- Clara Zetkin –

Site especial por ocasião do

80º Aniversário do seu

falecimento


no dia 20 de Junho de

2013


[Incluindo o arquivo das suas obras]

 

 

 

Clara Zetkin


5 de Julho de 1857 - 20 de Junho de 1933
 
"Nós, os seus irmãos e irmãs através das fronteiras, trilhar o caminho em que você avançará tempestuosamente.
A bandeira vermelha da Internacional Comunista está soprando por cima de nós.
A Estrela Soviética da criatividade Socialista ilumina o caminho e mostra-nos a meta.
A revolução proletária mundial está a chegar!
O mundo pertence ao comunismo!
Esta é uma lei de aço da história."

 

Obituário


da Direcção do Comité

 

Executivo da

 

Internacional Comunista:


"A grande revolucionária Clara Zetkin morreu...
Até ao último momento de sua vida, ela ergueu a bandeira do comunismo.
A classe operária Alemã, que luta heroicamente contra a ditadura fascista sanguinária, homenageia Clara Zetkin como sua líder comprovada, corajosa e amada.
A classe trabalhadora do país da revolução proletária vitoriosa honra-a como uma camarada e amiga fiel na luta pela construção de uma sociedade socialista.
A Internacional Comunista e os operários de todos os países, que lutam pela sua libertação, todos eles honram a sua heroína revolucionária." 

 

 

 

 Clara Zetkin e a sua camarada e companheira Rosa Luxemburg são líderes famosas do movimento operário. Na segunda Conferência Internacional de Mulheres Socialistas, foi Clara Zetkin que apresentou um pedido para declarar um feriado internacional e socialista anual em honra da mulher. Desde então, no dia 8 de Março, o Dia Internacional da Mulher é comemorado em todo o mundo desde há mais de 100 anos.

 

 

 

Clara Zetkin era celebrada na Alemanha e na União Soviética antes da Segunda Guerra Mundial por causa da sua participação activa no movimento comunista. Ela preocupava-se particularmente com as necessidades das mulheres, argumentando que as mulheres respondem melhor a uma forma diferente de agitação do que àquela utilizada entre os homens. Clara Zetkin afirmou que o comunismo é a única maneira de responder às preocupações das mulheres como mães e que só o envolvimento do Estado socialista na vida doméstica permitirá que as mulheres sejam totalmente emancipadas. As mulheres precisam de liberdade relativamente ao trabalho doméstico e de aumento da formação e apoio para ajudá-las como trabalhadoras. Os escritos de Clara Zetkin centram-se nesses princípios.

A Revolução Bolchevique provou a Clara Zetkin que o comunismo resgataria as mulheres da opressão do capitalismo. O modelo Soviético mostrou que as mulheres podem encontrar protecção para si e para os seus filhos através da intervenção do Estado socialista. Além disso, o comunismo proporcionou um proletariado feminino com o aumento das oportunidades de emprego e formação. Enquanto os movimentos de mulheres burguesas se espalharam pela Europa, Clara Zetkin enfatizou que a verdadeira libertação só viria através do comunismo. Para Clara Zetkin, o comunismo da Rússia Soviética na década de 1920 trouxe a igualdade para as mulheres não apenas na teoria, mas também na prática.

O periódico de Clara Zetkin "Die Kommunistische Fraueninternationale" (1921-1925) incluiu artigos que enfatizaram como o sistema Soviético ajudava as mulheres. Estes artigos apoiavam a crença de Clara Zetkin que o comunismo beneficia as mulheres, aliviando as suas cargas. "Die Kommunistische Fraueninternationale" estabeleceu um fórum em que as mulheres comunistas de todo o mundo podiam ouvir notícias de movimentos de outros países para além do seu. Ao incluir a discussão do modelo Soviético no seu periódico, Clara Zetkin procurou convencer as mulheres das virtudes de se juntarem á Rússia Soviética na revolução mundial em vez de sucumbirem às promessas vazias das nações capitalistas.

 

 O apelo de Clara Zetkin às mulheres do mundo não perdeu a sua actualidade:


"Até agora vocês têm tolerado tudo isto pelos vossos entes queridos, agora precisamos de agir pelos nossos maridos, pelos nossos filhos. (...) Abaixo o capitalismo, que sacrifica hecatombes de pessoas em benefício da riqueza e do poder dos ricos! Abaixo a guerra! Viva o socialismo!"


("Recurso de Berna" em 1915)

 

 

 

 

 Clara Zetkin advertiu cedo para o perigo representado pelo renegado Walter Ulbricht:


"Queira o destino impedir que este homem alguma vez chegue ao topo do partido. Basta olharmos nos olhos dele para ficarmos a saber a pessoa sorrateira e desonesta que ele é."

 

 

 

 

 Clara Zetkin foi co-fundadora e presidente do Socorro Vermelho Internacional, que ficou do lado daqueles que foram reprimidos pela justiça de classe. No último artigo que ela escreveu, Clara Zetkin pediu uma semana auxiliar internacional para as vítimas do terror fascista na Alemanha. Ela morreu em Junho de 1933 nos arredores de Moscovo.

 

 

Observação do Comintern (EH):


De 1921 a 1933, Clara Zetkin foi membro do Comité Executivo da Internacional Comunista (CEIC), onde ela esteve nos seus últimos anos na oposição minoritária a Estaline e contra a tese do social-fascismo. Ela também criticou Ernst Thalmann. No entanto, Ernst Thalmann foi defendido por Estaline e também é defendido pelo Comintern (EH).

Lenine criticou os erros e as fraquezas de Clara Zetkin, que admitiu os seus erros. Estaline também a criticou.

Apesar de tudo, Estaline honrou Clara Zetkin. No seu enterro, o seu caixão foi conduzido da Casa dos Sindicatos em Moscovo até ás paredes do Kremlin (naquele dia, 400.000 pessoas disseram adeus á camarada Clara Zetkin).

 

__________________

Arquivo

Clara Zetkin

__________________

 

 

Apenas Junto Com as Mulheres Proletárias o Socialismo Será Vitorioso

 

16 de Outubro de 1896

 

 

Lênin e o Movimento Feminino

1925

 

 

 

 

 

CHINESE

DUTCH

FARSI

FRENCH

GERMAN

CLARA ZETKIN

PORTUGUÊS