31 de Dezembro de 2000


 
31 de Dezembro de 2012


 

12 º Aniversário da

 

Internacional Comunista

 

(Estalinista-Hoxhaista)
 

12 anos

- 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo




Viva o Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo!

 

Viva o comunismo mundial!

 

 

 

No final da década de 1990, criámos as "19 Teses" da reconstrução do Comintern de Lenine e Estaline por ocasião do 80º aniversário da sua fundação. Hoje, isto já se tornou num documento histórico. Neste documento, respondemos positivamente á questão mais decisiva:

"Devemos fundar uma nova Internacional Comunista com a mudança do milénio?"

Tínhamos a convicção sólida do que Lenine anteriormente augurou após a degeneração oportunista da Segunda Internacional:

"Essencialmente, a Internacional Comunista não caiu – ela vive até hoje e também vai viver no futuro!"

E nas nossas "19 Teses", dissemos:

"Sim, a criação de um novo Comintern não pode ser adiada. É a tarefa mais essencial para todos os comunistas do mundo - no próximo milénio.”



Para começar com a criação de um novo partido de vanguarda do proletariado, o Comintern (EH) foi fundado na véspera de Ano Novo 2000 / 2001 por aqueles Estalinistas-Hoxhaistas que não desistiram de recuperar os nossos amados antigos países socialistas – a pátria do proletariado mundial e do Movimento Mundial Marxista-Leninista.

Esses Estalinistas-Hoxhaistas queriam vingar-se da traição dos revisionistas e foram suficientemente determinados para reorganizar a luta anti-revisionista sobre a base dos cinco Clássicos do Marxismo-Leninismo como uma tarefa internacionalmente centralizada.

Estes Estalinistas-Hoxhaistas eram menos do que os dedos de um punho, mas firmes e determinados o suficiente para defender a bandeira da revolução socialista mundial pela qual o movimento comunista mundial e os antigos países socialistas se sacrificaram.

Estes Estalinistas-Hoxhaistas que fundaram o Comintern (EH) decidiram proteger e espalhar a chama do internacionalismo proletário revolucionário no espírito dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo em todo o mundo.



O capitalismo vai morrer – inexoravelmente!

O socialismo regressará á escala global – vitoriosamente!

O futuro do mundo pertence ao comunismo invencível!

Esta era a convicção dos fundadores do Comintern (EH) quando eles juraram

"Transformar o impossível em possível":



"DÊEM-NOS UM EXÉRCITO DE 1000 ESTALINISTAS-HOXHAISTAS GENUÍNOS E NÓS DESTRUÍREMOS O MUNDO CAPITALISTA!”



Na nossa “CHAMADA PARA A FUNDAÇÃO DA NOVA INTERNACIONAL COMUNISTA”, dissemos na véspera do Ano Novo de 2000:



"Camaradas, esta é uma noite histórica, pois é a última em que os revisionistas, os social-fascistas e todos os seus lacaios (ocultos ou não) em todo o mundo nos impediram de refundar a nossa Internacional Comunista.

Assim, com um amanhecer vermelho, nós entramos no novo século com a nossa Internacional Comunista fundada no espírito de Marx, Engels, Lenine e Estaline.

Nesta ocasião, nós cantamos a “Internacional” juntamente com todos os Marxistas-Leninistas, com todos os proletários de todo o mundo.

Assim, declaramos de uma vez por todas:

O Camarada Enver Hoxha é o 5º líder do Marxismo-Leninismo, juntamente com Marx, Engels, Lenine e Estaline.

Este princípio constitui o fundamento ideológico do Comintern (ML).

De agora em diante, é dever de todos os Marxistas-Leninistas de todo o mundo o de declararem a sua filiação ao Comintern (ML) e de o manterem vivo enquanto instrumento de classe Bolchevique do proletariado mundial.”

Toda a luta do Comintern (EH) nos últimos 12 anos foi baseada nos ensinamentos dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo na preparação, propagação e aceleramento da revolução socialista e proletária mundial.

Particularmente, nós olhamos para trás encarando 2012 como um ano de sucesso. Este foi o primeiro ano de luta do Comintern (EH) com as recém-criadas Secções da Geórgia, Alemanha, Portugal e Sérvia - uma grande vitória contra os nossos inimigos de classe!

A necessidade de uma Internacional Comunista para liderar o movimento revolucionário mundial para a derrubada do capitalismo mundial nunca foi mais evidente do que no ano de 2012.

A Internacional Comunista (Estalinista-Hoxhaista) fez, em 2012, uma grande contribuição para a promoção global e a preparação da revolução proletária mundial. Nós demonstramos em palavras e actos que somos o líder mundial da propagação das ideias do comunismo. A nossa Internacional Comunista é única. Não há nenhuma organização semelhante ou comparável no mundo. Nós somos os porta-estandartes do proletariado revolucionário mundial, e nós já lutamos activamente em 4 países. Nenhuma outra organização no mundo é guiada pelos ensinamentos dos 5 Clássicos do Marxismo-Leninismo: Marx, Engels, Lenine, Estaline e Enver Hoxha.

Em 2013, o Comintern (EH) continuará toda a sua valiosa e extensa actividade.

O Comintern (EH) irá propagar os ensinamentos dos cinco clássicos de forma mais abrangente.

O Comintern (EH) tem como objectivo recrutar, unir, organizar e treinar novos camaradas Estalinistas-Hoxhaistas no mundo.

Vamos continuar o trabalho das Secções e tentar criar novas Secções no mundo.



O movimento de protesto contra a deterioração da situação das massas exploradas e oprimidas em 2012 atingiu novas dimensões á escala global.

O movimento revolucionário tem uma tendência crescente para a globalização e torna-se mais e mais uma frente global que alcança uma nova qualidade.

As grandes revoluções no mundo Árabe, a sua propagação na África e no Médio Oriente, a luta na América Latina e especialmente os protestos na Europa continuaram em 2012. Eles vão expandir-se cada vez mais sob as condições da falência do capitalismo mundial.

A crise mundial do capitalismo fará com que mais encargos de dívidas pesem nas costas dos povos. O desemprego vai subir, mais fábricas serão fechadas, a superprodução vai atingir os consumidores, os preços aumentarão e a inflação também. A depressão económica e a retribuição de bens para as exigências básicas do povo tornam-se cada vez mais difíceis.

Em suma: a sobrevivência da maioria da população mundial já está basicamente em perigo enquanto a minoria rica vive ainda mais luxuosamente.

A escassez de água e comida nos países mais pobres aumentará dramaticamente devido á crise mundial agrária. Milhões de pessoas vão morrer.

Na segunda fase da crise económica, as crises políticas (exterior militar / interior fascista) no mundo serão ainda mais frequentes.

As guerras imperialistas (também em forma das chamadas "guerras por procuração") vão aumentar e globalizar-se. ("A rivalidade entre as grandes potências", remoção de concorrentes do mercado mundial por meio de violência imperialista militar).

O fascismo (militarismo interior) é globalizado ainda mais para manter a dominação mundial da burguesia.

Resumidamente:

Primeiro:

As contradições de classe ​​vão aumentar no próximo ano de 2013. (Aprofundamento da luta de classes)

Em segundo lugar:

Há novas camadas e novos países empurrados para a luta de classes mundial do proletariado mundial (expansão e divulgação da luta de classes).

Em 2012, os mineiros e metalúrgicos estavam à frente da luta de classes do proletariado mundial (expressivamente em todos os continentes). A tendência de solidariedade globalizada vai contribuir para a expansão mundial da luta dos mineiros.

O nosso dever é levar as nossas ideias revolucionárias até este movimento de globalização dos trabalhadores.

E a burguesia mundial?

Ela é impotente e está á mercê de produzir crises cada vez mais causadas pela crescente exploração e opressão. As ondas crescentes de protesto de massas são o arauto da revolução socialista vindoura. A burguesia mundial impede a sobrevivência dos países.

É, portanto, a missão histórica do proletariado mundial unir todas as massas exploradas e oprimidas de todos os países para a derrubada do capitalismo mundial antes que o capital financeiro mundial devore um país após o outro. Isto é o que o Comintern (EH) deve explicar ao público com base nos ensinamentos dos cinco Clássicos do Marxismo-Leninismo.

Quanto á força do proletariado mundial, as condições para a vitória da revolução socialista nunca foram tão boas quanto hoje. Mas, por outro lado, a influência do anti-comunismo na classe trabalhadora nunca foi mais forte do que hoje e os Neo-Revisionistas são a 5ª coluna do anti-comunismo. Sem derrota do anti-comunismo e do seu ramo Neo-Revisionista é impossível fortalecer o factor revolucionário subjectivo global. Nós aceitamos este desafio no ano de 2012 e vamos aceitá-lo também em 2013.

Na verdade, em 2012 não havia nenhuma outra organização no mundo que tenha feito mais esforços na luta contra o anti-comunismo do que o Comintern (EH).

A vitória do proletariado mundial não é apenas baseada nos ensinamentos invencíveis dos cinco Clássicos, mas também nas acções conjuntas do proletariado mundial.



Em perspectiva, temos de coordenar e centralizar acções globais. Vamos dominar esta tarefa e vamos tornar-nos na verdadeira vanguarda do proletariado mundial.

A nossa tarefa enquanto Comintern (EH) é ganhar e formar a vanguarda do proletariado mundial para o comunismo mundial (primeiro ideologicamente).

O trabalho ideológico é a prioridade, o principal elo da cadeia, o foco do nosso trabalho em 2013 – de acordo com o princípio predominante da reconstrução ideológica do partido bolchevique mundial. O Comintern (EH) continuará a desenvolver e a consolidar o seu papel de liderança como portador global do Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo.

Em 2012, vamos desenvolver teoricamente a ideologia do Estalinismo-Hoxhaismo, nomeadamente no que toca á linha de demarcação necessária que nos separa e distingue da ideologia do mundo capitalista-revisionista. Somos e permanecemos também em 2013 como o farol do comunismo mundial cercado por forças hostis capitalistas e revisionistas. Elas não terão sucesso em extinguir este farol comunista mundial. O que quer que aconteça em 2013, nós amos prosseguir sem hesitação para levar avante a nossa bandeira dos cinco Clássicos do Marxismo-Leninismo e vamos desferir golpes pesados ​​contra a ideologia burguesa.

O movimento mundial Estalinista-Hoxhaista vai crescer apenas na medida em que nós continuarmos a nossa luta contra todas as ideologias burguesas e pequeno-burguesas. Além disso, nós lutamos contra as ideologias Neo-Revisionistas que aparecem como ideologias "proletárias" com o objectivo de frustrar a missão histórica do proletariado mundial e de resgatar o capitalismo mundial.



Em 2011, nós começámos a nossa luta contra o Maoismo. E em 2012 nós continuámos a nossa luta Anti-Maoista com sucesso ("Declaração de Guerra contra o Maoismo" em três partes). Desta vez, nós atacámos especificamente as organizações Maoistas em todos os continentes. E vamos continuar a nossa guerra contra o Maoismo até que ele seja finalmente derrotado e destruído. Em 2013, acima de tudo, temos de nos concentrar na luta contra o social-imperialismo Chinês que devemos desmascarar como sendo o produto do Maoismo. Como única organização no mundo que defendeu o Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo contra o Maoismo, nós fortalecemos o caminho Anti-Maoista para a revolução socialista que o camarada Enver Hoxha inaugurou tão honrosamente.

Em 2012, com base nos ensinamentos do camarada Enver Hoxha sobre a luta contra as duas superpotências, temo-nos focado principalmente na luta contra as duas superpotências, EUA e China, como sendo os principais inimigos do proletariado mundial e os povos oprimidos (sem negligenciar a nossa luta contra todas as outras potências imperialistas - especialmente o novo imperialismo Brasileiro e outros países imperialistas emergentes). No nosso site "África" e na nossa "Plataforma de África", nós já expressámos claramente que a nossa luta contra o social-imperialismo Chinês e a nossa luta contra o Maoismo são inseparáveis. Vamos expandir esta correcta linha ideológica em 2013.

Particularmente perigosas são aquelas correntes que tentam conciliar o Hoxhaismo com o neo-revisionismo. Uma das suas principais características é a negação oportunista do reconhecimento do camarada Enver Hoxha como o 5º Clássico do Marxismo-Leninismo. Este fenómeno pode ser comparado com a antiga linha da chamada "2ª e ½ª Internacional":

Após a traição da II Internacional, Lenine desmascarou a "2ª e ½ª Internacional" dos Kautskistas. E hoje vamos desmascarar os defensores dos chamados: "4 e ½ Clássicos do Marxismo-Leninismo"!

Nós, Estalinistas-Hoxhaistas, nós, os defensores dos "5 Clássicos" vamos triunfar sobre os defensores dos chamados "4 e ½ Clássicos" – atrás dos quais se escondem os renegados!

O slogan da nossa luta ideológica em 2013 será:

Abaixo os

"4 e ½-istas"!

Estes elementos oportunistas falam sobre as chamadas "contribuições enriquecedoras" do camarada Enver Hoxha. Este termo é ambíguo e é muitas vezes usado por aquelas pessoas que "defendem" os ensinamentos do "Enver Hoxha" ANTES da separação relativamente aos Maoistas CONTRA (!) o outro "Enver Hoxha" após a separação relativamente aos Maoistas. Nós não podemos nem vamos tolerar esta rede Maoista de mentiras.

O que é que o Hoxhaismo realmente significa? O Hoxhaismo é a única ideologia em todo o mundo que triunfará sobre todas as ideologias anti-comunistas, bem como sobre o revisionismo e o neo-revisionismo – (inclusivamente o Maoismo!). O Hoxhaismo é o único baluarte invencível contra todos os tipos de reconciliação com as ideologias anti-Marxistas-Leninistas.

Para nós, Estalinistas-Hoxhaistas, só existe um camarada Enver Hoxha – o 5º Clássico do Marxismo-Leninismo!

Não podemos limitar-nos a considerar o camarada Enver Hoxha como alguém que fez meras "contribuições enriquecedoras" para o movimento comunista. Enver deve ser reconhecido como o verdadeiro 5º Clássico do Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo, como o líder proletário que continuou o desenvolvimento dos ensinamentos de Marx, Engels, Lenine e Estaline, após a morte de Estaline e nas condições do cerco imperialista-revisionista.

Todos podem ver:

Nós, Estalinistas-Hoxhaistas, fazemos grandes progressos - no entanto, os revisionistas e os reconciliadores capitularam e sofrem uma derrota após a outra em face da crise capitalista mundial.



Assim, não é o jovem Movimento Mundial Estalinista-Hoxhaista que está a passar por uma profunda crise ideológica, política e organizacional – na verdade, é o movimento revisionista e Neo-Revisionista mundial que está a atravessar esta crise. A crise dos lacaios revisionistas da burguesia está, inevitavelmente, acorrentada à crise geral do capitalismo mundial, é parte imanente dela. Em 2012, os revisionistas organizaram muitos "encontros internacionais", porém eles estão tão desamparados como antes.

Os revisionistas convocam a "unidade", mas eles não são capazes de a basear em princípios Marxistas-Leninistas e eles não conseguem resolver as divisões que ocorrem nas suas próprias fileiras. Os revisionistas não têm uma estratégia e táctica revolucionária global, eles não têm uma organização global, etc. Todas as suas “teorias” traiçoeiras são inadequados para iluminar o caminho revolucionário para a saída da crise do mundo capitalista em direcção ao socialismo mundial. As "teorias" dos revisionistas estão condenadas.



O Comintern (EH) é a única organização comunista em todo o mundo que é guiada pelos ensinamentos invencíveis dos cinco Clássicos do Marxismo-Leninismo e que tem trabalhado a teoria Estalinista-Hoxhaista, bem como uma Linha-Geral global, a estratégia e a táctica da revolução socialista mundial, um conceito programático global e os fundamentos organizacionais de um partido bolchevique mundial – perfeitamente adequado às condições actuais do capitalismo globalizado.

É certo que o Comintern (EH) é a maior arma ideológica nas mãos do proletariado mundial, mas... estamos absolutamente conscientes acerca do perigo que cada atraso da nossa teoria em relação ao movimento possa, mais cedo ou mais tarde, tornar-se num obstáculo ou até mesmo numa ameaça existencial. Nós já temos uma sólida formação teórica, no entanto, o avanço dos nossos fundamentos teóricos nunca poderão ficar para trás - enquanto o Comintern (EH) existir. A história do movimento comunista mundial ensina-nos:

Cada degeneração do movimento comunista mundial começa com a sua degeneração ideológica. O Movimento Mundial Estalinista-Hoxhaista será invencível enquanto for guiado pelo espírito do Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo.



A preparação do proletariado mundial para a revolução mundial, a luta contra todas as classes hostis, não é apenas uma tarefa ideológica, mas também política e prática. O Comintern (EH) é um partido mundial que prepara e desenvolve a política mundial independente do proletariado mundial – em perspectiva - com o objectivo de guiar o proletariado mundial na tomada do poder político global. Não importa se somos apenas uns poucos camaradas ou uma grande organização – o camarada Enver Hoxha ensinou-nos que devemos participar nas acções do proletariado e na luta das massas exploradas e oprimidas – independentemente das nossas condições organizacionais actuais serem "boas" ou "más". Esta é uma questão de princípio obrigatória para todos os comunistas - em cada momento e sem excepção. O Comintern (EH) aplicou este princípio em 2012 e praticá-lo-á também em 2013.



O número de pessoas que querem uma mudança revolucionária no mundo aumentou muito em 2012. O Comintern (EH) tomou nota das exigências urgentes que levaram as massas às ruas em 2012. Nós combinámos correctamente as exigências políticas imediatas com os propósitos a longo prazo do comunismo.

Em 2012, temos apoiado a marcha comum das massas no caminho da luta de classes mundial em conexão com a propagação da revolução socialista mundial. Nós combinámos as questões mais prementes do proletariado mundial com a ciência do socialismo globalizado.

Nós participámos e continuaremos a participar em todas as três principais frentes da luta de classes global em palavras e acções:



(1) Lutámos contra a deterioração da situação do proletariado mundial e de todos os trabalhadores do mundo (luta económica)



(2) Lutámos contra o fascismo mundial, contra a reacção e a contra-revolução mundiais



(3) Lutámos contra o imperialismo ao lado dos povos oprimidos e do proletariado mundial



Apenas com palavras, nós não conseguimos convencer as massas a derrubarem o jugo da burguesia mundial. As massas só podem ser conquistadas pelos comunistas se eles tiverem formado, educado e forjado a vanguarda do proletariado mundial. Só a vanguarda do proletariado mundial é capaz de mobilizar as massas revolucionárias.

A libertação das massas é impossível sem um líder de vanguarda do proletariado mundial organizado na Internacional Comunista. Por isso, é urgente a tarefa futura do Comintern (EH) para ganhar para o seu lado os elementos mais progressistas do proletariado mundial no contexto da luta sob a bandeira dos cinco Clássicos do Marxismo-Leninismo, sob a bandeira da revolução socialista mundial.

Recrutar novos membros, criar novas Secções – esta é uma tarefa crucial do Comintern (EH) e das suas Secções durante os próximos anos.

Esta é a razão pela qual nós apelamos aos trabalhadores mais progressistas do mundo para que participem no Comintern (EH).



Tornem-se membros do Comintern (EH)!

 

Juntem-se à luta de classes das nossas Secções!

 

Ajudem-nos a criar uma Secção da Internacional Comunista (EH) no vosso país!

 

Apoiem a Internacional Comunista (Estalinista-Hoxhaista)!


 
Viva o 12º Aniversário do Comintern (EH)!


Viva a revolução socialista mundial!


Viva o Socialismo Mundial!


Viva a ditadura do proletariado mundial!


Viva o Marxismo-Leninismo-Estalinismo-Hoxhaismo!


Viva o Comunismo Mundial!


 
Viva o novo ano da luta de classes mundial!
 
 


 

O Comintern (EH) – 31 de Dezembro de 2012