde as bases de seu sangue foi derramado 28 mil mártires e no final foi selado por seu povo de votar livremente. E o PCA foi organizador inspirador, os órgãos estaduais não eram os partidos comunistas, mas organismos estatais locais populares. Base social deste governo foram aliança de classe e os camponeses a trabalhar, foram as massas de nosso povo funcionários. Esta base social e as suas funções como o poder continua popular, mesmo após a libertação do país. Este poder mudança qualitativa tão profundamente popular, do poder anterior de burgueses feudais. Este último assinou a funcionários públicos populares simplesmente como todos os outros, mas ele recusou-se o direito de remover ou os meios de seu lado económico e político que tinha fornecido riqueza e privilégios, explorando as pessoas.


Libertação nacional e social, ele libertou um poder extraordinário para grande parte do nosso povo reprimidas pela política anterior. Esta energia agora está sendo organizada e canalizou o poder popular para a reconstrução do país devastado pela guerra e para a normalização da vida nova. Com um entusiasmo indescritível e solidariedade totalmente mobilizou as pessoas, especialmente os jovens, que estava favorecendo sua idade e da dinâmica natural da juventude revolucionária. Antes de sua actual edifício foi inaugurado em perspectiva para o futuro. A dinâmica desta juventude ardente e o entusiasmo se encarnou para a construção de casas queimadas e destruídas, para a construção de pontes e consertar estradas, para a recuperação da economia e o crescimento das oficinas da produção industrial, agricultura, criação de tempo, etc., para fornecimento de alimentos, roupas e outras condições necessárias para a vida. Simultaneamente, lançou uma guerra frontal contra a escuridão escolas medieval e ressuscitou para a alfabetização de ser educados os jovens adultos, até áreas remotas do nosso país. Além dessas grandes reformas foram implementadas de carácter democrático, anti-imperialista e anti-feudal reforma agrária, a nacionalização das grandes propriedades de capitalistas nacionais e estrangeiros, que foi colocado em serviço pelos invasores fascistas foram criados marca de criminosos de guerra; organizou o novo estado, etc. Trabalhar para uma nova vida pacífica, o nosso povo não sempre levantada a partir de seus ombros. Ele havia aprendido sobre a história pela primeira vez guardava e defendiam suas vitórias do lado de fora, a partir das actividades terroristas de grupos mergulhador sabotagem, criminal e espionagem.


Nos primeiros 3-4 mesmo após a liberação, o PCA e o governo popular, fortemente apoiados pelo povo, reconstruíram destruiu quase tudo. Enquanto os “democráticos”, apoiado por vândalos - arruaceiros, a escória da sociedade, dentro de 3-4 anos após o colapso do socialismo na Albânia, tornou-se o grande colapso múltiplos dos invasores fascistas suas ferramentas para 5-6 anos. E esses criminosos se atrevem a falar com maior descaramento dos comunistas locais populares? Esta “democracia” é que você usou para criar o tumulto que enriqueceu -se fazer com uma velocidade relâmpago a sua elite política à custa do estado real das pessoas que criaram tão difícil os sacrifícios, o suor e o sangue assim.


Exactamente após a recuperação dos efeitos da guerra, começou uma nova era, a de um maior desenvolvimento país socialista, onde a estrada, cuja principal força era o povo, sob a liderança do estado do PTA. Esta foi uma grande revolução na consciência das pessoas e suas relações económicas, o núcleo do que foi a socialização dos meios de produção, a criação de propriedade comum e estado colectivo. A burguesia, pelo aumento da produção tornam-se trabalho associado, mas foi interveio por meio de produção permanecer privado porque forneceu através desses lucros excedentes do trabalho dos trabalhadores não remunerados. Para remover este obstáculo deve ser acompanhada dos meios de produção, como Marx havia argumentado teoricamente, Engels, Lenine e aplicada na prática na União Soviética de Estaline. Com base nessa teoria e prática de Enver Hoxha e do PTA aplicada com sucesso na Albânia, utilizando o método de persuasão e de experimentação na prática, por períodos relativamente longos estão incluídos. Juntar-se à unidade do povo, criada com base em ideais nacionais de liberdade e reconstrução social do país, agora ainda mais reforçada com a criação da base económica socialista, trabalhando em conjunto com a propriedade comum. Este aumento de mais trabalho e produção, e aumento do bem-estar, não uma classe ou estrato perto, mas para todas as massas de pessoas.


Grandes obras, como a electrificação de todo o país, a partir do primeiro estabelecimento de uma poderosa indústria extractiva de processamento da propriedade sob a terra, o desenvolvimento da agricultura moderna, que forneceu as pessoas no país pão e de outros produtos agrícolas e pecuárias, a remoção de todos os impostos e prestar serviços médicos gratuitos para as aldeias remotas, a criação de um sistema de educação de massa, desde a escola primária até a universidade e, juntamente com a academia para estabelecer uma ampla rede de instituições culturais e artísticas cidade da vila, construção de linhas de comunicação e ferramentas de telecomunicações, que se estendem dentro e fora do país para o nível dos países desenvolvidos, etc., são a prova viva do poder e da vitalidade da ordem socialista popular e justiça, de acordo com o princípio de Enver Hoxha.
Aqui a difamação está desacreditando os socialistas pacifistas, mas favorecendo o capitalismo internacional, contra a ordem socialista, o poder popular e PTA.
Suas acusações de sujeira salto de cobrir a catástrofe que trouxe o povo Albanês e para prolongar a vida de seu cativeiro dominação política. É nestas circunstâncias as pessoas e os comunistas Albaneses levantou tarefa urgente não só para expor os actos cruéis que foram realizadas à custa do povo, e propaganda enganosa que visa manter a continuidade mascarado, mas também ser liberado a partir desta ordem são toma a alma. É por isso que o nosso povo, lembra com reverência e orgulho 8 de Novembro de 1941 que trouxe a vitória de 29 de Novembro de 1944, razão pela qual ele se refere a suas lições para ser inspirado, que surgem a partir dessa situação a sério e poder popular restaurada novamente. Para cumprir esta tarefa, são realmente interessado em diferentes classes e camadas da sociedade; operários e camponeses, camadas democráticas burguesas e pequeno-burguesas derivadas deles como intelectuais, jovens, mulheres e das forças políticas que os representam. Precisamente esses interesses comuns destas forças alinhadas contra o regime de Berisha, que expirou em 23 de Junho de 2013, que procurou instalarem legalmente a legitimidade da ditadura neo-fascista que existia.


É natural que os comunistas apoiem e lutem no contexto deste grupo anti-fascista. Será que uma atitude sectária se estes não conseguiram furar a linha de frente dessa faixa, que não tem sequer um único programa corpo, une um objectivo imediato comum. Igualmente errado seria que as outras forças políticas para lidar com esta situação na luta contra o comunismo e os comunistas. Nós principalmente porque o anticomunismo é a arma específica do fascismo e o povo Albanês tornou-se uma guerra de meio século, juntamente com os comunistas e ele provou-os como combatentes dos colonos da pátria e do povo fiel. Consequentemente, lutando contra eles objectivamente enfraquece a luta pelo poder popular, para a democracia popular, em cujo nome de todas as forças políticas lutando contra a ditadura neo-fascista, o que constitui risco. Alguns esquerdistas jogam o papel de quinta coluna dentro da frente anti-fascista, grave insulto não só aos comunistas, mas o insulto e provoca as pessoas sérias quando se trata contra os métodos comunistas. Não há tempo para lidar com eles, mas deve saber que ele não vai demorar muito.
Quem é a verdadeira pátria do povo não pode justificar a atitude anti-qualquer coisa, porque os comunistas são os expoentes dos fiéis comprometidos com seus interesses. Isso já foi provado pela história. Propaganda anticomunista de qualquer tipo não pode obscurecer essa verdade. Claro que há a palavra para renegados e traidores comunistas, que são traidores e renegados do povo. Aqui a palavra é para os comunistas reais, que expressam e defendem com suas vidas os melhores interesses do povo e da pátria. Com esses comunistas Hoxha criou o PCA e aqueles que ele conduziu na construção da libertação do socialismo. Ele lutou durante toda a sua vida com o compromisso extraordinário para proteger os comunistas das influências burguesas pequeno-burgueses de diferentes correntes ideológicas dos antigos exploradores. Além do que gostaríamos de admitir pessoas para as fileiras do partido progressista, a moral puro espiritualmente, ele insistiu na formação de sua ideologia Marxista-Leninista e educá-los com as tradições das melhores virtudes do nosso povo, sendo intimamente ligada as massas do povo e participar activamente junto com eles na vanguarda de sua actividade prática revolucionária, para estar sempre em primeiro lugar no último sacrifício em reivindicações, de dar a vida.


Tais qualidades têm sido as condições primárias do Partido Comunista que jogou papel que ela desempenhou como líder de vanguarda do nosso povo. Como a influência comunista no fortalecimento do papel do seu partido, o partido também afecta os comunistas quando se apropria da aplicação dos princípios e normas do seu centralismo democrático Marxista-Leninista, a abordagem colegial à liderança, sua democracia interna, disciplina, crítica e auto-crítica, promover a unidade, a luta tendência individualista, carreiristas, qualquer desvio revisionista, oportunista e sectário, para evitar qualquer violação que prejudique o bom funcionamento do partido em todos os seus órgãos no centro e na base. Esta posição de princípio fez PCA (PTA) ganhar a confiança das pessoas e ser apoiado por elas até ao fim. Quando a liderança sénior do partido com Alia deixou a cargo dos princípios e normas do partido foram introduzidas de forma oportunista, o partido perdeu sua vitalidade e papel, o que causou uma tragédia.
Essas são as lições da história dos comunistas Albaneses durante estes anos. Situações e pessoas ainda requerem o PCA e, certamente, ele novamente terá a voz e o lugar que merece na vida da Albânia, pois as suas raízes são da classe trabalhadora. Estas raízes, nenhuma força pode arrancá-las ao desenvolvimento da história não só no nosso país mas também no mundo inteiro, porque estas fazem parte da sociedade humana em que vivemos.



 O 8 de Novembro é uma fonte de inspiração!


Glória a Enver Hoxha - símbolo do comunismo no mundo!


 

em língua Inglesa


"CASA E MUSEU DO PARTIDO"




Editora "8 NËNTORI”, TIRANA, 1981; Inglês) - fotos da casa histórica, onde nos dias sombrios da ocupação fascista Italiana em Novembro de 1941 foi fundado o Partido Comunista da Albânia (no futuro, desde 1948 - Partido do Trabalho da Albânia).


"... A casa, que foi fundada pelo Partido Comunista da Albânia, já é um notável monumento do país, que conhece o novo e velho na Albânia, bem como milhares de amigos, colegas e convidados estrangeiros" - escreveu sobre este lugar em suas memórias: "Quando o partido nasceu" o camarada Enver Hoxha ("Obras Escolhidas", Volume VI, da editora "NENTORI 8", Tirana, 1988; tradução dos versos do Albanês – Sardushkin, 2012).



Agradecemos aos nossos camaradas Russos do site www.enverhoxha.ru.


 

NOVO !!

 

em língua Inglesa

História do Partido do Trabalho da Albânia

Publicado por ocasião do 72º aniversário do PTA – fundado em 8 de Novembro de 1941

(graças a enverhoxha.ru)

Conclusões da História do PTA

(Excerto de "História do PTA") - em língua Inglesa





em língua Inglesa

O PTA FORMOU-SE EM CIRCUNSTÂNCIAS DIFERENTES DOS OUTROS PARTIDOS COMUNISTAS

Quinta, 26 de Janeiro de 1978

 



em língua Inglesa

Resolução do Encontro dos Principais Grupos Comunistas da Albânia acerca da Criação do Partido

(Novembro de 1941)



em língua Inglesa

Enver Hoxha:

"Quando o partido nasceu..."

Tirana 1983

 

 

Acerca da

Grande Revolução Socialista de Outubro

 

7 de Novembro de 1917 –

7 de Novembro de 2013

Arquivo de Imagens

Mensagem do Comintern (EH)
por ocasião do 96º aniversário

da Grande Revolução Socialista de Outubro



Hoje, temos o orgulho de comemorar o aniversário da Grande Revolução Socialista de Outubro. Há 96 anos, as classes trabalhadoras Russas derrubaram violentamente a tirania feudal-capitalista czarista. Depois de muitos séculos de repressão e opressão insuportáveis, elas conseguiram estabelecer a ditadura do proletariado e começar a construir uma forma superior de sociedade humana em que a exploração do homem pelo homem seria abolida para sempre. Em tudo isso, eles contaram com a sua liderança proletária – os bolcheviques Russos com os camaradas Lenine e Estaline á cabeça - para avançar sempre com base na ciência revolucionária do Marxismo-Leninismo.

E foi assim que as classes oprimidas e exploradas do império feudal Russo conseguiram transformar o seu país atrasado no centro da luta pelo socialismo mundial. A Grande Revolução Socialista de Outubro permitiu ao proletariado Russo estabelecer-se como classe dominante através da conquista do poder político, económico, social, ideológico, pela primeira vez na história. De acordo com os ensinamentos da ideologia comunista, os trabalhadores russos aniquilaram os elementos e classes opressivos e exploradores, revolucionaram a sociedade no seu conjunto, socializaram os meios de produção e colocaram a economia ao serviço das suas necessidades através do conhecimento das leis sociais e económicas objectivas.

Claro, tudo isso era um motivo de profunda preocupação e raiva para a classe burguesa mundial, cuja dominação opressora capitalista-imperialista estava sendo ameaçada pelo excelente exemplo que as classes exploradas e oprimidas Russas estavam dando a todas as outras ao redor do mundo. É por isso que os exploradores inventaram e fabricaram todos os tipos de mentiras e calúnias anti-socialistas contra a Grande Revolução Socialista de Outubro e contra a ditadura do proletariado soviético com o objectivo de manter o mundo capitalista-imperialista vivo ao evitar que as classes proletárias e trabalhadoras mundiais sigam o caminho que foi indicado. Também por isso, o curso da construção do socialismo na União Soviética sob os camaradas Lenine e Estaline esteve cheio de dificuldades. No entanto, a resistência comunista e o vigor revolucionário do Estado proletário Leninista-Estalinista nascido da Revolução de Outubro foi tal que a burguesia mundial nunca foi capaz de corromper a União Soviética bolchevique a partir de fora e só o conseguiu fazer graças ao revisionismo Khrushchevista e ás infiltrações reaccionárias internas.
Sabemos que nem mesmo as realizações e maquinações mais negras dos capitalistas e revisionistas jamais poderão destruir o legado da Revolução de Outubro. A Revolução de Outubro é invencível porque o seu exemplo e o caminho revolucionário que ela apontou sempre permanecerão para mostrar aos trabalhadores o caminho para a sua libertação total e definitiva do jugo do capital. No entanto, o seu objectivo final ainda não está cumprido. A Grande Revolução de Outubro deveria ter sido apenas o começo da revolução socialista mundial que se espalharia por todo o planeta. Agora, cabe-nos a nós, Estalinistas-Hoxhaistas, lutar ferozmente á cabeça do proletariado mundial a fim de garantirmos que este objectivo final da Revolução de Outubro será plenamente alcançado em breve.

Em tudo isto, nós contamos sempre com os ensinamentos imortais dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha.



Viva a Grande Revolução Socialista de Outubro!
Viva a revolução socialista mundial!

Viva o Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo!

Viva o Comintern (EH)!

 

 

 

Novo

em língua Chinesa

 

J. V. Estaline

Obras Completas

 

 

斯大林全集第

 

Graças aos nossos camaradas Chineses

 

Novo

 

em língua Chinesa

 

Marx e Engels

Obras Completas


马克思恩格斯全集

 

Graças aos nossos camaradas Chineses

 

 

 

 

105º Aniversário do Camarada Enver Hoxha

(16 de Outubro de 2013)

Site especial  de aniversário

 

 

Mensagem do Comintern (EH)

por ocasião do 105º aniversário do camarada Enver Hoxha

 

Hoje, nós alegremente celebramos o 105º aniversário do camarada Enver Hoxha. Mais de cem anos se passaram desde que o glorioso 5º clássico do Marxismo-Leninismo nasceu. Durante esses 105 anos, o movimento comunista teve que enfrentar muitos problemas e obstáculos graves, mas também realizou muitas vitórias gloriosas contra todos os tipos de inimigos cujo objetivo é impedir que as classes proletárias do mundo a coloquem um fim definitivo à exploração e opressão. Os nomes dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo estão profundamente ligados com todas e cada uma dessas vitórias, pois seus ensinamentos imortais devem sempre levar as classes trabalhadoras em sua busca pela realização de uma sociedade sem classes, sem Estado e sem propriedade Como o quinto clássico do marxismo-leninismo, o camarada Enver liderou as classes trabalhadoras para muitos desses triunfos socialistas e ele é um dos maiores anti-revisionistas de todos os tempos, que passou sua vida travando uma luta destemida contra todos os tipos de revisionismos, desde o Titoismo e o revisionismo moderno até ao neo- revisionismo Maoista/Chinês e ás suas teorias reacionárias do "terceiro mundo", etc.

O camarada Enver foi o líder do Exército Popular Nacional Albanês que libertou o país da ocupação imperialista nazi-fascista e permitiu a construção de uma nova Albânia socialista. Os comunistas Albaneses tiveram de triunfar sobre as forças ocupantes todo-poderosas em condições extremamente difíceis, mas isso nunca os desanimou. Na liderança das classes exploradas e oprimidas, eles conseguiram seus objetivos finais sem nunca recorrer a posições oportunistas graças à estratégia e táticas revolucionárias do seu líder Enver Hoxha, o arquitecto da vitória.

Mais tarde, após a morte do camarada Estaline e o abraçar do revisionismo pelo PCUS, foi o PTA com o camarada Enver na cabeça que travou uma guerra implacável contra o revisionismo soviético e Krushchevista, com a Albânia socialista tornando-se no principal centro revolucionário do mundo. Mesmo antes disso, os Marxistas-Leninistas Albaneses guiados pelo camarada Enver já tinham corajosamente desmascarado o revisionismo titoísta e impediu-o de transformar a Albânia num satélite neo-colonial Jugoslavo. E depois dos titistas, também os soviéticos, chineses e outros revisionistas e social-imperialistas acreditavam que seria uma coisa fácil colocar a pequena Albânia socialista sob o seu domínio opressivo, mas eles estavam profundamente enganados. Longe de se render às suas pressões social-fascistas, as classes trabalhadoras albanesas lideradas por seu partido comunista proletário com o camarada Enver na cabeça heroicamente denunciaram e derrotaram todos eles, permitindo assim que a Albânia permanecesse genuinamente socialista, independente e livre de doenças burguesas, social-fascistas, capitalistas, revisionistas e neo-revisionistas, no que era um verdadeiro embaraço para os imperialistas e social -imperialistas mundiais que queriam convencer os trabalhadores do mundo que não havia outra alternativa além de serem explorados e saqueados até ao osso pela classe burguesa .

E, infelizmente para os capitalistas do mundo, além de ser um estado de ditadura do proletariado liderada por um autêntico partido Marxista-Leninista-Estalinista, a Albânia socialista contou com um dos mais brilhantes líderes comunistas que já existiram como chefe de Estado: o camarada Enver Hoxha. Isso também explica por que, desde meados dos anos 50, enquanto os outros falsos países "socialistas" recusaram o marxismo-leninismo, liquidaram a ditadura do proletariado, restauraram a exploração capitalista e a tirania classe burguesa, eliminaram a socialização da economia e dos meios de produção e estabeleceram a repressão social-fascista, a Albânia de Enver sempre se manteve fiel aos ensinamentos dos clássicos durante a construção socialista, como uma luz da dignidade comunista no meio do mar escuro da degeneração revisionista e social-fascista. A pequena Albânia socialista nunca poderia ter sido capaz de derrotar com sucesso todos os tipos de inimigos internos e externos e de resistir ao poderoso cerco capitalista -revisionista se não fosse uma verdadeira ditadura do proletariado liderada por um partido verdadeiramente comunista de tipo Leninista-Estalinista. Na realização de tudo isso, o camarada Enver desempenhou um papel muito importante. Afinal, não podemos nunca esquecer que, enquanto o camarada Enver estava vivo, nenhum inimigo pode tocar a Albânia socialista, nenhum inimigo pode retirá-la do seu caminho Marxista-Leninista-Estalinista. Os capitalistas-imperialistas e seus agentes revisionistas dentro e fora da Albânia tiveram que esperar até á morte do camarada Enver a fim de serem capazes de penetrar e destruir a última ditadura do proletariado e o último estado socialista do mundo.

Não só foi o camarada Enver um excelente soldado, organizador e estrategista proletário, mas ele também foi um teórico Marxista-Leninista genial que escreveu um número incontável de livros, documentos, artigos, textos, etc dedicados à luta anti-revisionista e à consolidação e desenvolvimento da ciência invencível do Marxismo-Leninismo nas condições do cerco pelo mundo capitalista-revisionista. E as lições e ensinamentos apresentados por Enver não são aplicáveis ​​apenas na Albânia, mas eles formam um todo universal que constitui uma arma tão valiosa que podemos dizer que, hoje em dia, sem os ensinamentos do camarada Enver e sem o seu reconhecimento como o quinto clássico de Marxismo-Leninismo, a vitória da revolução socialista é impossível. Os revisionistas sempre tentaram o seu melhor para denegrir os ensinamentos do camarada Enver e para fazê-lo aparecer na frente dos olhos dos trabalhadores como "sectário" e "dogmático". Esta táctica tem sido muito utilizada por oportunistas de todas as cores a fim de demonizar os verdadeiros comunistas, mas o camarada Enver sempre insistiu em dizer a verdade aos trabalhadores mundiais, sempre insistiu em descrever as coisas exatamente como elas eram, sem subterfúgios. Nas suas obras, o camarada Enver assumiu o seu dever como comunista de chamar as coisas pelos seus nomes. Claro, as posições de princípio de Enver e as suas maneiras sinceras causavam muita irritação entre não só entre os capitalistas, mas também entre os hipócritas reformistas. Por exemplo, quando o camarada Enver pronunciou o seu discurso histórico na Assembleia de 81 partidos comunistas e operários em Moscovo em 16 de Novembro de 1960, os revisionistas expressaram abertamente o seu "choque" com o desmascaramento corajoso de Enver do curso anti-socialista que a liderança soviética e os seus satélites neo-coloniais estavam adoptando. Eles ficaram (e ainda estão ... ), também muito insatisfeitos com o facto de que o camarada Enver abertamente e orgulhosamente defendeu o legado revolucionário imortal do camarada Estaline face ás calúnias revisionistas. E como se isso não fosse suficiente, o camarada Enver também não hesitou em destruir as mentiras oportunistas sobre "a via pacífica para o socialismo", reafirmando que ou a revolução socialista é feita através de meios violentos armados ou não vai ser feita de todo. Entre outros, o líder revisionista francês Maurice Thorez e seus colegas arrogantemente afirmaram que "não estamos acostumados ao tipo de linguagem utilizada no discurso". Claro que não, como poderiam os oportunistas Franceses estarem acostumados á linguagem verdadeira do Marxismo-Leninismo? Eles não estavam acostumados a ela nesse momento, eles não estão acostumados a ela hoje em dia e eles não vão estar acostumados a ela nunca. E Walter Ulbricht, esse porco social-fascista, afirmou ter ficado "consternado" pelo discurso. Mas o camarada Enver nunca se deixou incomodar por tais "consternações". Naquela época como sempre, ele e os outros Marxistas-Leninistas Albaneses fizeram prova de uma coragem Leninista imbatível e derrotaram todas as tentativas dos revisionistas para fazê-los abandonar as suas posições Marxistas-Leninistas através de "cessar as polémicas".

E o mesmo aconteceria alguns anos depois, quando Enver e os Marxistas-Leninistas Albaneses finalmente conseguiram desmascarar totalmente a natureza anti-comunista do maoísmo, expondo as trapaças utilizadas pelos revisionistas chineses para enganar os trabalhadores mundiais apresentando -se como "verdadeiros comunistas". Nos seus escritos e acções, o camarada Enver mostrou como o seu falso "combate anti-revisionista" era um mero pretexto. Eles eram os representantes da burguesia chinesa que estava preparando a ascensão da China como uma nova superpotência imperialista. Assim como havia ocorrido com os soviéticos, desde o momento em que o camarada Enver percebeu a verdadeira natureza reacionária do revisionismo chinês, este foi rejeitado completamente e com firmeza. A denúncia e o combate contra o revisionismo Maoísta / Chinês é um dos grandes méritos do camarada Enver, que nunca hesitou em defender firmemente os princípios comunistas mesmo contra os inimigos anti- socialistas mais poderosos.

Durante e após a vida do camarada Enver, os ideólogos anti-comunistas de todos os tipos fizeram o máximo para desacreditar a Albânia socialista, para a apresentar como uma indizível "tirania comunista". Por exemplo, os revisionistas Jugoslavos afirmaram várias vezes que a Albânia do camarada Enver era um "inferno Estalinista". Mas eles nunca foram capazes de enganar os trabalhadores do mundo, porque a realidade é o que é, independentemente dos desejos dos anti-comunistas. Enquanto no "paraíso titoista" os trabalhadores continuaram a ser brutalmente reprimidos e explorados pela nova burguesia social-fascista privilegiada que vendeu o país ao imperialismo, sofrendo, assim, todos os tipos de males, as desigualdades, dificuldades, pobreza, desemprego, etc, que são inerentes ao capitalismo, no "inferno” estalinista Albanês, os trabalhadores gozavam de uma melhoria extraordinária e imparável nas suas condições de vida, enquanto eles estavam construindo uma sociedade verdadeiramente socialista que foi muito próspera em todos os aspectos, enquanto era livre das garras gananciosas do imperialismo e do social-imperialismo mundiais, sem exploração nem opressão e em que a ditadura democrática do proletariado era real e estava sendo cada vez mais aperfeiçoada graças à liderança Marxista-Leninista-Estalinista do PTA e do seu líder Enver Hoxha. E o mesmo pode ser aplicado ás comparações entre a Albânia socialista de Enver e qualquer outro estado capitalista ou revisionista.

Não importa o quanto os anti-comunistas insistem em suas mentiras, a verdade é que o nome do camarada Enver sempre será sinónimo de pureza de princípios Marxista-Leninista-Estalinista, de ousadia e ferocidade comunista. Os capitalistas, imperialistas e revisionistas sempre tentaram destruir os ensinamentos revolucionários proletários e o legado de Enver Hoxha. Mas, assim como eles falharam no passado, eles também certamente falharão no futuro. Nós, Estalinistas-Hoxhaistas, somos contra o culto à personalidade. No entanto , também sabemos que existem certos indivíduos cujas contribuições excepcionais para a causa do comunismo devem ser avaliadas através de uma medida correcta e ás quais deve ser dado o devido valor. Tal é o caso de Enver Hoxha, o quinto Clássico do Marxismo-Leninismo.

Por todas estas razões, os ensinamentos imortais e infalíveis do camarada Enver são uma autêntica luz de orientação para todos aqueles que seguem o caminho para a revolução socialista mundial, para a ditadura do proletariado mundial, o socialismo e o comunismo mundiais baseados no Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo. Na verdade, defender o legado revolucionário e proletário do camarada Enver é também defender o legado revolucionário e proletário de todos os clássicos do Marxismo-Leninismo no seu conjunto.

 

Viva o camarada Enver Hoxha - o glorioso quinto clássico do Marxismo-Leninismo!

Vivam os 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!

Viva a revolução proletária e socialista mundial!

Viva a ditadura do proletariado mundial!

Viva o socialismo e o comunismo mundiais!

Viva o Comintern (EH) - o único defensor autêntico do legado revolucionário e proletário do camarada Enver!

 

 

 

 

Mensagem da Secção Portuguesa do Comintern (EH)


por ocasião do 105º aniversário do camarada Enver Hoxha




Neste 105º aniversário do camarada Enver Hoxha, a Secção Portuguesa do Comintern (EH) de bom grado presta homenagem ao quinto Clássico do Marxismo-Leninismo. Para nós, Estalinistas-Hoxhaistas Portugueses, os ensinamentos de Enver sempre serão absolutamente essenciais para preparar os trabalhadores portugueses para se tornarem num valente destacamento do futuro exército vermelho proletário mundial e realizarem com sucesso a ditadura do proletariado e a revolução socialista em Portugal e em todo o mundo.


Na verdade, hoje em dia mais do que nunca, o legado do camarada Enver aparece-nos como uma prova de que a opressão imperialista e a exploração capitalista-revisionista não são inevitáveis. Pelo contrário, elas podem ser totalmente e definitivamente erradicadas através da construção do socialismo e do comunismo. Hoje, Portugal é uma neo-colónia do capital financeiro mundial e das corporações. Os trabalhadores portugueses estão a sofrer privações indescritíveis nas mãos dos imperialistas de "União Europeia" e de todo o mundo. O país está agora à beira da falência, com o seu governo burguês reacionário intensificando a repressão de estilo fascista contra todos aqueles que se atrevem a reclamar contra os salários miseráveis, condições de trabalho terríveis, os preços proibitivos dos alimentos e a pobreza generalizada que pode ser notada em todo o país. Isto para não falar de uma taxa extremamente elevada de desemprego que ameaça cada trabalhador e é usada pelos capitalistas como um pretexto para justificar a exploração incansável exercida sobre os trabalhadores. Graças às políticas pró-capitalistas da contra-revolucionária "UE", Portugal é hoje um país praticamente sem indústria pesada dos meios de produção e cuja agricultura também está paralisada. O capitalista e parasitário "setor de serviços" é largamente predominante, com o país sendo reduzido a uma quantidade de centros comerciais, hotéis, restaurantes e bares de praia. Isso só serve os interesses dos imperialistas-capitalistas europeus e mundiais, que exigem a destruição do setor produtivo Português com o objetivo de serem mais capazes de colonizar o país. Em tais circunstâncias, a Albânia socialista de Enver deve aparecer ao proletariado Português como exemplo de um país verdadeiramente independente e socialista, onde a exploração do homem pelo homem foi abolida e que foi capaz de alcançar o desenvolvimento excepcional e prosperidade exclusivamente pelas suas próprias forças e sem qualquer tipo de "créditos" ou "ajudas" escravizantes do imperialismo mundial.


Infelizmente, o nome e a obra do camarada Enver são ainda desconhecidos para um grande número de membros da classe operária portuguesa. Pelo contrário, a influência exercida por revisionistas e neo-revisionistas de todos os matizes é significativa. Além dos grupos trotskistas e maoistas, há o Partido "comunista"Português, um herdeiro do revisionismo Krushchevista que ainda mantém uma enorme influência sobre os proletários portugueses. A natureza anti-comunista e revisionista do P "C" P foi denunciada pelo camarada Enver nos seus livros. De facto, o camarada Enver - como o grande internacionalista proletário que era - sempre demonstrou solidariedade e simpatia pelas classes exploradas e oprimidas Portuguesas. Na década de 70 e até meados dos anos 80, durante os tempos do PCP (Reconstruído), antes deste partido ter sido liquidado pelos traidores, o camarada Enver e os outros Marxistas-Leninistas Albaneses tinham muitos contactos com os Marxistas-Leninistas Portugueses e incentivavam o proletariado do país a cumprir o seu papel histórico e libertar-se de todas as influências burguesas, revisionistas e neo-revisionistas. Mais tarde, o PCP (R) foi aniquilado e o mesmo aconteceu com a Albânia socialista. Assim, a tarefa de construir um Portugal socialista num mundo socialista ficou por cumprir. Mas agora, as classes trabalhadoras portuguesas têm a sua vanguarda proletária de volta graças à Secção Portuguesa do Comintern (EH), que se baseia nos ensinamentos dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo e que usarão os ensinamentos invencíveis de Enver para mostrar ao proletariado Português o caminho para a completa libertação da exploração e da opressão através da realização de uma sociedade comunista sob a liderança do Comintern (EH).



Classes exploradas e oprimidas Portuguesas!


O camarada Enver mostra-vos o caminho para a vossa libertação!


Os ensinamentos imortais do camarada Enver são o antídoto para a dominação e exploração capitalista-imperialista-revisionista!


Apoiem a Secção Portuguesa do Comintern (EH)!


Viva o internacionalismo proletário!


Viva Enver Hoxha – o glorioso 5º Clássico do Marxismo-Leninismo!

 

 

 

 

Mensagem da Secção Portuguesa do Comintern (EH)


por ocasião das eleições autárquicas


Em 29 de Setembro de 2013, as eleições autárquicas foram realizadas em Portugal. As eleições ocorreram no contexto da neo-colonização do país pelos bancos multinacionais e pelos capitalistas financeiros que são os verdadeiros donos e controladores do FMI, da chamada "União Europeia" e que estão à procura de lucros máximos através de asfixiar o país com dívidas intermináveis ​​e taxas de juros proibitivas com a cumplicidade activa da burguesia portuguesa. Devido a uma situação económica e social explosiva, estas eleições transformaram-se numa tremenda derrota para as forças mais obviamente pró-capitalistas. Na verdade, os partidos do actual governo perderam um grande número de distritos e já assumiram que esta é "uma derrota significativa." O conservador Partido Democrata Cristão (CDS- PP), o reaccionário Partido Social-Democrata (PSD) e a classe burguesa exploradora a quem eles servem fizeram de tudo para convencer os trabalhadores a apoiá-los. No entanto, as suas posições abertamente neo-liberais e pró-capitalistas fracassaram totalmente na conquista das classes trabalhadoras, pobres, desempregados e indigentes para o seu lado.


O reformista oportunista Partido "Socialista" (PS) afirma ser "o vencedor da eleição", porque ele de facto ganhou muitos distritos e prefeituras. Mas os proletários e trabalhadores portugueses não devem ser enganados por este partido burguês anti- comunista que é "socialista" só no nome (ele é mesmo um membro da tristemente conhecida "Internacional Socialista" , uma das organizações mais reaccionárias, anti- socialistas e pró-capitalistas que existem). Os seus objectivos e políticas são exactamente iguais aos dos democratas-cristãos, do PSD e de todos os outros partidos burgueses e revisionistas - eles querem perpetuar a exploração capitalista e manter o país sob a dominação e opressão imperialista e neo-colonial.


Por seu lado, os Maoistas portugueses também afirmam que estas eleições "representaram um grande sucesso", pois conseguiram aumentar o seu número de votos á custa do trotskista "bloco de esquerda", que foi reduzido quase ao esquecimento. Isso ocorreu porque os Maoistas Portugueses têm tentado enganar os trabalhadores, descrevendo-se como "verdadeiros comunistas" que supostamente "vão resolver todos os problemas e libertar Portugal do imperialismo alemão". Embora a sua representação nos resultados finais das eleições ainda não seja muito relevante, uma das tarefas da Secção Portuguesa do Comintern (EH) é, sem dúvida, desmascarar o carácter neo-revisionista e anti-comunista dos Maoistas para que nem mais um único trabalhador possa ser novamente enganado pelas suas ideias social-fascistas venenosas.


Mas, infelizmente, os Maoistas Portugueses não são os únicos a difundirem ideias social-fascistas. Agora é o momento de mencionar o partido que é considerado por muitos "analistas" burgueses como tendo sido "o verdadeiro vencedor das eleições": o Partido "Comunista" Português. De facto, o P " C " P conquistou um grande número de autarquias e também reconquistou aquelas que tinha perdido em eleições anteriores. A sua fraseologia "marxista" tem sido capaz de enganar um número imenso de trabalhadores que pensam que apoiando os revisionistas portugueses estão lutando por uma vida melhor. Isto é particularmente verdadeiro no sul de Portugal, que sempre foi a região mais pobre do país. Durante os anos da forma fascista de ditadura burguesa, o sul de Portugal estava literalmente possuído por não mais do que um punhado de grandes proprietários de terras que tratavam os trabalhadores como animais e que estavam sempre prontos para chamar a polícia fascistas para defender a sua "propriedade sagrada" contra as reivindicações dos trabalhadores. E depois do fim do fascismo e da sua substituição pela forma "democrática" da ditadura burguesa, a região continuou a ser devastada pela miséria, pobreza, desemprego, etc. Em tais condições, os revisionistas portugueses do P "C" P aproveitaram a falta de um autêntico partido comunista em Portugal e enganaram os trabalhadores Sul convencendo-os a estar ao seu lado. Desde as eleições, dos quatro distritos do sul, três já estão sob a maioria absoluta dos social-fascistas portugueses que continuam a mentir aos trabalhadores, afirmando serem "comunistas" e qualificando os estados revisionistas do passado e do presente (Cuba, Coreia do Norte, etc.) como sendo "paraísos dos trabalhadores". Toda esta situação é preocupante, especialmente se levarmos em conta que os revisionistas portugueses já são o terceiro mais poderoso partido burguês no país, tendo ultrapassado os democratas-cristãos. Agora, a estimativa mostra que nas próximas eleições legislativas que irão ocorrer dentro de dois anos, o P "C" P pode ter mais de 25% dos votos, e estes números estão sempre aumentando. Entretanto, para muitos trabalhadores pobres desempregados, a perspectiva de se tornarem "funcionários permanentes" do social-fascista P "C" P parece cada vez mais agradável tendo em conta a situação de falência desesperada do país. E o facto de que os revisionistas portugueses oferecem aos seus "funcionários" bons salários e casas livres com todos os principais custos pagos só os encoraja. Neste contexto, muitos desses trabalhadores param de lutar pelo socialismo e comunismo autênticos para se tornarem membros da aristocracia operária e fiéis servidores da burguesia. E assim, mais e mais trabalhadores são enganados pelos social-fascistas portugueses e estão caindo sob a sua influência degenerada.


Mas esta terrível situação não vai durar para sempre. Apesar da influência revisionista e neo-revisionista, as classes oprimidas e exploradas de Portugal mostram uma vontade sincera de mudança. Nós, Estalinistas-Hoxhaistas, sabemos que as eleições burguesas nunca poderão emancipar as classes oprimidas e exploradas. Isto apenas pode ser concretizado através da aplicação dos ensinamentos imortais e invencíveis dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo:
Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha. É hora de proletariado Português ter o seu partido comunista de vanguarda de volta. É hora de estabelecer um verdadeiro partido Estalinista-Hoxhaista no país que possa levar os trabalhadores portugueses para o estabelecimento da ditadura do proletariado. É hora de as classes exploradas e oprimidas portuguesas se verem livres de todos os tipos de revisionismo, social-fascismo e anti-comunismo. É hora de os trabalhadores portugueses construírem o verdadeiro socialismo e comunismo sob a liderança de aço do Comintern (EH).

Trabalhadores portugueses - uni-vos!


Não se deixem enganar pelas manobras enganosas dos partidos burgueses e revisionistas!

Abaixo com os Maoístas do P "C" TP!


Abaixo com os social-fascistas do P "C" P!


Apoiem a Secção Portuguesa do Comintern (EH), a única organização verdadeiramente proletária e comunista do país!


Viva o Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo!


Viva a revolução socialista mundial!


Viva a ditadura do proletariado em Portugal e em todo o mundo!


Viva Portugal socialista num mundo socialista!


Viva o Comintern (EH), a única organização verdadeiramente proletária e comunista do mundo!



 

Acção da Secção Alemã do Comintern (EH)


O COMINTERN (EH)

ESTEVE ACTIVO NA CAMPANHA DAS


ELEIÇÕES ESTADUAIS BÁVARAS



Na semana passada, no domingo, dia 15/9/2013, as eleições estaduais da Baviera realizaram-se.


Como se viu, nós tínhamos feito, por parte da Secção Alemã da Internacional Comunista (Estalinista-Hoxhaista) o apelo ao boicote activo, mas isso, infelizmente, não impediu a realização das eleições na maior das confusões.


Vamos fazer uma auto-crítica. Das palavras aos actos: quando fomos às urnas notou-se que algumas pessoas estavam lá. No entanto, a maioria das pessoas que vivem aqui não são eleitores.


Além disso, houve também grandes problemas para escolher.


Mantiveram-se os candidatos dos partidos:


CSU, SPD, FDP, Verdes, os eleitores independentes, NPD, representantes, piratas, PDS – falsa esquerda, ODP, o partido da Baviera.


Então, qual delas provavelmente a pior escolha e sem nenhuma alternativa real. Eles estão unidos pelos partidos nazi-fascistas como o NPD, que, quando chega a ser empurrado para cima numa situação profundamente revolucionária ficará sempre ao lado do grande capital. Além disso, o ultra-arqui-conservador, reaccionário, fascista REP ataca as minorias em vez de atacar o inimigo de classe capitalista.


Os social-fascistas são sempre rápidos a quererem colocar-nos numa gaveta. Se o REP afirma nos seus cartazes: " 1 + 1 = 2", então eles querem que nós não possamos dizer o contrário. Mas o Comintern (EH) é o único partido que se prepara para a revolução e reivindica a luta de classes – e a privação de poder para o capital! A ditadura democrático-burguesa há muito tempo que já apodreceu. Apenas os bezerros estúpidos escolhem o seu próprio açougue. A democracia directa apenas pode ser concedida sob a ditadura do proletariado. Os partidos burgueses euro-falidos estão aqui na Baviera à custa da crise económica e do impacto das bolhas de sabão especulativas. Isso pode ser visto pelo facto de que a Baviera tem dos maiores sectores de baixos salários, enquanto que tem a maioria dos milionários! As massas são obrigada a pagar biliões de dólares de impostos para “renovar” os centros urbanos, como o Augsburg Königsplatz, sem que nada lhes seja perguntado - por exemplo, através de um referendo local.


No caso específico Baviera podemos, infelizmente, dizer que a classe Judiciária e todo o aparato do monopólio estatal da violência estão entre os piores e mais gritantes. Embora se possa razoavelmente falar com as autoridades de Leipzig, talvez isso não seja o mais provável para transformar o espingarda numa situação revolucionária aguda onde a maioria da população é assediada por controlos omnipresentes. E essas são exactamente as pessoas uniformizadas que, quando a revolução socialista mundial começar, vão atirar nas massas revoltosas.


Tudo tem um método:


Os governantes sabem que há tempos de mudança, o que irá perturbar a calma relativa e individual. Assim, a insurgência está já preparada pela polícia e forças armadas. Isto também foi visto quando há alguns anos tivemos o susto do “terror” e o Augsburg (estação de trem) foi guardado com metralhadoras.


O tribunal distrital de Augsburg, Munique Donauwörth, Nördlingen são muito rápidos a julgar as matérias de forma sempre contra o povo, mas o Tribunal Regional Superior de

Munique não levou em frente o julgamento da noiva nazista do NSU. Um escândalo que mostra mais uma vez:


Um Estado que poupa os fascistas é ele próprio fascista!


O roteiro para a eleição do estado da Baviera está claramente diante de nós:


Nunca mais 4 anos barbárie!


Nós construímos a República Soviética da Baviera em 1919!


Sobre os resultados eleitorais:


(Todos eles manipulados e falsificados), embora a CSU ultra-arqui-conservadora, com 49%, tenha ganho com maioria absoluta - com Seehofer como o homem forte do capital financeiro como o velho Franz Joseph Strauss, não acho que roda do tempo possa voltar atrás. Porque eles subestimam os operários e os camponeses, especialmente os eventuais não-eleitores. Afinal, 10% dos eleitores estão fartos da política vigente. Eles rejeitam o teatro hipócrita de fantoches parlamentar mais ou menos conscientemente. As pessoas não politizadas podem e acabarão materialmente e economicamente a lutar pelos seus direitos e por melhores condições de vida, a lutar pela Revolução. Ernst Aust disse uma vez nas eleições de 1984

(celebração dos "15 Anos de Red Dawn"):


"Quem escolhe Franz Josef Strauss, escolhe Hitler!"


E assim é hoje com Seehofer, o homem forte da indústria, do capital e dos bancos.


Horst Seehofer sempre disse o quanto a Baviera e a CSU - em termos de autoridades locais - estão perto da China Maoista e das suas “Comunas do Povo”. Aqueles que não conseguem encontrar trabalho na cidade, devem necessariamente ir para o campo.


Assim, mais uma vez, com a maioria absoluta dos ultra -conservadores - como Edmund Stoiber e Franz Joseph Strauss - supõe-se que o descontentamento político e a rebelião são ainda maiores.
Este é provavelmente o ponto mais fraco do sistema dominante, que as forças revolucionárias do mundo podem e devem aproveitar. Já os piratas e o PDS o que fazem além de alimentar o sistema com o seu reformismo no parlamento do estado da Baviera? Eles nada fazem para além de abandonar o protesto e a luta de classes pela via parlamentar e assim sufocar a oposição pela raiz e prolongar a vida do capitalismo com doença crónica. O capitalismo decadente não faz reverência ao Bayern, se tomarmos em conta o empobrecimento omnipresente das massas.



O SPD caiu historicamente para cerca de 20% - Nenhum comentário necessário: social-fascistas!


"Quem nos traiu? Os social-democratas !”


De Sarrazin veio o novo "Mein Kampf" e é um candidato a chanceler que levanta o dedo do meio para mostrar o seu desprezo pelo povo.


Verdes: 8% - também baixaram. A presidente Claudia Roth move-se em círculos a partir de Augsburg...


FDP: finalmente expulsos com 3%! Quem está surpreso? É apenas o lobby de Schoeller em favor do capital financeiro!


O "FDP" admitiu pela primeira vez que foi atingido com os 8% de um pedaço de bolo para a Assistência Eleitoral do Estado !


PDS e piratas: 2 % cada.


ODP: aumentou para cerca de 1 a 2%.


Regalo especial para os olhos:


O partido divisor "Baviera" copiou o seu slogan eleitoral provavelmente da Coreia do Norte social-fascista: "Porque a Baviera sozinha também é capaz."


Conclusão:

As eleições na Baviera mostram claramente uma tendência crescente para a direita. A Baviera continua a mover-se para o fascismo. Esta tendência fascista inevitável será reflectida nas eleições nacionais.


E isto não é surpresa.


O capitalismo em crise não tem escolha a não ser salvar-se no caminho do fascismo antes da sua morte inevitável, quando o sistema parlamentar falhar. Quando a burguesia destrói ainda mais a vida da classe trabalhadora da Baviera, ela está condenada à morte. Mas nem com a ajuda da ditadura fascista os capitalistas vão poder sobreviver para sempre - nem mesmo na Baviera. Pelo contrário, o caminho para o fascismo acelerou a revolução, a derrubada da burguesia e reforça o poder da classe trabalhadora da Baviera sob a liderança da Secção Alemã do Comintern (EH)!

Um dia, os trabalhadores e camponeses da Baviera vão remover os escombros do capitalismo e construir a Baviera socialista. É só uma questão de tempo.




 

 

 


 

 

 

O COMINTERN (EH)


ATAQUES ACTIVOS NA CAMPANHA EM


AUGSBURGO

Manifestação em 7/9/2013


Na semana passada, sábado, dia 7 do mês 9 de 2013.


Em frente á praça da Câmara Municipal os manifestantes deveriam reunir-se supostamente ás 14. Realizou-se uma manifestação contra o pró-fascista "PRO Alemanha" que fez uma visita à República Federal da Alemanha sob a candidatura federal.


Em seguida, houve um stand de informação do NPD na frente da praça principal onde eles costumavam anunciar a sua candidatura para as eleições federais e estaduais. Foram lá apenas alguns idiotas. Nós nos posicionámos com os manifestantes do outro lado da rua com a bandeira Spartacus. Os do NPD riam muito e tiravam algumas fotos. Também os nazistas e os fascistas trabalham entre as pessoas. No balcão do lado anti-fascista, do outro lado da rua, houve discussões com os transeuntes que se perguntavam o que estava acontecendo aqui. Eles descobriram que o NPD era uma merda e perguntaram pela nossa bandeira "Sickle and Hammer" e do que se tratava. Falámos um pouco sobre a história do Partido Comunista (ML), a partir do qual o Comintern (EH) surgiu.

Em seguida, o social-fascista SDAJ (associação juvenil do DKP - mesmo que eles sempre o neguem) passou por nós sem um som para se posicionar ao lado do NPD.

Basicamente:

para a destruição vitoriosa do nazismo e do fascismo, especialmente hoje, no contexto da crise financeira e económica global, as alianças anti-fascistas etc. são inevitáveis. Mas a postura arrogante não é admissível. O SDAJ disse que "O fascismo não é uma opinião, mas um crime." Não devemos repetir os erros antigos, porque o capitalismo é a principal causa económica e material da re-emergência do fascismo. Poderia haver chegar a dezenas de milhares de outros prémios, incluindo:



"Lutou pela INTERNATIONAL contra o fascismo mundial e o capital mundial!"


Algum tempo depois, os idiotas vieram do Infoshop e agacharam-se com os outros na Praça Theatre em frente ao NPD. Mais tarde veio o stand do NPD.


Então, na verdade, foi o evento real do dia.



Rally contra o "PRO Alemanha" em frente á Associação Islâmica


Oficialmente foi ás 16 horas que aconteceu, mas como já tinha avançado para a praça da cidade, muitas ruas foram isoladas numa vasta área. Agora fazem uma provocação atrevida que ocorre directamente mesmo em frente á Associação Islâmica. O relativamente novo "PRO Alemanha" cai nesta onda fascizante juntamente com todo o “Motion Pró” (Pro NRW, pro Colónia, "Freedom", etc.), cuja principal atracção é despertar o ódio contra os muçulmanos e imigrantes e, supostamente, “defender” o Ocidente. Nisto são apoiados pelas agências de segurança que também guiaram Anders Behring Brevik na Noruega.


Se você pegar a coisa toda olhar sob o microscópio, vê-se que, desde o crash da bolsa de Nova York e a subsequente crise financeira e económica global a partir de 2008, esta se tornou na pior e mais grave desde a de 1929. E hoje estamos enfrentando os mesmos problemas de antes, embora com novas manifestações. Ao invés de contra os judeus, agora estão lançados contra os muçulmanos. Estão todos indiscriminadamente colocados na gaveta de salafistas e terroristas. É de notar que os idiotas do "PRO Alemanha” e do ANF (também de Bona) têm vindo a fazer as suas operações cada vez com mais intensidade.


Eles têm um monte de subsídios do governo e são financiados pelo dinheiro dos nossos impostos, enquanto que avançamos com a corda no pescoço. Como um partido anti-negócios e pró-trabalhadores, o Comintern (EH) não aceita nenhuma ajuda de bancos e corporações. Em vez disso, somos confrontados com a justiça de classe e expulsos para o exílio.



Para reunir:


A área foi isolada. Cantaram-se as palavras de ordem usuais e os da "PRO" babaram-se assobiando em torno do seu lixo. Eles supostamente querem defender o Ocidente contra a islamização rastejante, disseram que a Lei Básica não era nazi, mas apenas a favor da "imigração crítica". Se eles confiam no direito civil básico, como fazer a mudança? Assim, eles tornam-se nos lacaios deste estado do sistema do capitalismo monopolista e dos bancos Alemães, das corporações, sociedades de responsabilidade limitada e do mercado de acções. Em vez de atacar o inimigo de classe capitalista, eles correm apenas contra os muçulmanos e minorias. Os trabalhadores que seguem o "PRO" não o vão fazer durante muito mais tempo de qualquer maneira, uma vez que eles próprios cegarão á conclusão da natureza burguesa deste.


Segundo eles, a maioria dos muçulmanos são salafistas e terroristas e usariam o estado Alemão como um terreno fértil para realizar ataques no país e no exterior. Quer dizer que cada crente islâmico violou a Constituição e era um inimigo do Ocidente.


Mas a coisa é esta:


Quando o movimento revolucionário dos trabalhadores se rebelar e protestar, ela está-se a tornar no inimigo do Estado capitalista porque denuncia o injusto "direito fundamental" á especulação e o quer abolir. A luta da classe trabalhadora pelos seus interesses viola sistematicamente a resistência do direito civil básico e da "ordem democrática" que serve apenas aqueles que exploram e oprimem os trabalhadores - os capitalistas. A Lei Básica torna os pobres mais pobres e os ricos mais ricos! A constituição socialista funciona ao contrário!


No âmbito da Constituição e da ordem civil básica não podemos mudar o sistema de qualquer maneira. O “PRO Alemanha” é, tal como o CSU, um lacaio do capital financeiro e dos monopólios Alemães. Mas o campo capitalista - burguês está muito dividido e está diante das ruínas. Isto pode ser visto a partir do facto de que a quantidade de partidos ultra-conservadores e populistas que existem na Alemanha.


Interessante e digno de nota foi o que duas mulheres com chapelaria muçulmana fizeram nos alto-falantes, enquanto nós não tivemos nenhuma hipótese de chegarmos até eles. Se nos disfarçássemos, teríamos sido presos imediatamente e arrastados até á justiça de classe. Mas os discursos reaccionários e islamofóbicos regressivos encaixam melhor em cena do que uma análise sistemática e científica do movimento revolucionário da classe trabalhadora.


Havia uma espécie de microfone "aberto" onde um militante da PRO-Alemanha e a simpática senhora estavam. Disseram o já mencionado anteriormente, que os muçulmanos são incompatíveis com a Lei Básica e com os “valores” do Ocidente e que a maioria são sempre salafistas, e quando dois mundos colidem aqui, então "eles devem-se lixar, mas não á Alemanha."


Por seu lado, outra mulher velada tomou a posição de que eles estão aqui porque os seus países são ocupados no mundo Árabe. Matar e bombardear contradiz o Islão. Mas eles só querem salvar as suas vidas e não querem fazer mal a ninguém.


Os alto-falantes da PRO falaram da questão da Síria sem criticar o imperialismo. Eles disseram que a FSA comprava mercenários, na maioria salafistas, que são apoiados pelos sionistas e pelos EUA e que usam o Estado Alemão como um sítio de recrutamento. Muito se oculta nas mesquitas Alemãs e muito se desenrola por trás da fachada. Ele disse então que ela era do reduto salafista de Bona.


A mulher gritou: "Se você tem a coragem, por que você não vai á Síria. Então, veremos que estes mercenários do FSA não têm nada a ver com o Islão." Em seguida, o interlocutor virou-se num círculo e um porta-voz da PRO disse que ele também era contra os salafistas do FSA, porque eles são fabricados pelo sionismo e pelo imperialismo dos EUA e do estado Alemão. Ele disse então que iria tomar cuidado para não entrar na retórica acerca da Síria de "Salafistas" e do "corte de cabeças na Síria." Ele então disse ainda que eles se isolam porque seriam contra a Lei Básica (!!!)


Se acontecer que os trabalhadores, operários, camponeses, etc., tirassem uma foto desse teatro de fantoches, que também é financiado pelo dinheiro dos contribuintes, com certeza ficariam boquiabertos. Nenhuma análise de classe mas apenas zelo supersticioso, não importa de que lado.


A posição do proletariado mundial é clara:


Luta solidária ao lado dos povos Árabes e proteger as suas tradições culturais progressistas contra o imperialismo mundial e os seus seguidores reaccionários.



Enver Hoxha escreve:


"O facto é que os eventos no Oriente Médio não correm bem para os imperialistas, social-imperialistas e a reacção mundial. Os países Árabes têm-se revoltado e esforçam-se corajosamente para tomar o seu destino nas suas próprias mãos. Numerosos países Árabes estão em luta contra o imperialismo, o colonialismo e o neocolonialismo de qualquer origem e contra o seu sistema socio-político e militar. Isto é positivo, mas os seus partidários devem ser os progressivos, os revolucionários e os que representam os interesses e desejos dos povos que sofrem sob a opressão e a miséria apesar de viverem no berço de uma civilização brilhante e no meio de riquezas (por exemplo, petróleo), e que se não fossem saqueados pelos estrangeiros, esses povos poderiam ter uma vida longa e rica e poderiam ter o potencial necessário para a defesa contra os seus inimigos.

Quando esta luta firme e resoluta dos povos Árabes contra o imperialismo mundial e seus capangas e lacaios locais se libertar dos aspectos negativos da superstição que ainda se destacam em itens dominantes, desempenhando um papel de retrocesso, incitando as lutas dos xiitas, Sunitas e outros grupos, então ela será coroada com a vitória dos mais de cem milhões dos povos Árabes, uma vitória que gravará uma nova fase e uma nova página na história da humanidade." (Enver Hoxha: "Reflexões sobre o Oriente Médio", página 582)


Então o que procuram esses reaccionários na Alemanha por trás do seu " anti-islamismo"? Na realidade, procuram esconder o seu ódio contra os povos Árabes e especialmente o seu ódio da luta pela libertação revolucionária do imperialismo mundial e dos seus lacaios e mercenários no mundo Árabe!


Claro, diz tudo a maneira como os fascistas e nazistas justificam o seu extermínio em massa de seres humanos e a sua segunda guerra imperialista mundial com a demagogia: queriam "evitar a dominação Bolchevique sobre a cultura da Europa Central e Ocidental." O resultado final foi de 60 milhões de mortes. Assim, defendemos o princípio:


Pela derrota vitoriosa do fascismo nazista e de todo o “movimento PRO”!



O zelo supersticioso é o ópio do povo!


A superstição é a antítese do socialismo científico – como o fogo e a água.


O zelo supersticioso – como Enver Hoxha afirmou – também tomou a revolução de 1979 no Irão e infligiu-lhes danos. Hoje, os revolucionários Iranianos e os camaradas do Comintern (EH) no Irão lutam pela derrubada revolucionária da República Islâmica sangrenta.


E sim, nós vemos hoje, não só na Síria, mas no Norte de África e no Oriente Médio em geral, a Primavera Árabe como um movimento revolucionário dos povos Árabes para se libertarem do ópio do islamismo. A guerra da superstição é inevitável e deve ser transformada na luta de classes. A luta de classes é a única maneira revolucionária de os povos Árabes sair da sua situação miserável - esta é a linha do Comintern (EH).


Claro, nós tentamos convencer cada fiel muçulmano do carácter reaccionário da sua religião, mas nós não fazemos comunistas pela força. Usamos a força somente contra os governantes, os povos forçosamente devem suprimir a exploração. Então, nós nos defendemos que a tal “PRO Alemanha" usa demagogia e propaganda. Nós, comunistas, somos pelo Manifesto Comunista de Marx e Engels (1848).


É por isso que estamos lutando hoje contra as doutrinas de superstição do Estado, como o sionismo, a República Islâmica do Irão e os países ocidentais, que camuflam isto sob a sua "comunidade de valores" do mundo capitalista e imperialista. Esta doutrina de Estado na verdade serve apenas a exploração e opressão do povo com a finalidade da maximização do lucro, expansão do capital, re-divisão militar do mundo e as guerras de conquista de novos mercados e zonas de influência.


Em contraste, é essencial a ajuda á revolução socialista mundial e ás revoluções dos povos Árabes!


Sob a liderança do proletariado mundial e da sua vanguarda, o Comintern (EH), o mundo será um dia livre da superstição e da reacção que fomenta guerras. A guerra de classe do proletariado mundial vão impedir o regresso do imperialismo mundial.


O futuro pertence ao comunismo mundial !!!

 

 

Caros camaradas,


esta mensagem diz respeito á necessidade de proteger o Comintern (EH), as suas secções, todos os nossos simpatizantes e amigos e todo o proletariado mundial contra um novo ataque mundial dos neo-revisionistas.

O seguinte grupo:

"Comintern" está espalhando a nossa ideologia, política e organização misturadas com anti-Estalinismo-Hoxhaismo:

 

____

 

http://www.youtube.com/watch?v=TyyctfdzHR8


https://www.facebook.com/groups/com.int/


https://www.facebook.com/groups/263160233778126

/permalink/511576662269814/

https://www.facebook.com/pages/Communist-Party-of-GermanyMarxist-Leninist/117743018294116

https://www.facebook.com/pages/Kommunistische-Internationale-Marxisten-Leninisten/220239784654023


http://www.youtube.com/

watch?v=P09f4Txbg_w&feature=youtu.be

 

https://www.facebook.com/karl.Landermann


https://www.facebook.com/Marxist.Leninist

 

_____

TODOS ESTES LINKS SÃO FALSOS – ELES NÃO SÃO NOSSOS!

NÓS TRAÇAMOS RESOLUTAMENTE A NOSSA LINHA DE DEMARCAÇÃO CONTRA ESTA 5ª COLUNA DA BURGUESIA MUNDIAL.

O OBJECTIVO DESTES INIMIGOS É PENETRAR NA IDEOLOGIA ESTALINISTA-HOXHAISTA E ALINHÁ-LA AO REVISIONISMO.

O SEU OBJECTIVO É RESTAURAR O REVISIONISMO NO PODER COM A NOSSA “AJUDA”!
O COMINTERN (EH) NUNCA PERMITIRÁ QUE GRUPOS HOSTIS NOS USURPEM!


O COMINTERN CONVOCA TODOS OS MEMBROS, SIMPATIZANTES E AMIGOS PARA PROTEGEREM O COMINTERN (EH) DA INFLUÊNCIA REVISIONISTA.
CONDENAMOS AS PÉRFIDAS MAQUINAÇÕES DESSES GRUPOS.


ELES NÃO VÃO CONSEGUIR NADA COPIANDO-NOS!

HÁ SOMENTE UM PROLETARIADO MUNDIAL E UM PARTIDO DO PROLETARIADO MUNDIAL - o COMINTERN (EH). TUDO O RESTO É NO INTERESSE DA CONTRA-REVOLUÇÃO!

O COMINTERN (EH) É MAIS FORTE DO QUE TODOS OS GRUPOS QUE O TENTAM COPIAR PARA ENGANAR AS MASSAS!

VIVA O COMINTERN (EH)!




WOLFGANG EGGERS


16 de Setembro de 2013

"A dialética da história é tal que a vitória teórica do socialismo mundial, cada vez força mais os nossos adversários a disfarçarem-se de "Estalinistas-Hoxhaistas!"

O Comintern (EH)

31 - 12 - 2011

 

 

"Não há fronteiras

num mundo comunista!"

- o Comintern (EH) -

 

 

ALEMANHA: ELEIÇÕES LEGISLATIVAS 2013





"Mandem os chefes e patrões dar uma curva!"

Cartaz da campanha do KPD / ML - 1978

em Hamburgo




"Só o comunismo te vai salvar!"


 

4 de Setembro de 2013


Apelo da Secção Alemã

do Comintern (EH)




"Não ponham muitas esperanças na eleição!"


A democracia é só quando o povo tem o poder de expropriar os capitalistas e os seus políticos!

A democracia real para as grandes massas do povo é apenas garantida pela ditadura do proletariado.




Em 22 de Setembro, mais uma vez, decorrem as eleições parlamentares.
Cada partido que participa é um lacaio deste país doente imperialista.

O propósito destas eleições capitalista - burguesa qual é?

Ela vai ofuscar os sofrimentos, desencaminhar o povo, espalhar as ilusões sobre o parlamentarismo burguês.

"É apenas bluff para enganar as pessoas ditas " inferiores". (Lenine)

O que é vendido como uma democracia reduz-se ás eleições que se fazem a cada 4 anos. A democracia burguesa tem sido algo podre. Como Karl Marx disse:

"Os eleitores pobres decidem qual membro da classe dominante no Parlamento que os oprimirá.” (Karl Marx)

É uma vergonha quando um candidato do SPD – Steinbrück - é humilhado perante os figurões. Ainda nos lembramos como o congresso do SPD foi transferido para a sala de exposições em Augsburg há alguns meses. Cada discurso fica em dezenas de milhares de euros. A hipócrita Claudia Roth (Verdes, Presidente Nacional também de Augsburg!) promoveu o símbolo da sua coligação com o SPD. O conteúdo do quadro deste evento de horror também incluiu lembranças sobre os velhos tempos de Willy Brandt e Helmut Schmidt . Sonhem! A roda da história não vai voltar atrás! Os trabalhadores que falavam comigo afirmavam que eles preferem emigrar para a África do Sul quando Steinbrück chegar ao poder. Os trabalhadores têm atraído a nossa atenção para o partido SPD de Augsburg. O ultra-conservador CDU / CSU e o conservador-liberal FDP não são melhores do que os social-fascistas do SPD.

O PDS da pseudo-esquerda não trabalha para uma coligação com o SPD e os Verdes. O PDS da pseudo-esquerda deve primeiro realizar expurgos nas suas próprias fileiras, onde os Trotskistas do SAV, ISL estão a penetrar. Temos muito visto o suficiente no Parlamento. Ainda nenhum partido iniciou o processo contra o social-fascista Muselschwanz Chris Sedlmayr de Dachau. Isso mostra que o PDS da pseudo-esquerda não representa nenhuma linha clara, mas todas as direções possíveis estão alojadas no seu partido. Ele dispensa um programa revolucionário pois é um partido que quer salvar o capitalismo e não precisa de um programa revolucionário para derrubar o capitalismo. Então, qual é a "esquerda" PDS? Ela tem o único propósito de evitar o fortalecimento de um partido comunista revolucionário e impedir que a classe trabalhadora parta para a revolução socialista amarrando-a á cadeia do parlamentarismo.

E á "esquerda " do PDS? Uma grande confusão organizacional de seitas e grupos revisionistas, neo-revisionistas e Trotskistas. Não é de admirar que os potenciais não-eleitores ainda estejam divididos e enfraquecidos por esta confusão, especialmente na classe operária . Mas a classe trabalhadora é sistematicamente perseguida pelas táticas divisionistas da burguesia e ela não pode parar a luta de classes. Vocês, mais cedo ou mais tarde, vão perceber que eles só podem basear-se nos ensinamentos dos 5 Clássicos do Marxismo -Leninismo para se libertarem, e que a Secção da Internacional Comunista (EH) é o único partido que se guia por Marx , Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha. Especialmente devemos alertar a classe trabalhadora contra os maoistas (a China de Mao tornou-se numa superpotência social-imperialista) e o Partido social-fascista (sucessor do SED "http://www.kpd-online.de/"). Este não tem nada que ver com o antigo Partido Comunista de Karl Liebknecht, Rosa Luxemburgo e Thalmann e tem como antecessor o social-fascista SED. Eles louvam os seus líderes revisionistas como Ulbricht, Honecker e Wilhelm Pieck. A maioria deles consiste apenas de antigos agentes da Stasi de qualquer maneira. Essa é a única diferença com o DKP. Caso contrário, não há muita diferença de conteúdo. Todos são equívoco e palavras vazias. O candidato do DKP só existirá em Berlim. Todo mundo se atreve a ludibriar a massa do povo. Cada um imagina estar enraizado na classe operária. Desde 2012, um certo Häupl Lothar em operado com o seu KED Dresden. Todos esses grupos estão com medo de lidar connosco. O nosso partido surgiu a partir da Secção Alemã do Comintern (EH), o KPD / ML do camarada Ernst Aust, que defendemos durante os 44 anos de sua existência, incluindo a sua atitude revolucionária e acções para as eleições . Os revisionistas não são alternativa para os trabalhadores nas eleições. O mundo revisionista burguês está tão no fim como o mundo capitalista-imperialista. Mas nada cai por si só, mas apenas pelo golpe esmagador dos trabalhadores revolucionários.

E os anarquistas? O que a maioria dos anarquistas e anarco-sindicalistas não compreende é que qualquer democracia - seja civil , básica, social, direta, socialista, etc - é uma forma de dominação da sociedade de classes. A democracia do Estado de classes existe até ao comunismo mas em seguida ela é jogada para o ferro-velho histórico. Porquê? Porque o proletariado ainda usa o Estado por um tempo para se proteger até que o perigo de restauração capitalista seja erradicado para sempre.

O completamente reaccionário REP (republicanos) da Baviera até ao abertamente nazista e fascista NPD espalha o ódio nacional entre as pessoas para dividir o povo. Eles apelidam-se mesmo de "anti -imperialistas". Então - como no momento do NSDAP - os fascistas operam hoje novamente fingindo-se “à esquerda” para liderar o povo enganado-o novamente. Eles são nada mais do que lacaios ajudando a classe dominante imperialista. No jornal "Imagem" apresenta-se o povo grego. A austeridade renovada na casa dos biliões não beneficiará os trabalhadores Alemães nem os gregos, mas sim os bancos. Portanto, a nossa luta revolucionária contra o capital financeiro Alemão e internacional é uma importante contribuição para o internacionalismo proletário, pela solidariedade com todos os povos Europeus que resistem ao imperialismo Europeu, em particular o imperialismo Alemão vigente.

Nenhum partido pediu na campanha federal de eleição a destruição do poder dos bancos, a eliminação do imperialismo Alemão como a Secção Alemã do Comintern (EH) faz.

O nosso anti- imperialismo também é dirigido contra a militarização do imperialismo Europeu , que está em processo de construção de um exército imperialista chamado "Grupo de batalha da União Europeia", como concorrente da NATO dominada pelos EUA.

Nenhum partido é capaz ou está disposto a parar e a eliminar para sempre o ataque inevitável do fascismo, a militarização e a guerra do imperialismo Alemão. Só a Secção Alemã do Comintern (EH) está disposta e é capaz disto.

A democracia burguesa é algo podre. Apenas os bezerros estúpidos escolher o seu próprio açougueiro - e isso inclui os partidos falidos do Euro. Milhares de manifestantes estiveram em Frankfurt apesar de o assédio da polícia do BCE. Mas as implicações políticas são = zero. Só o proletariado revolucionário pode ter total acesso aos ativos bancários para expropriar os bancos e os banqueiros.

Mas nenhum dos partidos está disposto a apoiar o proletariado nem vai submeter os bancos á vontade do povo. Só o partido mundial do proletariado, o Comintern (EH) está pronto para isso.

A nova "Alternativa para a Alemanha" (AFD) recebe o influxo dos círculos da pequena burguesia intelectual, em particular das forças nacionalistas do filisteísmo que anseiam por um canto sossegado. Eles estão com medo da europeização do proletariado socialista ainda mais do que da europeização da burguesia capitalista. Mas a expansão imperialista europeia de Merkel não pode ser parada por um AFD, mas apenas o proletariado revolucionário europeu unido pode resistir e criar uma Europa socialista, liberta do domínio dos monopólios.

Nenhum dos partidos apresenta a demanda para a ditadura do proletariado europeu. Esta exigência é apenas da Secção Alemã do Comintern (EH).

Queremos uma União Europeia sob o domínio da classe trabalhadora construída sobre as ruínas da velha burguesa UE.

A burguesia alemã quer manter a faixa de eurocépticos, de modo que os eleitores de protesto não desliguem o rolamento esquerdo. O FDP e o PDS deveriam ser expulsos enão deveriam entrar no Bundestag, diz o AFD. Mas mesmo nestas muletas recém- fabricadas, o parlamentarismo podre não é mais capaz de se segurar. Por isso, ele foi também se corrompe a si mesmo. Além disso, uma "grande coalizão" é uma acusação da democracia burguesa , e um sinal da sua paralisia e incapacidade de agir. Os partidos burgueses estão podres e divididos. Os trabalhadores devem explorar essa fraqueza do campo da burguesia na luta revolucionária. A democracia burguesa não pode defender-se. Devido à crise do capitalismo, inevitavelmente, o fascismo aberto surgirá. Fascismo - este é o último instrumento brutal aberto da classe dominante na época do imperialismo e da revolução proletária. O fascismo força as pessoas com todos os meios de violência para as submeter incondicionalmente ao sistema capitalista monopolista de exploração. Em vez de eleições parlamentares, haverá apenas uma opção de optar pela Alemanha fascista da burguesia ou pela Alemanha socialista da classe trabalhadora. Só o proletariado é capaz de impedir a ascensão ao poder do fascismo e libertar o povo alemão.

As eleições parlamentares não nos protegerão da ameaça do fascismo, mas apenas o pode fazer a revolução socialista do proletariado.

Agora, até mesmo a imprensa burguesa diz que os alegadas não-eleitores seriam arrogantes e pequeno-burgueses. Esta é a tentativa desesperada da classe dominante para ligar as pessoas ao sistema. Mas a roda da história não anda para trás. O imperialismo está apodrecendo, fedendo até morrer, e o capitalismo parasitário tem de ser deitado no lixo da história.

Não escolher - que nada mais é do que:

Boicote activo!

Vá para a mesa de voto, tome notas e desenhe uma cruz por todo o papel na diagonal. Então você fará ouvir a sua voz.

Compartilhamos as preocupações e as necessidades das grandes massas de pessoas comuns. Sabemos bem que a eleição não vai mudar as suas vidas miseráveis. Pelo contrário. Já está fixado antes da eleição:

"Depois das eleições, os números estão chegando!"

Se as eleições burguesas capitalistas mudassem fosse o que fosse elas seriam proibidas!

(Após as eleições e os seus números, continuará uma guerra contra os povos do mundo pelo aumento do lucro)

As eleições são os políticos corruptos que
Em nome do poder e dos partidos enganam
Não nos curvaremos ao seu sistema,
Esfregar-lhes-emos todas as mentiras na cara!

Esta é a crença no Estado,
Mas para nós é só traição!
FDP - CSU - AFD - boicote eleitoral!
Partido da Baviera - SPD - NPD - boicote eleitoral!

 



A nossa campanha exige!



É uma piada quando os Verdes afirmam que 8,50 € é um salário mínimo. Ninguém pode viver com isto! Se você considerar o que as massas trabalhadoras têm como despesas: explosão dos preços do gás, alugueres, os preços de medicamentos, o aumento dos preços dos alimentos, então o mínimo de 15,5 euros é mais do que justificado.

Exigimos 30 horas semanais sem perda de remuneração em detrimento dos lucros!

Exigimos a proibição do trabalho temporário (e dos comerciantes de escravos)!

Trabalho para todos!

Defesa intransigente dos nossos postos de trabalho contra as demissões em massa!

Redução de impostos sobre os salários e os rendimentos mais baixos! Tributação rigorosa dos lucros dos capitalistas!

Abolição dos impostos indirectos!

Exigimos transferência permanente de todos os formandos à custa dos lucros!

Salário mínimo para os aprendizes!

Apelamos a uma pensão mínima legal de 1500 €!

Pensão aos 60 anos para os homens e 55 para as mulheres!

Fora com a lei da pensão de 67!

Criação de novas casas - para todos - ao menor preço!

Proibição de alugueres exorbitantes!

Assistência médica gratuita para todos!

Parar com os escândalos ambientais!

Fornecimento de energia livre mínima para todos!

Paremos a ruína dos camponeses!

Nós não roubamos a cabra do fazendeiro, mas expropriamos os figurões que nos tentam estrangular!

Por um programa agrário revolucionário!

Remuneração GRÁTIS e disponibilização de ferramentas como a navalha, moedores, escovas de cavalo, etc, em detrimento dos lucros.

Até os produtores de leite que são tradicionalmente conservadores e eleitores da CSU fizeram greve.

Faremos renascer o sector agrícola, na Alemanha, na Europa e em todo o mundo!

Interromper imediatamente as missões estrangeiras imperialistas dos exércitos privados de mercenários e exércitos profissionais do assassino de Bundeswehr!

Bundeswehr, sai imediatamente do Afeganistão!

Fora do Hindu Kush, Kosovo, África, Oriente Médio, etc!

Fora da Síria!

Proibiremos o apoio aos sionistas Israelenses!

Nem mais um centavo para o estado Alemão beligerante!

Proibição da exportação de armas!

Retirada da UE e da NATO!

Em vez disso:

Sob a liderança do proletariado revolucionário de todos os países uma união socialista da Europa - protegida pelo Exército Vermelho!

Proibição de todas as organizações fascistas e punição de cada atividade e propaganda fascista, racista e belicista !

Acabar com a cláusula de eleição anti-democrática de 5% !

Acabar com as deficiências eleitorais anti-democráticas, onde precisamos de recolher dezenas de milhares de assinaturas!

Educação gratuita e para todos - à custa dos lucros!

Acabar com as propinas!

Proibição e dissolução da inteligência, da Constituição e BND!

Revogar todas as leis e proibições de todas as práticas mas quais a liberdade de expressão, de imprensa, internet, arte e ciência sejam restritas!

Revogar todas as leis e proibições de todas as práticas em que a inviolabilidade da pessoa e da casa, carta e o direito à liberdade de circulação seja restrito! Destruição dos bancos de informações pessoais !

Não haverá mais cooperação com agências de inteligência estrangeiras!

Liberdade de organização, manifestação, greve e de reunião!

Proibição de demissões por motivos políticos!

Proibição e dissolução de todos os bandidos violentos e mercenários pagos às unidades especiais, como KSK , DSO , GSG9 , etc!

Abaixo a justiça de classe burguesa! Os juízes devem ser julgados pelo povo!

Completa separação entre a Igreja e o Estado!

Plena igualdade das mulheres em todas as áreas!

Plena igualdade jurídica, política e económica dos trabalhadores estrangeiros!

Pelo direito dos trabalhadores estrangeiros á naturalização imediata sem obrigação de desistir da sua nacionalidade anterior!

Abolição das condições desumanas!

Igualdade de direitos para os imigrantes!

Forças de ocupação estrangeiras e armas - fora do solo Alemão!

Os Americanos não podem continuar a fazer partir mais guerras da área Alemã!



A mudança de pessoas não leva a nada, a política precisa ser mudada ... É necessário que, finalmente, uma outra classe chegue ao poder, a classe trabalhadora!

Um governo dos trabalhadores, camponeses e soldados é credível porque todo mundo percebe que os trabalhadores e os pobres agricultores não querem nem podem roubar ninguém. É a única maneira de parar a participação da Alemanha na guerra, a única maneira de sobreviver a perturbações económicas. Os funcionários têm que trabalhar e não são santos, nem sacerdotes, papas ou cardeais! Os trabalhadores do Reno disseram uma vez: "O funcionário que constrói merda e é corrupto etc, deve ser integrado na produção ou enviado para a fábrica." Essa é também a essência da ditadura do proletariado na qual que o trabalhador tem a palavra final e não os capitalistas e seus lacaios. A repressão da velha classe derrubada que irá tentar introduzir a exploração e a opressão novamente é realizada pela ditadura dos trabalhadores. Com os conselhos de trabalhadores, camponeses e soldados conselhos há o controle de baixo. Democracia é quando as posições de liderança são selecionadas e demitidas a qualquer momento - até mesmo o juiz.

Se o poder político continua a estar na Alemanha nas mãos de uma minoria rica , eles vão continuar a fazer valer os seus próprios interesses em detrimento dos interesses da maioria da população alemã. Se esta minoria rica mantém os fios de governança livremente na mão, então isso significa, inevitavelmente, mais fraudes para a maioria, isso significa mais opressão e exploração da maioria, o que torna os ricos mais ricos e os pobres mais pobres. Esta política leva ao agravamento da crise sobre as costas da maioria. É claro que isto em algum momento leva ao colapso e à maioria das barricadas em vez do Parlamento Federal – este último sempre opta por realizar as actividades da minoria, se necessário pela violência armada.

É claro que o capitalismo moderno só pode sobreviver pelos monopólios, a maximização do lucro, expansão de capital e tudo à custa das massas trabalhadoras. Em última instância , é da classe trabalhadora do mundo que o capital mundial prevalecente retira os seus lucros. A crise capitalista gera simultânea e legitimamente aumento do desemprego - (!) Actualmente na Grécia e na Espanha a taxa de desemprego atingiu um recorde de 60%. Estima-se uma participação imensa na greve geral realizada na Grécia. A última greve geral que foi realizada em solo Alemão foi durante a Revolução de Março de 1920 (Exército Vermelho do Ruhr). A greve dos trabalhadores na Alemanha tem de mostrar a solidariedade para com os nossos irmãos e irmãs de classe do Sul. Se atacarmos os imperialistas no seu próprio país, então ajudamos a classe trabalhadora da Europa do Leste e do Sul. Isto é internacionalismo proletário, de facto! Nós escolhemos a acção conjunta da luta de classes revolucionária e unida do proletariado Europeu!

Além disso, é preciso estar ciente de que a estrutura de classes mudou mas a essência continua a mesma. Mais e mais camadas intermediárias resvalam para o proletariado, e, assim, trazer a sua ideologia reaccionária que é estranha ao proletariado. Mas o proletariado mundial vai digerir essas influências estrangeiras, pois até agora tem crescido como uma classe enorme que entrou na história do mundo para acabar com a era do capitalismo mundial para sempre e inaugurar a era do socialismo mundial. O proletariado mundial é a única classe revolucionária no mundo e, portanto, invencível se for guiada pelo Marxismo-Leninismo-Estalinismo -Hoxhaismo. Então, não haverá mais capitalismo mundial, imperialismo mundial, crise financeira global crónica, crise económica mundial, crises da UE, crise ambiental mundial, crises bancárias no mundo, guerras , etc, depois de o proletariado – o coveiro do capitalismo - fazer o seu trabalho revolucionário em todo o mundo. Ninguém a não ser o proletariado mundial pode eliminar a inevitabilidade da crise do capitalismo e do imperialismo, as guerras de rapina. Como parte do próprio sistema imperialista não podemos eliminar nem as guerras nem as crises. Pelo contrário, a crise económica mundial de hoje mostrou que não só igualou a de 1929, mas assumiu uma escala muito maior e muito mais profunda que irá deixar traços - até a próxima Grande Depressão - se isso não for previamente impedido pela revolução socialista mundial.

No final, só a revolução proletária e a destruição do aparelho de Estado burguês-imperialista pela violência e o estabelecimento de uma república Soviética em solo Alemão são a única maneira de sair desta miséria.

 


Socialização dos meios de produção nas mãos dos trabalhadores - colectivização da agricultura camponesa!

Somos internacionalistas proletários!

Somos pelo socialismo mundial, pelo comunismo mundial. Ou seja, queremos criar não só a democracia proletária na Alemanha, mas a democracia proletária mundial!

A democracia para todos os povos do mundo somente pode ser realizada se os proletários Alemães se tornem parte do grande exército revolucionário mundial dos trabalhadores para eliminar o capitalismo em todo o mundo!

Isto só é possível se o proletariado de todos os países estiver unido, quando o proletariado mundial unir todos os países!

No final, temos apenas uma escolha:

Ditadura do capital imperialista Alemão ou

Ditadura do proletariado!

Luta com a Secção Alemã do Comintern (EH) pela ditadura do proletariado, na Alemanha e em todo o mundo!

Escolhe a república socialista mundial!

Escolhe o internacionalismo proletário!

Escolhe a revolução socialista mundial!

Escolhe o comunismo mundial!

Viva a Internacional Comunista

(Estalinista-Hoxhaista)!



 

Ação da Secção Alemã do Comintern (EH)

 

 

AUGSBURGO
2 de Setembro de 2013

Em 2 de Setembro em Augsburg houve uma manifestação contra o Hartz 4, Agenda 2010, contra a redistribuição de baixo para cima, e contra o Estado e o sistema.

Alguns figurões do SPD (Ulrika Bahr, candidatos parlamentares proeminentes da falsa esquerda do PDS, Buso (Cidadãos de Solidariedade) – a seita económica arrogante de direita do FDP. Markus Arnold declarou-se pronto para responder a perguntas.

Foi assim: um partido falava durante uns poucos minutos - e depois podia fazer perguntas em mais alguns curtos minutos.
Os representantes do SPD afirmaram:

"Isto é realmente muito bom."

Perguntas dos partidários do Comintern (EH):

Não têm vergonha que o seu homólogo Peter Steinbrueck disse que temos que dar ainda mais aos grandes?


Não têm vergonha que a Agenda 2010 e o Hartz 4, que foram de facto introduzidos pelo SPD / Verdes, têm levado ao empobrecimento das massas?

Ulrike Bahr admitiu que "houve erros no Hartz 4 – mas as leis foram feitas e podem melhorar" e que as palavras de Steinbrück não valeram nada. Ela disse então: "nós podemos" ultrapassar juntos o manifesto eleitoral do SPD. Nós apelidámos o “Hartz 4 de desastre completo!"

Os pseudo-esquerdistas do PDS esquerdo trouxeram também algumas reivindicações.

Perguntamos se ela acredita que pode haver uma contradição à loucura quotidiana sob este sistema, e se pode haver algumas afirmações positivas relativamente à maioria dos trabalhadores comuns.

Ela respondeu que ela e o seu partido, o PDS da falsa esquerda, guia-se pela Constituição Civil, pois caso contrário seria alegadamente “contra o estado de direito”.

Pela nossa parte, nós não acreditamos no parlamentarismo imperialista-capitalista que espalha ilusões, nós devemos conduzir as lutas de classe em frente, por exemplo, na Turquia, quando se trata de derrubar o imperialismo de Erdogan.

O FDP, os bancos e corporações como Eurocopter, Siemens, etc. tentam enganar os trabalhadores com o Incityprojekt Augsburg e com todos os tipos de frases como: "Quem trabalha – cria riqueza".


Levantámos a questão de saber se todos os que ainda pensam alguma coisa e interpretam como deve ser os acontecimentos ainda acreditam na "recuperação" apesar da impressão de que as coisas vão de mal a pior. Perguntamos se Augsburg será renovada com biliões de dinheiro dos nossos impostos e se o Kings Square será transformado num gigantesco centro de obras. Além disso, perguntámos-lhe se negam que há mais desempregados e que a localização na cidade das grandes empresas e corporações também não resolve e piora a situação, pois aquelas criam a riqueza e lucro apenas para alguns gestores de topo e proprietários.


Então foi uma loucura: começaram com a propaganda para lidar com os mercenários privados das Forças Armadas no Afeganistão e na África e culparam a "pirataria marítima" responsável.

Deixamos claro que antes da intervenção imperialista, por exemplo, no Corno de África, Somália etc. não havia problemas com piratas e que a obtenção por esses tais grupos de dinheiro, armas e treino como piratas do mar ou senhores da guerra na África e no Afeganistão foi causada pela intervenção imperialista.


O discurso de Buso afirmou que "o sistema bancário de dois níveis" seria uma panaceia para todos os males e que o capital financeiro e industrial deveria ser separado como no século XIX. Isso deu-lhe razões para falar de Roosevelt e dos mações. Assim, elogiou o "glorioso Plano Marshall" como tendo salvo o capital especulativo e todo o sistema bancário falido, superando, assim, a crise crónica.


Levantámos a questão de saber se este era um problema dos bancos e das taxas de juros ou do capital e da maximização mundial do lucro. Perguntámos também se está a ser feita uma tentativa para prolongar a vida ao capitalismo mundial cronicamente doente com tais panaceias...


Em seguida, houve um discurso de outro partido.


Fizemos perguntas: o vazamento de petróleo foi planeado? Se eles fossem honestos, diriam que os reaccionários imperialistas compraram os pseudo rebeldes na Síria e que tudo isto está a ser um grande negócio com os bancos, as corporações e monopólios e até para as pequenas e médias organizações empresariais capitalistas. A questão não foi abordada adequadamente. Eles apenas disseram que os bancos e as corporações fazem muitos biliões enquanto os trabalhadores comuns têm de viver em condições degradantes.


Eles disseram que um derramamento de óleo planeado teria sido muito caro e feriria o imperialismo de forma bestial sobre ele, pelo que parecia impossível. Segundo eles, o derramamento de petróleo não terá sido planeado.


Relativamente á Síria, uma das nossas perguntas foi respondida correctamente somente quando eles disseram que há forças autónomas curdas que lutam tanto contra os bandidos social-fascistas de Assad como contra o fascismo reaccionário dos mercenários comprados do FSA.

 

Novo

"Caminho do Partido Mundial"

- órgão teórico -

em português

 Abaixo o revisionismo Coreano !

 

 

em língua Inglesa

Chile – 11 de Setembro de 1973

Há 40 anos atrás

 

 

ENVER HOXHA

Os trágicos eventos no Chile são uma lição para os revolucionários do mundo inteiro

Zeri i popullit
2 de Outubro de 1973  

 

 

em língua Alemã

A luta de classes no partido é a garantia para que o partido permaneça sempre um partido revolucionário da classe operária

 

Ndreci Plesari

de: "Albania today", No. 1, 1978

 

Parte 1

Parte 2

 

 

 

 

A LUTA DO PARTIDO TRABALHO DA ALBÂNIA
CONTRA O REVISIONISMO KRUCHOVIANO

OBRAS - Volume 19

 

PUBLICAÇÃO EM PORTUGAL, CEDIDA EM EXCLUSIVO
À SEDIÇÕES « BANDEIRA VERMELHA » PELA EDITORA
ALBANESA « 8 N Ë N T O R I »

Graças ao site: enverhoxha.ru 

 

 

 

 

 

 

"Queridos camaradas
do mundo Árabe!"



 

Esta é uma carta aberta do Comintern (EH) para vocês


- Escrita no dia 3 de Setembro de 2013 -


O proletariado mundial felicita-vos na vossa vitória sobre os reaccionários tiranos burgueses feudais nos vossos países.


A revolução Árabe é parte central da revolução socialista mundial!


O Comintern (EH) está em solidariedade com as vossas acções revolucionárias e a vossa participação no movimento revolucionário.


As conquistas democráticas da luta revolucionária dos povos Árabes devem ser urgentemente defendidas contra a crescente pressão da contra-revolução, que é apoiada pelos imperialistas mundiais.


É tarefa de todos os comunistas Árabes continuarem a luta democrática em combinação com o próximo passo –



a transição da luta democrática para a luta socialista.


É tarefa dos comunistas Árabes mobilizarem a classe trabalhadora, que é o principal factor essencial da revolução.


Ambas as tarefas têm de ser cumpridas:


1. apoiar as acções dos trabalhadores


2. elevar a sua consciência comunista


A educação ideológica é muito importante.


Não há movimento socialista revolucionário sem teoria revolucionária dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo.


Hoxhaismo - esta é a ideologia mais avançada do Marxismo-Leninismo-Estalinismo.


É dever do comunista Árabe espalhar os ensinamentos dos 5 Clássicos do Marxismo -Leninismo em todo o mundo Árabe.


O Comintern (EH) promete apoiá-lo na realização desta tarefa urgente.


Vamos publicar todos os textos disponíveis em língua Árabe.


Ser um verdadeiro comunista Árabe significa contar com as suas próprias forças para fornecer os trabalhadores do mundo Árabe com os ensinamentos do camarada Enver Hoxha. Vocês devem traduzir as suas obras - agora !


Isto tem que ser organizado de forma sistemática.


O Comintern (EH) recomenda a todos os comunistas Árabes que realizem colectivamente a tradução do importante livro do camarada Enver Hoxha:


"Reflexões sobre o Médio Oriente"


Uma página após a outra devem ser traduzidas em língua Árabe e enviadas para nós – para que possamos publicá-lo neste web-site.


Desejamo-vos muito sucesso no cumprimento desta tarefa tão importante.


A revolução Árabe não triunfará se os comunistas Árabes não lutarem contra o revisionismo e todo o tipo de oportunismo.


Caso contrário, o mundo Árabe não pode ser libertado do imperialismo mundial e dos seus lacaios Árabes.


Precisamos de camaradas revolucionários do mundo Árabe que construam uma nova Secção Árabe do Comintern (EH)!


Viva o camarada Enver Hoxha!


Viva a Primavera Árabe!


Por um mundo Árabe socialista num mundo socialista!


Viva a revolução socialista mundial!


Viva o internacionalismo proletário!


Vivam os 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo:


Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!


Viva o Comintern (EH)!


– Wolfgang Eggers –



Comintern (EH)



 

 

 

REFLECTIONS ON THE MIDDLE EAST

 

1958 — 1983 Extractos do diário político,

TIRANA, 1984


Como resolver a questão da organização das Secções da Internacional Comunista (EH)?



Carta do camarada

Wolfgang Eggers


Camaradas!

Nós já estamos numa situação revolucionária mundial. O que é que isso significa para nós, revolucionários mundiais?

Isso significa que, a partir de agora, o relógio da revolução universal avança mais rápido. A revolução socialista mundial tornou-se numa tarefa concreta que temos não só de resolver politicamente e ideologicamente, mas também organizacionalmente.

Como revolucionários, temos de responder às exigências e criar as condições organizacionais para a realização das nossas ideias revolucionárias nos países individuais. Devemos tornar-nos plenamente conscientes deste novo desafio, se queremos que o proletariado nos leve a sério.

Vamos em frente, porque nós não podemos ficar para trás ou sermos atropelados pelo crescente movimento revolucionário mundial. Isso não significa avançar de uma forma que ninguém seja capaz de seguir. Tanto ir atrás do movimento como ir correndo muito à sua frente são fenómenos que devem ser evitados ideológica, política e organizacionalmente.


Qual é o fenómeno predominante no presente?

A nossa análise das actuais forças revolucionárias mostra que este problema prevalece: depois de mais de meio século de maré baixa revolucionária, nós, os comunistas temos dificuldades para nos ajustarmos à actual situação revolucionária dentro de um curto espaço de tempo.

É, infelizmente, conhecido que muitos companheiros tendem a ficar para trás do novo desenvolvimento revolucionário no mundo. É muito difícil para eles livrarem-se das suas ideias antiquadas sobre o Partido Comunista. Eles duvidam de sua pertença a um partido mundial totalmente novo nas condições globalizadas da luta de classes.

Nós não perguntamos se é permitido ser membro de um partido mundial. Nós perguntamos se ele é útil e necessário ou não.

Por que é que o proletariado de um país não se organiza num partido mundial? Será que é um privilégio só reservado para a burguesia mundial organizar-se globalmente? Quem quer proibir-nos de participar no nosso partido mundial?

O que fazemos é: levar a nossa estrutura organizacional em harmonia com a nova estrutura objectiva do mundo globalizado da luta de classes.

A lei do socialismo é que a tendência da globalização socialista está a tornar-se cada vez mais importante e que as velhas tendências do socialismo num país isolado e os partidos comunistas de estilo antigo estão a perder importância. A lei do desenvolvimento socialista atribui mais importância ao partido mundial no que diz respeito ao aspecto organizacional.

Não é claro que os partidos comunistas de velho tipo precisam de uma mudança no curso da tendência mundial do socialismo?

Não é claro – nas condições globalizadas – que, no futuro, os partidos comunistas só podem cumprir as suas tarefas no seu país se eles estiverem organizados em Secções do partido mundial?

O proletariado mudou muito. A globalização do capitalismo criou uma classe proletária global. Isto significa que o partido mundial é a organização proletária global. A transformação das suas políticas mundiais dentro de cada país do mundo é realizada por meio das suas Secções. Então, nós só adaptamos a nossa nomeação ás condições objectivamente mudadas da classe globalizada do proletariado.

O ser humano está mudando globalmente e, portanto, determina a mudança nas nossas concepções prévias do partido no mundo.

Então o que é realmente ficar atrás do movimento revolucionário, hoje?

É possuir uma consciência revolucionária inadequada.

A pergunta é: Como podemos perfeitamente reorganizar os nossos partidos comunistas nos países, adequadamente aplicados à luta de classes global do futuro?

Os partidos comunistas dos países devem ser organizacionalmente equipados para as acções conjuntas do proletariado de todos os países - devem ser centralizados - capazes de concentrarem os seus golpes globais contra os contra-ataques globais da burguesia mundial.

Como podemos melhorar a nossa consciência sobre a questão organizacional?

Este é o ponto crucial: Em que direcção devem os partidos comunistas dos países em desenvolvimento ir no aspecto organizacional - nas condições da globalização.


A resposta certa é: organizar-nos como uma Secção do partido mundial!

Ou os partidos comunistas se tornam partes integrantes organizativas do partido mundial como Secções, ou eles estão condenados á liquidação ou degeneração - causada pelo seu isolamento nacional em face dos golpes globalmente organizados da contra-revolução imperialista mundial.

A resposta organizacional correcta decide, hoje, sobre o destino de cada partido comunista.

Quão bom é o Estalinismo-Hoxhaismo se não somos capazes de resolver correctamente a questão organizacional?

A questão da organização dos partidos comunistas é uma questão ideológica da luta de classes e deve servir os interesses organizacionais do proletariado mundial.

É um desafio da nossa luta contra a organização do neo-revisionismo e pode ser comparada com a vitória de Lenine na luta contra o Menchevismo organizacional.

O Estalinismo-Hoxhaismo é o desenvolvimento da aplicação da luta de Lenine contra o Menchevismo organizacional – á escala global.

O Estalinismo-Hoxhaismo é, portanto, uma resposta da organização do proletariado mundial, a forma de lidar com a crise actual do capitalismo global.

O proletariado mundial será vitorioso apenas se for capaz de se organizar a nível mundial. E isso é possível se os comunistas de todos os países se organizarem nas Secções do Comintern (EH).

Este novo tipo de organização global é o factor decisivo e é a única garantia para a derrubada do capitalismo.


Camaradas!

Assim como o proletariado num único país é uma parte inseparável do proletariado mundial, também as Secções são partes inseparáveis do Comintern (EH). Nós reforçamos a nossa unidade global, não só ideologicamente, mas consequentemente também organizacionalmente.

O que é uma Secção da Internacional Comunista (EH)?

Todas as novas Secções são fundadas pelo Comintern (EH). As Secções são os representantes do Comintern (EH) nos seus próprios países e lutam nas suas situações particulares.

O partido mundial não tem nomes diferentes em países diferentes. Deve haver nomes uniformes para todas as Secções. Assim, a "Secção Portuguesa do Comintern (EH)", a "Secção Alemã do Comintern (EH)”, etc. todas as Secções têm o mesmo status e isto é expresso na sua nomenclatura uniforme.



Camaradas!

"a sua própria revolução mundial" e o Partido Comunista "a sua revolução no seu próprio país." Isso é incompatível com o internacionalismo proletário, e na era da globalização é ridículo e suicida. A revolução em cada país é parte indivisível da revolução mundial. É parte indivisível do partido mundial. Não está, em parte, fora do Comintern (EH) e, logicamente, nós não estamos fora do partido mundial. Esta é a nossa vontade inequivocamente expressa nas decisões do Comintern (EH).


Esses camaradas que colocam os interesses gerais do proletariado mundial acima dos interesses do proletariado no seu próprio país são verdadeiros camaradas das Secções do Comintern (EH). Isto não é equivalente á negação de interesses especiais e das condições do proletariado num país individual. Pelo contrário! Para este efeito, o Comintern (EH) tem as suas Secções que actuam de forma independente e auto-suficiente no seu próprio país, de acordo com todas as outras Secções, de acordo com o Comintern (EH), como um partido de todo mundo. De modo algum as Secções representam exclusivamente os interesses especiais do proletariado do próprio país. Uma Secção não quer ser algo melhor do que qualquer outra Secção. Nós não somos nacionalistas e chauvinistas comparáveis ​​com os partidos da II Internacional. Somos membros do Partido Mundial, com igualdade de direitos e obrigações. Somos e sempre seremos 100% internacionalistas e nada menos.

Para os camaradas que não concordam, dizemos muito honesta e abertamente: Se vocês não aceitam estes princípios organizacionais básicos do internacionalismo proletário, se vocês os consideram apenas como uma figura decorativa, sem assumirem as consequências organizacionais que lhes estão inevitavelmente associadas - então vocês são livres na vossa decisão. Somos parte do partido proletário mundial. Temos orgulho em nos juntarmos ao exército proletário da revolução mundial! O proletariado de cada país irá convencer-se pelas suas próprias experiências sobre a crescente crise mundial. O inimigo em cada país tornou-se num inimigo global e, portanto, devemos organizar-nos globalmente se queremos derrubar o capitalismo mundial, inclusive o capitalismo no nosso país.

A confiança fraterna e a unidade estão sendo gradualmente restauradas entre os comunistas de diferentes países por meio da cooperação das Secções do Comintern (EH).

Este, por sua vez, irá criar condições para acções revolucionárias conjuntas por parte dos trabalhadores de diferentes países.

Somente essas acções - organizadas pelo partido mundial e suas Secções - podem garantir o desenvolvimento mais sistemático e o sucesso mais provável da revolução socialista mundial.

Esta é a essência da questão organizacional das Secções do Comintern (EH).


Viva o Comintern (EH) e todas as suas novas Secções!

Seremos vitoriosos porque

falamos a UMA só voz,

lutamos com UMA só organização,

marchamos a UM só ritmo,

que sente com UM só coração comunista

– EM TODO O MUNDO!

Viva o internacionalismo proletário!

Viva a unidade do proletariado mundial e a unidade do Movimento Mundial Estalinista-Hoxhaista!

Esta decisão histórica é um grande salto em frente

– Para a revolução socialista mundial!

– Em direcção ao comunismo mundial!


Wolfgang Eggers


O Comintern (EH)




 

 

 

Novo

 

Enver Hoxha – Arquivo

em língua Farsi

آرشیو انور خوجه به زبان فارسی

 

 

 

Novo

em língua FARSI

"Revolução Mundial" Órgão central

AGORA

Disponível em 11 línguas do mundo !!

 

 

 

AlbanêsAlemãoInglêsFrancêsGeorgianoItalianoFarsiPortuguêsRussoSérvioEspanhol

 


 

Por ocasião do início da Segunda Guerra Mundial

A Alemanha Nazi invadiu a Polónia

1 de Setembro de 1939

1 de Setembro de 2013

Viva o dia anti-guerra vermelho!

 

Por uma manifestação colossal global contra as guerras imperialistas!

Guerra contra as guerras imperialistas!!


Hoje, comemoramos o dia internacional contra as guerras imperialistas. Como a sua própria designação indica claramente, a guerra imperialista é inerente ao imperialismo – o último estágio do capitalismo. Para a burguesia imperialista, a guerra é apenas outro meio para realizar os seus objectivos finais de maximização do lucro. O imperialismo significa guerra como as nuvens escuras significam chuva. Desde o final do século XIX - início do século XX, quando o imperialismo foi estabelecido, o mundo conheceu uma série interminável de guerras imperialistas. Uma das primeiras delas foi a Primeira Guerra Mundial, que foi enganosamente qualificada pela burguesia como "a guerra que porá fim a todas as guerras". Mas isso nunca poderia enganar qualquer comunista autêntico com um conhecimento mínimo das leis económicas e materiais que regem os processos de formação e de acumulação imperialista. Num prefácio ao seu livro,
O imperialismo – etapa superior do capitalismo, o camarada Lenine afirmou com precisão que:


(…) com esta base económica (capitalismo moderno, monopolista, à escala mundial), as guerras imperialistas são absolutamente inevitáveis enquanto subsistir a propriedade privada dos meios de produção.” (Lenine, O imperialismo – etapa superior do capitalismo, Prefácio ás edições Francesas e Alemãs, 6 de Julho de 1920, edição em Português)


E, de facto, somente a partir da Primeira Guerra Mundial, a classe burguesa capitalista-imperialista causou a Segunda Guerra Mundial, a Guerra da Coreia, a guerra do Vietname, a guerra no Afeganistão, as guerras do Iraque I e II, a guerra do Biafra, as guerras dos Balcãs, só para mencionar apenas alguns exemplos. E neste exacto momento, o imperialismo mundial está prestes a intensificar as guerras que foi lançando na Síria e no Oriente Médio. A única maneira de eliminar total e definitivamente a inevitabilidade das guerras imperialistas é aniquilar completamente o sistema capitalista - imperialista mundial através da revolução socialista mundial armada e violenta pela ditadura do proletariado mundial, o socialismo e o comunismo mundiais sempre de acordo com os ensinamentos invencíveis dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha.


No entanto, não podemos confundir as guerras imperialistas reaccionárias com as guerras civis revolucionárias e não podemos nunca esquecer que, nos casos em que as guerras imperialistas ocorrem antes do advento da revolução socialista mundial, o proletariado mundial liderado pelo seu partido comunista de vanguarda – o Comintern (EH) – vai transformar essas guerras imperialistas reaccionárias em guerras civis revolucionárias que abrirão o caminho para a futura ordem socialista e comunista mundial.



Proletários, camponeses e soldados do mundo – transformem as guerras imperialistas reaccionárias em guerras civis revolucionárias!


Destruam o capitalismo – imperialismo mundial!


Viva a revolução proletária socialista mundial!


Viva o socialismo e o comunismo mundiais!


Viva o Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo!


Viva o Comintern (EH)!


 

 

A revolução mundial

e a Guerra imperialista

LINHA-GERAL

Da Internacional Comunista

(Estalinistas-Hoxhaistas)

 

 

 

 

 

Abaixo todos os inimigos internos e externos do povo Sírio!


Imperialistas do mundo - fora da Síria !


Guerra anti-imperialista contra a guerra imperialista!


Para baixo com todas forças de "oposição" reaccionárias que abusam da revolução das pessoas para os seus objectivos nacionalistas reaccionários!


Vamos derrubar o regime reaccionário de Assad!

 


Viva a unidade dos povos da Síria - a paz, a democracia e o socialismo - contra todas as forças contra-revolucionárias que derramaram o sangue do povo Sírio!

 


A ajuda humanitária para os refugiados Sírios que sofrem dentro e fora da Síria é urgentemente necessária. A nossa solidariedade pertence em primeira linha a eles!



A luta de libertação do povo Sírio é invencível!

 

Viva a Primavera Árabe!

 




Abaixo tanto as forças mundiais imperialistas como todos os ditadores Árabes – Assad inclusivamente!



Por uma Síria livre num mundo Árabe livre!

 


Viva o internacionalismo proletário!

Viva a classe operária da Síria - a principal força da revolução Síria!


O camarada Enver Hoxha ensina-nos que não podemos derrotar o imperialismo mundial sem derrotar todos os seus lacaios reaccionários em cada país!

 



Abaixo todos os tipos de exploração e opressão do povo Sírio!

 


Abaixo todas as forças revisionistas que apoiam Assad (que está apoiado pelos imperialistas Russos, pelos social-imperialistas Chineses, pelo regime islâmico sangrento do Irão, etc.).


Abaixo todas as ditaduras Árabes burguesas feudais que abusam da revolução para os seus próprios interesses de exploração e opressão!


Abaixo a guerra feita pelos imperialistas ocidentais, liderados pelos imperialistas Americanos que exploram e oprimem o mundo Árabe!


Liberdade, paz e pão para as classes exploradas e oprimidas da Síria!

 




Recomendamos estudar o livro do camarada Enver Hoxha: "Reflexões sobre o Médio Oriente":


Foto: Down with all internal and foreign enemies of the Syrian people!   World imperialists - hands off Syria !  Anti-imperialist war against imperialist war !   Down with all the reactionary so called  'oppositional' forces who misuse the revolution of the people for their nationalist reactionary aims !  Overthrow of  the  reactionary Assad-Regime !   Long live the unity of the peoples in Syria - for peace, democracy and socialism - against all the counter-revolutionary forces who shed the blood of the Syrian people !  Humaniterian aud for the suffering Syrian refugees within and outside of Syria is urgently needed. Our solidarity belongs in first line to them !  The liberation struggle of the Syrian people is invincible !  Long live the Arab spring !   Down with BOTH he world imperialist forces and all Arab dictators - Assad inclusively !  For a free Syria in a free Arab world !  Long live proletarian internationalism !   Comrade Enver Hoxha teaches us that you cannot defeat world imperialism without defeating all its reactionary  lackeys in ones own country !  Down with all kinds of exploitation and oppression of the Syrian people !  Long live the Syrian working class - the leading force of the Syrian revolution !  Down with all revisionist forces who support Assad (who is on his part backed by the Russian imperialists, the Chinese social-imperialists, the bloody Islamic Regime of Iran etc.)  Down with all the Arab bourgeois-feudal dictatorships who misuse the revolution for their own interests of exploitation and oppression !  Down with the war mongering Western imperialists with the US-imperialists at the head  who exploit and oppress the Arab world !  Freedom, peace and bread for the exploited and oppressed classes of Syria !    We recommend to study the book of comrade Enver Hoxha: 'Reflections on the Near and Middle East':    English:  http://ciml.250x.com/archive/hoxha/english/enver_hoxha_reflections_on_the_middle_east.pdf    Russian:  http://ciml.250x.com/archive/hoxha/russian/enver_hoxha_reflection_on_the_middle_east_rus.pdf    Spanish:  http://ciml.250x.com/archive/hoxha/spanish/enver_hoxha_reflexiones_sobre_oriente_medio_esp.pdf    Greek:  http://www.enverhoxha.ru/Archive_of_books/Greek/enver_hoxha_reflections_on_the_middle_east_greek.pdf    French:  http://ciml.250x.com/archive/hoxha/french/enver_tome5.pdf    Danish:  http://ciml.250x.com/archive/hoxha/danish/mellemosten.html    German:  http://ciml.250x.com/archive/hoxha/german/eh_iran.html



Inglês:

Russo:

Espanhol:

Grego:

Francês:

Dinamarquês:

Alemão:





 

 

 O orgulho do Bolchevismo mundial
(Poema de Konrad Klinger)


1.
Eu sei, a luta de classes e o Bolchevismo não são como em 1903
mas há apenas uma diferença, era um outro tempo
os problemas ainda estão presentes no mundo capitalista e imperialista mundial A avaliação é a mesma:
eles exploram os trabalhadores e proletários, todos os dias, uma e outra vez.

Os heróis Bolcheviques passaram a vida, um dia o Bolchevismo mundial e revolução socialista mundial farão os nossos inimigos de classe pagar.
Os homens que trabalham têm 5 dias por semana, 10 horas por dia
Os políticos burgueses, Trotskistas e Mencheviques dizendo mentiras e, em seguida, eles aumentam o imposto.
Eu só quero ver esses bastardos dentro de sacos para cadáveres.



2.
Mas os Bolchevistas mundial usam a sua maior arma:

O Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo é a nossa voz
Todos os Maoistas, os revisionistas, Trotskistas, liquidadores são lixo, o proletariado mundial deve ser a escolha
Porque nós e o Bolchevismo mundial somos o futuro da nossa terra.
A destruição do capital mundial – os recursos que produzem os bens socialistas mundiais nas nossas mãos!
Nada poderia ser acontecer sem o homem trabalhar.
Quando estamos juntos, nós podemos fazê-los compreender.
Por isso, vamos ficar juntos, vamos mostrar-lhes o que a palavra Bolchevismo realmente significa.

Palavra do proletariado - classe trabalhadora mundial -
uma nova geração sem um passado sujo.
Orgulho - classe operária - orgulho do proletariado mundial - oi ! oi ! oi !
orgulho, orgulho do proletariado mundial - nós temos que lutar pelo nosso direito oi ! oi ! oi !
Orgulho – orgulho do Bolchevismo mundial oi ! oi ! oi !
Orgulho - orgulho da classe trabalhadora - oi ! oi ! oi !
Orgulho - para o nosso direito - oi ! oi ! oi !


 

 

Novo

em língua Alemã

Os problemas do Socialismo á Luz da teoria Marxista-Leninista e das Experiências históricas do PTA

Foto Cami - "Albanien heute" - Nr. 2 / 1980

 

Parte 1

Parte 2

 

 

 

 

Acerca da ciência histórica e do sucesso do seu desenvolvimento Marxista-Leninista

 

Stefanaq Pollo - "Albanien heute" - Nr. 2 / 1980

 

 

 

Acerca da Revolução Cultural na Albânia

 

Tefte Cami - "Albanien heute" - Nr. 2 / 1980

 

Parte 1

Parte 2

 

 

 

em língua Russa

Algumas questões da construção socialista na Albânia e da luta contra o revisionismo

Tirana 1971

НАЦИОНАЛЬНАЯ КОНФЕРЕНЦИЯ
СОЦИАЛЬНЫХ ИССЛЕДОВАНИЙ
Ноябрь 1969 г.

 

Graças ao site: enverhoxha.ru

 

 

 

 

ERNST AUST ENVER HOXHA

 

25 de Agosto de 1985 - / - 11 de Abril de 1985

 

[ ambos os camaradas faleceram em 1985 ]

 

 

25 de Agosto de 1985 – 25 de Agosto de 2013

Há 28 anos, faleceu o camarada Ernst Aust, líder do KPD / ML. Este líder do proletariado Alemão foi um grande amigo da Albânia socialista de Enver Hoxha. Ele também foi um comunista genuíno que lutou contra todos os tipos de revisionismo e de anti-comunismo tanto no seu país dividido entre fascismo e social-fascismo como no resto do mundo. Ele e o seu legado invencível permanecerão para sempre nas mentes e nos corações de todas as classes exploradas e oprimidas.

Viva o camarada Ernst Aust!

Viva o socialismo e o comunismo!

Viva o Comintern (EH)!

 

ENVER HOXHA

APENAS SOB A LIDERANÇA DE UM VERDADEIRO PARTIDO MARXISTA-LENINISTA PODEM SER ATINGIDOS OS OBJECTIVOS

De uma conversação com Ernst Aust

Presidente do

Partido Comunista da Alemanha (M-L)

30 de Novembro de 1979

 

em língua Inglesa

em língua Alemã

em língua Francesa

em língua Russa

 

O Sucedido ao Rei de Portugal

3 de Março de 1908

Novo

em língua Inglesa

 

Enver Hoxha

 

A DEMOCRACIA PROLETÁRIA É A DEMOCRACIA VERDADEIRA

 

1978

Também em albanês

 

 

 

A Revolução Árabe irá remover todos os obstáculos de seu caminho e terminar o derramamento de sangue!


Os povos Árabes que amam a liberdade são mais fortes que o imperialismo mundial e todos os seus lacaios Árabes, ditadores militares e reaccionários feudais e religiosos!


Ao lançar sangrentas guerras civis, a burguesia Árabe cava a sua própria cova! As classes exploradoras são as classes decadentes!


O futuro do mundo Árabe está nas mãos da classe operária revolucionária!

 

Não há nem democracia em estados religiosos, nem em Estados seculares que servem o Estado das classes exploradoras.

Somente através da derrubada do Estado burguês e da criação do Estado socialista, em que apenas os trabalhadores, camponeses e soldados estão no poder, a democracia pode ser alcançada pela maioria das pessoas.

Sob o domínio do imperialismo mundial, nas condições da globalização contra-revolucionária, não há caminho para a liberdade, a democracia e o socialismo sem revoluções e guerras civis. Mesmo no mundo Árabe. O derramamento de sangue mostra que as classes dirigentes Árabes não podem fazer nada sem violência contra a revolução do povo. A classe dominante nunca desiste de seu poder voluntariamente. Na sua luta por melhores "posições", as diferentes forças da burguesia pisam os interesses sociais e nacionais dos povos Árabes. As classes dominantes da sociedade Árabe não são nada além de proprietários de escravos ao serviço das potências imperialistas mundiais. No entanto, a revolução varre a todos. A crise do capitalismo mundial causou a crise do domínio do Islamismo e cria melhores condições para o fortalecimento da revolução democrática em curso no âmbito de todo o mundo Árabe. Quanto mais profundo e mais abrangente for o processo de democratização realizado pelo povo, mais seguro e mais fácil será o próximo passo revolucionário em direcção ao socialismo.

"Islamismo e secularismo", etc., etc. Esta polarização traduz o crescente conflito entre as classes exploradoras e exploradas, é principalmente a expressão da crescente luta de classes entre a burguesia e o proletariado. Este conflito de classe só pode ser resolvido com sucesso pela revolução socialista da classe trabalhadora, que é guiada pelo Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo.

A contra-revolução presente no mundo Árabe é iniciada, executada e controlada globalmente. Portanto, só pode ser removida por uma frente revolucionária unida globalmente. As guerras civis na sociedade Árabe são um fenómeno internacional. Elas são uma parte imanente da aproximação guerra civil internacional em que o proletariado mundial triunfará sobre o imperialismo mundial.

Prossigamos com a revolução Árabe!

Abaixo a Contra-Revolução Árabe!

Abaixo com as potências imperialistas e seus lacaios Árabes!

Pela derrubada revolucionária dos estados Árabes burgueses feudais!

Viva o poder dos operários, camponeses e soldados!

Dêem aos povos: Liberdade, Paz, Trabalho e Pão!

Para os capitalistas e seus lacaios: nada além de expropriação!

Viva o internacionalismo proletário!

Viva a revolução proletária socialista mundial!

Viva o socialismo e o comunismo mundiais!

Viva o Comintern (EH)!

 

 

 

em língua Norueguesa

Arbeidere i alle land, forén dere!

Marx-Engels Arquivo

Lenine Arquivo

Estaline Arquivo

Enver Hoxha Arquivo

 

 

 

Novo

em língua Russa

 Enver Hoxha

"Reflexões acerca do Médio Oriente"

 

Энвер Ходжа.

Размышления о Среднем Востоке.

 

1958-1983. Из политического дневника

 

Graças ao site enverhoxha.ru

 


 

13 de Agosto de 1913 – 13 de Agosto de 2013

 

100º

Aniversário da Morte de August Bebel

 

 

Viva August Bebel -

Um grande líder revolucionário do movimento operário Alemão e internacional!

 

 

 

AUGUST BEBEL

[em imagens]

 

Funeral de Bebel em Zurique

 

 

Mensagem do Comintern (EH) por ocasião do 100º aniversário da morte de August Bebel


Há cem anos atrás, o camarada August Bebel morreu.


Junto com Wilhelm Liebknecht (pai de Karl Liebknecht), ele fundou o Partido Social-Democrata da Alemanha - em 1869. Neste ano, este fundador do partido proletário tinha apenas 29 anos e já há 3 anos era um membro da Primeira Internacional. August Bebel não foi apenas o fundador do maior partido de massas social-democrata no mundo, mas ele liderou este partido Marxista continuamente durante 44 anos - até ao seu último suspiro. Nesta longa batalha Bebel provou-se como um excelente Marxista. Como um filho leal de sua classe e companheiro e amigo de Marx e Engels, August Bebel foi um líder indiscutível dos trabalhadores na história do movimento operário socialista revolucionário. Ele era um verdadeiro socialista, um tribuno do povo, a voz e o punho do proletariado na luta para a "expropriação dos expropriadores".


Num momento em que o capitalismo ainda estava em ascensão, bem como no momento em que o imperialismo Alemão elevou a sua espada sangrenta contra o povo, o camarada Bebel - como um dos socialistas Europeus mais activos e mais talentosos - denunciou corajosamente os crimes das classes exploradoras e seus instrumentos estatais de repressão.

Em 1870 ele opôs-se firmemente á anexação da Alsácia-Lorena. Ele era o ponta de lança contra o militarismo Alemão e foi - junto com Wilhelm Liebknecht - o único eleitor dissidente no "Reichstag" contra os créditos da Guerra Franco-Alemã. Ele entendeu muito bem que a guerra contra a França só servia os interesses da classe burguesa que escandalosamente se enriquecia com o comércio de armas, enquanto os filhos dos trabalhadores morriam no campo de batalha. O camarada Bebel nunca teve medo de mostrar solidariedade com as classes trabalhadoras Francesas e apoiar explicitamente a Comuna de Paris:


No Reichstag, ele exclamou:


"... Não esqueçam, todo o proletariado Europeu e todos o que ainda trazem uma sensação de liberdade e independência no peito, olham para Paris... e apesar de Paris estar a ser suprimida no momento, então eu lembro-vos de que a luta em Paris é apenas uma pequena escaramuça, em contraste com as principais que vão acontecer na Europa dentro de algumas décadas. O grito de guerra do proletariado de Paris: “Guerra dos palácios, paz para as cabanas, morte da angústia e do ócio!” será o grito de guerra de todo o proletariado Europeu." (1871)


As habilidades organizativas de Bebel e o seu poder de oratória rapidamente o transformaram em um dos líderes dos socialistas e em seu principal porta-voz no parlamento burguês. Mas ao contrário de outros que seguiram um caminho reformista, o camarada Bebel sempre subordinou as actividades parlamentares à luta intransigente contra a exploração burguesa por uma sociedade sem classes e sem propriedade.

Sob a supervisão directa de Marx e Engels, August Bebel criou a social-democracia Alemã como a vanguarda do movimento operário revolucionário internacional. Assim, August Bebel tornou-se no indiscutível porta-estandarte do Marxismo no movimento operário internacional social-democrata.


Com a ajuda teórica de Marx e Engels, August Bebel escreveu o programa Marxista e os estatutos do Partido Social-Democrata da Alemanha (Eisenach), que foi baseado directamente nas fundações da Primeira Internacional.


August Bebel foi o grande líder da Segunda Internacional e defendeu o seu espírito Marxista contra as forças reformistas poderosamente em crescimento. Só depois da morte de August Bebel, a Segunda Internacional foi transformada completamente em um instrumento contra-revolucionário da burguesia mundial.


Tendo abraçado a ideologia e princípios Marxistas desde o início, Bebel entendeu que todos os tipos de exploração e opressão que afectam os trabalhadores só poderiam ser definitiva e totalmente aniquiladas quando o capitalismo for eliminado e o socialismo e o comunismo sejam finalmente realizados.


Estas posições de princípio justificadamente fizeram a burguesia considerar o camarada Bebel como um perigoso inimigo que deveria ser neutralizado a todo custo. De facto, durante o regime de Bismarck, os socialistas Alemães foram duramente perseguidos e líderes como Bebel e Liebknecht foram condenados a longas penas de prisão em condições desumanas [as leis anti-socialistas de 1878 - 1890]. Mas nem mesmo esta repressão selvagem conseguiu deter o camarada Bebel de afirmar os princípios Marxistas e o internacionalismo proletário genuíno. August Bebel lutou contra todas as correntes oportunistas que se desviaram para o "socialismo" burguês sob a pressão da lei anti-socialista. Foi a primeira vez na história, quando o partido começou a educar a classe trabalhadora na organização de tácticas ilegais da luta de classes. Isto levou à vitória depois de doze anos. Estas experiências foram mais tarde úteis, especialmente para o partido ilegal dos Bolcheviques.


Após o fim da lei anti-socialista, August Bebel continuou lutando como deputado social-democrata no Reichstag. Ele defendeu posições anti-monárquicas e denunciou o despotismo dos imperadores Alemães. Ele também foi um combativo anti-imperialista, especialmente um anti-colonialista. August Bebel sempre denunciou fortemente os crimes terríveis cometidos pelo imperialismo Alemão em todo o mundo - especialmente as políticas genocidas travadas por ele contra os Hereros e outros povos indígenas na África Alemã - e que foram prontamente qualificadas pelo camarada Bebel como "não só bárbaras, mas bestiais. "Como um autêntico Marxista, ele sabia que as "teorias" pró-capitalistas nacionalistas e racistas que foram surgindo têm a finalidade de alienar, dividir e enfraquecer os trabalhadores, e assim infinitamente perpetuar o reinado de exploração da burguesia imperialista em busca da maximização do lucro.


Ele pediu união entre proletários oprimidos de todos os países, a fim de derrotar e destruir seus inimigos comuns da classe exploradora. Além disso, o camarada Bebel também proporcionou importantes contribuições para a emancipação das mulheres. O seu grande livro As mulheres e o socialismo mostrou que apenas sob o socialismo e o comunismo as mulheres podem ser totalmente livres de todos os tipos de opressões e explorações a que são constantemente submetidas sob o capitalismo. Neste livro, Bebel firmemente desmascarou a verdadeira natureza da instituição do matrimónio, um dos principais instrumentos que as classes exploradoras sempre usaram ​​e continuam a usar para escravizar as mulheres e para mantê-las em estado de prostituição. A publicação deste livro foi usada pelos revisionistas como pretexto para atacar o camarada Bebel e falsamente apelidá-lo de "sectário". Este foi o caso de Vollmar e de sua escola, que tinha o objectivo de impedir a realização do socialismo negando os princípios Marxistas por defender que o capitalismo deve ser mantido eternamente, porque não pode ser destruído, mas apenas "melhorado".


O camarada Bebel e os outros socialistas Alemães conseguiram derrotar não só esta "Escola Vollmar" burguesa-reformista, mas também os "esquerdistas" jovens socialistas de Berlim que desejavam um abandono absoluto da acção parlamentar. A luta simultânea de Bebel contra o oportunismo de direita e de "esquerda" foi muito louvável e instrutivo para o desenvolvimento do movimento operário revolucionário, apesar de todas as suas fraquezas.

Bebel empurrou para trás a crescente influência do bernsteinianismo. Bebel conquistou uma vitória esmagadora sobre o renegado Bernstein e todos os reformistas em Hannover (1889) e em Dresden (1903) no Partido do Congresso, mas ele não pode impedir o avanço da degeneração revisionista após a morte de Friedrich Engels. Foi culpa de Bebel em particular, e da social-democracia revolucionária Alemã em geral, tolerar os renegados dentro do partido. O partido não tinha demitido os revisionistas. Assim, a primeira agência da burguesia surgiu no seio do Partido Trabalhista. E a úlcera oportunista espalhou-se no partido e transformou parte dos grandes trabalhadores Marxistas antes tão orgulhosos num cadáver. Esta é a lição mais importante.


Marx e Engels, bem como Lenine e Estaline reconheceram a importância internacional de August Bebel:


Karl Marx


Bebel foi "uma aparição única dentro da classe trabalhadora Alemã (você pode dizer dentro da "classe trabalhadora Europeia" (carta de Marx a Engels, 16 de Setembro de 1882).


Friedrich Engels:


Em uma carta a Sorge, Engels escreveu em 1882: "Bebel é um dos líderes que tem se comportado também nesta matéria da melhor forma". [Ou seja, de resistir aos renegados]. Depois da morte de Karl Marx, Engels foi o líder espiritual indiscutível do movimento operário internacional. Em sua correspondência com August Bebel, a táctica da luta de classe dos partidos socialistas assumiu uma posição central. August Bebel recebeu conselhos práticos valiosos de Friedrich Engels sobre a necessidade de romper com os oportunistas.


Lenine:

No momento da sua morte, Bebel foi elogiado por VI Lenine como um "líder operário modelo", que tinha provado a si mesmo capaz de "fazer o seu próprio caminho" a partir de ser um trabalhador comum para se tornar num líder político na luta por um "melhor sistema social."


Em uma carta ao SDGP Lenine escreveu: "Nós compartilhamos a sua dor pela perda de um dos líderes mais proeminentes da social-democracia revolucionária internacional."

"Com a morte de Bebel perdemos não apenas o líder social-democrata Alemã, que teve a maior influência entre a classe trabalhadora, e era muito popular com as massas, mas no curso de seu desenvolvimento e da sua actividade política, Bebel era a personificação de todo um período histórico na vida internacional, bem como da social-democracia Alemã".

"O período de preparação das forças da classe trabalhadora em todos os países é uma etapa necessária para o desenvolvimento da luta pela emancipação do proletariado, e ninguém pode se comparar com August Bebel como uma personificação brilhante das peculiaridades e atribuições deste período. Como trabalhador, ele provou ser capaz de trilhar o seu próprio caminho até ás convicções socialistas e tornar-se num líder modelo para os trabalhadores, um representante e participante da luta de massas dos escravos assalariados do capital por um melhor sistema social."


"Houve um tempo, durante a lei anti-socialista, quando August Bebel cometeu erros oportunistas, mas o partido corrigiu esses erros e Bebel apontou o caminho."

"Bebel é, sem dúvida, uma tal autoridade significativa no movimento proletário internacional, um guia experiente com tal prática, um socialista de tal sentimento para com as necessidades da luta revolucionária que de 100 casos ele foi capaz de ajudar em 99 casos, mesmo quando ele deu um passo errado aqui e ali."


"Também é profundamente injusto falar em geral sobre o "actual" Bebel oportunista. Não há motivos para tal generalização. Devemos criticar os erros dos líderes Alemães sem medo e abertamente, se quisermos ser fiéis ao espírito de Marx e ajudar os socialistas Russos a serem iguais nas tarefas actuais do movimento dos trabalhadores. Bebel esteve, sem dúvida, equivocado em Essen, bem como quando ele defendeu Noske, quando ele defendeu a divisão de guerras em defensiva e ofensiva, quando atacou o método de luta dos "radicais" contra Van Kol, quando ele negou (com Singer) a falha e falácia das tácticas da delegação Alemã em Stuttgart. Não devemos esconder esses erros, mas devemos usá-los como exemplo para ensinar os sociais-democratas Russos como evitá-los e viver de acordo com os requisitos mais rigorosos do Marxismo revolucionário."

Estaline:

"Seus discursos estrondosos no parlamento Alemão, em que ele atacou a aristocracia, rasgou a máscara dos liberais e ridicularizou "o governo imperial", e seus longos anos de actividade nos sindicatos, todos mostram que Bebel, o fiel guardião dos interesses do proletariado, apareceu onde a luta era mais quente, onde foi necessária a sua energia proletária fervente.


É por isso que os socialistas Alemães e internacionais reverenciam Bebel.


Claro, Bebel cometeu erros, quem não comete? (Só os mortos não cometem erros.) Mas todos os pequenos erros são insignificantes quando contrastados com os serviços que Bebel tem prestado no Partido, que hoje, depois de 42 anos de liderança por Bebel, tem mais de 600.000 membros, cerca de 2.000.000 trabalhadores organizados nos sindicatos, goza da confiança de 3.000.000 para 4.000.000 eleitores, e por um aceno de mão pode organizar manifestações de centenas de milhares de pessoas na Prússia.


Essa é a vida e as actividades de Bebel, sim, muito velho, mas nunca tão jovem de espírito, de pé, como antigamente, em seu posto na expectativa de novas batalhas e vitórias.

Só o proletariado militante poderia ter produzido um homem como Bebel, viril, eternamente jovem e eternamente olhando para a frente.


Apenas a teoria do socialismo científico poderia ter dado uma ampla margem para a natureza exuberante de Bebel, para os seus incansáveis ​​esforços para destruir a decadência do velho mundo capitalista.


A vida e as actividades de Bebel testemunham a força e a invencibilidade do proletariado, pelo inevitável triunfo do socialismo.


Vamos, então, camaradas, enviar saudações ao nosso amado professor August Bebel!

Deixem que ele sirva de exemplo para nós, trabalhadores Russos, que sabemos da necessidade de Bebels no movimento operário.


Viva Bebel!


Viva a social-democracia Internacional!


Rosa Luxemburg disse de August Bebel:


"A vida de Bebel é como um livro aberto para o proletariado em luta, em que se pode ler em cada página:


Somente através de incansáveis lutas pelos resultados práticos palpáveis, na luta política e económica, através da acção parlamentar e impressão em massa de qualquer forma, mas ao mesmo tempo, apenas através da constante e inabalável concentração de toda a batalha no objectivo final socialista, a causa do proletariado pode conquistar a vitória - apesar da tempestade e stress.”


Ainda hoje, os dirigentes social-democratas reaccionários decoram-se com a vida e obra revolucionária de August Bebel, porque ela está profundamente enraizada no proletariado Alemão. O Comintern (EH) arranca a máscara de todos os reaccionários burgueses, oportunistas e revisionistas que ainda procuram se esconder atrás de August Bebel. August Bebel pertence ao proletariado revolucionário mundial - e a mais ninguém! Ele era um lutador do socialismo proletário - sempre em estrita demarcação dos defensores do socialismo burguês!


O grande mérito histórico de Bebel foi levar os trabalhadores para longe da influência da burguesia, para uni-los em um trabalho Marxista num partido independente e, assim, liderar as lutas de classe de forma independente contra a burguesia - com a finalidade da sua queda e ruína.


Nós, Estalinistas-Hoxhaistas, prestamos homenagem ao camarada Bebel, que é um modelo e inspiração para nós no caminho para a revolução socialista mundial, a ditadura proletária mundial, o socialismo e o comunismo mundiais baseados no Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo. Vamos sempre defender o legado socialista revolucionário e proletário do camarada Bebel.



Viva o camarada August Bebel!

Viva o internacionalismo proletário!

Viva o Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo!

Viva a revolução proletária e socialista mundial!

Viva a ditadura do proletariado mundo!

Viva o socialismo e o comunismo mundiais!

Viva o Comintern (EH)!






AUGUST-BEBEL-Arquivo


O Comintern (EH) apresenta agora o maior arquivo mundial “August Bebel” online. 

[um ARQUIVO BEBEL ainda maior está também disponível em língua Alemã]

 

 

 

FRIEDRICH ENGELS

5 de Agosto de 1895 – 5 de Agosto de 2013

Mensagem do Comintern (EH) por ocasião do 118º aniversário da morte do camarada Engels


 


Hoje, comemoramos o 118º aniversário do dia da morte do camarada Engels. O legado do camarada Engels é imortal. Ele viverá para sempre nas mentes e nos corações de cada trabalhador e de cada verdadeiro comunista. O camarada Engels é o segundo Clássico do Marxismo-Leninismo e, portanto, ele é um dos principais teóricos da ideologia comunista. O camarada Engels é o autor de vários livros como "Anti-Durhing" e "A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado" que são considerados como estando entre as obras mais importantes do socialismo científico e que, sem dúvida, contribuem para a abertura do caminho para a emancipação total e definitiva das classes oprimidas contra a exploração capitalista.


O camarada Engels também foi o amigo e colaborador mais íntimo do camarada Marx, e durante e depois da morte de Marx, Engels se esforçou por defender, consolidar e desenvolver o Marxismo. Seguindo as lições do camarada Marx (o primeiro Clássico do Marxismo-Leninismo), Engels continuou a desenvolvê-las e explicou a verdadeira natureza exploradora e opressora inata do capitalismo com uma precisão científica notável numa época em que o capitalismo ainda estava em ascensão e o seu carácter monopolista e imperialista ainda estava numa fase embrionária. Além disso, o camarada Engels foi também um dos maiores internacionalistas proletários de todos os tempos, e ele desempenhou um papel fundamental como co-fundador (juntamente com o camarada Marx) da Primeira Internacional. Na verdade, já durante a sua vida, o camarada Engels teve que lutar contra os revisionistas que queriam privar o marxismo do seu carácter genuinamente revolucionário e proletário e transformá-lo numa ideologia reformista totalmente inofensiva para a burguesia. Mas ele conseguiu desmascará-los e condená-los a todos, nunca permitindo que as influências burguesas e revisionistas pudessem desviar os trabalhadores mundiais do caminho da autêntica ideologia socialista Marxista, até porque o camarada Engels sabia muito bem que as leis socio-económicas de produção exigem que o socialismo e o comunismo não são apenas meras possibilidades, mas são verdadeiras necessidades históricas.


Hoje, o Comintern (EH) é o único verdadeiro defensor não só do camarada Engels, mas também de todos os outros Clássicos, já que é impossível apoiar um dos Clássicos sem apoiar igualmente também todos os outros, sem excepção. Com base nos ensinamentos invencíveis dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo, nós marchamos resolutamente em direcção á revolução socialista mundial, á ditadura do proletariado mundial, ao socialismo mundial e ao comunismo mundial.


Viva o camarada Engels, o segundo Clássico do Marxismo-Leninismo!

Vivam os 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!

Viva a revolução socialista mundial e a ditadura proletária mundial!


Viva o socialismo e o comunismo mundiais!


Viva o Comintern (EH)!

 

em língua Inglesa

PORTUGUÊS

em língua Indonésia

 

 

 

Novo

em língua Inglesa

Acerca da Primeira Internacional



 

Novo

Arquivo do PTA

em língua Grega

em língua Albanesa

 

 

 

Novo

Arquivo do Comintern

em língua Indonésia

 

 

 

Abaixo os social-fascistas

"Cinco de Cuba"!

 


Abaixo o apoio que lhes é fornecido pelos revisionistas e neo-revisionistas de todo o mundo!





Os "5 de Cuba": Gerardo Hernández, Antonio Guerrero, Ramón Labañino, Fernando González e René González.



Desde há muitos anos, revisionistas e social-fascistas de todo o mundo não têm poupado esforços supostamente a favor da "libertação" dos chamados "5 de Cuba". Eles têm recorrido a todos os meios a fim de apresentar estes cinco agentes do social-fascismo Cubano como sendo "heróis socialistas" supostamente envolvidos numa luta mortal contra as forças omnipotentes do imperialismo Americano.


Claro, não é difícil compreender que essa defesa dos "5 de Cuba" está logicamente incluída numa campanha muito mais geral de apoio ao revisionismo cubano cujo objectivo é inculcar veneno social-fascista nas mentes dos trabalhadores mundiais, mantendo-os assim longe do Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo como a única ideologia verdadeiramente revolucionária capaz de levá-los para a construção socialista e comunista bem sucedida á escala global. Na verdade, a descrição destes cinco agentes social-fascistas como "heróis socialistas" é uma parte deliberada de um plano traiçoeiro fabricado pelos revisionistas desde há muitas décadas atrás: apresentar a Cuba Castroista como estando em "oposição absoluta e irreconciliável" supostamente frente ao imperialismo Americano, isto é, para apresentar a Cuba revisionista como sendo uma nação socialista que supostamente estaria num combate permanente, incansável contra o imperialismo dos EUA devido aos sistemas político-económico-sociais supostamente contrários dos dois países. Assim, de acordo com os social-fascistas, temos aqui a pequena Cuba Castroista com a sua suposta "ordem socialista" a ter que enfrentar as forças colossais da superpotência imperialista dos EUA. Sem dúvida, este mito cria uma aura "aventureira" e mesmo "romântica", que, apesar de ser inteiramente falsa, engana e atrai muitos trabalhadores para o lado do social-fascismo Cubano. A fábula dos "cinco heróis socialistas Cubanos" é apenas uma das inúmeras tácticas, estratégias e lendas fabricadas pelos Castroistas em todo o mundo a fim de manterem os proletários do mundo enganados sobre a natureza burguesa-capitalista, exploradora, opressora e anti-comunista da Cuba revisionista, onde uma tirania social-fascista reprime duramente os trabalhadores Cubanos e as outras classes oprimidas do país desde 1959 em benefício da maximização do lucro dos seus amos imperialistas e social-imperialistas. No nosso artigo, "Abaixo o revisionismo Cubano!", já explicámos e analisámos as origens, causas, desenvolvimento e consequências do social-fascismo Castroista Cubano, por isso, neste pequeno texto só vamos concentrar a nossa atenção no tema dos "5 de Cuba".

Como nos referimos, os "5 de Cuba" são, na verdade, nada mais do que cinco agentes Castroistas que foram capturados em Miami pelo FBI em 1998 e foram mantidos na prisão desde então pela burguesia imperialista Norte-Americana. Enquanto isso, os tribunais do império EUA condenaram cada um deles a penas de prisão de longas décadas por espionagem, conspiração, actuação como agentes de um governo estrangeiro e outras actividades que os próprios imperialistas Norte-Americanos estão sempre promovendo no exterior em seu favor, mas que são qualificadas por eles como sendo "ilegais" quando essas actividades são feitas contra eles por lacaios de imperialismos rivais – como ocorre neste caso. No entanto, ao contrário do que os apoiantes da Cuba social-fascista afirmam, este episódio nunca tem absolutamente nada a ver com o socialismo, mas é uma mera consequência inevitável e natural das rivalidades inter-imperialistas. E da mesma forma, os cinco social-fascistas Cubanos também não têm absolutamente nada de heróico e muito menos de socialista. Eles são apenas um grupo de espiões Castroistas que estavam nos EUA tentando descobrir os planos da burguesia imperialista Americana para derrubar a burguesia social-fascista Castroista e reconquistar o seu antigo controlo absoluto sobre Cuba. Mais precisamente, eles eram agentes Castroistas infiltrados entre os grupos de Miami compostos pelos representantes da antiga burguesia compradora Cubana pró-Americana que foi privada das suas posições, lucros e privilégios de classe e foi substituída pela burguesia Castroista pró-Soviética (e, mais tarde, pró-Chinesa) como classe dominante exploradora compradora de Cuba. O objectivo desses grupos de Miami – que são fortemente apoiados, financiados e armados pelo imperialismo Norte-Americano – é derrubar o regime Castroista a fim de restaurar o domínio total neo-colonial do imperialismo Americano sobre Cuba.


Portanto, longe de serem "heróis socialistas", os tão propagandeados e idealizados "5 de Cuba" são apenas cinco lacaios do revisionismo Cubano (e dos seus actuais mestres social-imperialistas Chineses) que foram presos e condenados por uma superpotência imperialista cujas classes dominantes são rivais daquelas ás quais eles servem. Nada mais do que isso. A burguesia imperialista Americana agiu de forma totalmente normal. Ela quer reconquistar o seu antigo domínio colonialista exclusivo sobre Cuba e, consequentemente, é lógico que os imperialistas Norte-Americanos façam o possível para evitar que os espiões Castroistas saibam os seus planos. A burguesia social-fascista que governa Cuba faz exactamente o mesmo quando consegue prender agentes pró-Americanos na ilha. Tudo isso é totalmente normal no contexto do combate entre a burguesia capitalista-revisionista Castroista (e os seus patrões social-imperialistas Chineses) e a burguesia imperialista Americana pelo domínio total e exclusivo sobre Cuba. Se nós adoptarmos "argumentos" dos revisionistas Cubanos, então também os agentes pró-Americanos presos pelos Castroistas devem ser considerados como "heróis socialistas" porque não há diferenças básicas entre eles e os "5 de Cuba": todos eles servem zelosamente as classes exploradoras burguesas-capitalistas-imperialistas-revisionistas e anti-comunistas que regem os seus respectivos países com o objectivo de as ajudar a conhecer os planos e as fraquezas dos seus concorrentes a fim de realizarem a expansão imperialista e a maximização do lucro.


Esta é a verdade por trás das lendas sobre os "cinco heróis socialistas Cubanos" supostamente "vítimas" do imperialismo Norte-Americano, mas que são – como a própria Cuba social-fascista – meros personagens secundários no contexto de uma realidade infinitamente maior: a da luta pelo domínio do mundo entre o imperialismo Americano em declínio e o social-imperialismo Chinês em ascensão. Assim, a apresentação destes cinco agentes do revisionismo Cubano como "heróis socialistas" também contribui para ocultar o verdadeiro carácter da China revisionista como superpotência imperialista à beira do domínio mundial sob falsas máscaras "vermelhas" e "comunistas".


E nós apenas temos que prestar atenção aos que são os principais defensores dos "5 de Cuba" para compreendermos a natureza e os objectivos totalmente reaccionários e anti-comunistas de tal "apoio". Entre os mais ferrenhos defensores do social-fascismo Cubano podemos encontrar os partidos revisionistas mais poderosos e influentes que incansavelmente insistem em qualificar os cinco agentes Castroistas como sendo "heróis defendendo o socialismo". Por exemplo, em 2006, o Partido "Comunista" da Grécia revisionista organizou uma reunião de 68 partidos social-fascistas de todo o mundo na qual foi exigida:


(...) A imediata libertação dos cinco jovens heróis Cubanos que estão sequestrados há já sete anos nas prisões dos EUA." (http://inter.kke.gr/IntAct/int-meet/int-meet2005/2005-int-meet-resolu/2005-solidar-Cuba/view?searchterm=Cuban%20five%20heroes, Solidarity statement with Cuba, 2006, traduzido da versão em língua Francesa)


E os revisionistas Portugueses do P "C" P também estão sempre prontos para afirmar escandalosamente que:


"Estes cinco Cubanos são heróis." (http://www.avante.pt/pt/1979//116957/, Avante!, Heróis, de facto, de 2011, versão em Português)


Então, como pode ser observado, os adeptos e defensores da Cuba Castroista em todo o mundo não param diante de nada para espalharem e inculcarem as suas mentiras e fábulas anti-socialistas nas mentes dos trabalhadores mundiais. Eles não hesitam em recorrer às traições mais terríveis a fim de manterem o proletariado mundial longe do Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo verdadeiramente revolucionário. Na verdade, muitas das "organizações" anti-comunistas que defendem a Cuba social-fascista e os "5 de Cuba" já estiveram ligadas à defesa dos outros social-fascistas no passado. Por exemplo, os actuais líderes da organização revisionista Francesa "PRCF" (ver:
http://www.initiative-communiste.fr/articles/international/un-heros-libre-a-cuba/) estavam entre os promotores dos famosos "comités de defesa" que apoiaram os membros das cliques social-fascistas das antigas colónias Soviéticas. Quando essas cliques compradoras exploradoras pró-Soviéticas foram substituídas por cliques compradora exploradoras pró-Americanas, os novos amos imperialistas Americanos, naturalmente, garantiram que os antigos fantoches pró-Soviéticos recebessem punições exemplares para que todos soubessem que aqueles que ousaram tornar-se marionetas neo-coloniais de qualquer outro imperialismo para além do Americano pagaria caro por essa desobediência. Mas os social-fascistas Franceses do "PRCF" ainda hoje, invariavelmente, insistem na mentira de que os membros das antigas burguesias revisionistas neo-coloniais pró-Soviéticas foram perseguidos porque supostamente "são símbolos do socialismo contra o capitalismo Americano". Então, o elogio que o "PRCF" faz dos "5 de Cuba" é totalmente lógico e compreensível: uma organização que não tem problemas em defender explicitamente e despudoradamente Erich Honecker e Mengistu Hailemariam também não tem problemas em apoiar a classe burguesa social-fascista Cubana e os seus cinco lacaios. Os revisionistas do "PRCF" e das outras organizações anti-socialistas de todo o mundo estão ansiosos para defender todos aqueles que estão envolvidos na repressão anti-comunista e no massacre dos autênticos Marxistas-Leninistas com o objectivo de impedir a realização do verdadeiro socialismo e comunismo. Por isso, é óbvio que o apoio á Cuba Castroista e revisionista, aos seus mestres sociais-imperialistas e aos seus agentes social-fascistas nunca poderia faltar.


Mas as mais perigosas são as organizações neo-revisionistas que supostamente lutam "contra o revisionismo" (apenas em palavras, sendo revisionistas nos actos), mas que estão também em solidariedade com os "5 de Cuba". Não só os Maoistas, mas também a ICMLPO, e os Americanos do "Expresso Stalinist", Nina Andreyeva da Rússia e muitas mais organizações que supostamente “defendem” o camarada Enver Hoxha (que tinha rigorosamente condenado e criticado o social-fascismo Cubano!). Os anti-comunistas do “Expresso Stalinist” até chegam ao ponto de publicarem o link do “Committee to Free the Cuban Five” (traduzido: “Comité para a Libertação dos Cinco de Cuba”) no site deles (ver: http://espressostalinist.wordpress.com/online-library), desmascarando assim a sua natureza inteiramente revisionista. Aliás, todos estes traidores que afirmam ser "anti-revisionistas” apoiam a Cuba social-fascista. Por isso dizemos:


"Abaixo os neo-revisionistas – o principal perigo no movimento comunista mundial!"


Nós, Estalinistas-Hoxhaistas, nunca vamos desistir da nossa luta invencível em favor da revolução socialista mundial, da ditadura do proletariado mundial. Nós lutamos contra o imperialismo Norte-Americano, o social-imperialismo Chinês, revisionismo / social-fascismo Castroista Cubano e todos os seus lacaios, porque efectivamente lutamos pela abolição total e definitiva da inevitabilidade de todos os tipos de capitalismo, revisionismo, imperialismo, fascismo, exploração, opressão, escravidão, etc. Mas nós sabemos que para conquistar a classe trabalhadora e as outras classes exploradas e oprimidas do mundo para a nossa ideologia verdadeiramente revolucionária e comunista, temos que desmascarar e condenar as calúnias e mentiras reaccionárias inventadas e espalhadas pelos revisionistas e social-fascistas com o objectivo de perpetuar eternamente o sistema explorador e opressor capitalista-imperialista mundial e de impedir a construção do socialismo e do comunismo mundial de acordo com os ensinamentos imortais dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo e sob a liderança de aço do Comintern (EH). Assim, esperamos que este breve texto possa contribuir para o esclarecimento e elucidação da questão dos "5 de Cuba".



Trabalhadores, camponeses e soldados de todo o mundo – uni-vos!


Não se deixem enganar pelas mentiras e mitos dos revisionistas Cubanos e dos seus adeptos em todo o mundo!


Os chamados "5 de Cuba" não são nada mais do que um grupo de agentes social-fascistas e pró-social-imperialistas!


Eles não são heróis socialistas, mas criminosos revisionistas!


Lutem contra os Castroistas, que são os lacaios do imperialismo mundial e do social-imperialismo!

A Cuba revisionista é um estado social-fascista que reprime violentamente e engana as massas trabalhadoras!


Sob a liderança do Comintern (EH), o proletariado mundial vai destruir os revisionistas, social-fascistas e a sua ordem e mentiras perversas!


Viva a fundação de Secções do Comintern (EH) em todos os países do planeta!


Morte ao imperialismo Norte-Americano, ao social-imperialismo Chinês e a todos os seus lacaios!


Viva a revolução mundial socialista e a ditadura proletária mundial!


Viva o socialismo e o comunismo mundiais!


Vivam os 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!

Viva o Comintern (EH)!

 

1903 - 2013

 

110 ANOS DE

BOLCHEVISMO

 

 

Viva o

Bolchevismo Mundial ! 

 

 

Viva o 110º aniversário do Congresso de Londres!

 

30 de Julho de 1903 - 30 de Julho de 2013

 


Lenine fala ao Segundo Congresso do Partido Operário Social-Democrata Russo - 1903

 

Mensagem do Comintern (EH)  



Hoje, comemoramos o 110º aniversário do Congresso de 1903 do Partido Operário Social-Democrata Russo em Londres. Devido às condições internas da Rússia no momento, ou seja, devido à repressão czarista anti-comunista, este II Congresso dos Bolcheviques Russos teve de ser realizado em Londres.


No entanto, nem o camarada Lenine nem qualquer dos seus camaradas esqueceram por um momento a situação da Rússia e eles utilizaram este Congresso como um meio para fazerem avançar a ideologia Marxista e a luta comunista a fim de prepararem as classes exploradas e oprimidas da Rússia para a derrubada revolucionária do despotismo czarista e para a realização posterior da ditadura do proletariado e para a construção socialista e comunista de acordo com o socialismo científico Marxista. Na verdade, o Congresso de Londres ocorreu numa época em que o capitalismo monopolista estava a expandir-se e a consolidar o seu carácter imperialista, e assim os Bolchevistas Russos liderados pelo camarada Lenine esforçaram-se com todas as forças contra a expansão imperialista da Rússia, porque a expansão imperialista e a reacção interna estão intrinsecamente e inevitavelmente ligadas entre si.


Além disso, o Congresso de Londres também foi um campo de batalha entre o revisionismo e o Marxismo autêntico, com o camarada Lenine a derrotar com sucesso as tentativas de Martov e de Trotsky para transformarem o POSDR num partido burguês-capitalista-reformista em que os revolucionários profissionais seriam substituídos por membros intermitentes. Portanto, este II Congresso do POSDR – no qual a divisão entre Bolcheviques (verdadeiros comunistas) e Mencheviques (reformistas) foi efectivada - é também uma fonte de valiosas lições anti-revisionistas para nós Estalinistas-Hoxhaistas.


Em 1903, a luta Marxista da revolução socialista na Rússia e em todo o mundo ainda estava a organizar-se e a preparar os seus fundamentos futuros. Mas graças aos esforços do camarada Lenine e dos outros Bolcheviques Russos, a gloriosa Revolução de Outubro seria vitoriosa contra os inimigos de classe exploradores e opressores apenas 14 anos após o Congresso de Londres. Este foi um enorme triunfo não só para o proletariado Russo, mas também para todo o proletariado mundial, porque a Grande Revolução de Outubro de 1917 foi de facto o primeiro passo da futura revolução socialista mundial, do socialismo e do comunismo á escala global. E o Congresso de Londres de 1903 é sem dúvida um dos exemplos das capacidades de trabalho e das realizações militantes dos Bolcheviques Russos que contribuíram para as vitórias inesquecíveis do ano de 1917.




Viva o Congresso de Londres de 1903!


Viva o camarada Lenine e os Bolcheviques Russos!


Viva a Grande Revolução de Outubro!


Viva a revolução proletária e socialista mundial!


Viva a ditadura do proletariado mundial!


Viva o socialismo e o comunismo mundiais!


Viva o Comintern (EH)!


site especial...


 

Manifesto do Partido Bolchevique Mundial

2003

 

 

 

25 - 7 - 2013

Email de um antigo camarada da ÁUSTRIA

Olá camaradas do Comintern (EH)!

Muitos Comunistas evitam o termo “Estalinismo” porque ele evocaria alegadamente a “estigmatização dos comunistas” – como eles dizem.

Explicitamente, eu sou pelo Estalinismo, porque eu quero expressar – entre outras coisas – que sou contra qualquer tipo de degeneração revisionista!

Além disso, eu não me deixo influenciar pelas mentiras espalhadas pelo inimigo de classe acerca de Estaline. A luta contra o anti-comunismo começa com a luta contra o anti-Estalinismo. É óptimo ler os vossos documentos. Os vossos objectivos são correctos!

Com saudações comunistas
Max

(um antigo camarada da Áustria)

Viva a Internacional Comunista de Lenine e de Estaline!

 

 

 

em língua Inglesa

NOVO! IMPORTANTE!

"O Caminho do Partido Mundial" – Órgão Teórico –

 

Abaixo o

revisionismo Coreano!

(PDF)

Decidido e publicado pelo

Comintern (EH)

No dia 24 de Julho de 2013

 

Índice

 1 - Introdução

2 - Coreia: das origens à partição

2.1 - História concisa da Coreia

2.2 - Desenvolvimento e deficiências do movimento comunista na Coreia

2.3 - Ascensão da burguesia nacional Coreana

2.4 – A divisão brutal da Coreia

3 – A ideologia Kim Il Sungista

3.1 – Uma "teoria" revisionista, social-fascista e anti-socialista

3.2 - Uma prática revisionista, social-fascista e anti-socialista

3.3 – O social-fascismo Norte-Coreano: da "independência" demagógica á subserviência neo-colonial relativamente ao imperialismo e ao social-imperialismo

3.4 - A lenda enganosa do "sistema de bem-estar social" da Coreia do Norte

4 - Conclusões

5 - Galeria de Imagens

5.1 - Kim Il Sungismo: uma ideologia totalmente e intrinsecamente reaccionária e anti-comunista

5.2 - A luta das classes trabalhadoras Coreanas contra a classe burguesa social-fascista Norte-Coreana


"Kim Il Sung é um pseudo-Marxista

vacilante, megalomaníaco e revisionista" 

ENVER HOXHA

Acerca da COREIA

 

Colecção de citações

 

 

 



 

Günter Ackermann divulga na Alemanha a propaganda do Partido social-fascista de Portugal

 

 

 

 

Comentário da Secção Portuguesa do Comintern (EH)

 

Em relação à distribuição de propaganda do P “C” P na Alemanha, é realmente assustador para nós comunistas Portugueses saber que os revisionistas Portugueses contam com os seus seguidores para espalharem e expandirem o seu veneno social-fascista para outros países. A divulgação de tais "documentos" por um ex-camarada do KPD / ML significa apoiar os partidos social-fascistas na Europa, cujo objectivo é prolongar a sobrevivência da ordem capitalista-burguesa-imperialista mundial e dos seus fins lucrativos. Juntamente com o partido revisionista da Grécia, o P "C" P é um dos mais poderosos partidos social-fascistas revisionistas de todo o nosso continente, estendendo as suas influências nocivas nos parlamentos burgueses, sindicatos amarelos, etc.


Não saberá Günter Ackermann que o P "C" P elogia a opressão e o assassinato dos verdadeiros Marxistas-Leninistas e que os revisionistas Portugueses são defensores confiantes e explícitos de todos os estados social-fascistas antigos e actuais como a RDA?


Günter Ackermann deveria ter vergonha de se ter esquecido de ter pertencido ao KPD / ML do camarada Ernst Aust, que prestou tão grandes serviços na luta contra o revisionismo.

 

21 de Julho de 2013

Secção Portuguesa

A Internacional Comunista

(Estalinista-Hoxhaista)


em língua Russa

  ENVER HOXHA


"Vinte Anos da Nova Albânia Socialista "

1964

graças ao site: www.enverhoxha.ru


em língua Portuguesa

LENINE

Esquerdismo: Doença Infantil do Comunismo

1920 

 

em língua Inglesa

novas publicações da Albânia Socialista :

 

 

 

PROJECTO DA CONSTITUIÇÃO (1976)

 

CONSTITUIÇÃO (1964)

 

 

A Constituição do PTA

 

PARTE 1

 

PARTE 2

 

Uma nova vitória da política do PTA – o bem-estar do povo

 

(1976)

 

Um Congresso Social-Democrata dos revisionistas Franceses

 

(1976)

 

A Demagogia dos Revisionistas Soviéticos

 

(1969)

 

 

 

O Congresso dos Revisionistas Soviéticos

 

(1976)

 

Um novo passo na luta contra o oportunismo

 

(1977)

 

O Congresso da Restauração Capitalista e do Social-

 

Imperialismo

 

(1971)

 

 

 

 

Uma análise do Património Cultural da Albânia

 

e como, após a libertação do país do fascismo, em 1944, o povo foi capaz de apreciar este tesouro histórico pela primeira vez.

Todas estas publicações graças a:

 

http://michaelharrison.org.uk

 

 

 

 

 

 

ENVER HOXHA

10 de Julho de 1943 – 10 de Julho de 2013

Viva o 70º aniversário da fundação do Exército Albanês de Libertação Nacional!


 


 

A Conferência de Labinot onde o EALN foi fundado

 


"Os eventos que ocorreram desde a Conferência de Peza e as principais tarefas que surgiram ditaram a necessidade de uma reunião regular do principal fórum da Frente de Libertação Nacional, o Conselho Geral Provisório, no início do Verão de 1943. Essa reunião foi essencial tanto para analisar o trabalho feito pelo Conselho e por cada um dos seus membros individuais como para tomar uma série de decisões que o momento histórico impunha. A principal dessas decisões tinha a ver com a proposta do CC do PCA sobre a formação do Estado-Maior Geral e da organização do nosso Exército de Libertação Nacional, uma tarefa que tinha sido apresentada em Peza em Setembro de 1942 e para a qual as condições da sua realização já tinham amadurecido totalmente." (Enver Hoxha, Laying the Foundations of the New Albania, Tirana, 1984, traduzido da edição em Inglês)


Hoje, comemoramos o 70º aniversário da fundação do Exército Albanês de Libertação Nacional. O EALN liderado pelo camarada Enver Hoxha foi a ferramenta essencial que permitiu ao povo trabalhador Albanês alcançar a vitória tanto sobre os invasores Nazi-fascistas imperialistas externos como sobre os seus lacaios internos e também sobre outros exploradores e opressores nacionais. O EALN foi liderado pelo Partido Comunista da Albânia, que colocou a luta do povo trabalhador Albanês contra todos os tipos de opressão e exploração no caminho correcto e invencível da ideologia Marxista-Leninista-Estalinista. Os comunistas Albaneses liderados pelo camarada Enver nunca deixou que qualquer tipo de desvios revisionistas afastassem os trabalhadores Albaneses do único caminho para a autêntica, total e definitiva libertação: a implantação da ditadura do proletariado, a construção socialista e comunista. E de facto, durante os vários anos de incessantes combates brutais contra os invasores, exploradores e opressores externos e internos, o EALN e a sua liderança comunista nunca perderam de vista estes objectivos como sendo seus únicos objectivos finais. O EALN e a sua liderança comunista mantiveram-se fiéis ao Marxismo-Leninismo-Estalinismo em todos os aspectos. Apesar do facto de que a Albânia era um país predominantemente camponês, isso não impediu os comunistas Albaneses de permitirem que os poucos proletários Albaneses que existiam desempenhassem um papel de liderança no EALN e dentro do CPA, porque o papel dirigente do proletariado na preparação e no triunfo da revolução é insubstituível e inevitável – negá-lo ou recusá-lo é sempre sinónimo de revisionismo e de anti-socialismo. Durante o seu caminho difícil e árduo, o EALN teve que recorrer a várias estratégias para garantir o triunfo na guerra, mas em nenhum momento os camaradas Albaneses adoptaram tácticas oportunistas que pudessem ser incompatíveis com os seus propósitos finais da construção socialista e comunista. Os comunistas Albaneses liderados pelo camarada Enver nunca entregaram a liderança da sua luta por estes objectivos (durante e depois da guerra), em favor da burguesia nacional, nem mesmo da sua ala "esquerda" e "radical", o que nos permite descrever a luta dos camaradas Albaneses como sendo o único exemplo de uma luta Marxista-Leninista-Estalinista genuinamente correcta e íntegra fora da União Soviética Bolchevique. E o mesmo aconteceu até depois da vitória estar garantida, quando o EALN liderado pelo camarada Enver impediu os revisionistas Jugoslavos de transformarem a Albânia em sua colónia e o CPA num partido totalmente revisionista e anti-comunista de tipo Titoista.


Hoje, nós, Estalinistas-Hoxhaistas, devemos aprender com as experiências valiosas do ENA sob a liderança do CPA durante a Guerra de Libertação da Albânia em favor do triunfo da revolução socialista, da ditadura do proletariado e do socialismo e do comunismo na Albânia, a fim de prepararmos o futuro Exército Vermelho Mundial sob a liderança do Comintern (EH), durante a guerra global para o triunfo da revolução socialista, da ditadura do proletariado, do socialismo e do comunismo em todo o mundo.

Viva o EALN liderado pelo CPA e pelo camarada Enver Hoxha!


Viva a vitória do povo trabalhador Albanês na guerra de libertação!


Viva a construção socialista e a ditadura proletária na Albânia do camarada Enver!


Vivam os 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!


Viva a revolução socialista mundial e a ditadura proletária mundial!

Vivam o socialismo e o comunismo mundiais!


Viva o Comintern (EH)!

 

site especial...

em

língua Inglesa

língua Alemã

língua Albanês

língua Russo

 

 

 

 

Poema da Secção Alemã do Comintern (EH)

A revolução mundial é a nossa vitória!


Aprendemos a lutar com Estaline, aprendemos a lutar com Enver.
Nós temos a arma na nossa mão - Somos mais fortes do que antes, unidos venceremos sempre.
Queremos uma nação socialista europeia num mundo socialista em que vivamos em unidade.
O nosso grito de batalha e de guerra de classes para todos os tempos será: a revolução socialista mundial é a nossa vitória!

Orgulho mundial de classe! Trabalhadores de todos os países - uni-vos! Proletários de todo o mundo - unam todos os países!
Nós não acreditamos nas mentiras que eles dizem sobre a nossa história.
Nós sabemos a verdade, estamos lutando pela vitória final na guerra de classes.
A guerra de classes e a revolução socialista mundial são o nosso prazer, o proletariado mundial está do nosso lado.
Na memória estão os nossos soldados que lutaram, sangraram e morreram. Orgulho mundial de classe!

 

 

 

 

3 de Julho de 2013

Morsi

Próxima Revolução:

"Revolução Mundial"!


Viva a Revolução no Egipto!


O Comintern (EH) congratula-se com a vitória do povo sobre o regime terrorista de Mursi!

O domínio dos capitalistas deve ser substituído por um governo provisório revolucionário, exclusivamente formado pelo povo.
O poder pertence unicamente ao povo revolucionário do Egipto.
O povo não compartilhará o seu poder nem com exploradores e opressores externos, nem com os seus lacaios no Estado e na sociedade internos.


A Internacional Comunista (Estalinista-Hoxhaista) apoia, assim, apenas um novo governo no Egipto como órgão político da própria revolta.
O Governo Revolucionário Provisório é o órgão executivo da insurgência, que combina todas as revoltas insurgentes e a sua liderança política do Egipto.


Os interesses políticos dos trabalhadores devem ser concedidos, permitidos e garantidos pelo novo governo revolucionário em que os trabalhadores são parte activa.


O proletariado deve ultrapassar todas as ilusões liberais constituintes, derrubar o Estado capitalista, estabelecer a ditadura do proletariado e ir em frente em direcção ao socialismo.

 

Vamos criar uma seção da Internacional Comunista (EH) no Egipto!

Povos Árabes uniam a vossa revolução á revolução no Egipto!

Povos de todo o mundo unam a vossa revolução com a revolução Árabe!

Proletariado mundial - conduz todos os povos do mundo em direcção à revolução socialista mundial e ao estabelecimento da República socialista mundial!

Vivam o socialismo e o comunismo mundiais!

 

site especial...

 

EGIPTO ...

 

 

 

 

Viva a revolta dos trabalhadores Brasileiros contra o fascismo e o imperialismo!


Mensagem de saudações do Comintern (EH)

22, jun 2013

 

Como vanguarda partidária do proletariado mundial, o Comintern (EH) expressa a sua profunda solidariedade internacionalista com os combates e revoltas das massas trabalhadoras Brasileiras contra os seus exploradores e opressores.

leia mais ...

 

 

 

 

RELATÓRIO DE ACTIVIDADE
DO COMITÉ CENTRAL DO PARTIDO
DO TRABALHO DA ALBÂNIA

 

Apresentado ao 8o Congresso do PTA
em 1 de Novembro 1981

Graças ao site: enverhoxha.ru 

 

 

68ª Parada da Vitória

J. Estaline
Marechal da União Soviética
Comandante-em-chefe supremo


22 de Junho de 1945, nº 370.

ORDEM DO DIA

DO COMANDANTE-EM-CHEFE SUPREMO

 

Para marcar a vitória sobre a Alemanha na nossa Grande Guerra Patriótica, eu ordeno que no dia 24 de Junho de 1945, na Praça Vermelha, em Moscovo, seja realizado um desfile de tropas do Exército em serviço activo, da Marinha e da guarnição de Moscovo - a Parada da Vitória.
A seguir, participarão: regimentos mistos das frentes, um regimento misto do Comissariado do Povo para a Defesa, um regimento misto da Marinha, as academias militares, escolas militares e as tropas da guarnição de Moscovo. A saudação nesta Parada da Vitória deve ser feita pelo meu vice, o marechal da União Soviética Zhukov. A Parada da Vitória estará sob o comando do marechal da União Soviética Rokossovsky. Confio a direcção geral da organização da parada ao coronel-general Artemyev, comandante das tropas da Área Militar de Moscovo e chefe da guarnição de Moscovo.

J. Estaline

Marechal da União Soviética

Comandante-em-chefe supremo

 

 

 

 

 

Viva o 68º aniversário da vitória Soviética na Grande Guerra Patriótica!



22 de Junho de 1945 – 22 de Junho de 2013


Hoje, nós comemoramos o 68º aniversário da vitória Soviética na Grande Guerra Patriótica, em que a URSS do camarada Estaline derrotou com sucesso a agressão imperialista Nazi-fascista, salvaguardando assim o socialismo no país e libertando as massas trabalhadoras da ameaça da dominação imperialista Nazi-fascista.


A luta para derrotar um inimigo tão poderoso que era apoiado pelo imperialismo Alemão em particular e pelo imperialismo mundial em geral foi cheia de obstáculos colossais e sacrifícios indescritíveis. A fim de livrar os trabalhadores do mundo do domínio imperialista Nazi-fascista explorador e opressor, mais de 20 milhões de trabalhadores Soviéticos e comunistas deram as suas vidas. É á União Soviética Estalinista que pertence o mérito imortal de ser a principal arquitecta da derrota do imperialismo Nazi-fascista, e isto nunca poderia ter sido realizado se a União Soviética Bolchevique não tivesse seguido um caminho Marxista-Leninista-Estalinista correcto e firme, se não tivesse estabelecido uma verdadeira ditadura do proletariado em direcção á construção do socialismo e do comunismo.


Somente a disciplina proletária de aço praticada pelo PCUS (B) permitiu o desenvolvimento de uma economia socialista forte independente da oligarquia imperialista mundial bem como a educação de uma brilhante geração de comunistas prontos a lutar pela defesa do socialismo até ás últimas consequências. Estes dois factores foram absolutamente decisivos para a realização da vitória Soviética na Grande Guerra Patriótica. Recordemos e celebremos este grande evento histórico que nos inspira a nós, Estalinistas-Hoxhaistas, no nosso caminho para a ditadura do proletariado mundial, o socialismo e o comunismo mundial, pois tal como os trabalhadores Soviéticos liderados pelo PCUS (B) foram vitoriosos contra o imperialismo Nazi-fascista, também os trabalhadores mundiais liderados pelo Comintern (EH) serão vitoriosos contra o imperialismo mundial.



Viva o PCUS (B)!


Viva União Soviética dos camaradas Lenine e Estaline!


O imperialismo é o produto inevitável do capitalismo – vamos aniquilá-los de uma vez por todas!


Viva a revolução socialista mundial!


Viva o Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo!


Viva o Comintern (EH)!

 


 

 

 

Clara Zetkin

 

5 de Julho de 1857

20 de Junho de 1933


 

 

 

Mensagem

por ocasião do 80º aniversário do dia do falecimento de

Clara Zetkin

 


Hoje, nós comemoramos o 80º aniversário do dia do falecimento de Clara Zetkin. Zetkin foi sem dúvida uma das maiores líderes comunistas que já existiram. Ela entendeu que a igualdade de género não pode ser plenamente alcançada sob um sistema burguês-capitalista e escravizante onde a posição inferior ocupada pela mulher na produção social e na vida doméstica cria a base material que determina a exploração e opressão das mulheres. Portanto, Zetkin defendeu que só o socialismo e o comunismo são capazes de realmente libertar as mulheres, que foram cruelmente escravizadas, exploradas e oprimidas por séculos. Zetkin dedicou-se à tarefa de difundir as ideias do socialismo entre as massas trabalhadoras femininas e defendeu que somente a luta pela realização de uma sociedade socialista e comunista vai permitir que as mulheres sejam finalmente emancipadas do trabalho doméstico não remunerado e também que elas possam chegar a uma completa consciência revolucionária comunista que irá garantir a melhoria da actividade das mulheres em todas as esferas da vida.

Ao contrário de muitos movimentos feministas burgueses que já envenenavam a consciência das mulheres trabalhadoras em favor da manutenção do capitalismo e da escravidão assalariada, Clara Zetkin reconheceu e firmemente salientou que apenas a União Soviética estava mostrando o caminho correcto para a libertação definitiva e total das mulheres de todos os tipos de opressão, exploração e alienação. Zetkin concluiu que, na União Soviética dos camaradas Lenine e Estaline, o estado de ditadura do proletariado concedia às mulheres uma existência digna, com pleno emprego e formação ideológica e profissional adequada. Zetkin compreendeu que na União Soviética dos camaradas Lenine e Estaline, as necessidades das mulheres foram totalmente satisfeitas em todos os aspectos relacionados não só com a vida profissional, mas também com a vida privada e com a maternidade. É por isso que Zetkin sempre defendeu que as mulheres verdadeiramente revolucionárias se devem unir á União Soviética bolchevique a fim de obterem a verdadeira liberdade que só pode ser alcançada numa sociedade sem propriedade, sem estado e sem classes.


No entanto, apesar dos seus méritos, a verdade é que Clara Zetkin também sofreu sérias debilidades ideológicas. Essas deficiências foram notadas pelos camaradas Lenine e Estaline e estavam relacionadas com a recusa da correcta tese Marxista-Leninista-Estalinista do social-fascismo, que salienta que a “social-democracia” reformista e o Nazi-fascismo são gémeos de classe, pois eles são o produto inevitável da ordem exploradora burguesa-capitalista e a sua inevitabilidade só pode ser inteiramente evitada por meio de uma autêntica ditadura do proletariado e da construção socialista sem qualquer tipo de concessões político-ideológicas às forças burguesas-capitalistas, nem mesmo àquelas que fingem ser "anti-fascistas", pois enquanto o capitalismo está vivo, a forma Nazi-fascista da ditadura da burguesia será sempre inevitável.


Apesar do contributo decisivo que a “social-democracia” deu á ascensão do Nazi-fascismo e de inúmeros outros factos históricos da época provarem a exactidão dessa tese para além de qualquer dúvida, Clara Zetkin rejeitou-a e devido a essa rejeição incorrecta, Zetkin injustamente criticou o glorioso KPD de Ernst Thalmann, que estava aplicando com sucesso a teoria do social-fascismo á luta dos trabalhadores Alemães contra a forma Nazi-fascista da ditadura burguesa, e cujo legado é zelosamente defendido pelo Comintern (EH). De resto, o abandono da tese Marxista-Leninista-Estalinista do social-fascismo será um dos principais factores que abrirá o caminho para a penetração e domínio revisionista no seio do movimento comunista mundial, nomeadamente a partir da sua negação pelas “teorias da frente unida” ultra-oportunistas de Dimitrov.


De qualquer forma, prestamos homenagem aos contributos positivos de Zetkin para o desenvolvimento e avanço do movimento comunista feminino que foram reconhecidos em todo o mundo já durante a sua vida e que são hoje em dia uma fonte de experiências valiosas para nós, Estalinistas-Hoxhaistas, na nossa luta pela ditadura do proletariado mundial, pelo socialismo mundial e comunismo mundial.



Viva o movimento feminino comunista mundial!


Viva a libertação da mulher através da revolução socialista mundial!


Viva o Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo!


Viva o Comintern (EH)!


 

 

Clara Zetkin ARQUIVO

 

 

 

em língua Italiana

"A revolução mundial"

Orgão central do

Comintern (EH)

 

em língua Espanhola

ENVER HOXHA

 

INFORME SOBRE A ACTIVIDADE DO COMITÉ CENTRAL DO PARTIDO DO TRABAJO DA ALBÂNIA


Apresentado perante o VIII Congresso do PTA 

1.° de novembro de 1981

Graças ao site: enverhoxha.ru 

 

 

 

O fascismo sufocará no sangue que ele derrama!  


 

Trabalhadores, trabalhadoras!

Juntamente com o ataque do Estado Turco contra o povo que tentava proteger o Parque Gezi Taksim da demolição, o povo da Turquia revoltou-se. A praça Taksim foi protegida bravamente perante o gás lacrimogéneo, os canhões de água, balas de borracha e cassetetes do governo do AKP. O povo revolucionário, progressista e democrático, os ambientalistas e todos aqueles que estão contra a opressão do AKP contribuíram para a resistência na Praça Taksim. Apesar das centenas de feridos, a resistência continuou resolutamente e a Praça Taksim foi defendida contra o fascismo do AKP.

Taksim está em toda a parte! A resistência está em toda a parte!

 

 


O terror do Estado fascista na Praça Taksim fez revoltar as pessoas de Istambul e doutras cidades do país. Os últimos dias testemunharam a disseminação da resistência a mais de 60 cidades da Turquia.

O fascismo sufocará no sangue que ele derrama!

O governo do AKP ainda reprime os revolucionários e as pessoas que fazem uso do seu direito de reunião. Aqui, milhares de pessoas foram presas e centenas de pessoas ficaram gravemente feridas pelas bombas de gás, balas de borracha e canhões de água da polícia. As ruas e praças são atordoadas pelo gás lacrimogéneo e os tanques são deliberadamente lançados contra as multidões.

Assim, por exemplo, Mehmet Ayvalitas foi atropelado num bairro de Istambul e perdeu a sua vida. Em Antakya, o jovem de 22 anos Cömert Abdullah foi assassinado pela polícia. Dezenas de gravemente feridos lutam nos hospitais pela sobrevivência. Os feridos são presos e sofrem a tortura da polícia. É apenas uma questão de tempo até que o número de mortes aumente.



Os esforços do Estado fascista Turco são em vão. O povo, mais cedo ou mais tarde vingará esses ataques brutais.

Operários, trabalhadores, jovens e mulheres!


Congratulamo-nos com o povo de todas as partes da Turquia, que se levantou, lutou e se rebelou contra a opressão do Estado Turco. Vamos combater contra a opressão, os ataques desumanos, as demolições de casas sob o pretexto de renovação urbana, os ataques contra os trabalhadores e os povos curdos e contra as inúmeras prisões!

Vamos reforçar a solidariedade com o fogo da rebelião que se acendeu na Turquia e na Europa!

Taksim está em toda a parte! A resistência está em toda a parte!

Viva a fraternidade entre as nações!

Viva a solidariedade internacional!




AvEG – Kon

Confederação dos imigrantes oprimidos na Europa


 

 

 

Viva o Comintern

de Lenine e Estaline!

 



"A Internacional Comunista não deixou de existir e não vai deixar de existir"

(Lenine).



A Internacional é indestrutível, porque a revolução proletária mundial é indestrutível

[Comintern (EH)].


6 de Junho de 1943 – 6 de Junho de 2013


em língua Inglesa 


70 Anos da Dissolução do Comintern


Linha-Geral do Comintern (EH)


Excerto do Capítulo VIII


(será continuado)


 

 

 

 

 

 

 

em línguas Alemã e Albanesa

"Revolucioni marshon"

Parte 1

Parte 2

- Folheto com Canções Revolucionárias da Albânia -

(Dortmund, 1977- KPD/ML)

Link: Música Albanesa

 

 

em língua Alemã

de: "Albanien heute" - Nr. 3, 1983

 

30 Anos

1 de Junho de 1983 – 1 de Junho de 2013

9º Congresso da UMA (BGSH)

parte 1

parte 2

 

A União das Mulheres Albanesas era uma organização de massa importante na Albânia socialista. A união foi chefiada por Vito Kapo. As suas tarefas eram as de mobilizar as actividades políticas e sociais das mulheres do país, orientando a sua formação ideológica e liderando a campanha para a emancipação das mulheres. Esta campanha, iniciada em 1966 pelo camarada Enver Hoxha, teve um sucesso considerável na garantia dos direitos sociais e políticos iguais para as mulheres. Como parte da campanha, as mulheres das cidades foram enviadas para as regiões rurais para explicar a linha do partido sobre o papel das mulheres. No final dos anos da década de 1980, as mulheres representavam 47 por cento da força de trabalho e cerca de 30 por cento dos deputados para a Assembleia do Povo. As mulheres realizaram trabalhos responsáveis ​​em todos os níveis de governo e recebiam salário igual para trabalho igual.


 

 

 

Viva o 30º aniversário do 9º Congresso das Mulheres Albanesas!

Mensagem

Comintern (EH)


 

 

1-3 de Junho de 1983 – 1-3 de Junho de 2013


Há 30 anos atrás, nos dias 1 a 3 de Junho de 1983, o 9º Congresso das Mulheres Albanesas teve lugar. Este foi um evento muito importante para todos aqueles que, em todo o mundo, lutam pela verdadeira emancipação das mulheres oprimidas. Desde o início, desde os tempos da Guerra de Libertação no seu país, os Marxistas-Leninistas Albaneses lideraram uma luta firme e resoluta para libertarem as mulheres de séculos de opressão e exploração implacáveis. Eles sempre compreenderam que não é possível construir uma sociedade autenticamente socialista e comunista sem a emancipação total e completa das mulheres em todos os aspectos. Assim, em menos de 4 décadas, as mulheres oprimidas Albanesas deixaram de ser seres abusados e reprimidos inexoravelmente sujeitas á exploração e aos preconceitos reaccionários sociais e culturais, tendo-se tornado em combatentes activas pela causa do verdadeiro Marxismo-Leninismo e pela revolucionarização da nova Albânia em direcção á construção do socialismo e do comunismo sempre debaixo da liderança de aço do PTA Marxista-Leninista-Estalinista do camarada Enver – a vanguarda da ditadura proletária Albanesa.


Por todo o mundo capitalista e revisionista, os falsos movimentos “feministas” sempre fingiram e fingem combater pela emancipação das mulheres através de convencerem os legisladores burgueses e revisionistas a passarem algumas leis vazias que longe de serem aplicadas, servirão de facto os interesses do sistema de relações produtivas socio-económicas da ordem de escravidão assalariada capitalista-imperialista-revisionista global e que invariavelmente e inevitavelmente sujeita as mulheres oprimidas á mais dura exploração. Discriminações salariais, maus-tratos no trabalho e na vida familiar, abusos e assédio de todos os tipos são obstáculos que as mulheres oprimidas vão sempre ter de enfrentar enquanto o comunismo mundial não for definitivamente assegurado. Apenas a implementação da ditadura proletária, do socialismo e do comunismo pode emancipar totalmente as mulheres oprimidas de todo o mundo de todos os tipos de exploração e de repressão através da abolição da causa e origem dessas mesmas explorações e repressões: o sistema de lucros e de escravatura assalariada capitalista-imperialista-revisionista. Os capitalistas, revisionistas, imperialistas e social-imperialistas sempre usaram as mulheres como uma fonte de trabalho escravo tão desesperadamente miserável e oprimido que está pronto a trabalhar quase de graça. E esta situação está a tornar-se cada vez pior pois a oligarquia capitalista-imperialista mundial está a explorar cada vez mais as mulheres de forma a obter lucros máximos. Contrariamente àquilo que muitas “feministas” burguesas afirmam, a luta pela emancipação da mulher não é incompatível com a luta pela emancipação do homem oprimido. Opostamente, a emancipação total e definitiva dos homens oprimidos nunca estará completa sem a emancipação total e definitiva das mulheres oprimidas e vice-versa. As mulheres oprimidas do mundo devem unir-se com os homens oprimidos do mundo contra os seus inimigos de classe comuns sem nunca esquecerem que existem também muitas mulheres que são membros da oligarquia dominante exploradora global e que são também elementos opressores que é necessário aniquilar se queremos concretizar a sociedade sem estado, sem propriedade e sem classes na qual ambos os géneros usufruirão finalmente da verdadeira liberdade.

 

Viva a tradição revolucionária da Albânia socialista do camarada Enver na feroz luta Marxista-Leninista-Estalinista-Hoxhaista pela libertação das mulheres oprimidas!


Vivam os 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!


Viva a revolução socialista mundial!


Viva a ditadura proletária mundial, o socialismo mundial e o comunismo mundial!


Viva o Comintern (EH)!


 

 

 

 

 

 

Viva o 142º aniversário da

Comuna de Paris!

 

 



28 de Maio de 1871 – 28 de Maio de 2013


Hoje, nós celebramos o 142º aniversário da Comuna de Paris.


Hoje, nós celebramos o 142º aniversário da Comuna de Paris. A Comuna de Paris foi a primeira tentativa para construir uma sociedade onde as classes trabalhadoras teriam o poder nas suas mãos. Há 142 anos atrás, os trabalhadores e proletários Parisienses estabeleceram o seu próprio governo revolucionário que assustou tanto a burguesia Europeia em geral e a burguesia Francesa em particular que elas foram forçadas a usarem a força armada para os reprimir. Estima-se que cerca de 30.000 operários foram mortos na repressão conduzida pelas classes dominantes exploradoras que tinha o propósito de desencorajar os trabalhadores de alguma vez tentarem fazer o mesmo outra vez. Mas os desejos burgueses estavam condenados á frustração, pois a Grande Revolução de Outubro de 1917 na Rússia continuaria o caminho heróico da Comuna de Paris.


No final, a Comuna de Paris acabou por fracassar devido não só á repressão capitalista mas também devido ás falhas e erros internos cometidos por aqueles que ainda não tinham percebido completamente que apenas o uso da violência revolucionária armada no contexto do estabelecimento da ditadura proletária pode impedir a burguesia de reconquistar o seu poder e privilégios de classe. Foi o negligenciar deste ensinamento essencial dos Clássicos do Marxismo-Leninismo que foi o principal responsável pelo aniquilamento da Comuna de Paris ás mãos das forças armadas das classes capitalistas exploradoras e opressoras. Apesar de tudo, nós, Estalinistas-Hoxhaistas, consideramos a Comuna de Paris como uma grande experiência repleta de lições valiosas tanto de sucessos como de erros que podem contribuir para o aumento da nossa experiência revolucionária para a futura revolução socialista mundial que será a gloriosa e vitoriosa conclusão da Comuna de Paris.



Viva a Comuna de Paris!


Vivam os 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!


Viva a revolução socialista mundial!


Viva a ditadura proletária mundial, o socialismo mundial e o comunismo mundial!


Viva o Comintern (EH)!

 


 

em língua Grega

 

Enver Hoxha

Relatório ao 7º Congresso do Partido do Trabalho da Albânia

Tirana, 1976

graças a:

www. enverhoxha.ru

 

Abaixo a Coreia do Norte social-fascista!

ENVER HOXHA


Acerca da Coreia do Norte

"Kim Il Sung é um pseudo-Marxista

- vacilante, megalómano e revisionista"

[ENVER HOXHA]


Colecção de citações


em

língua Inglesa


língua Alemã

 

 

 

em língua Árabe

agora com mais 12 obras disponíveis

 

لينين

العربية


 

 

 

9 de Maio de 1945

 

 

Mensagem por ocasião do 68º aniversário da capitulação do Nazi-fascismo


9 de Maio de 1945 – 9 de Maio de 2013

 

SITE ESPECIAL

 

 

5 de Maio

Dia dos Mártires da Albânia


 

Qemal Stafa (20 de Março de 1920 em Elbasan - 05 de Maio de 1942) foi um membro fundador do Partido Comunista da Albânia e o líder da sua secção juvenil. Ele esteve muito activo no Movimento de Libertação Nacional (Albânia) durante a Segunda Guerra Mundial. Ele foi morto numa casa na periferia de Tirana pelas forças fascistas Italianas que tinham ocupado a Albânia. O dia 5 de Maio, o aniversário da sua morte, foi escolhido após o fim da guerra como o Dia dos Mártires da Albânia para homenagear todos aqueles que deram as suas vidas pela libertação da Albânia.

 



 

195º

Aniversário de Karl Marx

 5 de Maio de 1818 – 5 de Maio de 2013

 

 

Hoje, nós comemoramos o 195 º aniversário do camarada Karl Marx, o primeiro Clássico do Marxismo-Leninismo. Numa época em que o capitalismo ainda estava em ascensão e o seu carácter monopolista e imperialista ainda estava num estágio embrionário, o camarada Marx compreendeu e explicou a sua verdadeira natureza com precisão científica. De facto, um dos maiores méritos do camarada Marx foi provar não só o carácter inerentemente explorador e opressor do capitalismo, mas também que as leis socioeconómicas de produção exigem que o socialismo e o comunismo não sejam apenas meras possibilidades mas sim necessidades históricas. Além disso, o papel do camarada Marx como co-fundador (juntamente com o camarada Engels - o segundo Clássico do Marxismo-Leninismo) da Primeira Internacional testemunha a sua obra como um dos maiores internacionalistas proletários que já viveram.


Por todas estas razões, os ensinamentos infalíveis do camarada Marx são uma autêntica luz de orientação para todos aqueles que seguem o caminho para a revolução socialista mundial, para a ditadura do proletariado mundial, para o socialismo e o comunismo mundiais baseados no Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo. Na verdade, defender o legado revolucionário e proletário do camarada Marx é defender também o legado revolucionário e proletário de todos os Clássicos do Marxismo-Leninismo no seu conjunto.

 


Viva o camarada Karl Marx – o 1º Clássico do Marxismo-Leninismo!


Vivam os 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!


Viva o internacionalismo proletário!


Viva a revolução proletária e socialista mundial!


Viva a ditadura proletária mundial!


Viva o socialismo e o comunismo mundiais!


Viva o Comintern (EH) – o único autêntico defensor do legado revolucionário e proletário do camarada Marx!

site especial ...

 

SITE ESPECIAL EM LÍNGUA INGLESA

 

SITE ESPECIAL EM LÍNGUA ALEMÃ

 

 

 

em língua Russa

 

A História da Albânia

por Kristo Frasheri

graças ao site: www.enverhoxha.ru

 

 

 

 

 

 

Viva o  

10º Aniversário da

re-fundação

da Internacional dos Sindicatos Vermelhos!

 

 

1º de Maio de 2003

de Maio de 2013

 


Site Especial ....

 

 

SITE ESPECIAL EM LÍNGUA INGLESA

 

SITE ESPECIAL EM LÍNGUA ALEMÃ

 

 

 

 

1º de Maio de 2013

A Secção Alemã do Comintern (EH) em acção!

Relatório da manifestação do 1º de Maio em Nuremberga

 

 

 

 

 

 

Secção Portuguesa do Comintern (EH)

Relatório da Manifestação do 1º de Maio

 

 

 

Lisboa, 1 de Maio de 2013

 

2013

Manifestações do 1º DE MAIO

EM TODO O MUNDO

 

(clique no cartaz)

 

 

Viva o 1º de Maio vermelho!

O dia da luta de classes internacional do proletariado mundial!

 

 

1º DE MAIO

Resolução do Comintern (EH)

2013

Mensagem do 1º de Maio

da Secção Portuguesa do Comintern (EH)

 

 

 

 

 

 

Mensagem do 1º de Maio dos camaradas Iranianos

Viva o 1º de Maio

O Dia Internacional dos Trabalhadores!

 


Os trabalhadores de todo o mundo celebram o 1º de Maio quando o sistema capitalista é confrontado com uma crise cada vez mais pesada e quando os capitalistas sugadores de sangue estão impondo extenuantes "medidas de austeridade" por meio do seu aparato estatal sobre os trabalhadores e as massas em geral, a fim de manterem os seus lucros astronómicos enquanto relegam o peso da crise inerente ao sistema capitalista cada vez mais sobre as massas trabalhadoras. Essas "medidas" têm prejudicado tanto as condições de trabalho e de vida dos trabalhadores que se tornou difícil para eles satisfazer até mesmo as necessidades básicas. Demissões em massa, o desemprego, a pobreza, a fome e os sem-abrigo estão entre os fenómenos trazidos por esses programas de modo que os lucros fáceis de um punhado de capitalistas parasitas possam ser continuados.

É evidente que a realidade acima descrita não se limita a um país em particular, mas é algo que se apresenta em todo o mundo capitalista. Em Chipre, os governantes capitalistas consideram arrebatar uma parte da poupança das pessoas de uma só vez (no entanto isto resultou numa oposição enorme entre as massas que fez o governo recuar em parte nos seus planos iniciais). Na Grécia, mais trabalhadores perdem os seus empregos todos os dias, na Inglaterra, o governo tem destruído descaradamente a assistência social e até mesmo as ajudas ás pessoas com deficiência, na Espanha, na Irlanda, em Portugal e em todos os outros países capitalistas testemunhamos várias formas deste ataque maciço aos direitos e meios de vida dos trabalhadores e das massas oprimidas.

No Irão, que está sob o domínio do imperialismo e onde o capitalismo dependente domina o país, não só o sistema na sua totalidade está em crise, mas devido à sua relação de dependência, os imperialistas têm tentado relegar cada vez mais o peso da crise da metrópole para a periferia, ou seja, para as massas do Irão, especialmente para a classe trabalhadora. Portanto, todos os dias assistimos a rupturas nas linhas de produção e encerramento de fábricas acompanhados por grandes demissões, salários congelados e em atraso independentemente da inflacção ou mesmo contratos de trabalho de tipo "cheque em branco" (contratos de cheque em branco são contratos em que os trabalhadores consentem na sua demissão imediata pelo empregador quando este quiser). Isto ilustra claramente não só a magnitude da crise existente, mas também demonstra as tentativas selvagens da burguesia para sugar a vida dos trabalhadores que não têm outro meio de sobrevivência além de venderem a sua força de trabalho. Por exemplo, o salário mínimo legislado para este ano é de 487.125 tomans Iranianos (aproximadamente US $ 165 por mês), que é muitas vezes abaixo da linha de pobreza. Na verdade, como funcionários do governo admitiram, este montante é apenas o suficiente para um aluguer de quarto e de um modo geral é um milhão de tomans Iranianos (cerca de US $ 333) menos do que uma família da classe trabalhadora precisa para viver acima da linha da pobreza, um caso que mostra como os capitalistas com a bênção do seu regime no poder, ou seja, a República Islâmica, sugam o sustento de famílias trabalhadoras no interesse do capital.

Obviamente, esta realidade não poderia continuar sem resistência e sem protestos. Assim, todos os dias vemos as lutas dos trabalhadores em todo o país: a greve dos trabalhadores da Safa Rolling & Pipe Mills pelos seus salários em atraso, o protesto dos trabalhadores de corte de cana em Shushtar e Haft Tepeh (no sul do Irão) em frente ao escritório do presidente, o protesto dos trabalhadores ferroviários de Yazd (no centro do Irão) contra serem subcontratados, o protesto dos trabalhadores da refinaria de açúcar de Ahvaz (no sul do Irão) em frente ao escritório do governo provincial devido aos 26 meses consecutivos de salários em atraso, a reclamação dos trabalhadores da Planta Petroquímica Bandar Imam sobre o salário mínimo para o ano de 2013 e a lista continua. Resumindo, não há um dia em que os trabalhadores não protestem contra salários em atraso ou contra serem despedidos das fábricas, e não encerrem a produção para mostrar a sua oposição contra os contratos temporários, etc.

Estes protestos, estas lutas estão ocorrendo enquanto a ditadura governante vê em cada greve (que é na verdade um campo de ensino para os trabalhadores) o monstro da revolução, e é por isso que imediatamente envia as suas forças repressivas para dispersar os trabalhadores. O facto é que a República Islâmica, ao longo da sua existência como regime benfeitor dos capitalistas dependentes, recorreu a todos os meios, desde a prisão, tortura e execução, assassinatos e despedimentos, etc., para esmagar as lutas dos trabalhadores e, especialmente, para os impedir de se organizarem em organizações independentes. Precisamente por esta razão, a notável característica destas lutas é a falta de ampla unidade, assim como a falta de organização que, sob a repressão brutal, fizeram com que elas sejam menos bem sucedidas e eficazes. A República Islâmica, com o seu punho de ferro, demonstrou claramente que, enquanto este regime estiver no poder não existe possibilidade dos trabalhadores se organizarem livremente e estabelecerem a sua própria organização de massas em todo o país. Portanto, a necessidade de derrubar este regime e o sistema capitalista dependente que, por sua própria natureza, degenera em regimes ditatoriais, torna-se numa tarefa fundamental para a classe trabalhadora Iraniana. No entanto, a experiência passada mostra que o fim da República Islâmica e de todas as suas facções resultaria na obtenção das justas reivindicações dos trabalhadores apenas quando for realizada pela classe trabalhadora e pelos seus aliados sob a sua própria bandeira, e não através de quaisquer outras cliques exploradoras e seus clientes internacionais; por outras palavras, por meio de alternativas imperialistas; alternativas que nos dias de hoje falam dos direitos dos trabalhadores e estabelecem "a Sede da Coordenação dos Activistas do Trabalho" só para enganarem os trabalhadores.

Trabalhadores militantes!

A vasta experiência das lutas dos trabalhadores em todo o mundo tem demonstrado que apenas os trabalhadores podem emancipar-se e que isso não é possível sem independência das fileiras dos trabalhadores e sem a sua organização revolucionária. Portanto, a classe trabalhadora depara-se não só com a necessidade de lutar por melhores condições de trabalho e de vida, mas também com a tarefa grandiosa de derrubar o regime no poder e de fazerem avançar a revolução, uma tarefa que não pode ser realizada sem a construção de uma organização revolucionária dos trabalhadores e sem o uso da força revolucionária contra a ditadura no poder.

Para comemorar o 1º de Maio, esforcemo-nos com todas as forças pela prossecução desta tarefa grandiosa.


Viva o 1º de Maio, o Dia Internacional dos Trabalhadores!
Abaixo o Regime imperialista-dependente da República Islâmica!
Vitória para a Revolução! Viva o Comunismo!
Guerrilheiros Fadaee do povo Iraniano


1º de Maio de 2013

 

 


25 de Abril de 2013 – Mensagem da Secção Portuguesa do Comintern (EH)


Há 39 anos atrás, a forma fascista de ditadura burguesa foi substituída pela forma “democrática” de ditadura burguesa em Portugal. Com isto, as classes exploradoras Portuguesas e os seus lacaios revisionistas pretendem perpetuar o capitalismo e a maximização dos lucros ao esconderem o carácter de classe inevitavelmente e inerentemente opressivo e explorador do seu estado por detrás de máscaras “democráticas” e até mesmo “populares” e “socialistas”, evitando assim que as massas oprimidas em geral e os trabalhadores em particular adquirissem uma verdadeira consciência comunista e mantendo-os afastados do Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo.


Mas esta situação certamente mudará. Sob a liderança de aço do Comintern (EH), guiadas pelos ensinamentos dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo e em união com todos os outros explorados do mundo, as classes oprimidas e exploradas Portuguesas vão realizar a revolução socialista e a ditadura proletária em direcção ao autêntico socialismo e comunismo. A virada democrática na história do povo Português foi o resultado de muitos sacrifícios na luta contra o fascismo. A Revolução dos Cravos e a vitória sobre o fascismo foram actos corajosos e progressistas da sociedade Portuguesa. O significado da luta democrática para a preparação da revolução socialista em Portugal, para a abolição da inevitabilidade do fascismo e para o estabelecimento da democracia proletária através da vitória da ditadura do proletariado não pode ser subestimado. Não devemos renunciar á alavanca da luta democrática que é indispensável para a nossa luta socialista em geral. Sem combinação da revolução socialista com a luta pela democracia do povo, o proletariado não conseguirá tomar o poder político. Se a luta democrática está nas mãos da burguesia e da pequena burguesia, então estamos a deixá-los dominar o nosso próprio campo da luta de classes pela democracia – o que dificulta a nossa luta pela revolução socialista. É diferente lutar em condições de fascismo aberto ou com algumas possibilidades legais. É claro que não iríamos ignorar essa diferença. Afinal, a luta pela democracia é a NOSSA luta e não vamos deixá-la na posse dos revisionistas. Se os revisionistas dominam o campo democrático da luta de classes para enganar as massas, então devemos tirá-lo das suas mãos. Precisamos de os desmascarar e de convencer as pessoas de que somos os únicos e verdadeiros representantes da luta pela democracia proletária e contra a "democracia" burguesa. As massas devem aprender a diferença entre o carácter de classe da democracia.

 

Nós, Estalinistas-Hoxhaistas, temos que levar em conta a crescente importância da luta pela democracia nas condições concretas da actual crise capitalista mundial. A crescente resistência da classe operária e dos trabalhadores é muito perigosa para a manutenção da dominação da burguesia Portuguesa. Portanto, a burguesia Portuguesa é inevitavelmente obrigada a elaborar e a implementar a transformação da sua ditadura em formas terroristas fascistas abertas contra o povo, e especialmente contra as forças revolucionárias em Portugal, incluindo os Estalinistas-Hoxhaistas, que se tornarão nos líderes da luta de classes em Portugal. Seria um crime se não chamássemos as massas para lutar contra o terrorismo fascista aberto por meio de demandas democráticas e socialistas. Nós não podemos derrotar o fascismo crescente se ignorarmos a importância das reivindicações democráticas na nossa luta pela derrubada revolucionária da ditadura da burguesia. É nosso dever desmascarar os revisionistas como o que eles realmente são: a agência de transformação fascista dentro do movimento dos trabalhadores com a finalidade de salvar a ditadura burguesa e de impedir a sua substituição pela ditadura do proletariado. Os social-fascistas e fascistas são gémeos, são inimigos da democracia. Portanto, temos de lutar por reivindicações democráticas no interesse da revolução socialista contra ambos os gémeos. Subestimar essa necessidade significaria oportunismo de "esquerda", e sobrestimá-la significaria oportunismo de direita. Temos que lutar tanto contra os desvios de "esquerda" como de direita e defender a linha Leninista no manejo correcto da questão democrática.

No entanto, a história ensina-nos que a restauração do fascismo é inevitável se a classe trabalhadora não destruir o capitalismo completamente. Só o socialismo, sob a ditadura do proletariado, garante a eliminação do perigo de restauração fascista.
A luta democrática por si só é totalmente incapaz de se livrar da exploração e opressão das classes dominantes. Somente em combinação com a luta socialista e, especialmente através da subordinação da luta democrática á luta socialista é que a ditadura burguesa pode ser violentamente derrubada. Tudo o resto é lixo revisionista-reformista ao serviço do palavreado "democrático" no interesse da manutenção da dominação de classe da burguesia. Além disso, os lacaios social-fascistas preparam a restauração do fascismo!


Massas exploradas Portuguesas – unam-se!

Não se deixem enganar pelas fachadas “democráticas” burguesas!

Sob o capitalismo, todos os regimes sem excepção são ditaduras burguesas exploradoras e repressivas – não importa se elas vestem roupagem fascista ou “democrática”!

Viva a revolução socialista mundial e a ditadura proletária mundial!

Vivam os 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!

Vivam o socialismo e o comunismo mundiais!

Viva o Comintern (EH)!



Nota: para saber mais acerca da “revolução” burguesa de 25 de Abril de 1974 em Portugal, por favor leiam o nosso artigo acerca do 90º aniversário do P “C” P.

 

Viva o 143º aniversário do camarada Lenine!

 

 

 

 

22 de Abril de 1870 – 22 de Abril de 2013

 

Hoje, o Comintern (EH) tem o orgulho de saudar todos os camaradas de todo o mundo por ocasião do 143º aniversário do camarada Lenine.
O camarada Lenine, o brilhante terceiro Clássico do Marxismo-Leninismo, foi o continuador e desenvolvedor da ciência proletária do Marxismo na época em que o imperialismo se afirmou como o último estágio do capitalismo na véspera da revolução socialista.

O camarada Lenine foi o líder dos Bolcheviques Russos na luta contra o despotismo czarista e os seus apoiantes imperialistas mundiais que condenavam os trabalhadores Russos oprimidos á servidão esclavagista feudal e á exploração insuportável em benefício dos seus interesses de classe gananciosos.

O camarada Lenine foi o Clássico que liderou a direcção, a preparação, a organização e o triunfo da Grande Revolução de Outubro de 1917 que abriu o caminho não só para a criação do primeiro Estado socialista de ditadura do proletariado (a União Soviética Bolchevique), onde os trabalhadores, camponeses e soldados detinham o poder nas suas mãos e se libertavam com sucesso de todos os tipos de exploração e opressão em direcção a uma sociedade sem classes, sem Estado e sem propriedade, mas também para a vitória da revolução socialista á escala global. Na verdade, nós Estalinistas-Hoxhaistas nunca podemos esquecer que a Revolução de Outubro foi o início da revolução socialista mundial que deve ser continuada e concluída até ao seu triunfo final, total e definitivo!

Por todas as razões, o camarada Lenine, que é um dos maiores internacionalistas proletários de todos os tempos, sem dúvida que também merece estar entre os maiores líderes e professores dos proletários e dos trabalhadores mundiais. Defender o Leninismo em particular significa defender o Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo no seu todo.


Viva o camarada Lenine, o terceiro Clássico do Marxismo-Leninismo!

Viva o Leninismo – um guia poste infalível para a revolução socialista mundial!

Viva a Grande Revolução de Outubro!

Viva a revolução socialista mundial!

Viva a ditadura do proletariado mundial!

Viva o socialismo e o comunismo mundiais!

Viva o Comintern (EH) – o único autêntico defensor e seguidor dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!

 

 

site especial ...

 

 

 

Site especial em língua Alemã

ERICH WEINERT

 

 

60º Aniversário da sua morte

 20 de Abril de 1953

 

 

em língua Alemã

"Ao Leitor"

 

(Erich Weinert - Berlim, Março de 1951)


Willi Bredel acerca de Erich Weinert:


"Durante três décadas, Erich Weinert lutou nas fileiras da classe operária. Ele era um guerrilheiro e lutou no exílio, com os combatentes da liberdade nas Brigadas Internacionais na Espanha. Ele era um anti-fascista Alemão, e ele discursou nas trincheiras Soviéticas no Volga aos seus compatriotas iludidos para os salvar da morte certa.


Em todo o lado, ele partilhava com os seus companheiros tanto a angústia e o sofrimento como vitórias e triunfos. Ele foi um dos mais fiéis dos fiéis, um revolucionário ardente, um grande comunista com um carácter forte. Ele foi um dos melhores poetas e tribunos da classe trabalhadora Alemã."

 

 

 

Friedrich Engels

"ANTI- DÜHRING"

 

capítulos II, III, IV e V

da parte III

publicado pela primeira vez !

traduzido a partir da Seção Português do Comintern (EH)

em 19 abril 2013

 

Acerca desta tradução

 

Esta tradução dos capítulos II, III, IV e V da parte III do livro “Anti-Dühring” do camarada Engels para Português veio após termos verificado a sua ausência e a desvantagem que esta falta representava para o movimento comunista mundial em geral, e para o movimento comunista lusófono em particular. Afinal, o livro “Anti-Dühring” do camarada Engels está, sem dúvida, entre as obras mais importantes e cruciais da nossa ideologia Marxista-Leninista-Estalinista-Hoxhaista. É um livro escrito com precisão científica revolucionária e está repleto de respostas correctas para algumas das questões mais importantes da sociedade. E não poderia ser de outra forma a partir do momento em que ele veio das mãos do camarada Friedrich Engels, o brilhante segundo Clássico do Marxismo-Leninismo a quem prestamos hoje uma homenagem merecida ao publicarmos a tradução completa do “Anti-Dühring” em Português pela primeira vez.


O Comintern (EH)

 

 


Mensagem de Saudação do Comintern (EH) e das suas Secções
por ocasião do 90º aniversário do
camarada Ernst Aust

11 de Abril de 2013



Camarada Ernst Aust
Queremos prestar-lhe homenagem.
Ele é o modelo de todos os comunistas.
Ele foi o fundador, presidente e professor do nosso partido.
Ele foi um grande líder da classe operária revolucionária Alemã.
Ele foi o continuador digno da grande obra do nosso camarada Ernst Thalmann.
Ele foi o melhor lutador revolucionário por uma Alemanha unida, independente e socialista.
Ele era o melhor amigo Alemão do camarada Enver Hoxha e do povo Albanês.
Ele foi um dos maiores internacionalistas proletários da segunda metade do século 20.
Ele lutou pela libertação revolucionária do proletariado mundial e dos povos oprimidos e explorados de todo o mundo.
Viva o 90º aniversário do camarada Ernst Aust!


O Comintern (EH)
As Secções do Comintern (EH)

 

 

Viva o

90º Aniversário

do maior Estalinista-Hoxhaista

da Alemanha!

 

ERNST AUST

FUNDADOR E LÍDER DO PCA/ML

agora: Secção Alemã do Comintern (EH)

 

ele nasceu no dia: 12 de Abril de 1923

e faleceu no dia: 25 de Agosto de 1985

 

Nós preparámos um grande site especial de aniversário para o nosso adorado camarada Ernst Aust

em língua Alemã

 

Viva o 90º aniversário do camarada Ernst Aust

 

 

 

 

Ernst Aust – fundador e líder do PCA/ML

e

Enver Hoxha – fundador e líder do PTA

 

 

_______

 

Nota:

_______

 

Nós, camaradas do Comintern (EH) esperámos até este dia para ver se os liquidadores do “rotermorgen.info”, que constantemente caluniam o nosso camarada Wolfgang Eggers nos seus sites, iriam pelo menos lembrar-se do 90º aniversário do Camarada Ernst Aust.
Mas nem uma palavra DELES!

Nem sequer uma só frase relativamente ao 90º aniversário do Camarada Ernst Aust!

O grupo liquidacionista “rotermorgen.info” pode continuar a caluniar o nosso camarada Wolfgang Eggers o quanto quiser.

Os trabalhadores vão dar-lhes a resposta correcta!

Nós perguntamos á classe trabalhadora Alemã:

Será que este lixo “vermelho” do “rotermorgen.info” pode denunciar-se mais perante os trabalhadores do que mantendo-se silencioso no dia do 90º aniversário do Camarada Ernst Aust? E isto apesar de eles adorarem enfeitar-se com aquilo que não lhes pertence – com o nome do nosso partido, com a nossa bandeira do partido e com o nome do nosso camarada Ernst Aust!?
"rotermorgen.info" realmente é!

O nosso Partido Bolchevique Mundial é mais forte

do que todos os liquidacionistas do mundo!

 

 


28º Aniversário da Morte do

Camarada Enver Hoxha! 

Viva o 5º Clássico do Marxismo-Leninismo!

11 de Abril de 1985

Nos nossos corações, Enver Hoxha viverá para sempre!

 

Glória e honra ao seu nome

imortal!

 

 

Mensagem de Saudação da Secção Português

 

 

Caros camaradas de todas as Secções,

 

hoje, nós celebramos o 28º aniversário da morte do camarada Enver Hoxha. O legado do camarada Enver é imortal. Ele, tal como todos os outros Clássicos, viverá para sempre nas mentes e nos corações de cada trabalhador e de cada comunista.

 

Após a morte do camarada Estaline, o camarada Enver foi o maior anti-revisionista do mundo. Ele empenhou-se numa dura batalha contra todos os tipos de revisionistas, do Titoismo ao Maoismo, e enquanto o camarada Enver foi vivo, a Albânia socialista permaneceu orgulhosamente vitoriosa contra todos os inimigos anti-comunistas. Após a morte do camarada Estaline e da ascensão de Khrushchev ao poder, enquanto outros falsos países “comunistas” competiam uns com os outros para verem quem seria o mais rápido a apagar até os traços mais superficiais dos princípios Estalinistas e a assumir abertamente o seu carácter de tiranias burguesas-revisionistas, a Albânia socialista do camarada Enver nunca desistiu dos seus princípios Leninistas-Estalinistas. E no fim, ela triunfou. A pequena Albânia socialista do camarada Enver, um país que em 1945 estava totalmente devastado pela guerra imperialista, conseguiu transformar-se num país agro-industrial completamente dependente e desenvolvido, derrotando os todo-poderosos social-imperialistas Soviéticos e Chineses e estando sempre pronta a denunciar as mentiras e as calúnias dos oportunistas de todos os tipos. Também demonstrou uma vez mais ao mundo (após a União Soviética dos camaradas Lenine e Estaline) que o socialismo não é apenas uma possibilidade, mas sim uma necessidade histórica inevitável; que todos os males, opressões, explorações, escravatura, etc. que o capitalismo-imperialismo impõe aos trabalhadores do mundo poder ser e certamente que serão ultrapassados.

 

O camarada Enver e os outros Marxistas-Leninistas Albaneses foram verdadeiros exemplos de força proletária, temeridade revolucionária e ferocidade comunista. Durante quase 40 anos, a classe trabalhadora Albanesa liderada pelo PTA do camarada Enver provou que o capitalismo, o imperialismo e o revisionismo não são inevitáveis e que a autêntica ditadura proletária e a autêntica construção do socialismo e do comunismo são imbatíveis. Hoje, o Comintern (EH) é o único genuíno defensor não apenas do camarada Enver, mas também de todos os outros Clássicos, já que é impossível defender um dos Clássicos sem defendermos igualmente todos os outros. Baseados nos ensinamentos invencíveis dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo, nós marchamos resolutamente em direcção á revolução socialista mundial, em direcção á ditadura proletária mundial, em direcção ao socialismo mundial e ao comunismo mundial.

 

 

Viva o camarada Enver Hoxha, o 5º Clássico do Marxismo-Leninismo!

 

Vivam os 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo!

 

Viva a Albânia socialista do camarada Enver!

 

Vivam a revolução socialista mundial e a ditadura proletária mundial!

 

Vivam o socialismo e o comunismo mundiais!

 

Viva o Comintern (EH)! 

 

 

with world Hoxhaist greetings

 

The Portuguese Section of the Comintern (SH)

 

 

Mensagem de Saudação da Secção Georgiana

http://www.joseph-stalin.net/index.php?menu=22&moqmedeba=news

 

 Queridos camaradas!

Hoje, dia 11 de Abril, celebramos o 28º aniversário da data da morte do camarada Enver Hoxha. É dia de toda a classe trabalhadora mundial honrar a liderança do camarada Enver na Albânia, um pequeno país socialista, que mostrou e provou ao mundo inteiro em que direcção ele deve seguir no futuro e aquilo pelo qual a classe trabalhadora deve lutar através da revolução socialista mundial. O camarada Enver Hoxha denunciou o revisionismo Soviético e Chinês e mostrou-nos como lutar contra ele.

O nome do camarada Enver Hoxha é e será sempre o nome do Quinto Clássico do Marxismo-Leninismo, e ele constitui um exemplo para a luta da classe operária mundial e de cada seção Comintern (EH) através da prática revolucionária diária.

Viva o nome imortal do camarada Enver Hoxha!

Viva a obra imortal do camarada Enver Hoxha!

Vivam os maiores nomes da história do mundo - os nomes dos cinco Clássicos do Marxismo-Leninismo!

Com saudações comunistas,
A Secção Georgiana da Comintern (EH)

 

 

Grande Cartaz para download!

Graças a: www.enverhoxha.ru

O presente cartaz é baseado no emitido na República Popular da Albânia.
O cartaz representa uma das imagens oficiais mais famosas do camarada Enver Hoxha na segunda metade dos anos 60 do século passado, que está disponível em várias edições das suas obras produzidas em diferentes países, bem como nas publicações do Partido do Trabalho Albanês na época, incluindo nos primeiros volumes das brilhantes obras completas teóricas e práticas do Marxismo-Leninismo cuja publicação foi iniciada na Albânia popular em 1968.
Cartazes com esta imagem foram usados nas várias celebrações de eventos do estado ou do partido, nas reuniões intergovernamentais, nos encontros dos líderes governamentais e delegações governamentais de outros países com o partido Albanês, e assim por diante.
Vista geral para baixar o cartaz abaixo (imagem como JPG).
O tamanho do cartaz é 40,6 X52, 7 Arquivo cm - TIF, 300 dpi, 24 bit RGB. Tamanho - 61,1 Mb (ZIP-arquivo). Link para download -

DOWNLOAD POSTER.

 

 

Viva a frente cultural vermelha mundial!

 

""A literatura revolucionária mundial tem a tarefa de conquistar, desenvolver e organizar os corações e as mentes do proletariado mundial e das amplas massas trabalhadoras para a revolução socialista mundial” – O Comintern (EH) –

Torna-te um escritor da revolução mundial!

Junta-te á

União Internacional de Escritores

Revolucionários! 

 

 

Declaração

da refundação da 

" União Internacional de

Escritores

Revolucionários"

 6 de Abril de 2013

 

União Internacional

 

de Escritores Revolucionários

 

U I E R

 

 

 

 

publicaçõesem diferentes línguas

em língua Espanhola

 

Enver Hoxha

«Albania frente a los revisionistas

jruschovistas»

"8 NËNTORI», Tirana, 1977, edição em Espanhol.

Graças ao site enverhoxha.ru

 

 

 

 

Declaração

do Comintern (EH)

 


31 de Março de 2013

 

O povo Coreano não dispara sobre o povo Coreano!

 

Virem as vossas armas revolucionárias contra os belicistas na Coreia e em todo o mundo!

Abaixo os líderes social-fascistas da Coreia do Norte!

Abaixo os líderes fascistas da Coreia do Sul!

Viva a revolução socialista na Coreia!

Viva a ditadura de todo o proletariado Coreano!

Vamos lutar por uma Coreia unida, independente e socialista num mundo socialista!


 A República Popular Democrática da Coreia não é nem

democrática nem uma república popular.


A Coreia do Norte não é de todo um estado de socialismo – mas
de capitalismo de Estado.


A ditadura social-fascista da burguesia Norte-Coreana brutalmente explora e oprime a classe operária e os trabalhadores.


E agora, a burguesia Coreana prepara o derramamento de sangue do povo coreano.


Esta guerra não é uma guerra entre um Estado socialista e um

Estado capitalista, pois ambos os estados Coreanos são estados

capitalistas.


Esta guerra será injustificável e, portanto, uma guerra reaccionária da contra-revolução das classes dominantes e não uma guerra de libertação revolucionária das classes exploradas e oprimidas.


O proletariado Coreano deve transformar esta guerra reaccionária numa guerra revolucionária civil armada – de acordo com os ensinamentos dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo!


É tarefa do proletariado da Coreia do Norte conduzir o povo para a vitória da revolução socialista, para derrubar a ditadura da burguesia da Coreia do Norte para estabelecer a ditadura do

proletariado na Coreia do Norte.


Ao mesmo tempo, é tarefa do proletariado da Coreia do Sul

conduzir o povo para a vitória da revolução socialista, derrubar a ditadura da burguesia da Coreia do Sul para estabelecer a

ditadura do proletariado na Coreia do Sul.

 

O proletariado da Coreia do Sul apoia em solidariedade a

revolução socialista na Coreia do Norte, e o proletariado da Coreia do Norte apoia em solidariedade a revolução socialista na Coreia do Sul.


No caso possível da revolução socialista não impedir uma guerra na Coreia, então a guerra deve ser transformada numa guerra civil revolucionária com o objectivo de derrubar a burguesia nas duas partes da Coreia, com o objectivo de destruir ambos os Estados capitalistas para estabelecer a ditadura do proletariado para a construção de uma nação Coreana unida, socialista e independente.


A divisão da Coreia em Norte e Sul é uma traição ao interesse

nacional de todo o povo Coreano. A demanda do povo Coreano é

a luta pela reunificação da sua nação, pela derrubada de ambos

os seus estados capitalistas opressores e escravizantes.


É UMA nação, UM povo, UM proletariado e UMA burguesia.


Existe a rivalidade crescente entre a burguesia do Sul e do Norte da Coreia – que se esforçam para se tornarem no poder

dominante sobre toda a Coreia (pelo menos relativamente ao status quo - a manutenção de dois estados burgueses separados).


É provável que o estado social-fascista da Coreia do Norte entre em colapso – mais cedo ou mais tarde.

 

Neste caso, a burguesia da Coreia do Sul ocuparia a Coreia do

Norte e estabeleceria a sua ditadura sobre todo o país. Esta seria uma "reunificação" capitalista, forçada pela burguesia armada do Sul e, portanto, ás custas do povo, especialmente do povo da Coreia do Norte. Nós não apoiamos a unificação capitalista da burguesia contra o proletariado. Não queremos nem um domínio fascista, nem um domínio social-fascista sobre a Coreia.

O que nós precisamos é de

uma Coreia unida, independente e SOCIALISTA

sob a ditadura do proletariado Coreano.

 

Somente numa Coreia socialista o povo Coreano pode ser livre e

unir-se realmente.


Seria possível que o povo Coreano atinja a sua própria

reunificação sem influência das potências estrangeiras

imperialistas, no entanto, isto não pode ser garantido. Enquanto o imperialismo mundial existir, cada país liberado será cercado pelo mundo imperialista-revisionista. A garantia da liberação de todos os países do mundo só é possível por meio da vitória da revolução socialista mundial do proletariado mundial – portanto, nas condições da ditadura do proletariado mundial.


A guerra na Coreia teria inevitavelmente uma dimensão global,

porque os dois estados Coreanos são parte do sistema do

imperialismo mundial.

 

Tanto a burguesia do Sul como a do Norte são lacaios dos

imperialistas, especialmente de ambas as superpotências EUA e

China.


Portanto, esta guerra poderia transformar-se numa guerra para

ganhar (ou manter) o domínio hegemónico sobre todo o mundo.

 

Os senhores da guerra mais perigosos são as superpotências EUA imperialista e a China social-imperialista. Enquanto estas

superpotências existirem, também os seus lacaios na Coreia do

Norte e do Sul – existirão.

 

É, portanto, uma questão do proletariado mundial e de todos os

povos amantes da paz em todo o mundo evitar que o povo Coreano entre em guerra.


Esta é uma questão da vitória da luta global e revolucionária das forças anti-imperialistas contra todas as forças imperialistas belicistas.

 

Só haverá paz na Coreia e em todo o mundo se o proletariado mundial e os seus aliados derrotarem o imperialismo mundial pela revolução socialista mundial.


A revolução socialista mundial pode evitar novas guerras

imperialistas.

 

No caso de uma guerra imperialista rebentar antes da vitória da revolução socialista mundial, então a guerra anti-imperialista mundial do exército proletário mundial conduziria inevitavelmente á vitória da revolução socialista mundial.


A inevitabilidade das guerras imperialistas só pode ser abolida pela derrubada revolucionária mundial do imperialismo mundial e pelo estabelecimento da ditadura do proletariado mundial.


Vamos fundar a

Secção Coreana do Comintern (EH)!

 

 

 

Secção Georgiana do Comintern (EH)

 

Declaração da MSHG relativamente á aceitação da bandeira do Comintern (EH)

O dia 30 de Março de 2013 tornou-se num dia histórico para o movimento Estalinista-Hoxhaista da Geórgia – exactamente hoje, o nosso pequeno grupo pode tomar posse da bandeira do Comintern (EH), enviada para nós no dia do primeiro aniversário da data da entrada do nosso movimento para o Comintern (EH) na qualidade da sua Secção Georgiana – no dia 7 de Novembro de 2011 – graças á nossa modesta contribuição para a luta revolucionária mundial.

De agora em diante, a bandeira aceite por nós tornar-se-á no nosso principal símbolo de luta! Nós vamos usar as nossas forças para levar a cabo esta luta até á vitória erguendo bem alto este nosso prémio revolucionário! Esta bandeira irá iluminar o nosso caminho no combate de morte contra o capitalismo e o imperialismo mundial! Esta bandeira irá iluminar o caminho da classe operária da Geórgia, que juntamente com o proletariado mundial irá alcançar o socialismo e o comunismo mundiais! Hoje, o nosso grupo está especialmente orgulhoso deste prémio! Nós decidimos unanimemente celebrar este dia histórico fazendo deste prémio – a bandeira do Comintern (EH) – parte integral do nosso site

www.joseph-stalin.net

Viva a bandeira do Comintern (EH)!

Viva a bandeira dos cinco Clássicos do Marxismo!

Viva o movimento mundial Estalinista-Hoxhaista!

Operários, soldados e camponeses da Geórgia – em frente para a vitória da revolução socialista na Geórgia!

Operários, soldados e camponeses de todo o mundo – em frente para a vitória da revolução socialista em todo o mundo!

O líder do grupo MSHG
Koba Kakhidze


 

publicaçõesem diferentes línguas

em língua Espanhola

Enver Hoxha

«Cuando se echaban los cimientos de la nueva Albania. (Memorias y apuntes historicos) »

("Quando se construíram os fudamentos da nova Albânia. (Memórias e notas históricas)," editor "8 NËNTORI», TIRANA, 1984, edição em Espanhol).

Graças ao site: www.enverhoxha.ru

novas publicações de Frederick Engels

em FARSI

Sobre o Papel do Trabalho na Transformação do Macaco em Homem (1876)

Acerca do Materialismo Histórico


 

 

18 de Março de 1871

"A bandeira da Comuna

é a bandeira da República Mundial"

[31 de Março de 1871 - "Jornal Oficial da República Francesa" - Paris]

VIVA A COMUNA!

 

novas publicações do Comintern (EH) em

 

Inglês

Alemão

Francês

Português

Russo

Espanhol

Turco

 

 

A vitória da Comuna de

Paris

escrito por Wolfgang Eggers


 

 

Declaração do Comintern (EH)

13. 3. 2013

Hugo Chávez está morto...

 

 

Lisboa, 15 de Março de 2013,

ao início da tarde

Trabalhadores Portugueses em geral e trabalhadores Portugueses do “sector público” em particular – uni-vos!

 

Relatório de manifestação

da Secção Portuguesa

do Comintern (EH)

 

 

 

A Moral Comunista

 

V. Kolbanoski

1947

 

 

Mensagem de saudações do Comintern (EH)

14 de Março de 2013

Por ocasião do 130º aniversário da morte de Karl Marx, o Comintern (EH) saúda todos os Marxistas do mundo.

Viva Karl Marx – o primeiro Clássico do Marxismo-Leninismo!

Karl Marx é o maior pensador revolucionário mundial de todos os tempos.

O caminho do socialismo vitorioso é sempre iluminado pelas ideias imortais de Karl Marx e vai iluminar o caminho da revolução socialista mundial em direcção ao comunismo mundial.

O nome e a obra de Karl Marx viverão através dos séculos.

Os ensinamentos de Karl Marx são sempre jovens, actuais e imortais!

A doutrina de Marx é omnipotente porque é verdadeira.
(W. I. Lenin)

O Comintern (EH) apresenta sites em 6 línguas:

 

SITE ESPECIAL

 

em Inglês

em Alemão

em Russo

em Português

em Espanhol

em Francês


Em honra do 130º aniversário da morte de Karl

Marx, o Comintern também publica:


10 Teses acerca de

"Karl Marx

e a revolução socialista

mundial" 

 

 

 

Secção Portuguesa do

Comintern (EH)
 
Mensagem de saudação por

ocasião do 130º aniversário da

morte de Karl Marx


 
Caros camaradas,


A Secção Portuguesa do Comintern (EH) saúda todas as outras secções e camaradas por ocasião do 130º aniversário da morte do camarada Karl Marx - o 1º glorioso Clássico do Marxismo-Leninismo.
 
O camarada Marx abriu o caminho para a emancipação definitiva e total dos trabalhadores e proletários de todos os tipos de opressão e exploração. Ele viverá para sempre nos corações e nas mentes de cada trabalhador e de cada comunista.


Viva o camarada Karl Marx!


Viva o Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo!


Viva a revolução socialista mundial e a ditadura proletária mundial!


Viva o socialismo e o comunismo mundiais!


Viva o Comintern (EH)!

 

 

O que é o Marxismo?

«O Marxismo é a ciência das leis do desenvolvimento da natureza e da sociedade, é a ciência da revolução das massas oprimidas e exploradas, é a ciência da vitória do socialismo em todos os países, é a ciência da construção da sociedade comunista.”(I.V.Estaline)

130º Aniversário da Morte

de Karl Marx

14 de Março de 2013

Karl Marx – faleceu no dia 14 de Março de 1883

Marx foi sepultado no Cemitério de Highgate no Sábado dia 17 de Março de 1883, na mesma sepultura da sua esposa, Jenny, falecida 15 meses antes.

SITE ESPECIAL !

 

 

em língua Alemã

Clara Zetkin – Arquivo

 

Clara Zetkin – imagens 

 



Saudação
da Secção Portuguesa do Comintern (EH)


Viva o 102º Dia da Mulher!


 
Hoje, 8 de Março de 2013, a Secção Portuguesa do Comintern (SH) saúda todas as outras secções e camaradas por ocasião do 102º Dia da Mulher.


A única maneira pela qual as mulheres proletárias e trabalhadoras podem realizar a sua emancipação de todos os tipos de opressão e exploração burguesa-capitalista-imperialista é participando e contribuindo para a revolução socialista mundial, para o estabelecimento da ditadura proletária mundial e do socialismo mundial e comunismo mundial. Não há outro caminho.


A Secção Portuguesa do Comintern (EH) baseia a sua política em relação às mulheres nas declarações e documentos da IMC (EH). Condenamos todas as tentativas das organizações e "movimentos feministas" burgueses-capitalistas para dividir e separar o proletariado feminino do proletariado masculino ou dividir as mulheres "locais" trabalhadoras das mulheres "migrantes" trabalhadoras com o objectivo de impedir o triunfo do socialismo e do comunismo mundiais - porque estes objectivos só podem ser realizados se os homens e mulheres proletários / trabalhadores de todos os países estiverem unidos, se apoiarem mutuamente e desfrutarem de direitos e deveres iguais sempre sob a orientação da ideologia Marxista-Leninista-Estalinista-Hoxhaista e do Comintern (EH). Gloria Steinem, uma representante dos movimentos pró-capitalistas e escravizantes "feministas" traiçoeiramente afirmou que "o movimento de libertação das mulheres não pertence a ninguém, mas a todos aqueles que se preocupam com os direitos humanos". Mas isso é falso! Os burgueses-imperialistas-capitalistas mundiais (que criaram o chamado movimento "feminista") não poderiam importar-se menos com os falsos "direitos humanos" - o único "direito humano" que eles reconhecem é o seu próprio "direito" plutocrático de escravizar e explorar tanto homens como mulheres a fim de maximizar os lucros.


O autêntico movimento para libertar verdadeira e definitivamente as mulheres proletárias / trabalhadoras pertence exclusivamente a nós, os verdadeiros comunistas, e a mais ninguém! Apenas seguindo e aplicando fielmente os ensinamentos invencíveis do Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo é que as mulheres proletárias e trabalhadoras podem ser libertadas da escravidão, exploração salarial, opressão e alcançar a libertação total em todos os aspectos.


A luta Estalinista-Hoxhaista para a emancipação das mulheres está inerentemente relacionada com todas as outras lutas do movimento comunista proletário mundial para alcançar a aniquilação final da ordem esclavagista capitalista-imperialista mundial exploradora e repressiva.


Mulheres proletárias / trabalhadoras do mundo - uni-vos!


Somente através da inabalável adesão aos ensinamentos dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo é que o proletariado mundial feminino pode alcançar a libertação total e definitiva de todos os tipos de exploração e opressão burguesa-capitalista-imperialista!


Viva a unidade entre os homens proletários e as mulheres proletárias!


Morte aos movimentos reaccionários burgueses-capitalistas "feministas" cujo único objectivo é manter as mulheres trabalhadoras submetidas à exploração e á opressão sem fim!


Vivam os 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha!


Viva a Internacional das Mulheres Comunistas (EH) - a única organização verdadeiramente revolucionária que lidera o proletariado feminino mundial!


Viva o Comintern (EH)!



8 de Março de 2013



8 de Março de 2013

 

Viva o 102º Dia

Internacional da Mulher!  

Mulheres da Comuna de Paris

 

8 de Março de 2011 – 8 de Março de 2013

 

Viva o Segundo Aniversário da Fundação da

Internacional das Mulheres Comunistas

(Estalinista-Hoxhaista)!

Viva a luta das mulheres pela preparação e

organização da revolução socialista mundial!

 

 

Mensagem de saudações do

Comintern (EH) 

Por ocasião do 102º Dia Internacional da Mulher e do 2º Aniversário da fundação do Partido Comunista Internacional da Mulher, o Comintern (EH) envia saudações militantes e revolucionárias a todas as mulheres do mundo.
Saudamos todos aqueles que apoiam o movimento das mulheres na sua luta contra o aumento da exploração e da opressão causada pela actual crise do capitalismo mundial. O estupro horrível do dia 16 de Dezembro de 2012 na Índia deu origem a protestos em massa, não só no próprio país, mas em todo o mundo. Isso mostra que o movimento de libertação revolucionária de mulheres está crescendo e ganhando força á escala global.

Nem a classe dominante Indiana, nem a burguesia mundial são capazes de acabar com a violência contra as mulheres. Pelo contrário, os governantes do mundo ocultam estas atrocidades, protegem os criminosos e deixam as vítimas em apuros. Não é apenas o destino pessoal de uma mulher, mas com ela, milhões de mulheres em todo o mundo compartilham o mesmo destino.
É o capitalismo em si que provoca todas as violências contra as mulheres, a sua dupla exploração e opressão.

As classes dominantes não são capazes de resolver o problema das mulheres, em particular, como também são incapazes de resolver a questão social, em geral. A propriedade privada capitalista é a raiz da escravidão sexual e da escravidão de classes. Portanto, a liberação das mulheres está intimamente ligada com a abolição da propriedade privada dos meios de produção e sua transformação em propriedade social.

Governos e instituições prometem reformas para apaziguar a ira das mulheres. Há belas palavras, ás quais não se seguem acções e o protesto das mulheres cresceu ainda mais. Há também um crescimento do fascismo e da reacção, que é especialmente dirigido contra as mulheres revolucionárias.
A burguesia não só divide a classe proletária para manter o seu sistema de exploração e opressão, como também divide as mulheres.
Assim, surgiram dois movimentos de mulheres. O movimento de mulheres burguesas e pequeno-burguesas e o movimento das mulheres proletárias – um é reformista-revisionista e o outro é revolucionário e comunista.

O movimento das mulheres burguesas e pequeno-burguesas é limitado a um máximo de demandas para "eliminar" os excessos extremos da opressão e exploração das mulheres (contra o apedrejamento, mutilação, pelos direitos democráticos, etc.) No entanto, todos esses movimentos de mulheres defendem o sistema capitalista actual – em maior ou menor medida.
O movimento de mulheres proletárias não é contra as reformas. Pelo contrário. No entanto, a luta por reformas está subordinada á luta pela revolução. O movimento das mulheres proletárias é fundamentalmente diferente do movimento burguês e pequeno-burguês - especialmente no facto de que queremos eliminar a inevitabilidade da exploração e da opressão das mulheres, lado a lado com os homens explorados e oprimidos - através da derrubada da burguesia e do estabelecimento da ditadura do proletariado.
A inevitabilidade da opressão e exploração das mulheres só pode ser eliminada por meio da remoção da inevitabilidade do capitalismo - isto é, pela ditadura do proletariado mundial e pelo estabelecimento do socialismo mundial. Só no comunismo mundial a mulher será livre.
Para o movimento das mulheres comunistas, a revolução socialista mundial é a única maneira de libertar todas as mulheres ao redor do mundo.
Sem luta de classes revolucionária mundial do proletariado, não pode haver libertação das mulheres. E sem a participação das mulheres na destruição do capitalismo mundial, não pode haver socialismo mundial ou comunismo mundial.

Por ocasião do Dia da Mulher, queremos lembrar todas as mulheres que perderam a vida na luta pela liberdade e pelo socialismo. O seu sangue não foi derramado em vão. O movimento das mulheres revolucionárias só vai deixar o campo de batalha quando a última mulher for para sempre libertada neste mundo.


Mulheres – ergam-se!

Libertem-se das garras da escravatura de sexo

e de classe!

Lutem pelo comunismo!




Viva o dia 8 de Março – o Dia Internacional da

Mulher!

Viva o internacionalismo proletário das

mulheres!

Viva o movimento comunista mundial das

mulheres!

Viva a luta revolucionária das mulheres contra a

fome, a guerra e o fascismo!

Vivam as grandes conquistas das mulheres

socialistas da União Soviética e da Albânia!

Viva a revolução socialista mundial!

Viva a Internacional das Mulheres Comunistas

(Estalinista-Hoxhaista)!


nota:

Por ocasião deste dia 8 de Março, nós abrimos dois

novos sites da Internacional das Mulheres Comunistas

(EH):

em língua Russa

em língua Albanesa  

Este ano, celebram-se dois aniversários importantes que estão intimamente ligados ao movimento revolucionário das mulheres proletárias:


Primeiro


20 de Junho de 1933
O 80º Aniversário da Morte de Clara Zetkin.

Por isto, o Comintern (EH) vai publicar em muitas

línguas do mundo um

"Site Clara Zetkin"

Segundo


13 de Agosto de 1913
TO 100º Aniversário da Morte de August Bebel

Em 1902, ele escreveu o seu famosos livro "A Mulher e o Socialismo". Este livro será publicado em várias línguas diferentes. Nós também publicaremos em muitas línguas um

"Site August Bebel"

  

em língua Espanhola

Enver Hoxha

«Reflexiones

sobre Oriente Medio.

1958-1983. Extractos del diario político».

graças ao site www.enverhoxha.ru

 

 

 

Mensagem de Saudações dos

nossos camaradas Russos do

site

enverhoxha.ru

 

O 60º Aniversário da morte de Estaline é mais uma ocasião para expressar a solidariedade com vocês e com o vosso trabalho.
O dia da morte dos nossos líderes é um dia de luto e de memória.
Mas, simultaneamente, é também um dia de declaração da imortalidade das ideias do Marxismo-Leninismo e dos seus clássicos!!!
O nome de Estaline viverá eternamente nos nossos corações!

A sua doutrina, enquanto componente do Marxismo-Leninismo, será sempre a nossa estrela guia!
 

Com saudações comunistas 

5 de Março de 2013

Camaradas do site www.enverhoxha.ru

 

 

2 de Março de 2013


- Manifestação em

Portugal

"Que se lixe a Troika!"

Relatório da manifestação

 

em Inglês


em alemão

 

 

 

 

5 de Março de 2013

60º Aniversário

da Morte

 

VIVA O CAMARADA ESTALINE!

J. V. ESTALINE

21 de Dezembro de 1879

– 5 de Março de 1953

 

SITE ESPECIAL !

 

 

 

 

 

órgão teórico

Abaixo o revisionismo Cubano!

 

 

23 de Fevereiro de 1918 – 23 de Fevereiro de 2013

Viva o 95º Aniversário da

fundação do Exército Vermelho

Soviético!

 


Viva o

EXÉRCITO VERMELHO

MUNDIAL!

 

 

 

"Saudações ao Exército Vermelho que confirmou as conquistas da Revolução de Outubro no campo de batalha!

Glória aos sovietes que caíram pela causa proletária!

Glória aos soldados que combatem pela grande causa da construção socialista!"

J. V. Estaline

Krasnaya Zvezda, No. 46, 23 de Fevereiro de 1928

 

 

J. V. ESTALINE

Três Características Distintivas

do Exército Vermelho

 

Discurso pronunciado num Plenário do Soviete de Moscovo em Honra do 10 aniversário do Exército Vermelho

25 de Fevereiro de 1928

 

Também em:

língua Russa

língua Alemã


 


em língua Islandesa

 

Enver Hoxha.

«Heimsvaldastefnan og byltingin»

 

«O Imperialismo e a Revolução»,

Menningartengsl Albaníu og Íslands, Reykjavík, 1984, Edição em Islandês.


Publicado graças ao site

enverhoxha.ru

 

 


 

em Inglês

Nova publicação do Comintern (EH)

13 de Fevereiro de 2013

"O Caminho do Partido

Mundial"

Órgão Teórico 

 

Abaixo o revisionismo

Cubano!



"A revolução Cubana não começou com base no Marxismo-Leninismo e não foi realizada com base nas leis da revolução proletária liderada por um partido Marxista-Leninista. Após a libertação do país, Castro também não seguiu um curso Marxista-Leninista (...)."

(Enver Hoxha, The Fist of the Marxist-Leninist Communists Must Also Smash Left Adventurism, the Offspring of Modern Revisionism (From a conversation with two leaders of the Communist Party (Marxist-Leninist) of Ecuador), 21 de Outubro de 1968, traduzido da versão em Inglês)


Esta declaração do camarada Enver sintetiza brilhantemente as origens e o desenvolvimento do revisionismo Cubano. Com este artigo, pretende-se informar os proletários e os trabalhadores mundiais acerca da natureza anti-socialista e reaccionário do social-fascismo Cubano. O nosso objectivo é desmascarar o revisionismo Cubano com base no Estalinismo-Hoxhaismo e destruir o mito "revolucionário" de Fidel Castro com as armas dos ensinamentos dos cinco clássicos do Marxismo-Leninismo. Procurámos analisar não só as características principais do Castrismo-Guevarismo mas também o curso histórico seguido pela Cuba revisionista desde antes da pseudo-revolução burguesa de 1959 até hoje. Especialmente, tentámos desvendar o papel contra-revolucionário de Fidel Castro na África porque achamos que isto é muito importante para a classe trabalhadora Africana e para a criação das secções Africanas do Comintern (EH). Também queremos utilizar o nosso texto como uma condenação da defesa que a ICMPLO Neo-Revisionista faz do social-fascismo Cubano. Defendê-lo significa defender o capitalismo e o imperialismo, significa defender a manutenção eterna da exploração e da opressão contra os trabalhadores.


Hoje, permanece apenas a possibilidade de apoiar abertamente a atitude anti-revisionista e internacionalista do Comintern (EH) ou de apoiar abertamente o social-fascismo Cubano contra-revolucionário. Todas as tentativas de reconciliação entre ambas as posições contrárias e hostis serão desmascaradas como apoio indirecto á burguesia mundial contra o proletariado mundial no contexto da luta entre o campo ideológico da revolução socialista mundial e o campo ideológico da contra-revolução mundial. Nós, Estalinistas-Hoxhaistas, somos os únicos verdadeiros inimigos da tirania Castrista exploradora. Todos os outros falsos "anti-castristas" (desde os defensores do capitalismo clássico até aos revisionistas de"esquerda") são de facto apoiantes e perpetuadores do social-fascismo em geral, e do social-fascismo Cubano em particular, porque fenómenos como social-fascismo e o social -imperialismo são inerentes ao sistema plutocrático mundial capitalista-imperialista de escravatura assalariada e de maximização do lucro. Consequentemente, a única forma de evitar a inevitabilidade de tais coisas como social-fascismo e o social-imperialismo é através da destruição total e definitiva dessa mesma ordem capitalista-imperialista de exploração global. Não há alternativa. Os terríveis regimes anti-comunistas e opressivos que mantêm a escravatura assalariada como o da Cuba Castrista só serão irremediavelmente aniquilados quando o capitalismo-imperialismo-revisionismo mundial também for rasgado em pedaços. Eles só serão definitivamente eliminados quando a revolução socialista mundial triunfar e quando os trabalhadores mundiais liderados pelo proletariado mundial estabeleçam a ditadura do proletariado mundial em direcção ao socialismo e ao comunismo mundiais – tudo isto sob a liderança do Comintern (EH), o único defensor verdadeiramente fiel dos ensinamentos dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo. Todas as outras posições para além defendem de facto a existência e a manutenção do totalitarismo cubano revisionista e social-fascista.


Em geral, este artigo pretende ser uma ajuda importante para o proletariado mundial e para o Movimento Mundial Estalinista-Hoxhaista no contexto da preparação da revolução socialista mundial. Em particular, pretende ser uma ajuda para que a classe trabalhadora Cubana se livre do regime social-fascista e pretende ser uma contribuição para a luta ideológica em favor da ditadura do proletariado Cubano, bem como para a criação da Secção cubana do Comintern (EH). Esperamos que este artigo atraia todos aqueles que dentro e fora de Cuba lutam contra a tirania Castrista a partir de posições autenticamente Marxistas-Leninistas e que se esforçam pela construção do verdadeiro socialismo no país. Os trabalhadores Cubanos estão fartos
​​de séculos de opressão capitalista-imperialista-revisionista. Eles querem usufruir dessa liberdade que sempre lhes foi negada pelos vários exploradores. Mas a única forma através da qual o proletariado Cubano pode conseguir isso é abraçando totalmente o Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo e lutando pela revolução socialista mundial a fim de estabelecer a ditadura proletária mundial em direcção ao socialismo mundial e ao comunismo mundial.


E isto porque, no contexto da globalização capitalista-imperialista actual, a fase do socialismo num só país foi superada (em Cuba e em todas as outras nações). Hoje, nós, Estalinistas-Hoxhaistas, sabemos que só o socialismo e o comunismo á escala global podem abolir a inevitabilidade da restauração capitalista-imperialista-revisionista que permanentemente existiu durante a época do socialismo num só país e que determinou a destruição do antigo campo Estalinista mundial e também da Albânia socialista do camarada Enver (e, consequentemente, esta é também a única forma de abolir a inevitabilidade dos regimes revisionistas e social-fascistas como o da Cuba Castrista).
Mas para implementarmos uma sociedade sem estado, sem classes e sem propriedade á escala global, é necessário destruir a ordem mundial capitalista-imperialista-revisionista, é necessário abolir as suas relações de produção exploradoras e de escravatura assalariada, aniquilando todas as suas influências ideológicas, culturais e espirituais. E isto só pode ser cumprido se os trabalhadores mundiais (portanto, também incluindo os trabalhadores Cubanos) forem conduzidos por um partido comunista proletário mundial fiel aos ensinamentos dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha. Este partido é o Comintern (Estalinista-Hoxhaista), que liderará os proletários e os trabalhadores de todo o mundo até á sua libertação total e definitiva de todos os tipos de opressão, repressão, alienação e exploração.



em Inglês

ENVER HOXHA

ACERCA DE CUBA

compilação de citações

 

em língua Alemã

 

ENVER HOXHA

É NA UNIDADE DE AÇO ENTRE O PARTIDO, O POVO E O PODER DE ESTADO QUE ESTÁ A NOSSA FORÇA

 

Discurso pronunciado no dia 18 de Setembro de 1970 durante um encontro com os eleitores do 219º distrito eleitoral

 

PARTE 1

PARTE 2

PARTE 3

 

(PDF)

 

 

 

115º Aniversário

10 de Fevereiro de 2013

 

BERTOLT BRECHT

10 Fevereiro de 1898

14 de Agosto de 1956

 

Bertolt Brecht

- SITE ESPECIAL 

 

 

Por ocasião do seu 115º aniversário

O Comintern (EH) publica obras de

Bertolt Brecht

em 10 línguas

 

(Inglês, Alemão, Francês, Espanhol, Português,

Grego, Italiano, Russo, Árabe, Chinês)

 

 

... escrito por Comunistas,

 

... publicado por Comunistas ....

 

...sistematicamente implementado por

 

Comunistas!

Nós fazemos trabalho não-pago!

 

Nós trabalhamos voluntariamente!

 

Nós somos uma organização global e sem fins

 

lucrativos!


Tudo para todos sem custos ...


... ao serviço da revolução proletária mundial.

ESTE ÉO NOSSO CAMINHO PARA O

 

COMUNISMO MUNDIAL!

"Povos do mundo, unam-se pela causa

comum!”

(Bertolt Brecht – Canção de Solidariedade)

 

 

 

"GUERRA CONTRA A GUERRA

IMPERIALISTA!"

Manifestação contra a 49ª Conferencia de

Segurança de Munique no dia 2 de Fevereiro de

2013

(na Alemanha)

 

 

O COMINTERN (EH)

- SECÇÃO ALEMÃ –

EM ACÇÃO

2 de Fevereiro de 2013

 

 

 

 

 

 

 

 

 RELATÓRIO DA

MANIFESTAÇÃO


Participantes:

Comintern (EH) – Secção Alemã –

RSB (partido revolucionário socialista) – os Trotskistas da GIM e do VSP (derivados do golpe Trotskista de Horst-Dieter e da clique de Koch)
MLCP / Kgep
DKP / SDAJ
PDS - falsa “esquerda”
Sindicato dos Trabalhadores para a Reconstrução das fábricas nucleares (tarefa futura do KPD)
ORI (Organização Revolucionária Internacionalista) (Trotskista)
"Revolução" (Trotskista)
http://www.onesolutionrevolution.de/
DIDF (organização migrante)
SPD
Também estavam presentes os social-fascistas do SDAJ, que juntamente com alguns outros formaram uma aliança:
http://almuc.blogsport.eu/

Mais uma vez, o Comintern (EH) empunhou a bandeira do seu partido em acção na manifestação contra a conferência de segurança em Munique em 2013. Exigimos:

"Abaixo o regime social-fascista de Assad e todos os lacaios do imperialismo.”

Antes da manifestação, os transeuntes viam o que estava no nosso placar e diziam: "Isso é verdade, mas eles não vão ceder antes de terem assegurado os seus interesses!" Nós respondemos:

"É por isso que precisamos de organizar a resistência global.”

Apesar disto, nós não tínhamos tempo para mais discussões e fomos para a estação. Apesar de nós termos chegado um pouco atrasado devido a enganos ocorridos nos comboios, nós não chegámos a perder os discursos e integrámos a manifestação cerca das 13 horas e 30 minutos.
Havia uma variedade de placares muito criativos, bandeiras que representavam crânios e armas ilustrando o carácter da guerra imperialista. Surgiram conflitos por causa dos Islamófobos e dos fascistas Turcos que se misturaram entre as pessoas mas que eram bem controlados pelos manifestantes.
"a não-violência contra os democratas." Entretanto, perguntaram-nos novamente pela nossa bandeira: “É a do Partido Comunista (ML).” Nós mencionámos ainda a necessidade de mudar o seu nome, mas não conseguimos esclarecer tudo. As nossas conversas foram tão interessantes como as do ano anterior, com os mesmos objectivos e preocupações.

Desde os anos 60, os fomentadores da guerra imperialista definem a sua estratégia no Hotel Bayerischer Hof. Houve negociações com a Rússia, EUA e com muitos outros países imperialistas e os seus lacaios compradores. Em 2002 e 2003, manifestaram-se contra esta situação cerca de 30 000 participantes (mesmo antes da infame Guerra do Iraque).

Este ano, havia apenas cerca de 2000 pessoas, mas a manifestação foi um sucesso. É claro que uma manifestação central contra a guerra, o militarismo e o imperialismo não deveria ocorre com tão poucos participantes. É óbvio que precisamos de trabalhar ainda mais. Mas para nós, o mais importante é trazer os nossos protestos para as ruas.

"Seek and Destroy" dos Metallica, "Eye of the Tiger", de Survivor e "Gonna Fly Now" de Bill Conti, a política imperialista e belicista foi posta em causa. De seguida, ela foi denunciada nos discursos.

O discurso na Laudi também estava no contexto do pensamento de Rosa Luxemburgo e Karl Liebknecht em conexão com a sua luta anti-imperialista e popular. Eles denunciaram a “guerra nacional” da época e condenaram os fomentadores da guerra e a indústria de armamento que visa maximizar os lucros ás custas da classe trabalhadora. Karl e Rosa defenderam a única alternativa correcta: a revolução socialista mundial!

No entanto, também foi apelado ao "bom senso" e a uma "política sensata" que defenda a classe dominante e os políticos.
Nas capitais financeiras do mundo, os lucros continuam a ser maximizados e o capital continua a ser acumulado. Slogans como "Nenhum sangue por petróleo" estão correctos, mas o imperialismo deve ser impedido de prosseguir com a sua exploração e pilhagem de outros países, usando-os como mercados onde descarrega a sua superprodução.

"guerra contra o terror". Este “argumento” também foi usado na guerra contra o Bolchevismo, contra a União Soviética de Lenine e de Estaline. É o imperialismo que desencadeia a guerra contra a classe trabalhadora mundial com o objectivo de proteger o controlo de mercadorias como petróleo, gás, vários metais finos (para laptops, computadores e telefones celulares), acesso aos mercados e ás rotas comerciais.
Da mesma forma, o propósito da intervenção imperialista com a instrumentalização das revoltas justificadas contra o regime social-fascista na Síria ou na Líbia no ano passado, consiste no desejo substituir os actuais fantoches por outros em seu proveito. A OTAN bombardeia os manifestantes e rouba petróleo (!). Ela compra mercenários e infiltra os seus agentes para sabotar a revolta legítima e para servir a política do capital, tal como Enver Hoxha costumava dizer.


Apesar de tudo isso, o facto permanece: os regimes reaccionários social-fascistas dependentes e semi-feudais são lacaios do imperialismo. Eles não são anti-imperialistas, mas lutam contra os combates anti-imperialistas legítimos da classe trabalhadora e dos povos oprimidos! Embora não tenham sido vistas bandeiras do Irão e da Síria, isso deveu-se a que foi estabelecido que elas não seriam toleradas no evento. Isto foi uma melhoria em relação ao ano passado, mas acho que mesmo no ano anterior todas as bandeiras e placares defendendo Gaddafi deveriam ter sido expulsos.

Lenine estava certo: o imperialismo é podre, fétido, parasitário e está moribundo!

E o capitalismo mundial está na mesma situação com todas as suas crises económicas, a crise financeira mundial, a crise ambiental, etc.

O capitalismo tem de acabar! A classe trabalhadora global é a classe em ascensão, a vanguarda de amanhã. E porquê?

Os trabalhadores têm muito mais educação do que os proletários do passado, são trabalhadores qualificados e profissionais de alta qualidade com conhecimento específico acerca daquilo que produzem, detentores de conhecimentos e habilidades profundas na sua área.

A China e a Índia possuem a classe trabalhadora maior e com o mais rápido crescimento do mundo. E nestes países, os trabalhadores sofrem uma exploração ruim. Hoje em dia, graças aos novos meios de comunicação e á tecnologia, é possível o que dantes não era.

Por exemplo, a queda do Faraó Mubarak iniciou-se no Facebook, tendo depois passado á prática. Esperamos que o novo faraó Mursi, esse lacaio do imperialismo, seja também derrubado. A classe média escorrega mais e mais para o proletariado puro. Por exemplo, os professores perderam os privilégios anteriores; e a lista de exemplos continua indefinidamente. O Comintern (EH) – Secção Alemã – também foi entrevistado pelos jornalistas. Além das mencionadas declarações, nós enviámos também saudações de solidariedade ás outras Secções de Portugal, da Sérvia e da Geórgia.

Finalmente, iniciámos o caminho de regresso. No caminho para a estação, um transeunte revelou o seu descontentamento com as acções das força policiais relativamente á manifestação no Hotel Bayerischer Hof.

Final da manifestação

 



Por ocasião do dia 2 de

Fevereiro de 1943

 Novo site em língua Russa

Acerca de acontecimentos históricos do

movimento revolucionário internacional

 

 

 

 

30 janeiro 2013

Carta da Secção Portuguesa
para os camaradas de todas as seções da Internacional Comunista (EH)
por ocasião da ascensão de Hitler ao poder - há 80 anos
 
Caros camaradas de todas as Secções,

A Secção Portuguesa do Comintern (EH) envia-vos a seguinte mensagem:
hoje, no 80º aniversário da ascensão de Hitler ao poder, em cumprimento dos sanguinários interesses de classe dos capitalistas-imperialistas mundiais em geral, e dos capitalistas-imperialistas Alemães, em particular. O Nazi-fascismo é apenas uma outra forma de ditadura exploradora da burguesa, tal como a chamada "democracia" burguesa. Todas as formas de ditadura burguesa são essencialmente iguais. A sua finalidade é permitir a maximização dos lucros dos plutocratas através da repressão e do assassinato de trabalhadores (e dos comunistas, em particular) a fim de evitar a revolução socialista e a ditadura do proletariado por todos os meios.
A única maneira de evitar a inevitabilidade de todos os tipos de tirania burguesa - sejam eles fascistas, social-fascistas, "democráticas", etc. - é através da realização do socialismo mundial e do comunismo mundial, sob a liderança do Comintern (EH) de acordo com os princípios do Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo.
 
Abaixo com todas as formas de ditadura burguesa em geral, e com a sua forma nazi-fascista em particular!


Viva a revolução socialista mundial!
 
com saudações comunistas e anti-nazi-fascistas


 
A Secção Portuguesa do Comintern (EH)

 

 

 

Novo

Enver Hoxha

em Sueco

 

«Albanien i kamp mot Chrusjtjov

revisionismen»

 

«OKTOBERFÖRLAGET»,

Estocolmo, 1976. Svensk utgåva). 

(«A Albânia contra o revisionismo de Khrushchev”, traduzido para Sueco por

Erik Göthe, publicado por «OKTOBERFÖRLAGET», Estocolmo, 1976. Svensk utgåva).
Este livro é uma tradução Sueca da edição do volume 19 das obras completas do camarada Enver Hoxha. Contém artigos, correspondência, discursos e obras do autor durante o período de Junho de 1960 a Dezembro de 1960.
O mais importante neste volume são os documentos do desenvolvimento da linha estratégica e táctica do Partido do Trabalho da Albânia contra a propagação do revisionismo moderno, e especialmente contra as actividades separatistas e anti-marxistas da liderança Soviética de Khrushchev.
A obra, incluída no volume 19 das obras completas de Enver Hoxha, constitui um valioso testemunho da teoria e práticas revolucionárias do PTA, e do grande tesouro do Marxismo-Leninismo.

Publicado graças ao site:

enverhoxha.ru

 

 

Há 80 anos atrás:

A luta do PCA contra a

ascensão de Hitler ao

poder

30 de Janeiro de 1933

30 de Janeiro de 2013

PCA – Ernst Thälmann 

site especial em língua Alemã

 

Ernst Thälmann, o líder do PCA,

desmascarou as posições de Trotsky como sendo o pior tipo de

"social-fascismo":

"No seu panfleto acerca da questão, Como derrotar o Nacional-Socialismo?, Trotsky dá sempre a mesma resposta: “O Partido Comunista Alemão deve coligar-se com a social-democracia… Esta teoria é típica de um fascista e de um contra-revolucionário arruinado. Esta teoria é a pior, é a mais perigosa e a mais criminosa que Trotsky construiu durante a sua campanha contra-revolucionária dos últimos anos. Trotsky opõe a luta revolucionária do proletariado contra o fascismo á luta revolucionária do proletariado contra o social-fascismo, dividindo assim esta frente de luta que é necessária para eliminar todas as formas de ditadura da burguesia. A afirmação de Trotsky de que os Comunistas querem destruir a social-democracia ainda antes de destruírem o Nazismo é falsa e não tem absolutamente nada a ver com a realidade da política Comunista.  

A libertação revolucionária dos trabalhadores não é possível nem sob a liderança fascista nem sob a liderança social-fascista. O único partido antifascista na Alemanha é o partido Comunista. [Ernst Thälmann; Acerca da nossa estratégia e táctica na luta contra o fascismo; "Die Internationale", Heft 6, 1932]

 

O Comintern (EH) luta – tanto em teoria como na prática – contra todas as formas de ditadura burguesa – incluindo o fascismo e o social-fascismo! Abaixo todos os inimigos Trotskistas e revisionistas que atacam as nossas correctas posições Estalinistas-Hoxhaistas que defendem o anti-social-fascismo !!

 

 

 

tempo virá em que os Estalinistas-Hoxhaistas marcharão à frente da manifestação LLL em Berlim porque eles são os lutadores mais consistentes e corajosos na revolução mundial como Rosa, Karl e Ilitch!

 

 



Relatório da manifestação LLL em Berlim


 

Na semana passada, de sexta-feira para sábado nos dias 11, 12 e 13 de Janeiro de 2013 – teve lugar a manifestação LLL em Berlim.


Entre a lista de canções distribuída estava "Up, up para a luta”, a Canção da Frente Unida, Jalava, a Internacional e mais algumas. As de Jalava recordam Lenine e foram bem lembradas até porque foram cantadas muitas vezes durante o evento.


Chegou o Sábado.


Na véspera da manifestação, visitámos diversos lugares históricos e os domicílios de Rosa Luxemburgo e de Karl Liebkecht e suas famílias, mas também Bernstein, Kautsky e os seus herdeiros foram lembrados.
Também ficamos diante da casa do Conselho Federal dos social-fascistas de Kautsky com grande.


Kautsky e Bernstein foram dos primeiros revisionistas que se afastaram do socialismo científico, aprovaram os empréstimos de guerra das Guerras Mundiais imperialistas e condenaram os Bolcheviques. Enquanto isso, Karl e Rosa defenderam a revolução de Outubro e o Bolchevismo e imediatamente perceberam que a indústria de guerra ganha com a destruição dos povos pois ela só procura o lucro.
Estava um frio de rachar, mas finalmente chegámos a uma sala quente numa escola. Lá havia convidados internacionais de organizações fraternais - da República Checa, Eslováquia e Noruega.


Tanto o autocarro como a sala foram abordados pelos social-fascistas, anarquistas e sionistas. Mais tarde descobriu-se que chegaram alegadamente a 1000 os participantes divisores na manifestação.

Tradicionalmente, cerca de 8000-10000 estavam do nosso lado, mas vamos falar sobre isso mais tarde.

Houve discursos e mencionámos o exemplo do PDS como falsa esquerda divisora da manifestação. Um dia depois, as decisões tomadas pelo partido em questão foram desrespeitadas pelos sues próprios militantes. Com um partido verdadeiramente proletário como o Partido Comunista (ML), PC / EH e Comintern / EH nunca sucederia tal coisa. As decisões seriam sempre respeitadas, por isso é que seremos uma equipa forte capaz de reagir em situações críticas. De seguida surgiram dois grupos de autocarro cantando um hino de futebol de hooligans e afirmando coisas relacionadas com o "socialismo real" sob o lema "Amizade na competição."

Eu não sabia o que fazer com eles. Eu achei simplesmente constrangedor.

A ditadura do proletariado e o socialismo mundial são uma necessidade histórica e actual, não apenas porque gostamos da luta de classes, mas porque estamos lutando pela vida que o capitalismo mundial nos quer tirar. O futuro pertence ao socialismo mundial.

Em última análise, os revisionistas querem sempre derrubar a ditadura do proletariado…

Seguiram-se alguns discursos e cânticos.


No domingo, dia 13 de Janeiro de 2013, finalmente fomos para a manifestação.
 

Oficialmente começou ás 10 horas. Mas nós estávamos lá um pouco mais cedo.
Os participantes foram:



PCA - SDAJ (ala jovem do PCA)

MLPD / Rebeldes (Maoista)

Partido Comunista MKP (Maoista)

PDS
MLCP
TKP
TKIP
Iniciativa Marxista (Trotskista http://www.marxismus-online.eu/)
ASA (alternativa socialista avançada, Trotskista)
Tendência Bolchevique Internacional IBT (Trotskista)
o Social fascista FDJ
Vanguarda (Trotskista)
A lista dos Trotskistas participantes está aqui: www.klassegegenklasse.org
Os planos para construir um Partido Bolchevique (www.trotz-alledem.tk) vão sempre ter á clássica pergunta sobre Estaline.
O MLMK (Marxista-Leninista-Maoista) e o REV www.revkombrd.worldpress.com, também Maoístas, discípulos ideológicos de Bob Avakian
Partido dos Trabalhadores Espartaquista (Trotskista) http://www.icl-fi.org/ e ainda alguns outros para além de uma organização migrante.

"teoria dos três mundos" contra-revolucionária, o Maoismo e a teoria da “guerra popular” revisionista.

Condenámos a SDAJ social-fascista e demos vivas ao Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo e ao PCA / SH.

Segundo os revisionistas, Estaline, Hoxha e Ernst Aust estão “em oposição” a Marx. No entanto, eles não explicam porquê, mas apenas continuam com o seu sorriso arrogante.
O PCA / SDAJ enfrenta um grave risco de colapso devido a brigas internas e a litígios. Política e ideologicamente eles não têm nada para oferecer. Portanto, agora nas suas fileiras faz-se uma enorme campanha de difamação contra os anti-revisionistas.
"Nenhum soldado contra os democratas." E, assim como no ano passado, eu pergunto: que merda pacifista é esta? Não são os soldados vermelhos Estalinistas-Hoxhaistas verdadeiros revolucionários?

Um camarada Turco estava muito animado acerca de Spartacus, acerca da nossa bandeira e perguntou-me se eu falava Turco segurando a bandeira do seu TKIB
Ele contou-me acerca dos presos políticos que estão nas prisões da Turquia.


Na manifestação gritavam-se palavras de ordem em paralelo:  

"Viva a solidariedade internacional!"

"Viva a Internacional Comunista!"

"Estamos criando a resistência do martelo da foice e da espingarda!" "Martelo, foice e espingarda apontam o caminho do comunismo!"


 

Fui abordado no curso da manifestação e soube que os nossos livros
"Sobre as Fundações e as perguntas do Estalinismo"
e
"Sobre os princípios Maxistas-Leninistas da ciência militar do proletariado mundial"
estão entre os livros mais polémicos e mais discutidos no cenário comunista.
Como se vê, tudo o que o Comintern (EH) faz será lido e seguido.



No final da manifestação, foram novamente muitas as bancas de diferentes grupos, algumas com comida e lembranças.



A Secção de Alemanha do Comintern (EH) também usava um cartaz com palavras de ordem:

"Proibição de todas as organizações capitalistas"

e
"Abaixo o regime social-fascista de Assad e todos os ocupantes imperialistas.”

 

Devido a este cartaz um social-fascista do "Mundo Jovem" gritou para mim: "Seu nazista, fascista, você defende posições reaccionárias!" (?)

Eu disse, "tu és um Khrushchevista nojento, um revisionista, um fascista, um agente sujo da burguesia!" Abaixo os social-fascistas do "Mundo Jovem".

"Mundo Jovem" quando matava o seu povo com as armas fornecidas pelos russos. Isso aconteceu em frente ao stand da iniciativa comunista, onde encontrámos um co-fundador do KPD / ML, que conheceu Ernst Aust pessoalmente e que até afirmou que o túmulo de Ernst Aust foi totalmente negligenciado.

Também falei com os representantes do PCA / Amanhecer Vermelho, do Grupo Estrela Vermelha, com o Professor Hildebrandt e com outros.  

Cerca das 12 horas e 15 minutos, vi os polícias avançarem. Corri atrás deles, mas perdi a briga no cemitério onde os membros do MLPD foram perseguidos pelos policiais, atrás dos quais se escondiam os Trotskistas.

"Vítimas do Estalinismo e do regime da RDA" estavam presentes. Mas os anti-comunistas, Trotskistas e revisionistas devem sofrer de Alzheimer, porque Estaline e Enver Hoxha foram proibidos nos países revisionistas.


O Comintern (SH) gritava:

"A maioria das vítimas do Estalinismo: Bancos apoiantes de Hitler, e corporações como a Thysen Krupp e a Daimler."


Dirigi-me enfim para a sepultura de Rosa e de Karl como em todos os anos. Mas eu tinha perdido a rosa vermelha devido aos confrontos com os social-fascistas do “Mundo Jovem”.

Houve mais discussões.


Alguém disse que a nossa bandeira tinha uma metralhadora, mas isso não é verdade! É uma espingarda simples.

"pacífica" de transição para o socialismo mundial, pois a burguesia nunca cede o seu poder e afoga os trabalhadores em sangue. O que me incomodou foi quando alguém disse que a revolta Hamburgo falhou porque o povo não estava convencido. Mas isto não é verdade. Qualquer pessoa que tenha tido contactos com o KPD / ML sabe que ele não é um partido elitista, mas sim um partido democrático, que levava a cabo um trabalho de educação continuada entre as massas trabalhadoras para que elas obtenham consciência de classe, porque um proletariado que não luta não é nada. E os combates podem ser tudo.

Então, um dos Maoistas disse-me algo sobre a bandeira. Incomodava-o a arma na bandeira e ressaltou mais uma vez que nas suas obras ideológicas e na sua bandeira ela não existe. Eu mencionei que o livro é destinado aos intelectuais pequeno-burgueses que não são uma classe, mas sim uma camada intermediária, e que a bandeira do partido da Coreia do Norte reflecte a predominância da influência desses intelectuais pequeno-burgueses.  

Durante a manifestação do LLL, discutimos com alguns dos Maoistas a tese do social-fascismo social de forma construtiva.
Eles eram da opinião de que o Comintern e o Sétimo Congresso Mundial erraram ao declarar extinta a teoria do social-fascismo, substituindo-a pela Frente Popular.
Eu pensei que a tese do social-fascismo nunca esteve errada. O Comintern (EH) condena o desvio de direita de Dimitrov. E o Comintern (EH) também defendeu a tese do social-fascismo Estalinista contra os reformistas, os revisionistas e os Trotskistas. E isto é hoje mais pertinente do que nunca:

Só temos de observar os regimes de Sarrazin, de Kadafi, do gangue de Assad na Síria, o Partido Comunista da África do Sul que leva nas suas mãos o sangue dos mineiros presos e massacrados, o social-fascista revisionista KKE seguidor de Khrushchev que se escondeu no Parlamento burguês, enquanto a multidão furiosa invadia o edifício do parlamento, etc.


Fomos apanhar o autocarro:  

a experiência foi realmente muito boa. No geral, foi uma experiência bem sucedida e um óptimo fim-de-semana.

Este é também o ponto da questão. Devemos trabalhar no terreno e não desperdiçar tempo com revisionistas incorrigíveis – quer sejam Maoistas ou não.
 

- Final do relatório da manifestação –

 

Documentos históricos do COMINTERN

- re-publicados pelo Comintern (EH) -



(em língua Inglesa)  



O ANO

 1933

 

 

CEIC

DECLARAÇÃO ACERCA DA SITUAÇÃO ALEMÃ

E DA FRENTE UNIDA

11 de Março de 1933  

 

 

RESOLUÇÃO DO PRESIDIUM DO CEIC ACERCA

DA SITUAÇÃO NA ALEMANHA  

12 de Abril de 1933 

 

 

PRIMEIRO DE MAIO 

MANIFESTO DA INTERNACIONAL COMUNISTA

 Abril de 1933